Híbrido BR da Metra vai rodar na Copa das Confederações, em Recife

Hibrido_BR

Híbrido BR, que circula pelo Corredor ABD da Metra, no ABC Paulista, prestará serviço na Copa das Confederações em Recife. Divulgação

Híbrido BR vai circular em Recife na Copa das Confederações
De acordo com Eletra/Mercedes Benz, ônibus menos poluente vai circular até 23 de junho

A Eletra, empresa brasileira especializada em veículos de transporte urbano com tração elétrica, e a Mercedes-Benz apresentam nesta terça-feira, 11 de junho, às 9h00, o ônibus HíbridoBR, que transportará os passageiros durante a Copa das Confederações em Recife. O veículo é o primeiro com tecnologia 100% nacional a circular no país.
O ônibus será apresentado ao público no evento que será realizado no Centro de Convenções de Recife. Logo depois, ele estará à disposição da prefeitura para transportar os passageiros até o dia 23 de junho. “É uma grande satisfação para a empresa colocar o veículo em circulação em Recife. Isso reforça a preocupação do governo estadual e do município com as práticas sustentáveis, principalmente no setor de transporte urbano”, afirma Iêda Maria Alves de Oliveira, gerente comercial da Eletra.
“O HíbridoBR, que será apresentado em Recife é resultado de um conceito inédito de parceria, com tecnologia totalmente brasileira”, diz Curt Axthelm, gerente de Marketing de Produto – Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Com base na experiência, conhecimento e especialização de ambas empresas estamos buscando oferecer ao mercado um produto desenvolvido em nosso País, totalmente adequado para uso nas cidades brasileiras, adaptado às características já conhecidas pelas empresas e operadores de transporte de passageiros”, afirma.
Conceito
A designação de “híbrido” acontece quando o veículo tem duas fontes de energia. No caso deste ônibus, um grupo motor gerador e um banco de baterias.
No HíbridoBR apenas o motor elétrico movimenta o veículo, caracterizando a tecnologia “híbrido série”. O motor elétrico foi desenvolvido pela WEG, que já fabricou mais de 200 unidades com essa tecnologia para ônibus elétrico. A energia para o motor elétrico vem de um grupo motor gerador formado por um motor veicular Mercedes-Benz – EURO V – movido a diesel comum, Biodiesel ou mesmo diesel de cana-de-açúcar, e um gerador também fabricado pela WEG.
Um banco de baterias tracionárias, desenvolvido pela MOURA, complementa a energia disponível para o motor elétrico, quando necessário. Em cada parada para entrada de passageiros ou semáforos, o grupo motor gerador recarrega as baterias. As baterias são de chumbo ácido, fabricadas no Brasil e 100% recicladas em um dos centros mais modernos de reciclagem da América Latina, de propriedade e com tecnologia desenvolvida pela MOURA.
O motor diesel aplicado nesta tecnologia do ônibus elétrico, além de ser menor que o aplicado a um ônibus diesel similar, opera em rotação constante, o que reduz muito a emissão de poluentes, pois nas acelerações é o motor elétrico que atua. O motor diesel permanece em rotação constante (calibrada para o ponto ideal de baixa emissão e de baixo consumo) ou em marcha lenta. É fácil perceber a diferença. No híbrido com tecnologia série apenas o motor elétrico traciona o ônibus.
Além de reduzir as emissões, a tecnologia desenvolvida pela Eletra permite a recuperação de energia nas frenagens, conceito conhecido como “frenagem regenerativa” ou como ficou conhecido na Fórmula 1: “KERS – Kinetic Energy Recovery System (Sistema de Recuperação de Energia Cinética). Simplificando: quando o freio é acionado, o motor elétrico vira um gerador e a energia que seria desperdiçada na frenagem é reaproveitada e armazenada no banco de baterias.
A otimização do motor diesel para a aplicação, a eficiência dos motores elétricos, a tecnologia de baterias, o sistema de frenagem regenerativa e a tecnologia de tração que gerencia todos os conjuntos permitem que o ônibus elétrico híbrido reduza a emissão e o consumo de combustível. As emissões locais, como o material particulado – são reduzidas em até 95% e o consumo de diesel, em operação comercial, está em torno de 20%.
Híbrido Série x Híbrido Paralelo
Existe uma outra tecnologia chamada de “híbrido paralelo” ou “diesel elétrico”. A diferença para o “híbrido série” é que o motor a diesel também traciona o veículo, ou seja, os sistemas funcionam em paralelo, podendo ter a tração por meio do motor elétrico ou do motor diesel. Uma das desvantagens desse sistema é que, quando acionado o motor a combustão para tracionar o ônibus, ele opera de maneira idêntica ao ônibus convencional, perdendo todas as vantagens de redução de emissão e consumo. Nesta tecnologia de híbrido paralelo, em velocidades baixas o motor elétrico traciona e, a partir de 18km/h, esse papel é feito pelo motor diesel.
Existe uma tendência mundial para utilizar a tecnologia série nos ônibus urbanos e a tecnologia paralelo para os automóveis. É fácil entender o porquê: os híbridos séries recarregam as baterias nas paradas, por isto conseguem manter o banco de baterias sempre com energia disponível. Já o automóvel pode não ter paradas constantes, por exemplo, quando está na estrada, podendo ficar sem energia no banco de baterias, por isto precisa do sistema convencional com motor a combustão.
Atendimento à norma Euro 5 e uso de diesel S50, diesel de cana ou Biodiesel B20
O chassi do Híbrido BR fornecido pela Mercedes-Benz é o modelo O 500 U “low entry” (entrada baixa), para carroçarias até 12 metros de comprimento e com 18 toneladas de peso bruto total – PBT. Seu motor OM 924 LA de 4 cilindros oferece uma potência de 136 kW a 2.200 rpm, com torque de 700 Nm entre 1.200 e 1.600 rpm.
O motor OM 924 LA atende aos limites de emissões da legislação PROCONVE P-7 (Euro 5), podendo utilizar tanto o diesel S50 como o diesel de cana ou BioDiesel B20.
O chassi O 500 U do HíbridoBR também se destaca pelos eixos da marca Mercedes-Benz e pela suspensão pneumática integral, característica amplamente reconhecida como um diferencial da linha O 500 no mercado.
O HíbridoBR oferece mais vantagens operacionais. O veículo não tem câmbio, a frenagem é elétrica e o motor opera em condição ideal, com aceleração controlada. Todo o gerenciamento do sistema é eletrônico.
Os ônibus híbridos são confortáveis para os usuários. O controle eletrônico da aceleração evita os trancos típicos da largada e retomada. O motor diesel é isolado acusticamente na traseira do veículo, o que diminui o ruído interno e externo. O condutor do veículo trabalha com muito mais conforto, bem estar e tranquilidade.
O HíbridoBR pode ser encarroçado por todas as empresas do setor no Brasil.
“Também estamos trabalhando no desenvolvimento desta tecnologia híbrida para os nossos modelos de ônibus articulados”, diz Curt Axthelm.
A Eletra
A empresa está no mercado há mais de 30 anos e fabrica veículos elétricos nas versões trólebus (rede aérea); híbrido (grupo motor gerador + baterias); e elétrico puro (baterias), que podem ser adotadas em veículos para transporte urbano de passageiros.
Em 1999, a Eletra criou o primeiro ônibus elétrico híbrido com tecnologia brasileira. Hoje, a marca está presente em 300 trólebus e em 45 híbridos em operação na Grande São Paulo, além de cidades como Rosário, na Argentina, e Wellington, na Nova Zelândia.
Moura
Fundada há 55 anos, em Belo Jardim (PE), é composta por seis fábricas –cinco no Brasil e uma na Argentina. Sua rede própria de distribuição (RBM) é formada por mais de 65 unidades espalhadas pelo Brasil e atende a mais de 23 mil clientes, mensalmente, em todo o território nacional. Além disso, a Moura conta com unidades independentes que atendem a alguns países da América do Sul, além de Portugal e Inglaterra, na Europa. Entre as fábricas e a RBM, a Moura emprega cerca de três mil profissionais de forma direta.
Com tradição consolidada na fabricação de acumuladores elétricos, possui equipe de engenheiros e técnicos altamente capacitados e oferece ampla gama de produtos, com baterias para empilhadeiras, uso em telecomunicações, tratores, automóveis, trens, metrôs, barcos, entre outros. Comprometida com a sustentabilidade ambiental, a Moura possui um consistente programa de Logística Reversa, tendo capacidade de reciclar mais de 100% de sua produção. Ainda nesse contexto, a empresa passa a realizar o projeto Carbono Zero, que neutraliza a emissão de carbono ocorrida na produção de seus acumuladores. Dessa forma a Moura garante o correto descarte do produto e contribui para a preservação do meio ambiente.
Mercedes-Benz do Brasil
A Mercedes-Benz do Brasil é a maior fabricante de caminhões e ônibus da América Latina. Ela está presente no País desde 1956, quando foi iniciada a produção na fábrica de São Bernardo do Campo. Desde então mais de 1.900.000 veículos comerciais já deixaram suas linhas de produção em direção às estradas do Brasil e de outros 50 países para onde a Empresa exporta seus produtos.
A própria Empresa é responsável pela fabricação dos motores, câmbios e eixos, que utiliza em seus produtos. Com unidades de produção de veículos comerciais em São Bernardo do Campo (SP), e em Juiz de Fora (MG), além da Central de Peças e do Centro de Treinamentos em Campinas (SP), a Empresa conta atualmente com cerca de 14.000 colaboradores.
Durante toda sua trajetória no Brasil, a Mercedes-Benz acredita e investe no desenvolvimento social. Prova de sua responsabilidade e compromisso junto à comunidade são os projetos que realiza, visando promover a educação, os esportes, proteger o meio ambiente, incentivar a cultura, desenvolver as ciências e zelar pela saúde e bem estar social.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: