Inovações na Europa que podem ser usadas no Brasil

onibus

Ônibus utilizado em programa da UITP e da Comissão Européia traz alterações na configuração interna para melhorar o fluxo de passageiros. Entre a segunda porta e a terceira, os bancos fixos foram trocados por assentos rebatíveis para ampliar o espaço de circulação sem comprometer a capacidade de transportes de pessoas sentadas. Monitores com programação visual e informações sobre as linhas, horários e locais atendidos também tiveram avaliação positiva. Programa European Bus System of The Future durou cerca de quatro anos e contou com investimentos de 26 bilhões de euros. Divulgação Mercedes Benz.

Europa testa novo modelo de transportes por ônibus
Alterações na forma de prestação de serviços agradaram passageiros e experiências podem ser aplicadas no Brasil
ADAMO BAZANI – CBN
Mesmo tendo destaque mundial em políticas que dão prioridade aos transportes públicos, a Europa ainda enfrenta problemas de trânsito e poluição, mas não fica a mercê do que pode acontecer ou esperando que um jeitinho possa resolver tudo.
Os estudos e experiências no Velho Continente para qualificar os transportes públicos são constantes, mesmo em épocas de graves crises financeiras como agora.
Nesta segunda-feira, em Bruxelas, foram apresentados os resultados parciais do programa European Bus System of The Future, iniciado há quatro anos, e que visa colocar os serviços de ônibus literalmente no futuro, com inovações tecnológicas na operação, no gerenciamento de frota e serviços e nos veículos.
O programa foi financiado pela Comissão Européia e coordenado pela UITP – União Internacional dos Transportes Públicos e contou com 48 parceiros. Os investimentos foram de cerca de 26 milhões de euros.
Dentro do programa, foi desenvolvida uma nova configuração interna de ônibus urbano que, de acordo com pesquisas de satisfação, agradou os passageiros.
Na linha 502, da empresa pública de transportes de Bremen, na Alemanha, foi usado um ônibus Mercedes Benz Articulado G com algumas alterações.
O espaço entre a segunda e a terceira porta teve os bancos fixos retirados e colocados assentos rebatíveis para ampliar o espaço de circulação dos passageiros sem comprometer o número de lugares onde as pessoas possam viajar sentadas.
A área livre entre as portas foi um dos pontos que recebeu maior aprovação pelos passageiros. O ônibus nesta configuração circulou na linha em Bremen por cerca de nove meses entre o ano passado e meados deste ano. A empresa pública já pretende adotar este novo esquema interno em outros veículos.
Além disso, o ônibus foi equipado com sinalização luminosa nas portas, com as cores usadas em semáforos, que acabou, segundo os técnicos organizando e agilizando as operações de embarque e desembarque.
Os sistemas de informações para os passageiros também receberam atenção. Além de monitores internos de até 20 polegadas , as paradas e o ônibus contavam com monitores voltados para o lado externo. Na programação, notícias, entretenimento e claro, informações sobre o sistema, integrações, linhas e horários.
O serviço contou também com sistema de localização para uma central de monitoramento e para o passageiro saber ao certo por onde está passando e quais são os principais estabelecimentos comerciais, culturais, religiosos e de prestação de serviços dos respectivos locais.
Tomadas para carregamento de celulares, notebooks e outros eletrônicos e internet sem fio também eram parte integrante do ônibus.
A iniciativa tem o objetivo de tornar os transportes públicos ainda mais atrativos e boa parte dos equipamentos e das alterações nas configurações dos veículos será aplicada em ônibus de linhas convencionais e não apenas em serviços especiais.
A UITP considera também testar as modificações e os novos equipamentos em sistemas de outras regiões, inclusive no Brasil.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta