Dono da Viplan responsabiliza Governo do Estado de São Paulo e defende pai no caso VASP

Publicado em: 11 de julho de 2012

VASP

Depois de ser uma das referências do setor aéreo nacional, VASP teve fim trágico com falência decretada em meio à dívidas de R$ 5 bilhões e escândalos de fraudes. Filho de Wagner Canhedo, dono de uma das maiores empresas de ônibus do Distrito Federal, Canhedo Filho, diz que o Governo do Estado de São Paulo tem responsabilidade também sobre o caso VASP e que a condenação de seu pai à prisão foi injusta.

Canhedo Filho defende pai e diz que ele não foi culpado sozinho pelas dívidas da VASP
Dono da Viplan, uma das principais empresas de ônibus do Distrito Federal, também já teve problemas com a Justiça

ADAMO BAZANI – CBN

O empresário de ônibus Wagner Canhedo Filho defendeu o pai e reclamou da decisão do juiz Fabio Rubem David Müzel, da Sétima Vara da Justiça Federal em São Paulo, que condenou Wagner Canhedo, hoje com 77 anos, a 8 anos, 8 meses e 17 dias de prisão por dívidas de R$ 35 milhões à Previdência Social contraídas pela VASP – Viação Aérea São Paulo.
Canhedo Filho, que é dono do Hotel Nacional, um dos mais antigos de Brasília, e da Viplan – Viação Planalto, uma das maiores empresas de ônibus do Distrito Federal, disse ao Portal de Notícias do IG que o Governo de São Paulo também foi um dos responsáveis pela crise na VASP.
A empresa aérea, que foi uma das maiores do País, chegou a dever para funcionários, bancos, previdência, fornecedores e outros credores, cerca de R$ 5 bilhões e teve falência decretada em 2008.
A Procuradoria da República investigou um suposto esquema de fraude na companhia, entre 2003 e 2004. O juiz, em sua sentença de 12 páginas, declarou que “a materialidade do delito está devidamente delineada”, atribuindo responsabilidade a Wagner Canhedo.
De acordo com a acusação, a direção da VASP recolhia as contribuições trabalhistas, mas não depositava.
A massa falida da VASP foi adquirida pela Gol, TAM e Varig.
Canhedo Filho disse que a VASP já devia para o INSS e que o Governo do Estado não pode ser isentado pela situação da empresa. No último ano da VASP, o Governo detinha 40% da companhia aérea.
O dono da Viplan possui 600 ônibus e 5 mil funcionários.
No ano de 2007, ele foi condenado a um mês de prisão pelo Juizado Especial Criminal de Justiça do Distrito Federal – TJDF, por não vender passes de escolares pela Viplan.
Em maio de 2008 chegou a ser preso pela Delegacia de Capturas e Polícia Interestadual após descumprir decisão da 1ª Vara de Justiça do Trabalho do Distrito Federal que exigia o pagamento de 30% do faturamento do Hotel Nacional para cobrir dívidas trabalhistas.
Dirigindo o sindicato que representa as empresas de ônibus do Distrito Federal, Canhedo Filho disse que a família vai recorrer da sentença proferida na semana passada. Ele aparece também na lista de devedores do caso VASP.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta