FALÊNCIA DA BUSSCAR: Confira o que deve acontecer.

busscar

A Busscar – Nielson marcou a história dos transportes e o dia a dia de muita gente com diversos modelos de ônibus que eram referência até para outros países, em diversas categorias. Neste dia 27 de setembro, após 66 anos de atividades, a empresa teve a falência decretada. Crises financeiras, suspeitas de erros administrativos e até de irregularidades foram os principais episódios da última década de Busscar. Negociações sempre eram difíceis e diretoria não achava interessante “abrir a empresa” para outros investidores estiveram nos centros das discussões sobre o caso. Foto: Waldemar de Freitas Jr.

FALÊNCIA DA BUSSCAR: Trabalhadores vão ter prioridade no pagamento
Administrador da massa falida vai levantar os números reais do patrimônio e dos débitos da encarroladora de ônibus que teve falência decretada pela Justiça na última quinta-feira
ADAMO BAZANI – CBN
A imagem registrada pelo repórter fotográfico Diorgenes Pandini, da Agência RBS, publicada no “Diário Catarinense”, na qual aparecem os últimos três ônibus (dois micros e um urbano) que puderam ser entregues pela Busscar dá uma forma fotográfica às palavras do juiz Maurício Povoas, da Quinta Vara Cível de Justiça de Joinville, que considerou a administração da família Nielson nos últimos anos da Busscar “uma balbúrdia”.
A empresa, que chegou a ser por muitos anos uma das maiores encarroçadoras de ônibus do País, com volume anual de produção de quase 6 mil unidades e com cerca de 5 mil funcionários, após 66 anos de atividades (foi fundada em 17 de setembro de 1946) teve seus principais acessos lacrados.
A Busscar parou. Aquela Busscar, que começou Nielson, acabou. Mesmo havendo possibilidade de ressurgimento e de recursos por parte da família Nielson, a falência foi decretada. Algo que a justiça, trabalhadores e boa parte dos credores tentaram evitar.
De acordo com o dicionário, entre outras definições, “balbúrdia”, termo usado pelo juiz, quer dizer desorganização.
E é justamente colocar ordem nas coisas que será a primeira atitude de Rainoldo Uessler, do Instituto do mesmo nome, que foi nomeado administrador responsável pelo processo de falência.

onibus

A imagem é triste e histórica. Dois micro-ônibus e um urbano convencional foram os últimos a deixar a Busscar antes de ela ser lacrada em seguida à decretação de falência pela Justiça. Apesar de toda a torcida para que a Busscar se salvasse, dada sua importância na história e na economia, juiz Maurício Povoas entendeu que a falência foi a melhor solução do caso e classificou a administração por parte da família Nileson como “uma balbúrdia” Diorgenes Pandini / Agência RBS

Sua equipe vai levantar e corrigir os débitos a receber credor por credor, desde o funcionário que individualmente tem o menor valor até as instituições financeiras que têm grandes recursos.
Estima-se que a dívida da Busscar chegue a R$ 1,3 bilhão. Deste total, R$ 500 milhões em impostos e R$ 800 milhões para bancos, fornecedores, ex sócios (os tios de Cláudio Nielson). Mas Rainoldo quer os números atualizados agora.
Além disso, o administrador judicial da falência quer saber quanto vale de fato a Busscar: galpões, equipamentos, propriedades, plantas, etc.
Até isso ser concluído, o que deve demorar, um eventual leilão de interessados pela empresa não pode acontecer.
Encarroçadoras de destaque do mercado, como a Caio e a Marcopolo, já sinalizaram participação em eventual leilão.
Após a venda dos bens, da empresa e dos patrimônios serão realizados os pagamentos.
PRIORIDADES:
1º LUGAR –
A prioridade será dada à classe dos trabalhadores, cuja maioria, com procurações da empresa, também aprovou ao Plano de Recuperação na Assembléia Geral dos Credores realizada na terça-feira dia 25 de setembro. Os trabalhadores que seguiram o entendimento do Sindmecânicos – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Oficinas Mecânicas de Joinville e Região votaram contra o Plano.
Os trabalhadores, independentemente se votaram a favor ou não, que têm cada até 15 salários-mínimos para receber serão os primeiros na ordem de pagamento.
2º LUGAR –
Paralelamente, os bancos também vão receber com a venda ou devolução dos equipamentos que financiaram. Foi a classe dos Bancos que reprovou o Plano de Recuperação Judicial da Busscar. É dos bancos a maior parte do dinheiro a receber da fábrica de carrocerias.
3º LUGAR –
Os valores devidos em forma de impostos sempre foram informados de maneira duvidosa, de acordo com a Justiça. As interpretações e tabelas apresentadas pela Busscar variavam de acordo com o interesse do momento.
Após o pagamento de parte dos débitos trabalhistas e dos bancos, será a vez de os poderes públicos receberem de forma corrigida.
4 º LUGAR –
Os tios de Cláudio Roberto Nielson e Fábio Luís Nielson, que representam a classe quitográfica e que aprovaram o Plano de Recuperação da Busscar, não serão prioridade na ordem dos pagamentos dos débitos.
Será a última classe a receber os pagamentos da massa falida da Busscar.
DINHEIRO INSUFICIENTE:
Esta ordem de pagamento vai respeitar os recursos disponíveis. As dívidas da Busscar superam o patrimônio. Assim, isso será levado em conta no leilão da massa falida, o que vai depreciar o valor da empresa.
EMPRESAS:
Outras empresas do Grupo da Busscar também fazem parte do processo de falência, mas terão tratamentos diferentes umas das outras.
A Busscar Ônibus S.A. encarroçadora), Busscar Investimentos e Empreendimentos Ltda, Busscar Comércio Exterior S.A., Lambda Participações e Empreendimentos S.A., Nienpal Empreendimentos e Participações Ltda foram lacradas.
Até a finalização do processo de falência, para o qual cabe recurso, estas empresas não podem realizar nenhum negócio, produção ou venda de ônibus.
A Tecnofibras vai ser vendida também. A intenção é vendê-la como empresa saudável para melhor capitalizar a massa e pagar os credores. Mas o desempenho da Tecnofibras, empresa de materiais e peças de fibra de vidro e plástico, vai ser fiscalizado de forma rigorosa pelo administrador Rainoldo Uessler.
A Climabuss vai ser analisada por 30 dias. Após este prazo, será feito um relatório sobre se a empresa é ou não viável para continuar funcionando.
BUSSCAR:
A Busscar disse, em nota, que acata e respeita a decisão da Justiça e fará de tudo para colaborar, mas que estuda formas jurídicas para possíveis recursos.
OPORTUNIDADES:
Quem vê o Plano de Recuperação Judicial como a única oportunidade para a Busscar ter evitado a falência precisa saber que a apresentação do plano foi uma das chances.
A crise da Busscar começou em 2008. Segundo a empresa, foi reflexo da crise econômica que restringiu o crédito em todo o mundo. Parte do mercado fala que a empresa ainda estava fragilizada de uma crise anterior, entre 2001 e 2004, atribuída pela companhia às variações na política cambial.
Esta fragilidade seria advinda de erros administrativos e após o agravamento da crise, em 2010, as negociações sempre foram marcadas por dificuldades.
A Busscar disse, ao longo do tempo, que sempre esteve disposta a negociar. Mas parte dos credores acusa a família Nielson de ser inflexível.
Empresários de diversos setores, em especial de transportes, mostraram interesse na empresa, mas a diretoria achou que os negócios apresentados não eram bons e não quis abrir a fábrica para outros sócios.
Antes mesmo de o Plano de Recuperação ser iniciado, em 31 de outubro de 2011, o juiz Maurício Povoas foi pressionado para atender às pressões em relação à falência ou intervenção.
Mas o magistrado segurou a pressão e deu oportunidade do plano ter sido apresentado da forma como a empresa achasse melhor.
Foram três datas de Assembleia Geral de Credores: 22 de maio, 07 de agosto e em 25 de setembro.
Em todas elas, era indicado que o Plano não receberia aprovação total. Mas nas duas primeiras datas, diante de manifestações, confusões, apresentações de novas propostas, Mauricio Povoas postergava as decisões, abrindo novas oportunidades para a empresa.
Com a classe quitográfica, os entendimentos foram mais fáceis. Os ex sócios, tios dos atuais diretores, entraram em consenso na reta final.
Em relação aos trabalhadores, a maioria apoiava a Busscar, mas não era unanimidade. Boa parte das procurações favoráveis era de funcionários da Tecnofibras, com débitos menores e menos descontentes.
A classe Garantia Real, dos bancos e demais instituições financeiras, também se abriu às negociações. E houve conversa. “Mas depois de tantos desencontros de números e propostas, faltou credibilidade” – disse ao Blog Ponto de Ônibus um interlocutor do Santander.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

31 comentários em FALÊNCIA DA BUSSCAR: Confira o que deve acontecer.

  1. a justiça foi feita graças adeus

  2. E a Busscar Colombia como fica…… ou é independete

  3. tenho pena dos caras que apostaram nessa empresa depois de 2003 era só pesquisar os numeros de processos de cobrança e pedir a conta, mais não bando de puxa saco, agora tomara que se fod……………..

  4. Demorou para isso acontecer, todos sabiam que a empresa estava se arrastando e que não tinha nenhum crédito para reerguer a empresa!!!

  5. A BUSSCAR ESTAVA EM CRISE DESDE 2002, APOSTOU ATÉ EM CHASSI DE ÔNIBUS PARA SAIR DO BURACO, MAS NÃO CONSEGUIU AGORA Q A BUSSCAR SAIU EU PENSO HJ EM DIA O SEGUINTE, NÃO ADIANTA SER PUXA-SACO DE EMPRESA E NEM DAR O SANGUE PRO EMPRESA NENHUMA, SÓ TEMOS Q TRABALHAR E FAZER A NOSSA PARTE SÓ ISSO, DEVIA TER ALGUM ROUBO DA PARTE ADMINISTRTATIVA OU DE SOCIOS, MAS É O PREÇO DA AMBIÇÃO SEM FREIOS

    • pois é, nao sou trabalhador da bussar, mas tinha sonhos que a envolviam, so tenho 17, 16 quando faliu e uns 6 quando fantasiei esses sonhos e agora foi tudo por água abaixo, sei que os meus sonhos nao é igual as dividas de vcs, mas né…fazer o que né, sao sonhos de criança.

  6. como ficara o mercado de peças de reposiçao para os onibus busscar ja que varias enpresas possuem veiculos ainda bem atuais alguem saberia me responder

  7. lamentavel …. tantas empresas foram ajudadas pelo governo federal e a busscar parece que foi discriminada … se o problema era a diretoria ,a soluçao era simples : retirem se ,que nos ajudamos . o governo deveria pensar nos funcionarios antes . onde estava a ideli salvati ? o prefeito era do pt ,nao era ? nao pensaram nos funcionarios ?

    • Até que em fim alguém disse algo que importa e não foge do assunto, ao contrário de muitos que vivem dizendo besteiras por aí, como um analfabeto que foi reprovado em Português e que disse “graças adeus” quando o correto seria Graças à Deus, parabéns pelo comentário e “Graças à Deus” que ainda há pessoas com boas idéias assim.

  8. O Start da Crise da Busscar foi a falta de seu Administrador Sr. Aroldo Nielson, dai em diante nada mais foi como devia ser, uma empresa que chegou a ter R$ 300.000.000 (milhões) em aplicações financeiras na década de 90, acabou com uma dívida de 1,3 Bilhões, só pode ter sido mal administrada. Uma fábrica com um mercado gigante em um País em pleno crescimento, está com certeza não é só uma perda para os funcionários, mas para toda uma sociedade.
    A certeza de tudo daria certo era nos passada pelo CRN nas reuniões, mas lá tráz quando seus tios levaram o capital de giro da empresa, e fizeram com que empréstimos mais empérstimos a empresa fosse buscar, e então os bancos começaram a tomar conta, e levar o lucro das vendas dos ônibus. E em 2009 quando a crise mundial tomou conta da economia globalizada e os bancos negaram os créditos, aí sim foi quando a gigante encarroçadora de ônibus que chegou a produzir 600 carrocerias por mês, mergulhou em uma críse sem FIM.

  9. esta porcaria faliu me devendo , 8000 reias de uma nota de 2010 e este mês minha firma prestou serviços e não me pagaram até agora, vou ter q pagar do meu bolso os meus funcionários , o pessoal da administração foram canalhas e desonestos comigo…..

  10. Depois que o Sr. Harold se foi (por incrível que pareça também de acidente de avião como tantos outros grandes empresários aqui do nosso povo) eu só temia mesmo pelo pior….
    A Tigre (do antigo Grupo Hansen, bons tempos…) só não foi pelo mesmo caminho por que foi colocado o Sr. Olsen – que começou como Office-boy, diga-se de passagem – e está ali, tocando a empresa com mão-de-ferro. Como deve ser.
    Ainda bem que o Sr. John e o Sr. Karl Hansen não deixaram sua mais importante empresa nas garras de forasteiros – ou de Americanos como no caso da Consul e a Embraco (bom ao menos Americanos sabem administrar e não deixam falir né…) – que nada tem a ver com nosso povo e nossa história.
    E TÃO POUCO NOS RESPEITAM….
    Já a Nilson/Busscar infelizmente deu no que deu…
    Infelizmente os 2 filhos não se espelharam no EXEMPLO DO PAI…
    Se os mortos pudessem chorar de tristeza, o caixão do Sr. Harold certamente estaria inundado em lágrimas agora….

  11. jose ricardo silva // 6 de Janeiro de 2013 às 00:51 // Responder

    eu achei estranho quando estava andando pelas ruas de sao paulo e regiao metropolitana,so vejo onibus das encarroçadora caio,mascarello e marcopolo.e cade a busscar. Eu acho os onibus da busscar bem mais confortaveis e bonitos ,e muito triste acabar dessa maneira…agora a unica coisa que vai sobrar e muitas lembrança e saudades!

  12. É UMA PENA QUE A BUSSCAR FOI A FALÊNCIA POIS OS SEUS VEÍCULOS ERAM DE EXCELENTE QUALIDADE , UMA PENA MESMO !

  13. FICO TRISTE EM SABER, POIS CONHECÍ A MARCA HA POUCO TEMPO, MAS GOSTEI MUITO, É MUITO FUNCIONAL. QUE PENA MESMO!

  14. Eu gosto muito da buscar ;(oruim que veio a falencia e amelhor marca de onibos que Eu acho melhor que marcopolo comil.

  15. Parabens busca para mim foi amelhor marca de onibos do mundo

  16. Eu sempre gostei de onibos mas a minha encarrocadora preferida era a busscar. os onibos busscar tim estilo para andar nas ruas da minha cidade e uma pena a busscar ter falido ja estava ancioso para saber como viria o próxima carroceria mas vi q vai ficar na lembrança adeus busscar
    urbanuss

  17. boa tarde,
    preciso de uma placa central elétrica do ônibus vista bus 340, modelo V 1,5,
    não estou encontrando, poderiam me ajudar?
    pois as que encontrei são V 1,5 A essa não serve, aguardo contato mais breve possível
    obrigada!

  18. Carlos Abel Da Cruz // 9 de Maio de 2015 às 03:27 // Responder

    Volta Busscar ta faltando Ônibus

  19. Boa noite eu gostaria de saber se alguém tem páginas do catálogo Busscar Urbanus 1992 em alta resolução, se tiver de 1991 pra baixo pode ser também.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: