Cooperativas na Zona Sul e Consórcio Leste 4 lideram problemas em São Paulo

ônibus

Cooperativas da zona Sul de São Paulo e ônibus do Consórcio Leste 4 são os mais problemáticos da Capital Paulista, de acordo com SPTrans. Nos cinco primeiros meses deste ano foram mais de 74 mil multas, mas muitas irregularidades não foram anotadas pelos fiscais.

Número de multas contra empresas de ônibus ultrapassou 74 mil em cinco meses.
Mas a quantidade das penalidades representa apenas 0,37% das viagens programadas. Dupla função está entre as principais irregularidades.
Cooperativas da zona Sul e Consórcio Leste 4 são as que mais apresentam problemas;
ADAMO BAZANI – CBN
Nos primeiros cinco meses deste ano a SPTrans, São Paulo Transportes, aplicou 74 mil 400 multas às empresas de ônibus e cooperativas que servem a cidade.
Apesar de o número ser elevado, representa apenas 0,37% das viagens realizadas em dias úteis na cidade e revela que a SPTrans ainda precisa avançar muito no sistema de fiscalização, já que muitas irregularidades ocorrem na prestação de serviços, mas não são flagradas pelos agentes da gerenciadora. Na média, há uma multa para cada 270 partidas.
Entre as principais irregularidades flagradas pelos fiscais da SPTrans são:
– Descumprimento de partidas: 13 mil 668 multas.
– Atrasos nos intervalos programados entre os ônibus: 10 mil 199 multas.
– Alteração sem prévio aviso das viagens previstas com veículos com equipamentos para portadores de deficiências: 6 mil 753 multas.
– Motoristas de ônibus dirigindo e falando ao celular ao mesmo tempo: 3 mil 982 multas
– Dupla função, ausência de cobradores ou auxiliares nos ônibus: 2 mil 667 multas

COOPERATIVAS DA ZONA SUL E EMPRESAS DO CONSÓRCIO LESTE 4 SÃO AS MAIS PROBLEMÁTICAS:

De acordo com o levantamento da SPTrans – São Paulo Transportes, os serviços das cooperativas de vans, micro-ônibus e ônibus da zona Sul de São Paulo foram os que mais apresentaram problemas neste ano. Em segundo lugar no ranking das multas e problemas aprecem os serviços das empresas do Consórcio Leste 4 e das cooperativas da região.
No mesmo período do ano passado, o número de multas em todo o sistema foi de 76 mil 520. A arrecadação, já levando em conta o mês de junho, passou de R$ 3,95 milhões para R$ 10,5 milhões.
O sistema de São Paulo possui cerca de 15 mil ônibus que atendem 6 milhões de pessoas em 1 mil 300 linhas. São 705 agentes de fiscalização da SPTrans.Alguns já podem multar a invasão de corredores de ônibus.
Adamo Bazani, jornalista Rádio CBN, especializado em transporte

9 comentários em Cooperativas na Zona Sul e Consórcio Leste 4 lideram problemas em São Paulo

  1. Comentário totalmente “isento” não é mesmo Adamo?
    Porque vc não publica os índices de IQT da cidade?

  2. Sao Paulo Transportes, cabide de empregos que não serve para absulutamente, NADA.

  3. Com certeza em relação ao consorcio leste 4, eu tenho certeza absoluta de que 60% das partidas não são cumpridas, ou boa parte da população não relata os descumprimentos, devido ao descredito na Sptrans, ou esta informação esta mascarada pela Sptrans.

    • Pedro, boa noite.

      Conforme abaixo a resposta já está padronizada, conforme abaixo, só mudam a data.

      PREVISÍVELLLLLLLLLLLLLLLLLL

      ==============================================================:
      “Informamos que são realizadas inspeções de frota periodicamente, nas dependências das empresas e cooperativas, a fim de verificar as condições gerais dos veículos. Os ônibus que apresentarem irregularidades, que possam comprometer a integridade física dos usuários e operadores, ficam retidos na garagem e impedidos de operar o serviço até que sejam efetuados os devidos reparos. O veículo objeto desta reclamação, foi convocado e apresentado à Equipe Técnica de Inspeção Veicular em 22/01/2013 e liberado à operação.”
      ===============================================================

      Mas está tudo dentro da normalidade.

      Abçs,

      Paulo Gil

  4. Utilizo frequentemente os ônibus desta Cooperpan que atua na zona sul de SP no lote 6 nas linhas que vão da região de Parelheiros até Santo Amaro e o que foi mencionado na reportagem é apenas uma fração das irregularidades que noto no dia-a-dia, entre elas:

    -Motoristas e cobradores mal trajados e sem identificação.
    -Total falta de postura profissional principalmente dos motoristas, tanto na apresentação quanto na linguagem obcena, além de falarem (alguns constantemente) no celular enquanto dirigem, já presenciei algumas vezes o absurdo de alguns motoristas colocarem a cabeça para fora do veículo para mexer com mulheres, sendo que um deles quase perdeu o controle do veículo em uma curva e em outra ocasião outro motorista parou o carro fora do ponto, abriu a porta dianteira e ficou assediando uma adolescente.
    -A rendição é feita no meio da rua durante o percurso, óbvio que alguns aproveitam para bater um papinho atrasando a viagem.
    -É muito comum, principalmente na linha Unisa Campos 1 X Term. Sto Amaro nas ruas estreitas do trajeto eles emparelharem dois ônibus e ficarem batendo papo interrompendo completamente o trânsito.
    -Imprudência, excessos de velocidade, avanço de sinal vermelho e manobras arriscadas.
    -Não parar em alguns pontos para embarque, principalmente nos últimos horários.
    -O fato de alguns motoristas “privilegiados” não cumprirem a quantidade de viagens e recolherem seus ônibus para a garagem a bel prazer deixando a linha desfalcada, acarretando atrasos e saturando os poucos motoristas/cobradores sérios com jornadas que passam das 12 horas.

    O que me deixa indignado é a omissão da prefeitura / SP Trans que parecem lavar as mãos deixando essa pseuda-empresa fazer o que bem deseja com os passageiros que são constantemente lesados e desrespeitados com um serviço de baixíssimo nível.

    • David, boa noite

      Conforme abaixo a resposta já está padronizada, conforme abaixo, só mudam a data.

      PREVISÍVELLLLLLLLLLLLLLLLLL

      ==============================================================:
      “Informamos que são realizadas inspeções de frota periodicamente, nas dependências das empresas e cooperativas, a fim de verificar as condições gerais dos veículos. Os ônibus que apresentarem irregularidades, que possam comprometer a integridade física dos usuários e operadores, ficam retidos na garagem e impedidos de operar o serviço até que sejam efetuados os devidos reparos. O veículo objeto desta reclamação, foi convocado e apresentado à Equipe Técnica de Inspeção Veicular em 22/01/2013 e liberado à operação.”
      ===============================================================

      Mas está tudo dentro da normalidade.

      Abçs,

      Paulo Gil

  5. Amigos, bom dia

    Considerando as principais irregularidades flagradas pelos fiscais da SPTrans, conforme consta no post acima, isto significa que todos necessitam ser submetidos a avaliação oftalmológica.

    Só assim poderemos entender porque os Buzões são IMUNDOS INTERNAMENTE.

    O valor arrecadado com multas (A arrecadação, já levando em conta o mês de junho, passou de R$ 3,95 milhões para R$ 10,5 milhões.), será deveras importante para a minha continha de padaria.

    É uma bela receita; sem contar que poderia ser maior.

    Att,

    PAulo Gil

  6. Palavras de um fiscal da SP Trans, que fiscalizava na av Mal. Tito no ponto defronte a estação Jd. Helena: “Se trabalharmos à paisana não damos conta de tanta multa” ou seja a prefeitura sabe que algumas empresa não servem nem para efetuar carreto de entulho, dirá para transportar gente, se é que a prefeitura, considera os usuários do sistema público de transporte como gente.

  7. Sergio Santo André // 1 de julho de 2013 às 15:46 // Responder

    Paulo, será que as empresas realmente pagam essas multas ???? Será que se elas pagassem mesmo já não teriam falido ?????? Mistério….

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: