Donisete Braga: “Manifestantes passaram dos limites”

Mauá

Manifestação contra tarifa de ônibus em Mauá terminou com violência e feridos no último sábado. Prefeito Donisete Braga declarou que manifestantes passaram dos limites. Poder público recebeu reivindicações dos organizadores do protesto. Foto: Adamo Bazani.

Donisete Braga: “Manifestantes passaram dos limites”
Prefeitura recebeu reivindicações de organizadores do protesto sobre tarifas, melhorias nos transportes e garantias de que não haverá volta de monopólio em Mauá, quebrado em 2010 com a entrada da Leblon
ADAMO BAZANI – CBN
O prefeito de Mauá, Donisete Braga, comentou nesta segunda-feira, durante encontro de prefeitos no Consórcio Intermunicipal do ABC, o segundo protesto contra o aumento da passagem de ônibus municipal, de 13,79% em 26 de dezembro, quando o valor pulou de R$ 2,90 para R$ 3,30.
O protesto, realizado no último sábado dia 12 de janeiro, terminou em violência, com enfrentamento entre policiais militares, guardas civis municipais e manifestantes. Dez pessoas ficaram feridas sem gravidade. Para o prefeito, os participantes do ato passaram dos limites.
“Os manifestantes passaram dos limites. Uma manifestação tem de ser feita desde que não atrapalhe os direitos das outras pessoas. A GCM e a PM pediram liberar a entrada dos ônibus (no Terminal) e não houve diálogo por parte dos manifestantes” – disse Donisete Braga aos jornalistas.
Os líderes do movimento, organizados no grupo do Facebook “Política Sim, Patifaria Não” disseram que os manifestantes só se concentraram nas ruas, atrapalhando o trânsito, porque a Prefeitura proibiu que o carro de som e que os participantes ocupassem a Praça 22 de Novembro, onde não há circulação de veículos.
No primeiro manifesto, no dia 05 de janeiro, apesar de o grupo ter interditado a entrada do terminal central, não houve incidentes e o tempo de bloqueio foi menor.
Nesta segunda-feira, a Prefeitura recebeu as reivindicações do grupo. Entre as principais estão redução da tarifa municipal, melhoria na qualidade dos transportes e garantia de que não haverá volta ao monopólio dos serviços da cidade, que por 30 anos pertenceu a Baltazar José de Sousa e só foi quebrado em 2010 com a entrada em operação da Leblon Transporte.
Nos últimos meses de administração, houve uma série de manobras para retirar a Leblon das operações, desde 13 de julho de 2012. A Viação Estrela de Mauá, de David Barioni Neto, que foi fundada por Baltazar, chegou a ser colocada em operação durante o recesso do poder judiciário, mas foi retirada das ruas por contrariar determinações judiciais que davam a Leblon garantias de prestação de serviços.
Quem deve se reunir com os manifestantes, ainda sem data oficialmente marcada, é o chefe de gabinete da prefeitura, Rômulo Fernandes.
Sobre a tarifa, no Consórcio Intermunicipal, Donisete disse que o valor foi acertado regionalmente nas administrações passadas e já leva em conta a integração com os trens da CPTM, o que ainda não tem data para ocorrer.
“Na prática, com a integração, a tarifa vai reduzir. Vamos desenvolver mecanismos eficientes e eficazes para a integração – disse.
O prefeito também declarou que eventuais excessos por parte da GCM serão averiguados.

A PREFEITURA DE MAUÁ ENVIOU UMA NOTA SOBRE A MANIFESTAÇÃO E A POSTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, QUE O BLOG PONTO DE ÔNIBUS REPRODUZ NA ÍNTEGRA:

Chefe de Gabinete da Prefeitura recebe jovens que lideraram protesto em Mauá

O chefe de gabinete da prefeitura de Mauá, Rômulo Fernandes, recebeu nesta segunda-feira, 14 de Janeiro, três jovens integrantes do movimento Política Sim, Patifaria Não, que lideram o movimento de protesto contra o reajuste da tarifa e o serviço de transporte coletivo da cidade. Na oportunidade foi entregue uma série de reivindicações e um abaixo-assinado pedindo a redução da tarifa. O prefeito Donisete Braga afirmou não ter recebido nenhuma solicitação de agenda por parte dos manifestantes entre o dia 05/01, data da primeira manifestação até sábado passado, dia da segunda manifestação.

“Hoje (14/01) recebi a informação de que três membros procuraram a prefeitura para iniciar o diálogo e por isso designei que o Rômulo pudesse atendê-los em nome do governo”, disse o prefeito. Entre as solicitações entregues pelos jovens está uma audiência pública, a ser realizada com a presença do prefeito, do secretário de Mobilidade Urbana e com as empresas de ônibus.

Sobre o tumulto durante a manifestação no último sábado, Donisete Braga entende que houve excesso por parte dos manifestantes, que interferiram no direito de ir e vir das pessoas ao impedir a passagem dos ônibus na entrada do terminal, por isso a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar precisaram intervir para garantir a ordem pública.

“Lamento muito o ocorrido no sábado. Por isso solicitei ao secretário municipal de Segurança, Carlos Tomaz e a Polícia Militar, um relatório sobre a ação. Também recomendei maior cuidado para que esse tipo de coisa não volte a acontecer,” finalizou o prefeito. O relatório será entregue nesta terça-feira.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

7 comentários em Donisete Braga: “Manifestantes passaram dos limites”

  1. Hum, é sempre isso… Quando a população se revolta contra esses governantes safados que nada fazem pelo povo, eles dizem que “Os Manifestantes passaram dos limites”, então, de agora em diante, temos que aceitar tudo calado em relação as besteiras que eles fazem e ficar tudo por isso mesmo ? Parabéns á população de Mauá por estar correndo atrás de seus direitos!!! Transporte digno, confortável e com tarifa justa não é favor algum, é obrigação!!!

  2. No tempo em que o embusteiro chefe subia no caminhão diante das empresas e fazia bagunça podia , agora os mesmos acham que passamos do limite ; O ato está bem claro , redução nas tarifas e fora barão de mauá ,cidade de mauá que é a mesma barão e a estrela do pt . Nesse pais as emissoras preferem mostrar cavalo no buraco , nada contra o cavalo , cachorro dentro do rio , noticia séria nem pensar , fico triste com a globo que não atendeu o pedido para vir aqui em Mauá mostrar as patifarias do osvaldo dias e cúpula na bagunça que ele consegui fazer desde o dia 29/12/2012 , mas que eu chamei , chamei sim.

  3. Donizete e Baltazar ‘O POVO TA DE OLHO’ não somos mais suas marionetes e a revolta esta se tornando cada vez mais séria.

  4. Obviamente percebe-se que nosso prefeito está mal informado dos fatos ocorridos durante o protesto dia 12/01/2013,á você senhor prefeito recomendo que se informe mais antes de falar o que não viu ou não sabe.Pois ao contrario de você eu estive no ato do dia 12/01 e o que eu presenciei foi á falta de respeito com á população e manifestantes por parte da PM (POLICIA MILITAR) falta de preparo da GCM(GUARDA CIVIL MUNICIPAL) e o mais importante bom senso principalmente por parte da prefeitura que não demostrou nenhuma importância com á causa.
    Inclusive senhor prefeito se ouve “excesso” com certeza não foi por parte dos manifestantes pois á mesma GCM(GUARDA CIVIL MUNICIPAL) á qual o senhor diz que estava fazendo apenas seu trabalho foi á mesma que estava espancando os manifestantes dentro da galeria,quebraram maquinas fotográficas entre outras atitudes lamentáveis e se realmente á ideia era só dispersa á multidão por que á perseguição?

  5. CHEIRA MEU SACO DONISETE // 15 de Janeiro de 2013 às 09:25 // Responder

    Burguês!

  6. O que Passou dos limites foi essa corja querendo sacrificar a população de Mauá a favor de interesses pessoais e egoístas, empresário mal pededor, que há anos presta maus serviços e quando é substituido legalmente por uma empresa séria, faz toda essa palhaçada que vemos e o pior, é que os governantes locais se deixam a levar por esses trambiqueiros, compactuando coma sujeira em troca de propina, em detrimento da honestidade e da defesa ao cidadão de Mauá, isso sim é passar dos limites. Quanto ao aumento, realmente é muito para um serviço tão deficiente nessa região, sobre tudo o que chamam de “lote 1”. Quando a população ponha a boca no trambone, ele tem a audácia em dizer isso, ora, deveria se olhar no espelho antes de falar algo desse tipo, agora defender o que é direito é passar dos limites, mas o abuso de autoridade bem como o uso ilícito dela também seria ou não?
    Lamentável…

  7. Se fosse um protesto encabeçado pelos petistas, seria uma ”reinvidicação popular” como o negócio é contra eles, aí não pode !!
    Em Santos aumentaram a passagem de onibus para 1 real, em 1997, lembro bem disso, e os vereadores petistas começaram a reclamar do ”abuso”, sendo que até 1996 o PT era governo na mesma cidade de Santos e aumentava as passagens de onibus alegando que a empresa não suportava o aumento de custos. Quem é pedra não se acostuma a ser vidraça.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: