São Caetano anuncia faixas para ônibus e fim de sobreposição

onibus

Além de criar faixas exclusivas de ônibus, como nas avenidas Goiás e Guido Aliberti, prefeitura de São Caetano do Sul quer reduzir linhas de ônibus intermunicipais que são sobrepostas às municipais. Mas hábito da população precisa mudar. Não adianta diminuir as sobreposições, obrigando o usuário do transporte público a fazer baldeações, para deixar o caminho livre para quem tem carro continuar usando o veículo de passeio em deslocamentos que podem ser feitos a pé. Foto: Adamo Bazani

São Caetano do Sul quer ter faixas exclusivas para ônibus na Goiás e Guido Aliberti
Cidade também estuda estações de integração para evitar sobreposições de linhas e integração com desconto no valor da tarifa com os trens da CPTM

ADAMO BAZANI – CBN
A cidade de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, apesar de ter uma área pequena, de 15 quilômetros quadrados, e uma população reduzida, de cerca de 150 mil pessoas, enfrenta problemas em relação à mobilidade urbana.
A quantidade de veículos particulares é de um automóvel para cada habitante e por sua localização, São Caetano recebe outros carros das cidades do ABC Paulista, já que o município acaba virando um corredor para a Capital.
A situação do trânsito nas principais ruas e avenidas da cidade é complicada mesmo fora dos horários de pico e parte da solução destes problemas da cidade passa pela conscientização dos moradores, acostumados a fazer pequenos trajetos de carro, os quais poderiam percorrer muito bem a pé, e pela modernização e prioridade aos transportes públicos.
Para isso, a cidade anunciou um plano de criar faixas exclusivas para ônibus nas avenidas Goiás e Guido Aliberti.
Há também um plano para oferecer integração com desconto no valor das tarifas entre os ônibus municipais, hoje operados pela Vipe – Viação Padre Eustáquio, e os trens da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.
Mas o ponto que precisa de mais estudo é a tentativa de eliminar as sobreposições entre as linhas municipais e as intermunicipais de ônibus.
Justamente por ter essa característica de passagem, São Caetano possui nove linhas municipais e por ela trafegam 42 linhas metropolitanas. Trinta por cento destas viagens não têm como destino São Caetano.
Assim, a proposta é de criação de estações de integração nos limites com Santo André e São Bernardo do Campo, em vias como Avenida Goiás e Praça Mauá.
O objetivo é evitar as sobreposições de linhas.
Os intermunicipais que teriam como destino São Caetano iriam apenas até as extremidades da cidade. Nestas estações, os passageiros desembarcariam dos intermunicipais e seguiriam até a estação de São Caetano ou outros pontos da cidade nos ônibus locais.
A interferência sobre os intermunicipais só deve ser feita após a conclusão de um Plano de Mobilidade, que vai custar R$ 1 milhão e demorar cerca de seis meses para ficar pronto.
Os cuidados necessários são para que os ônibus municipais de São Caetano sejam preparados para receber a demanda dos transportes metropolitanos, com aumento de frota e da dimensão dos veículos em algumas linhas operadas apenas por micro-ônibus ou micrões.
Além disso, não se deve obrigar o passageiro de transporte público a fazer várias baldeações para diminuir a quantidade de linhas intermunicipais e deixar o caminho livre para os moradores continuarem com seu hábito de irem até a esquina de carro.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: