ANTT adia aumento de passagens de ônibus interestaduais e internacionais

ônibus

Ônibus interestadual. ANTT decide adiar aumento das passagens previsto para o dia 1º de julho. Foto: Adamo Bazani.

ANTT adia reajuste de ônibus interestaduais e internacionais
Índices e licitação serão discutidos com as empresas
ADAMO BAZANI – CBN
A ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres informou há pouco que os aumentos das passagens de ônibus interestaduais e internacionais foram adiados.
Os reajustes deveriam acontecer em 1º de julho, como ocorre a cada ano.
O aumento só será definido depois de negociações com as empresas de ônibus rodoviárias que prestam serviços em trajetos acima de 75 quilômetros de extensão.
Serão realizados novos cálculos levando em consideração a variação de itens como óleo diesel, impostos e mão de obra.
As tarifas de linhas menores de 75 quilômetros também serão discutidas.
O adiamento, segundo a Agência, se dá pelos atrasos nos cálculos e dificuldades de negociações com as operadoras de transportes.
Além disso, outro entrave entre empresas e a agência do Governo Federal é a licitação do sistema dos ônibus rodoviários, que se arrasta desde 2008.
A divisão das linhas em 18 lotes para 60 grupos, os subsídios cruzados (empresas que assumirem linhas rentáveis deverão operar linhas com menos retorno) e dimensionamento da quantidade da frota são alguns dos pontos polêmicos. A ANTT diz que são necessários 10 mil ônibus aproximadamente. As empresas alegam que o número suficiente é de 13 mil a 16 mil veículos.
A licitação está sob análise da Justiça.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em ANTT adia aumento de passagens de ônibus interestaduais e internacionais

  1. Amigos, boa noite.

    Desde 2008, nooooooooooooooosssa

    Só a FAZEDORIA resolve.

    Marcopolo vou dar uma ideia genial para vocês, mas me mandem a minha comissão.

    Já pode começar a fazer o protótipo novo carro rodoviário o “G SEM 7”, porque do jeito que a coisa vai as empresas não terão faturamento suficiente para comprar G7.

    Portanto façam um modelo “peladão” e bratim, daí o nome da série G SEM 7, porque com 7 fica muito caro.

    E do jeito que a coisa está lerda, a ANTT não está muito disposta a ajudar ninguém não; portanto
    rodoviário “G SEM 7” é o rodoviário do futuro.

    Fazer o que né, só nos resta usar a técnica do carangueiro (ANDAR PARA TRÁS), portanto G-8, agora só em 2020.

    Não esqueçam da minha comissão.

    E o protótipo do Buzão do futuro de Sampa, já está pronta ?

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: