Mais lotes de cooperativas e PMs vão ter de passar pelas catracas

Jilmar Tatto

Jilmar Tatto explicou nesta segunda-feira em audiência pública que o número de lotes de cooperativas vai aumentar. Foto: Adamo Bazani

Licitação de São Paulo: Mais lotes de cooperativas e PMs vão passar pelas catracas
Área 4 da Capital Paulista só vai ser licitada em 2017. Ônibus de cooperativas não poderão ir mais até o centro de São Paulo. Empresas terão de formar Sociedade de Propósito Específico. Consórcios operacionais vão acabar
ADAMO BAZANI – CBN
O número de lotes de cooperativas de transportes coletivos municipais em São Paulo vai aumentar de oito para, pelo menos, onze com a licitação dos transportes coletivos na Capital Paulista.
Nesta segunda-feira, 04 de fevereiro de 2013, o Secretário Municipal de Transportes, Jilmar Tatto, apresentou em audiência pública as diretrizes básicas da licitação de permissão, que envolve as cooperativas.
Segundo Jilmar Tatto, o objetivo é racionalizar o sistema local também.
Para isso, devem ser feitas alterações nas estruturas das linhas.
Os ônibus e micro-ônibus de cooperativas não devem mais ir até o centro da cidade e não vão poder circular em corredores de ônibus ou ao entorno dos principais.
“Não tem lógica hoje um corredor de ônibus à esquerda e um micro-ônibus de uma cooperativa à direita dele, isso é sobreposição e é este tipo de coisa que precisamos evitar para deixar o sistema mais racional” – disse Jilmar Tatto ao Blog Ponto de Ônibus e ao Canal do Ônibus.
Para Tatto, desde a concepção do sistema de transportes em 2003, as cooperativas não podem operar em regiões do serviço estrutural, que é o servido pelas empresas de ônibus.
Ainda segundo o Secretário de Municipal de Transportes, apesar de o número de lotes aumentar, podendo inclusive o número de cooperativas ser maior, a tendência é que a quantidade de cooperados e ônibus destes serviços diminua, principalmente pela redução das sobreposições.
DATAS, PRAZOS E QUEM PODE PARTICIPAR:
A previsão da Secretaria Municipal de Transportes é de que o edital para o sistema local seja publicado em 26 de fevereiro de 2013.
A entrega e a abertura de envelopes estão previstas para o dia 02 de abril.
Só poderão participar da licitação do sistema local cooperativas. Autônomos ou cooperativas transformadas em empresas não podem tentar as operações.
O prazo de permissão é de dez anos, sendo sete anos prorrogáveis por mais três anos.
Não haverá pré-qualificação dos interessados. Apesar de ainda haver a necessidade de definição, a tendência é de que cada cooperativa opere apenas um lote.
PMS, CARTEIROS E OFICIAIS DE JUSTIÇA VÃO PASSAR PELAS CATRACAS:
Além de falar sobre as diretrizes básicas da licitação de permissão, Jilmar Tatto disse que um dos objetivos da Prefeitura de São Paulo é modernizar o sistema de bilhetagem eletrônica.
Tatto disse que ainda é preocupante o problema de evasão de receitas do sistema e que existem muitas fraudes.
Além do sistema de biometria, que vai reconhecer o usuário do Bilhete Único pela digital, ainda a ser implantado neste ano, um dos próximos passos do poder público é criar bilhetes eletrônicos para gratuidades.
Com isso, além de idosos e portadores de deficiência que já contam com cartões eletrônicos, categorias profissionais, como policiais militares, carteiros e oficiais de justiça, vão ter esses bilhetes.
“Policial Militar, Carteiro, Oficial de Justiça, Prefeito, Secretário … todos vão ter de passar pelas catracas. É a melhor forma de controlar o sistema” – disse Jilmar Tatto.
Ele enfatizou novamente os estudos para que os créditos do Bilhete Único sejam debitados diretamente da conta bancária do usuário e outras formas de modernização para evitar filas nos terminais de recarga, como compra de créditos pela internet e mais para frente, pagamento de passagem usando o celular.
Para evitar fraudes, só poderão sair das garagens os ônibus que estiverem com GPS funcionando.

onibus

Os consórcios operacionais das empresas vão desaparecer e no lugar serão formadas três Sociedades de Propósito Específico para todo o sistema estrutural. Foto: Adamo Bazani

EMPRESAS TERÃO DE FORMAR SOCIEDADE DE PROPÓSITO ESPECÍFICO:
Jilmar Tatto também voltou a falar sobre a licitação do regime de concessão que envolve as empresas de ônibus e não as cooperativas.
As viações vão operar no sistema estrutural, inclusive nos corredores, e também podem prestar serviços no sistema local, nos bairros.
Mas na prática, a cidade de São Paulo terá apenas “três empresas” de ônibus.
É que os serviços no município o sistema serão divididos em três áreas.
Cada área será operada por uma SPE – Sociedade de Propósito Específico.
“O modelo de consórcios operacionais foi bom, mas vai acabar, não serve mais. A prefeitura vai lidar apenas com três SPEs. Cada sociedade pode ser formada por quantas empresas ou consórcios o grupo que a constituir quiser, mas nós vamos lidar apenas com as SPEs. Para o poder público vai ser mais fácil. Lembrando que vamos licitar a operação dos serviços. Nem a SPTrans e nem a Prefeitura vão precisar pedir autorização para as empresas ou cooperativas para modificar, reduzir ou expandir as linhas. Claro que em qualquer mudança vamos levar em conta o equilíbrio financeiro do operador. Mas deixo claro, as linhas não são das empresas ou das cooperativas, são do poder público” – disse Jilmar Tatto.
CORREDORES:
Tatto voltou a falar do plano de corredores de ônibus para a Capital Paulista. Para 2016, estão previstos 280 quilômetros de corredores e para 2020, a estimativa é que cheguem a 430 quilômetros.
Tatto disse que para este ano, pelo menos 70 quilômetros de corredores fiquem prontos ou tenham as obras iniciadas.
Entre as prioridades ele citou:
Zona Leste:
Celso Garcia, Estrada de São Miguel, Marechal Tito até as proximidades de Itaquaquecetuba.
Radial Leste até Itaquera ainda este ano e extensão até Guaianazes.
Corredor Aricanduva.
Corredor Itaim Paulista, Guaianazes, Estrada do Iguatemi, Cidade Tiradentes, Ragueb Chohfi, São Mateus.
Tatto disse que mesmo com o monotrilho da Cidade Tiradentes, haverá o corredor de ônibus.
“As demandas e tipos de serviços são diferentes e só o monotrilho não dá conta do número de passageiros” – disse Tatto.
Zona Norte:
Corredor Paralelo á Marginal Tietê, Avenida Carvalho Pinto até Itaquera
Pirituba – Itaquera.
Zona Sul:
Vinte e Três de Maio, Rubem Berta a Rio Branco.
M Boi Mirim – Embu Guaçu.
ESTUDOS DAS PIORES VIAS:
O secretário Jilmar Tatto disse também que a Prefeitura vai realizar um Raio X nas vias de bairro para eliminar gargalos que fazem com que os ônibus de cooperativas fiquem presos no trânsito ou reduzam a velocidade operacional, como buracos, áreas que pode ser proibido o estacionamento ou vias muito estreitas para o porte dos ônibus.
Os ônibus de cooperativas serão do tipo: Miniônibus, Midi (micrão) ou convencional. Padron, Articulados e Biarticulados não têm condições de serem usados nestas linhas.
ÁREA 4:
A única área que não pode ser licitada é a área 4, operada pelo Consórcio Leste 4 e cooperativa Nova Aliança. A região engloba também o serviço de trólebus. Isso porque o contrato nesta região é de 2007 e vale até 2017.
“Apenas se houver um consenso entres os operadores para que a área seja incluída na licitação, caso contrário, o contrato será mantido” – finalizou Tatto.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

26 comentários em Mais lotes de cooperativas e PMs vão ter de passar pelas catracas

  1. Josue Marcio Lopes // 4 de Fevereiro de 2013 às 19:20 // Responder

    As ideias sao muito boas, mas vamos ver se serao colocadas em pratica.
    So nao gostei que a licitacao da pessima area 4 nao sera licitada agora.

  2. A principio não to gostando dessas ideias não. Por onibus nas ruas que deveria ser prioridade não está sendo discutido. E o investimento já feito nas linhas estruturais?

    A chance do PT demonstrar serviço é agora e estão disperdiçando. Se algo der errado. Eles nunca mais voltarão, igual ao Paulo Maluf e seu Pitta!

  3. Quanto mais informações são trazidas, mais dúvidas surgem, hehe. A príncipio a maioria do que foi dito são boas medidas, apesar das ressalvas que tenho por este secretário.

  4. Entregar a tres grupos os transportes é muito esquisito, dá a impressão de conluio. E por que 3 e não dois ou quatro (norte, Sul, Leste e Oeste) que pareceria mais logico?
    Espero estar enganado.

  5. É parece que vai ter cooperativa que vai se darm mal nesse sistema proposto por Tatto, e principalmente quem tem linha que vai até o centro, como a Fenix da área 2 com linhas 1206 e 179X por exemplo e a Unicoopers com as linhas 6412 e 6418, ambas prestam um ótimo serviço comparado a outras do seguimento e a Unicoopers tem investido muito em carros novos para segurar essas linhas e agora estão condenadas ao seccionamento até a algum lugar próximo dos pontos de partida delas, tipo as que mencionei da Fenix indo até o Santana e as da Unicoopers não Passando do Itaim Bibi (e olhe lá)… Uma pena para ela e claro, quem sai perdendo com isso é o passageiro, que terá que pagar mais caro em breve para pegar ônibus e muitas vezes, tendo que usar mais de 1 onibus para ir num lugar em que o trajeto poderia ser feito tranquilamente por uma única linha. O certo e incentivar o pessoal a deixar o carro em casa e criar um sistema mais eficiente, sem muitos seccionamentos, que ao meu ver, muitos só atrapalha a vida dos outros e oferecer mais oferta de lugares. Se daqui a pouco for necessário 3 onibus para ir ao centro, me desculpe, mas acho mais fácil pegar meu carro e ir até lá…

    • Edson Ferri dos Santos // 5 de Fevereiro de 2013 às 23:09 // Responder

      Certissimo o Luizinho, até porque costuma-se esperar um ônibus em média 20 minutos em horário de pico, gosto de õnibusm ams acho que vou acabar indo pro carro.

  6. Amigos, boa noite

    Conforme consta no Post acima:

    “Para evitar fraudes, só poderão sair das garagens os ônibus que estiverem com GPS funcionando.”

    Nestas condições não vai sair um Buzão da garagem, afinal nem velocímetro interno para os passageiros eles conseguem fazem funcionar, imagina o GPS, piada…

    …” Mas na prática, a cidade de São Paulo terá apenas “três empresas” de ônibus. ….Cada área será operada por uma SPE – Sociedade de Propósito Específico.”

    “SPE pode funcionar no papel, mas na prática será um desastre.”

    Se o 4L já é uma “salada mista” imaginem o que será e como será uma SPE; por baixo uma
    “mega salada de frutas com vinagre”.

    Não se preocupem, e uma questão de tempo para termos a confirmação da “mega salada de frutas com vinagre”; aguarde.

    Se a causa evasão de receitas fosse causada pelo uso dos PMS, CARTEIROS E OFICIAIS DE JUSTIÇA, dava até para fazermos uma “vaquinha”.

    Mas sinceramente, nem o boi e nem a vaquinha dormem mais nesta estória.

    Att,

    Paulo Gil

  7. Isso não é sério!!! Não é sério! O Governo do Estado promete uma linha de monotrilho seguindo o traçado da Av Ragueb Choffi, e tbm um corredor de ônibus metropolitano, para ligar o Term. S. Mateus a Itaquera, e depois até Guarulhos, onde já está em funcionamento um Terminal, o Term. CECAP. A pergunta é: Na Av Ragueb Choffi há espaço para “três sistemas” distintos??? Claro que não!!! A falta de coordenação da prefeitura e do governo mostra uma absoluta falta de planejamento para a metrópole, falta de conhecimento das áreas onde eles dizem que vão fazer ‘isso ou aquilo’!!! Nenhum dos dois grupos políticos que estão no poder tem verdadeiros interesses na população pobre e trabalhadora que depende de transporte público para se deslocar por longas distâncias! Canalhas!!! Demagogos!!!

  8. A licitação de 2003 foi anulada pela justiça por impedir a participação de operador autonomo e esta vem nos mesmos moldes, favorecendo as cooperativa…VIVA A TATTOLÂNDIA…eita medo de enfrentar o sistema.

  9. Como cidadão paulistano que utiliza ônibus desde criança, vejo também uma “confusão” no que se refere essa SPE, seria melhor o poder público esclarece melhor isto para a poulação, outra coisa nota-se que cooperativas vão se tornar empresas (recentemente conversando com um coordenador da CooperAlfa ele me dizia que iriam concorrer na nova licitação como empresa e pegar mais linhas, isso confirma o que ouvi), outra coisa é que mais uma vez os grandes grupos vão dominar a cidade ou seja, Ruas, Belarmino, Saraiva (agora Nossa Senhora do ò), eu seria a favor da vinda de outros grupos ou empresas para a cidade para que houvesse melhor qualidade e concorrencia por essa qualidade, como por exemplo ocorreu em Mauá. Outra coisa é que o CL4 é “imexivel” por razões de contrato. Corredores são necessários mas que eles sejam apenas para ônibus, essa situação de taxis em corredor é coisa de compadres, é absurda do ponto de vista racionalidade e funcionalidade ( basta circular pelo corredor Francisco Morato/Rebouças/ Consolação para entender o que digo). Enfim vamos aguardar e ficar atentos ás novidades e deixo aqui uma sugestão que o secretário tenha acesso ao blog para perceber e minmamente ouvir o que pensamos sobre essa situação. PS. Segundo informaçoes a Transpass será absorvida pela Gato Preto e a mesma terá suas operações divididas com a Oak Tree que operará a garagem 2 – Jardim D`Abril e garagem 1 Jaguaré ficará com a GP, alguém confirma isto? Forte abraço

  10. MURILO KARAPETCOV SILVA // 5 de Fevereiro de 2013 às 12:48 // Responder

    EU NÃO SEI O QUE O SECRETARIO ESTA PENSANDO EM MUDAR NO TRANSPORTE COLETIVO, POIS ONDE SEI QUE O TRANSPORTE PRESTADO POR COOPERATIVAS ESTA SENDO ALÉM DE BEM E MUITO BEM ACEITO PELA SOCIEDADE E QUE O COOPERATIVISMO DENTRO DO TRANSPORTE COLETIVO VEIO PARA MORALIZAR E ACABAR COM ESSES DESMANDOS QUE ACONTECIA COM OS EMPRESÁRIOS QUE SÓ FAZIAM ABSURDOS, FALTA DE ÔNIBUS, LINHAS QUE SÓ TINHAM VELHARIAS, ATRASOS, GREVES PROVOCADAS POR ELES MESMOS PARA FORÇAR O GOVERNO A AUMENTAR OS CUSTOS PRA ELES E NÓS QUE PAGAMOS. ENTÃO ESTAMOS COM UM GRANDE DILEMA COM ESSAS PROPOSTAS DO SECRETÁRIO. ACHO QUE ELE ESTA DANDO TIRO NO PÉ. VAMOS ANALISAR E VER TODOS OS PONTOS PARA NAO TERMOS QUE PAGAR DE NOVO.

  11. Via Sul, Campo Belo, Cidade Dutra, Vip, se tornando uma unica empresa? Se parar e pensar, faz uma lógica referente a uma área, somaria 50% ou mais da capital! seriam elas com um único nome? Campo Belo?

  12. Vamos tentar matar a charada?

    SPE 1 – Ruas
    SPE 2 – Belarmino
    SPE 3 – ?

  13. Amigos, boa noite

    Ótimos comentários, os blogueiros já sabem o que vem por ai.

    Ótima reportagem Adamo.

    Na entrevista o Sr.Secretário afirma:

    “Entrô no ônibus tem que catracá, até o motorista e o cobrador tem que catracá”

    Os passageiros já são catracados há anos, além de catraca interna no Buzão ser coisa
    ultrapassada ou do tempo do Zagáia, se o motorista catracá o Buzão vai sair com mais 10 (dez)
    minutos de atraso, pois com esses corredores estreitos do Buzão quero ver ele descer.

    Ao invés do passageiro gritar: “Vai desce motorista”

    Todos os passageiros do Buzão vão dizer “Passa nesse corredor ai motorista e vê o que é sofrimento”

    Sr. Secretário pense em “descatracar”, afinal catraca interna no Buzão JÁ ERA; qualquer dúvida fala com a Metra ou com o pessoal de Uberlândia – MG

    Deixa ver se eu estou ligado:

    Serão só 3 SPE´s porque a ZL esta congelada no 4L é isto ?????

    Agora sim, tem promoção; pague 3 reais e leve uma “catracada” a segunda é grátis e em brvee a “catracada” será mensal.

    Eu não acredito….

    Att,

    Paulo Gil

  14. Já estou vendo tudo, mais espaços para lotação que não concordo, principalmente na Cidade Tiradentes, um péssimo exemplo são as linhas do Metro Itaquera, que antes eram feitas por ônibus e agora por lotação. Diminuiu o tamanho dos carros e aumento no tempo de espera e trajeto um bom exemplo é a linha 3785 – 10 Metro Itaquera – Barro Branco II, antes um percurso de 35 a 40 minutos hoje 01:30 a 01:40, para nós que moramos no extremo leste ficou longe o centro não concordo com isso sem contar a redução de espaço nos veículos muito apertado poucos acentos e nada de piso baixo, espero que não vai acontecer isso com as linhas que ainda pertence a empresas de ônibus que tem carros grandes e de piso baixo que ainda fazem linhas metro, porque na ZL os Chamados perueiros são muito mal educados e sem contar aquele famoso ( um passinho para traz, sem nenhum espaço para se mexer que já deixa nós passageiros estressados no inicio do dia ou seja é um belo de um BOM DIA que se ganha andando de lotação no trajeto do serviço). E essa historia de que só em 2017 vão abrir licitação para Área 4 acabou com meu dia será que não assistem reportagem? Tem que trocar primeiro onde não esta dando certo, porque não se faz um plebiscito com os usuários antes de mexer no sistema.
    Estou vendo que vou comer pizza por mais 4 anos.

  15. area 1 grupo saraiva
    area 2 belarmino
    area 3 e 4?grupo ruas

  16. o pt tem rabo preso com as transcoopers pq foi a dona Martaxa quem deu espaço para eles e agora ninguem consegue tirar acabando com as empresas e com as linhas de onibus favorecendo os perueiros a ideia do pt é acabar com todas as empresas e deixar as cooperativas pq dão mais lucros para a prefeitura..
    engraçado é o cl4 estar fora da licitação tem coisa errada ai pq ninguem mexe nesse consorcio ?
    então a investigação do MP foi envão?? disseram que o grupo ruas ia assumir as linha da himalaia até hj eu não vi …
    e quem vai querer se unir com os bandidos do cl4 ….
    tem que acabar com esse cl4 imagine esse consorcio em um corredor na zl sendo que a cada esquina tem um lixo deles quebrado….
    duvido que os lixos do cl4 vão sair da garagem com GPS isso é piada eles nunca sai com os carros inteiros da garagem….
    vamos esperar esse prefeito do PT

  17. Ledraj Sarce Dopra // 17 de Fevereiro de 2013 às 07:05 // Responder

    vcs gostam de criticar a gestão do PT mas quem colocou a CL4 com contrato de longo prazo foi o seu TAXAB que só deixou lixos para a gestão do PT e abandono total na cidade.

  18. resumindo vai melhorar pros cooperados ou nao?

  19. Ainda bem que a “licitação” foi prorrogada para o ano de 2014 e cá entre nós, NÃO ACREDITO nas alegações que a prefeitura deu para cancelar o certame desse ano e prorrogar por mais UM ANO os atuais contratos com vencimento em julho/14. Na minha opinião, irão deixar a poeira baixar e tentar regularizar as irregularidades já existentes nas propostas apresentadas. Uma cidade enorme como São Paulo nas mãos de apenas 3 grupos econômicos? SPE – sociedades de propósito específico! Este nome não me soa bem! O Curioso é que dentro de uma SPE podem funcionar consórcios de empresas e ainda empresas separadas trabalhando sozinhas!

1 Trackback / Pingback

  1. Vereadores de São Paulo querem ouvir conselheiro do TCM que barrou licitação dos transportes | BLOG PONTO DE ÔNIBUS

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: