Donisete Braga responde a editoral e diz que não tem preferência por empresas

Prefeitura de Mauá

Donisete Braga diz que não tem preferência por empresas de ônibus
Prefeito diz que Administração Municipal não tem influência sobre disputa Judicial entre Leblon e Estrela de Mauá
ADAMO BAZANI – CBN
O prefeito de Mauá, Donisete Braga, respondeu ao Editorial do Blog Ponto de Ônibus sobre suas declarações publicadas pelo Diário do Grande ABC. A reportagem diz que Donisete quer que a Viação Estrela de Mauá fique na cidade. David Barioni Neto, hoje presidente da companhia de ônibus que está impedida de operar pela Justiça, demonstrou a intenção de levar os veículos parados na garagem do pátio da Princesinha, no Jardim Zaíra 4, para o Rio de Janeiro depois de uma suposta tentativa de assalto. Na mesma matéria, o jornal diz que Donisete Braga afirmou que se a Leblon e a Viação Cidade de Mauá, operadoras municipais, tivessem o mesmo padrão da Estrela de Mauá, os transportes na cidade seriam melhores.
Como é dever jornalístico deste espaço de dar voz a todas as partes, o Blog Ponto de Ônibus reproduz a nota na íntegra e abaixo, segue o Editorial original:

Nota oficial

Em resposta ao texto “Editorial: Donisete Braga, agora sabemos de que lado ele está!”, publicado no Blog nesta sexta-feira, 19/4, o prefeito de Mauá informa que é meta desta administração oferecer aos usuários um transporte público de qualidade, conforto, seguro e ágil, inclusive com integração por meio do bilhete único, para trens e metrô.

Diferentemente do expressado no texto do jornalista Adamo Bazani, a administração não tem interesse específico por este ou aquele prestador do serviço e vem exigindo de todos eles, desde primeiro de janeiro passado, as melhorias estabelecidas no contrato para um serviço de qualidade condizente com a tarifa cobrada.
Ainda em busca de qualidade no transporte público a prefeitura determinou à secretaria de Mobilidade Urbana uma série de vistorias nos ônibus que compõem a frota do transporte coletivo da cidade. A medida é permanente e está sendo realizada, inclusive nas garangens das empresas, com o intuito de garantir a qualidade na prestação do serviço e a segurança dos passageiros.
Atualmente as 49 linhas de ônibus do município são atendidas por 229 veículos (139 da Cidade de Mauá e 90 da Leblon). Cinco veículos da viação Cidade de Mauá foram retirados de circulação, quatro deles estão passando por manutenção e devem passar por novas vistorias nos próximos dias e um deles voltou a rodar. A inspeção é realizada por fiscais, mecânicos e eletricistas da Prefeitura.

Quanto ao imbróglio envolvendo as empresas Leblon e Estrela de Mauá, é de responsabilidade da Justiça, no qual a Administração Municipal não tem influência. Qualquer medida que a Prefeitura venha tomar será respaldada judicialmente e em prol dos passageiros.Quanto à ocorrencia na empresa Estrela de Mauá, é caso de polícia e cabe a ela investigar. No mais, é papel da Prefeitura não só atrair, mas também manter as empresas na cidade, pois geram renda para os trabalhadores e receita para a prefeitura.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MAUÁ
EDITORIAL ORIGINAL DE 19 DE ABRIL DE 2013:
Donisete Braga assume parcialidade para a Estrela de Mauá
Prefeito fala em padrão de uma empresa que não opera e tem frota insuficiente de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
A declaração do prefeito de Mauá, Doniste Braga, ao jornal Diário de Ronan Maria Pinto, empresário parente e parceiro de Baltazar José de Sousa, e grande incentivador de David Barioni Neto, foi a assinatura de um atestado de parcialidade do poder público.
Ele disse que quer impedir a saída da Viação Estrela de Mauá da cidade e ainda teve a coragem de afirmar que a se a Leblon (lote 02) e a Viação Cidade de Mauá (lote 01) tivessem o padrão da Estrela de Mauá, os transportes seriam melhores no município.
“Para nós, não nos interessa que nenhuma empresa saia do município. Vou aguardar contato por parte da Estrela e tentar buscar solução para essa situação”, comenta o chefe do Executivo. “Se as outras duas companhias (Leblon e Cidade de Mauá) mantivessem o mesmo padrão da Estrela, o transporte público seria melhor”,
Padrão do que? A empresa não opera por ordem da Justiça, que padrão é esse? Melhores manobras na garagem? Padrão de como melhor enfileirar os ônibus?
Ônibus novos? Ora, a Leblon começou a operar com todos os ônibus novos há dois anos e a Viação Cidade de Mauá, de Baltazar José de Sousa, que quer a volta do monopólio de maneira velada, também comprou ônibus novo?
Ora, que Padrão então?
Além disso, a Estrela de Mauá tem 84 ônibus. Número insuficiente tanto para o lote 01 ou lote 02. Seria padrão de falta de ônibus?
Quando a Estrela operou sem ordem judicial por pouco mais de uma semana em Mauá, apresentou ônibus quebrados, irregularidades nos horários e até ônibus entalados nas vias.
A declaração foi feita depois da suposta ameaça de David Barioni Neto, em deixar a cidade indo buscar segurança justo no Rio de Janeiro depois de uma má explicada tentativa de assalto no pátio da Princesinha, cuja parte do terreno é ocupada pela garagem da Estrela.
Há suspeita de que o atentado foi fogo amigo e uma tentativa desesperada de chamar a atenção para a Estrela de Mauá e colocá-la como vítima depois das sucessivas derrotas da empresa fundada por Baltazar e hoje presidida por Barioni.
A suposta tentativa de assalto ocorreu bem no dia que os funcionários da Estrela, os que mais sofrem com esta situação, receberiam seus pagamentos atrasados. Nada foi levado da garagem, mas mesmo assim, os trabalhadores não receberam ainda.
Seria um pretexto para não pagar estes trabalhadores que não recebem posicionamentos claros da chefia e só vivem à base de especulação?
Na fuga, os supostos assaltantes atiraram na sala da diretoria. Uma atitude nada comum para assaltantes de verdade, que frustrados, querem deixar o local do crime para que não haja pistas.
A disputa entre Leblon e Estrela de Mauá continua na Justiça e é a Justiça quem deve decidir, apesar de já se manifestar várias vezes favoravelmente à Leblon.
A Estrela chegou na semana passada a entrar com uma liminar com informações erradas para confundir a Justiça, o que foi repudiado pelo Ministério Público.
Agora uma cena de parcialidade dessa de um comandante público é no mínimo vergonhosa e carece explicação. Mas já fica nítido com que a prefeitura de Mauá tem compromisso.
Agora outra pergunta. Será que Donisete é busólogo e gosta tanto de uma empresa de ônibus assim ou ele deve favores e é pressionado?
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

14 comentários em Donisete Braga responde a editoral e diz que não tem preferência por empresas

  1. só colocar , o lote 3 que precisa em bairros afastados pessoas tem que se locomover de longe ate um ponto de Ônibus mais perto 3 ou 2 km

  2. Eu pedirei desculpas pelo comentário anterior , somente quando eu vir todos os onibus da barão com acesso para deficientes , porque até agora tenho percebido onibus que não estão adequado com essa acessibilidade , então terei certeza que ele é imparcial.

  3. Mais bla bla bla deste prefeito boca aberta. Fala as coisas agora fica se esquivando!

    Não é atoa que digo que é um boca aberta. Por exemplo: ele disse que andou em várias linhas de ônibus de Mauá e constatou que o serviço é ruim. Tá, ok! Quais linhas?! Nos aponte as informações, diga o que achou do trajeto, do conforto dos veículos, dos problemas que foram detectados! MENTIROSO!

    Além de tudo ainda é mentiroso! Falar que andou e que fez e aconteceu é fácil, até papagaio fala. Agora quero ver provar, mostrar o que foi feito. Afinal, quando estes boca aberta fazem este tipo de coisa, chamam 500 mil repórteres (250 mil do DGABC) para mostrar. Fazem pose pra foto e o caramba. E cadê! Me mostrem um órgão da imprensa que registrou a via crucies do Donisete pelo transporte de Mauá!

    E que tipo de benefício pra cidade uma empresa que não arrecada, que não opera, e que ainda atrapalha a unica parte do transporte que funciona, trás para a cidade? Só porque paga salário para meia dúzia de funcionário que nem trabalha?

    É senhor Donisete, o senhor precisará gastar um pouco mais do seu vocabulário (já que você gosta tanto de usa-lo) para justificar o injustificável!

    • vc tem se concientizar, que independente se essa empresa está ou não operando, tem homens e mulheres que entraram nessa empresa visando uma melhor oportunidade de emprego certo, até por que não existe concorrencia , alguma no nosso municipio,de um lado a cidade ganha o seu , e do outro a leblon tbm ganha o seu ,a verdade que não temos opção de transporte ou vc mora em um bairro que só passa cidade ou vc mora em um bairro que só passa leblon. e é isso ai fala um lugar que transporte publico é ótimo, mais nem em curitiba, a metra muito menos apesar de ter corredores exclusivos ainda sim tem seus problemas,por ex: hj se a leblon quebrar pelo menos 2 carros, já vira um caos pr não tem se quer carros reservas, e tem mais aquele papo de que colocou mais carros no zaira 4 , até cego ve que deram um migué na linha zaira troncal eliminando a mesma para supri a outra ou seja tapando o sol com a peneira, ja tão pegando o massete da viação cidade de mauá, rsai mais um migué no égnes, tirando um carro do miranda, e assim vai vamos ver até aonde né,demoraram pra pegar o massete hein.

  4. Amigos, boa noite

    Conforme consta na nota publicada acima:

    “Ainda em busca de qualidade no transporte público a prefeitura determinou à secretaria de Mobilidade Urbana uma série de vistorias nos ônibus que compõem a frota do transporte coletivo da cidade.”

    Vamos direto ao que interessa:

    Essa série de vistorias, ainda será de “4 carros por vez”, conforme consta num post passado ?

    A Cidade de Mauá tem 139 carros (conforme post acima) 139 / 4 = 34,75 vezes.

    Então a vistoria da Cidade de Mauá será efetuada em 34,75 vezes ? É isso ?

    Ou a produtividade das vistorias será aumentada para agilizar ?

    Leblon, volta pra casa, ou vem pra Sampa.

    Será que essa dor de cabeça ai, no final das contas, dá lucro ?

  5. Elias carneiro da Silva // 20 de abril de 2013 às 03:59 // Responder

    Pelo-menos a linha do Zaira–05 demora muito, para encostar em quanto encosta treis zaira -06 e zaira 03 e só Um Zaira 05 encosta, passageiro envade onibus quando encosta, tanto que demora.

  6. Rolland T. Flackphayser // 20 de abril de 2013 às 15:45 // Responder

    Típica estratégia PTralha do falei, não sei, não vi, não falei…

    Essas pragas ainda vão afundar o país! Brasil será a Grécia da AL, e não me refiro a cultura.

  7. Engraçado que os petralhas aqui no litoral adoram falar as mesmas bobagens, que alguns prefeitos da região (especificamente os do PSDB) tem ”acordo” com as empresas (Piracicabana) .
    Os prefeitos nem perdem tempo pra responder por que sabem que é mimimi petista, agora vá falar o mesmo dos petistas, que tem o rabo presíssimo com muitos empresários, aí não pode, aí, o cara já vem respondendo, tentando desqualificar o jornalista. Vem na defensiva, no ataque… morro de rir com essa gente, hahahaha

  8. Só tirar a VCM, eaosa e empresas do balta e colocar Urubupunga ai sim fica tudo certo

  9. Ewerton Santos Lourenço (Guarulhos) // 22 de abril de 2013 às 11:20 // Responder

    Complementando, com o seu comentário anterior do Anthony, deveria colocar a Benfica, Grupo Niff, VIP e Radial Transportes. só náo coloca a JSL porquë ai sim vai o número de açoes trabalhistas aumentar.
    Esse monopólio do ABC tem que acabar sim, se náo presta serviço tem mais é que cair fora mesmo. Aqui mesmo em Guarulhos já houve empresas assim, a Canarinho foi uma que é igual a essas; carros velhos com carrocerias reaproveitadas que algumas delas antes pertenciam a Sáo Paulo há decadas.
    A EMTOSA deveria parar de ser conivente e ter aprieendido todos os veiculos e ter feito como as Cidades de Mogi das Cruzes e Suzano, quando a Eroles / Mito / Visul operavam. Porquë nao abriu as portas pra outras empresas operar em carater de emergencia. Nas linhas Seletivas, seria uma boa Colocar a Passaro Marrom.

  10. Sergio Santo André // 22 de abril de 2013 às 13:10 // Responder

    A minha opinião ainda se mantem, o Ministério Público tem que entrar nessa história, na Prefeitura de Mauá, na “Viação Cidade de Mauá” e por que não também na “Leblon”, vamos mostrar imparcialidade e, após todas as investigações, vamos ver quem tem culpa no cartório, OK ??? (como se nós já não soubessemos…)

  11. adamo aq segue o video onibus viação cidade de mauá circulando a dias com problemas eletricos lanternas apagadas e porta aberta logo depois da decisão da prefeitura de fazer vistoria ? gravado 02/05/2013 Avenida Barão de mauá
    watch?v=2-PP_qL0sy4

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: