Governo do Estado não dá garantias de subsídios aos transportes em Curitiba e região

Gustavo Fruet não recebe garantias do governador Beto Richa sobre ampliação ou ao menos manutenção dos subsídios para o sistema de transportes. Os subsídios são essenciais, na visão do prefeito eleito, para manutenção das integrações entre os ônibus da Capital e Região Metropolitana, assim como para evitar grandes aumentos nas tarifas para o passageiro.

Governo do Estado não dá garantias de subsídios aos transportes metropolitanos em Curitiba e região
Prefeito eleito calcula que seriam necessários entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões para evitar alto reajuste tarifário e manter integrações
ADAMO BAZANI – CBN

A preocupação do prefeito eleito de Curitiba, Gustavo Fruet, em relação a manutenção da integração entre os ônibus que servem a região metropolitana e a capital só aumentou depois de reunião que teve nesta quinta-feira com o governador Beto Richa.
O chefe do estado não deu garantias para manutenção ou ampliação dos subsídios para o sistema de transportes.
Atualmente, um convênio entre o Governo do Estado do Paraná que foi assinado em maio, prevê o repasse de R$ 60 milhões para a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., autarquia responsável pelo gerenciamento dos transportes municipais e metropolitanos. A maior parte destes recursos é para manter equilíbrio financeiro das companhias de ônibus com o objetivo de garantir a integração tarifária entre os ônibus de Curitiba e os de municípios vizinhos que formam a RIT – Rede Integrada de Transporte.
Ocorre que esse convênio é válido só até fevereirode 2013. Richa não deu garantias de continuar com os pagamentos.
Com isso, além de a integração estar sob ameaça, a não manutenção dos subsídios, segundo Fruet, as tarifas podem sofrer um reajuste maior, já que o sistema teria de ser mantido apenas pelo dinheiro das catracas.
O prefeito eleito calcula que seriam necessários entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões anuais para a viabilidade da rede integrada.
Hoje pelos terminais e estações-tubo, os passageiros de ônibus em Curitiba e região podem utilizar quantas conduções precisarem sem limitação de tempo.
As estações-tubo, a integração entre o sistema e os corredores de ônibus são considerados por especialistas como diferenciais positivos que destacam os transportes em Curitiba e região e o colocam como referência mundial de mobilidade, inspirando, inclusive, a criação de outros sistemas em diversas partes do mundo. O exemplo mais bem sucedido é o Transmilênio, em Bogotá, na Colômbia.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: