GREVE DOS CAMINHONEIROS: Empresas de ônibus garantem diesel na Capital. No ABC, algumas empresas estão garantidas

greve caminhoneiros

Caminhão-tanque abastece reservatório de combustível em garagem de ônibus no ABC Paulista. Serviço na empresa está garantido pelos próximos três dias. Foto: Adamo Bazani.

Empresas de ônibus da Capital Paulista têm diesel para amanhã
Sindicato que representa empresas de ônibus de São Paulo confirma recebimento de combustível sob escolta. Oak Tree chegou a ter de recolher 20 ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
O SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, que representa as companhias operadoras das linhas municipais da Capital Paulista, confirmou à reportagem do Blog Ponto de Ônibus / Canal do Ônibus que os serviços de ônibus não devem ser prejudicados nesta quinta-feira por conta da greve dos caminhoneiros.
Sob escolta, caminhões-tanque conseguiram chegar a maior parte das garagens de ônibus de São Paulo.
No entanto, o abastecimento não foi normal. As viações receberam em seus tanques o suficiente para rodarem hoje e amanhã.
Normalmente, em grandes garagens, que possuem tanques maiores, o abastecimento dura para dois ou três dias.
De acordo com o SPUrbanuss, o último abastecimento ocorreu no domingo e foi suficiente até hoje.
Mesmo assim uma empresa de ônibus, a Oak Tree, do Consórcio Sudoeste, teve na manhã desta quarta-feira, dia 07 de março de 2012, de recolher 20 ônibus por conta de falta de combustível.
Mas a empresa recebeu a tarde um carregamento de combustível e opera com toda a frota programada.
As empresas de ônibus esperam a solução do impasse entre os transportadores autônomos e a prefeitura de São Paulo.
O prefeito Gilberto Kassab determinou a proibição do tráfego de caminhões em 25 vias de São Paulo. O ponto da proibição que mais causou polêmica foi a Marginal Tietê. De acordo com os caminhoneiros, em algumas rotas para as entregas não há alternativas à marginal.
A restrição durante a semana é das 05 às 09 horas e no pico da tarde das 17 h00 às 22 horas. Aos sábados é das 10 horas às 14 horas.
Apesar da Sétima Vara da Fazenda Pública de São Paulo ter determinado o retorno imediato da distribuição de combustível e pela manhã o Sindicam – Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de São Paulo ter dito que seguiria a determinação judicial, poucos caminhões saíram das distribuidoras. A maior parte com escolta para atendimentos a serviços essenciais, como abastecimento de carros de polícia, ambulâncias, geradores de hospitais e ônibus do transporte coletivo urbano.
ABC PAULISTA:
As empresas de ônibus do ABC Paulista dizem ainda ter diesel nos estoques suficiente para amanhã, mas nem todas receberam combustível nesta quarta-feira, mesmo sob a promessa de escolta.
Algumas viações se prontificaram a pagar escoltas particulares.
Não está descartado o risco de desabastecimento para sexta-feira, caso o movimento grevista continue.
POSTOS DE COMBUSTÍVEL:
O número de postos com combustível disponível diminuiu. Alguns chegaram a receber pequenas quantidades de diesel, etanol e gasolina, mas os estoques têm se esgotado.
O Procon de São Paulo recebeu mais de 150 denúncias de estabelecimentos que estavam praticando preços abusivos. Em São Paulo, pelo menos nove responsáveis por postos de combustível foram presos.
Num posto da Rua Alfredo Pujol, em São Paulo, o litro de gasolina que era de R$ 2,69 era cobrado por R$ 4,50, prática ilegal de preço abusivo.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: