CPTM irredutível. Linha 10 não voltará mesmo para a Luz

CPTM

A CPTM continua irredutível e apesar de reclamações de moradores do ABC reiterou que a linha 10 Turquesa só continuará indo até o Brás e não mais até a Luz, como antigamente. Audiência pública na Câmara de Santo André, na noite desta segunda-feira decepcionou. Foto Blog CPTM em Foco

CPTM continua irredutível e linha 10 não voltará até a Luz
Audiência pública em Santo André serviu apenas para a CPTM comunicar sua decisão tida como irreversível de os trens do ABC só irem até o Brás

ADAMO BAZANI – CBN

A CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos reiterou em audiência pública realizada na noite desta segunda-feira dia 27 de fevereiro de 2012 que as composições da linha 10 Turquesa que partem de Rio Grande da Serra, no ABC Paulista, continuarão indo apenas até a Estação Brás, excluindo a Estação da Luz dos serviços.
O presidente da CPTM, Manuel Bandeira, esteve na Câmara Municipal de Santo André, e não trouxe nenhuma esperança para a população do ABC Paulista que ainda acreditava no possível retorno.
Ele tentou justificar o encurtamento da linha dizendo que a medida foi para a segurança dos passageiros já que a Estação da Luz está sobrecarregada.
A Estação da Luz começou a receber no ano passado a demanda dos passageiros da linha 4 Amarela do Metrô, que parte do Butantã, na zona Oeste da Capital Paulista.
Aliás, tem sido esta a característica da expansão do Metrô em São Paulo. Em vez de distribuir os serviços de melhor forma e criar mais pontos de integração, como foi realizado na estação Tamanduateí, as baldeações têm se concentrado em estações já saturadas, como Sé e a própria Luz.
O tempo de viagem aumentou e o conforto diminui para os passageiros da linha 10.
Agora eles têm de desembarcar no Brás e para continuarem até a Luz devem pegar uma segunda linha de trem ou o Metrô da Linha 3 Vermelha, que são extremamente lotados.
Em agosto do ano passado, a linha foi encurtada sob a alegação de obras no trecho entre Brás e Luz, mas em janeiro a CPTM comunicou que a medida seria definitiva.
Num longo prazo, Manuel Bandeira disse que devem ocorrer inovações na linha 10 Turquesa. As estações da linha devem ser modernizadas, ficando no padrão da estação Tamanduateí, e ampliadas, já que as composições deverão ser aumentadas para 8 carros no lugar de 06 atualmente.
Ele também prometeu reativar a estação Pirelli, em Santo André, por conta de novos empreendimentos no local, como torres de escritórios e residenciais no chamado Espaço Pirelli.
Manuel Bandeira disse que a linha 10 Turquesa será prolongada para a futura estação Bom Retiro, na região central de São Paulo.
A maioria dos participantes da audiência pública saiu do encontro decepcionada com a posição da CPTM, considerada por alguns que estiveram presentes como arbitrária.
AdamoBazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

40 comentários em CPTM irredutível. Linha 10 não voltará mesmo para a Luz

  1. E assim acaba a novela. Pelo menos alguém na audiência cobrou o Expresso ABC e a NOva Luz, que são medidas que farão o ABC chegar novamente a Luz e a Barra Funda? Duvido.

  2. Foi comentado apenas, mas o Expresso ABC só irá também a possível estação Bom Retiro

    • Contanto que lá seja um hub com as demais linhas já vai resolver bem o problema, além de desafogar a Luz, com a Nova Luz ou conexão gambiarra com Júlio Prestes, como anunciado recentemente. Enfim essa é uma medida que resolve o problema de todo o sistema, que é esse gargalo central, e precisa ser o foco da cobrança na STM.

  3. Lamentável! A decisão é autoritária, sem ouvir a população, assim como a tarifa de integração nos terminais da EMTU que estão tentando impor em Diadema e São Mateus. Ganhar duas eleições no primeiro turno tem feito mal à turma do PSDB. Fato!

  4. Desde o início dessa atual gestão da CPTM tenho visto decisões desagradáveis para nós, usuários do sistema de trens metropolitanos. Como disse o Rafael logo acima, essa decisão totalmente autoritária, relegando aos usuários da Linha 10 ter que utilizar ou a Linha 3 do Metrô ou a Linha 11 da CPTM (duas linhas carregadas) paa atingir a estação Luz é ridículo! Total falta de planejamento! Desde 1867, quando a então São Paulo Railway – SPR (também conhecida como “Inglesa”) começou a operar, sempre houve ligação entre os trens oriundos de Jundiaí (ou seja, a atual Linha 7) com os trens oriundos de Santos (atual Linha 10) na estação da Luz, e hoje, 2012, a CPTM simplesmente chuta toda a história da SPR/EFSJ!
    Fora Mário Bandeira, fora Jurandir Fernandes e toda essa cambada responsável pela administração do sistema ferroviário paulista!!!

  5. É uma vergonha , O ABC ser mais uma vez abandonado e tratado com inteiro descaso e niguém faz nada , sempre somos obrigados a ficar com as sobras, as migalhas os resto , qualquer coisa oferecida ta muito bom ,talves seja assim porque somos muito passivos a vista de outras regiões da regiões da cidade.
    A viagem aumentou o tempo ,a lotação também , ai quando vc chega no Brás parece a música do Rapppa um grande ” mar e gente ” ai você espera por 2,3,4,as vezes 5 composições vinda de Guaianazes totalmente entupidas quando chegam no Brás e nem se espremendo na porta você consegue entrar e realizar o pequeno percurso entre o Brás e Luz , que não leva nem 4 minutos , que talvez tenha um pouco mais de 2 kilometros ou algo mais , essa é a rotina de milhares de pessoas ,inclusive da minha mãe , que foi obrigada a sair de casa 40 minutos mais cedo , para não se atrazar no seu trabalho ,que desde o inicio da obra da troca dos dormentes , enfrente essa via sacra todos os dias para chegar a estação da Luz nas manhas paulistanas , na volta do trabalho não é muito diferente , só que agora a tortura começa na estação da Luz , tentando embarcar e depois correndo , quando não sendo sendo empurrada quaze que atroplelada pela multidão que tenta desembarcar no Bras , e seguir viagem realizando a transferência para os trens como destino ao ABC que andam com velocidade reduzida até o ABC.
    Com relação as palavras do presidente da CPTM , gostaria de dizer que gostei de saber que teremos novidades ,como as estações seram modernizadas senguindo padrões de estações mais novas ,e as composições voltaram a trafegar com 8 carros , uma nova estação para agregar as linhas , ou dar mais opção de transferencia e mobilidade é ótimo, mas para quando tudo isso 2020,2030 ,2040 ?, estamos precisando de uma solução para antes de ontem
    , nem é para hoje , tamanha é a necessidade e gravidade da situação ,se ao menos ja tivessemos o Expresso ABC mais até quando vamos aguardar por ele ?.
    Não podemos esperar mais por medidas paleativas, ou projetos mirabolantes , o correto é os trens voltarem para o destino final na estação Luz como sempre foi , e se não houver como comportar a demanda de 3 linhas de trens e 2 linhas de Metro que sobrecarrega a minuscula estação da Luz , a solução é simples e ba´sica e direta é remanejar os trens do Expresso Leste para o Brás ,onde sempre tiveram o seu destino final , isso ja iria melhorar e muito a demanda na estação da Luz , levando se em conta que a maior demanda é do expresso leste , é facil de resolver não se resolve porque não se quer ,ou resolve prejudicando que não tem uma outra opção,que no caso são usuarios do ABC.

    Lamentavel !!!

  6. UÉ ESTAMOS VIVENDO A ÉPOCA DA DITADURA??? ONDE ESTÁ O ESTADO DEMOCRATICO DE FATO????? O PODER NÃO É EMANADO PELO POVO?? JÁ QUE A CPTM está agindo desta maneira, vamos DEIXAR NOSSO RECADO E protestar, UNIDOS, todos a uma só voz: FORA BANDEIRA !!!!

    QUEM TEM QUE DEFINIR É O POVO NÃO ESTES TECNÓLOGOS INCOMPETENTES QUE NÃO PARAM DE ILUDIR O POVO.

  7. Caro Adamo Bazani,
    a notícia que você nos trás reforça a impressão que as (mais altas) autoridades estaduais do setor de Transporte de São Paulo NÃO estão interessadas em que o transporte coletivo de passageiros funcione.
    Quem trabalha contra a integração dos transportes trabalha contra os passageiros.

    P.S. A autoridade federal que indica que se compre automóveis passa a ter razão. Para que o cidadão de S.Paulo que precisa chegar no trabalho, em casa, na escola, no lazer, etc. consiga ter certeza que vai chegar (mesmo correndo o risco de engarrafamentos) só mesmo o transporte individual. Vida que segue.

  8. Diferentemente dos amigos que tem a crença na Nova Luz, na estação Bom Retiro, pra apaziguar, até o final do ano, vão criar (ou não) outros descontentes com a perda do terminal Luz que, nesse caso, será a linha 7 – Rubi pra ter condições de levar a linha 10 até Luz. Vejo principalmente no andamento das obras de recuperação de vias e na “promessa” do presidente da CPTM durante entrevista cedida a mim (http://usuariodacptm.wordpress.com/2011/12/20/presidente-da-cptm-fala-ao-blog/) de levar o Expresso Leste até lá como medida para já desafogar parcialmente a Luz e dar a estação o que de fato ela foi projetada pra ser: uma estação de passagem e não terminal de linhas. O mal de tudo isso é que o processo de transformação se arrasta desde a gestão anterior do presidente Mário Bandeira e do secretário Jurandir Fernandes (2002/03 – 2006/07), com continuidade e prioridades alteradas durante também a gestão de um presidente anterior, Avelleda e Portella (2006 – 2010). Só gerou todo esse caos porque prejudicou um grupo, mas, é interessante observar quando tudo na integração centro “parou” (uma vez que a linha 10 já teve Barra Funda como terminal, foi suprimida, a linha 7 ia até o Brás e o Expresso Leste só até Brás) e ninguém se movimentava em prol de retornos.

    • Italo
      Você só reforça as palavras de PauloZ: ano após ano se age em função de interesses que não privilegiam a integração, portanto colocam o usuário em segundo plano.

      Retirar o terminal da 10 da Luz pode até ser a coisa certa; mas prometer soluções obviamente urgentes para o usuário lesado a “longo prazo” é como ratificar “o usuário não é a prioridade”.

      Ou se faz a já muito atrasada reforma na jurássica Lei da Licitações (em particular no trânsito de documentos, autorizações e assinaturas, inacreditavelmente ainda não informatizado), ou se contrata determinadas obras em regime de emergência. Algumas das ações citadas por Bandeira para a 10, acredito muito, se enquadrariam em emergência.

      (Hoje é um bom dia para esta discussão; foram 2:30 horas no carro de Cotia ao Brooklin.)

  9. Italo
    Sua menção aos vários anos de indefinições na Luz só vem confirmar PauloZ: não há compromisso com integração.

    Pode até ser a coisa certa, retirar a 10 da Luz como terminal. Uma Estação Bom Retiro é ótimo projeto. Mas quando prometem ações para a 10 que seriam emergenciais para reduzir o prejuízo do usuário somente para “longo prazo”, ratificam que o USUÁRIO não é a PRIORIDADE. Ainda que venha a responder nas urnas, o usuário preterido não desenvolve empatia, não agrega valor ao serviço. Não vai cuidar do seu transporte coletivo. Li ontem sobre marcas de urina nos novíssimos CAF 8000 sem divisórias da CPTM 8.

    Ou se promove a tão atrasada reforma da Lei das Licitações (particularmente a informatização do trânsito dos documentos, autorizações e assinaturas) ou se faz determinadas obras em regime emergencial, como várias das citadas por Bandeira para a 10. E o texto nem toca na indispensável redução e homogeneização dos intervalos.

    • O grande problema Luiz não é a falta de prioridade a este projeto da Nova Luz e do Expresso ABC mas sim dos problemas que a CPTM enfrenta a anos desde que começou a desenvolver o projeto, que são as licenças ambientais com dezenas e dezenas de exigências, além das várias ações movidas por moradores e entidades contra o projeto da Nova Luz, parte da prefeitura, que inclui reurbanização da região degradada. O projeto não está parado por parte da CPTM, mas sim graças aos empecilhos jurídicos. Não há nem como fixar prazo para esta obra começar devido a todos estes problemas. E pela falta de informação e omissão da mídia que conhece o projeto e seus benefícios o projeto nem ao menos adquire apoio popular para superar a sina dada por seus críticos como “projeto surreal e idealista do governante”. O que mais importa é o usuário, a CPTM mudou a circulação para não abarrotar a Luz com mais usuários, já que a abertura da Linha 4 aumentou demais sua movimentação. Além de já ser uma estação muito acanhada, recebia mais linhas do que devia. Para resolver isso só a Nova Luz (que será integrada com a Luz), uma infraestrutura maior para promover a integração entre as estações, o Expresso ABC e a diminuição dos intervalos de todas as linhas. E isso é o que precisa ser cobrado. Não a volta da Linha 10 à Luz, ocasionando a volta da operação com 1 plataforma em Luz para as Linhas 10 e 7, uso de uma única plataforma para embarque e desembarque nas linhas 7, 10 e 11 (desconforto dos usuários principalmente no desembarque dos usuários desta linha) e lotação absurda dos corredores subterrâneos de integração.

  10. Grande Ádamo! Obrigado por usar minha foto para ilustrar a matéria! Grande abraço, Diego Silva (Blog CPTM em Foco)

  11. Sr. Gabriel Garcia

    Com todo respeito, acredito eu que o senhor não pega trem e não sabe a necessidade dos passageiros, até porque não é necessário projetos mirabolantes. É simples solucionar os problemas, é muito simples, a grande questão é que vocês da CPTM querem mais saber de complicar do que resolver, e eu duvido da qualificação dos que estudam os projetos da CPTM, pois sinceramente todos vocês estão lutando contra a população. A grande solução e sempre foi é a estação Barra Funda na qual poderiam se concentrar as linhas 10, 7, 8, e 11. Vocês da CPTM sempre vem com DESCULPAS E DESCULPAS, mas para tudo há solução quando se tem vontade politica.A Estação Barra Funda poderia e muito contribuir para dividir a demanda de passageiros.

    Aproveito e deixo este recado; OS MAIORES TÉCNICOS EM TRANSPORTES SÃO OS PASSAGEIROS, POIS SOMENTE OS PASSAGEIROS QUE SABEM O QUE REALMENTE SE PASSA.

    Já o corpo técnico da CPTM precisa ouvir mais a população em vez de ficar em PRANCHETAS e rabiscos e em vez de ficarem JUSTIFICANDO as suas INCOMPETÊNCIAS, é hora de AGIR, pois a população já está CALEJADO E CANSADO de tanta DESCULPA. BASTA!!! GESTÃO INCOMPETENTE!!!

    • Engano seu doutor, não trabalho na CPTM. Justificativas desse naipe, de que não uso trem, são ridículas, tentando desqualificar a opinião alheia contrária a sua. Lute e proteste por algo que vale a pena. Ter as linhas em Barra Funda é o ideal, mas com todas chegando em Luz e Nova Luz, não somente 2 linhas (que no momento são as que mais tem usuários e menos integrações importantes em relação a 10).

  12. O que não me conformo é que estes ENGENHEIROS MEDIOCRES só veem a população como números e estatísticas. Eles podem se justificar mas há projetos que já estão engavetados há ANOS desde a primeira gestão do Sr. Mario Bandera…..

  13. Me parece que estas decisões de onde colocar estações hubs e o que priorizar deveriam ter suporte de pesquisa muito mais abrangente e frequente que a tradicional Origem/Destino.

    Neste momento se licita por mais de 270 milhões uma reforma do bilhete único. Se a STM encarasse uma centralização dos meios de pagamento de toda a RMSP, estes cartões permitiriam pesquisas praticamente real-time.

    Com isto e muito mais transparência e informação ao usuário, o cenário poderia evoluir bastante. A Lei da Mobilidade é ferramenta de suporte legal que facilita.

  14. Sérgio - Santo André // 29 de Fevereiro de 2012 às 20:00 // Responder

    Realmente essa decisão da CPTM é de irritar qualquer um. Como eu já comentei em outros sites, e se essa decisão você tomada em outras linhas, será que seriam aceitas pacificamente ?? De maneira nenhuma quero incentivar nenhum tipo de vandalismo, mas que estão “zuando” com a cara do pessoal do ABC, isso é fato. Nosso titio “Covas” nos presenteou com as sucatas da Espanha de 2 portas, e nós engolimos, digo nós pois moro em Santo André e uso a linha 10 todos os dias, estão chegando trens novinhos em todas as linhas, inclusive da linha 12, Calmon Viana, e para o ABC….??? Reforma das sucatas. As composições nas demais linhas possuem 8 carros, a linha 10 continua com 6 carros, e para a turma do ABC??? Nada….estamos engolindo seco, mas….Agora para fechar com chave de ouro, cortasse a chegada na estação Luz, era só o que faltava, não é prá menos que o pessoal do ABC explodiu com mais essa. Como o colega disse, desde a criação da São Paulo Railway, nos do ABC temos acesso direto a Luz, mas com o progresso, novas estações, novas linhas, para o povo do ABC, bananas. Cade os projetistas da linha amarela agora, não previram isso???? Alguém se lembra da propaganda da CPTM, onde dizia salvo engano: “De Mauá, até a estação Interlagos, antes 1h30 min., mas agora 55 min. !!! Pois é sumiram com os cartazes. Devem estar recalculando o tempo de viagem: “Antes 1h30 min, agora, no mínimo 2 horas, com acréscimo de 50 baldeações”. Temos que meter a boca no trombone mesmo, inclusive perguntar, aonde vcs vão colocar o expresso ABC ????? Quem sabe através de uma ponte….ponte aérea….

  15. Sérgio - Santo André // 29 de Fevereiro de 2012 às 20:04 // Responder

    Só prá complementar…me veio essa sugestão agora: Atenção pessoal do ABC !!! Vamos aumentar a taxa de natalidade, quem sabe dessa forma, com o aumento da demanda de usuários eles nos devolvam a estação Luz, pois se nós perdemos devido a demanda, vamos correr atrás do prejuízo….cômico se não fosse trágico…

  16. EU DESAFIO “TODOS” MAS TODOS OS ENGENHEIROS QUE ESTÃO TRABALHANDO NA CPTM, A PROVAREM QUE NÃO SÃO MEDÍOCRES E QUE ESTÃO TOTALMENTE COM A RAZÃO. QUERO VER SE ELES SÃO COMPETENTES em RESPONDEREM SEM ENRROLAÇÃO, COMO ATENDER BEM A POPULAÇÃO DO ABC.

    FORA MÁRIO BANDEIRA, FORA GESTÃO INCOMPETENTE, FORA ENGENHEIROS INCOMPETENTES, BASTA, O POVO DO ABC ESTÁ CANSADO DE SER ENRROLADO!!!!!

  17. Se você não concorda com a GESTÃO MÁRIO BANDEIRA então, participe de nosso movimento.
    http://www.facebook.com/groups/188986384539803/
    vamos dar um basta à toda equipe incompetente da CPTM que está acabando com todo um trabalho desenvolvido pelo DR. AVELLEDA. Não permita que transformem a CPTM em CBTU.

  18. Olá,
    Bom dia,
    Moro em São Bernardo e trabalho próximo a estação Berrini – CPTM, pego todos os dias o trem na estação Prefeito Saladino, desço na estação Tamanduateí, pego o metrô da linha verde e na estação consolação pego a linha amarela, neste trecho o caos está instaurado, porque aquela linha amarela está lotada de espaço para vento e não para os usuários, os “colaboradores” daquela linha não sabem organizar o fluxo de pessoas para chegar até a plataforma de embarque, então deixam apenas 1 rampa de acesso para descer sentido linha amarela, não adianta mandar e-mail para a ouvidoria deles, não mudam esse fluxo. Enfim, depois disso desço na estação Pinheiros e pego o trem até a estação Berrini. Caso a CPTM continuasse chegando até a estação Luz, como era antes, todo esse caos e transtorno não seria necessário, sem dizer que não lotaria ainda mais a estação Tamanduateí, uma vez que as pessoas que tomam a linha amarela chegariam até a estação Luz e o fluxo de pessoas seria bem mais fácil. No mínimo quem inventou esse trajeto até somente o Brás não pega o trem no horário de pico, porque essa infeliz de pessoa não pega o trem no horário de pico e tenta fazer a baldeação na estação Brás até a Luz, com o trem que vem de Guaianazes pra lá de lotado??!!!! Aí sim talvez saberia tomar uma decisão mais inteligente!!! Mas o que podemos fazer para que realmente o trecho retorne até a Luz, uma vez que a própria CPTM disse não retorna mais até a Luz, e esse trecho que foi totalmente renovado fica lá agora parado, ou seja, mais uma vez o dinheiro público gasto a toa!!! Abraços e boa sorte para nós!!!

    • Sérgio - Santo André // 7 de Março de 2012 às 16:23 // Responder

      Vera, essa maravilha da tecnologia da linha 4 amarela se deve a “terceirização de serviços”, pois como vc sabe, a linha 4 é uma concessão do Estado por uns 30 anos (me desculpe se estiver enganado), então a empresa fica responsável pela construção e pela operação. Bem, no começo já tivemos alguns exemplos do que iria acontecer, com o desabamento do fosso da Estação Pinheiros…Afinal a terceirização beneficia quem ???? Claro que só o patrão, pois os funcionários ganham abaixo do mercado e a empresa vai se utilizar de equipamentos mais baratos para a operação, no caso, a maravilha tecnológica vinda da China, os trens. Talves por isso estamos vendo o caos que se instalou nas operações do Metro e da CPTM. Isso é que é vantagem, não acha??? Mas vantagem prá quem, pois temos pane constante na linha 4, a linha 3 sobrecarregada no Brás, o corte da linha 10 turquesa até a Luz, coisa de nada mais de 100 anos de operação, e por aí vai….e nós usuários é que sempre pagamos o pato da incompetência….e não só o pato, mas as contas também….

      • Gabriel Garcia // 7 de Março de 2012 às 16:52 //

        Na verdade Sérgio o consórcio que CONSTRUIU a linha é DIFERENTE do consórcio que OPERA a linha. O que construiu foi o Consórcio Via Amarela, enquanto que o operador é o Consórcio ViaQuatro. A Linha 4 teve alguns problemas no início da operação, devido a assimilação da nova tecnologia de controle de trens, a mesma que estará presente nas outras linhas do Metrô, e problemas pontuais, porém menos constante que nas outras linhas, mesmo se tratando de um sistema novo, o que mais do que prova sua confiabilidade em relação aos sistemas atuais do Metrô. Vez ou outra algum problema (por mais pequeno que seja) é escandalizado pela imprensa (principalmente pelo Grupo Folha, incentivado pelo Sindicato dos Metroviários, que é terminantemente contra a concessão). O contrato do Consórcio com o Metrô e o Governo do Estado tem muitos mecanismos que não permitem que equipamentos de segunda sejam comprados para economizar onde não se pode, além de ter uma boa fiscalização, diferente do que ocorre no Rio de Janeiro com a SuperVia, por exemplo.

        Inclusive os trens do Metrô terão o novo sistema de controle, porém continuarão com operador pelos trens ainda contarem com uma cabine separada. Quando estes trens forem baixados da frota (daqui a uns 30 ou 40 anos) os novos não devem vir com cabine, já que devem colocar o sistema driverless funcionando.

    • Vera Santos
      Pergunta de quem não sabe, ok:
      Não seria melhor voce usar o Corredor da Metra para chegar a Estação Berrini?
      Gostaria de saber a razão.
      obrigado

      • Jair
        Imaginei o mesmo.
        Um colega que mora em Mauá e vem para a Berrini garante que é mais rápido pelos metroferroviários.
        De novo(!!) a (falta de) integração. Se a 10 fosse revitalizada e melhor integrada – e não acho que a Luz ATUAL é a melhor alternativa porque está lotadaça – e o Metrô fizesse trabalho melhor na conexão na Pinheiros, a Vera Santos estaria melhor atendida – seu legítimo direito, sempre é bom lembrar.

  19. Luiz Vilela
    É estranho o Corredor ABD não ser a melhor opção, mas,enfim, mesmo tanta baldeação deve ter alguma vantagem.
    Para o Futuro as linhas 9 e 10 chegarão a Estação Agua Branca e aí sim estará resolvida esta integração.
    Apenas aproveitando o espaço, e falando em Corredor, o Expresso Tiradentes foi eleito o melhor transporte de São Paulo, em pesquisa da ANTP, com indice de satisfação de mais de 90% dos usuários, apesar de ter média de 4 passageiros por m2.

    • Jair
      Os ônibus do Expresso Tiradentes têm – aí sim – um “minhocão” só pra eles! Assim fica fácil ser rápido, confortável… É bom para quem usa, mas além da agressão ao meio urbano há o custo muito alto da obra. Uma construção assim num lugar daqueles só fica eficiente com transporte de alta capacidade = Metrô pesado. Mesmo assim, acredito que não compensa o desastre com o meio urbano.

      • Luiz Vilela
        Acho o corredor compativel com o número de usuários e, segundo a pesquisa, estão satisfeitos com a operação.
        São 2 linhas: Vila Prudente/D.Pedro II (viagem de 18 minutos) e Sacomã/D.Pedro II (viagem de 13 minutos)
        Opera 50 veículos: 36 articulados, 10 Bi-Articulados e 4 Hibridos, com saida a cada 2 minutos (Pico) e média de 4pass/m2.
        Quanto a forma construtiva, utiliza-se de viadutos somente onde o viário não permitiu a implantação do corredor paralelo as avenidas.
        Na minha opinião o mais importante é o grau de satisfação dos usuários do Transporte Coletivo, independente do Modal ou forma construtiva.
        abraços

  20. Sérgio - Santo André // 8 de Março de 2012 às 16:24 // Responder

    Gabriel, realmente os consórcios de construção e de operação da linha 4 amarela são diferentes, sendo eles: Consórcio Via Amarela (construção), formado por Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Correa, Andrade Gutierrez e Alstom. Já o Consórcio Via Quatro, do Grupo CCR (operação), é formado por Odebrecht, Camargo Correa e Andrade Gutierrez. Mas que coincidência não ??? Pois é Gabriel, vc ainda acha que não são os mesmos que constroem e que controlam ???? Infelizmente essa é a dura realidade….

    • A participação das empreiteras no consórcio encabeçado pela CCR é meramente pelas ações que elas detêm. Além do mais o acidente foi incompetência do governo em querer reduzir gastos, uma vez que não tinha muitos recursos. Por isso o método construtivo adotado para atravessar o rio não foi o ideal, mas era mais barato.

  21. Vejamos algumas definições básicas de tipos de estações ferroviárias
    1ª Terminal: Composições não tem prosseguimento no mesmo sentido, expl. Júlio Prestes.
    2ª Passagem: Composições tem prosseguimento no mesmo sentido, expl. Luz.
    3ª Mista: Possuem ambas características de terminal e passagem, expl. Barra Funda , Brás.
    Comparando as baldeações no Brás ou Barra Funda vejamos os dois casos;
    1º Linha dez no Brás, os usuários tem as opções de utilizar os trens suburbanos ou metro numa estação de passagem em que ambos, trens e metro estão em um local de demanda máxima no sentido Barra Funda.
    2º Linha sete na Barra Funda, com possível terminal na Júlio Prestes, os usuários tem as opções de utilizar os trens suburbanos ou metro numa estação de terminal em que ambos, trens e metro estão em um local de demanda menor no sentido Luz zona leste, pois estão no contra-fluxo.
    A estação da Luz já estava com seu limite esgotado quando teve por um planejamento mal executado a instalação uma estação subterrânea como terminal da linha-4 Amarela do Metro, sem que a estação Nova Luz estivesse concluída.
    A estação da Luz é uma estação de característica de passagem, e é um desperdício logístico utilizá-la como estação terminal como é a Júlio Prestes, que só tem condições de receber composições provenientes de Barra Funda, se for para usar como terminal, porque não se transferiu a linha 7 para Julio Prestes que fica próxima e esta subutilizada ?

    Algumas das últimas áreas periféricas paralelas disponíveis para estações ferroviárias em SP, como o;
    Iª Pátio do Pari;
    IIª Área entre a estação da Luz e Júlio Prestes no antigo moinho desativado, e recentemente demolido;
    IIIª Priorizar a execução do projeto da Nova estação da Luz, integrando com a Júlio Prestes;
    IVª Cercanias da estação da Mooca até a Av. do Estado na antiga engarrafadora de bebidas desativada no município de São Paulo;
    Vª Prolongamentos de plataformas na Estação da Luz, nos locais não tombados;
    VIª Unificação das linhas 7 e 10, ou seja, exatamente como era em passado recente e que nunca deveria ter mudado, utilizando composições mais potentes, para finalizar a alegação que a potência das composições atuais da linha 10 não é possível vencer a inclinação de linha 7, ou seja, exatamente do mesmo tipo das que são utilizadas hoje da Luz até Francisco Morato, com a aquisição de algumas unidades complementares as existentes.
    VIIª Existe hoje entre as estações do Brás até Mauá uma linha ociosa que no passado foi utilizada como linha expressa com paradas na Luz, Brás, S Caetano, Sto André e Mauá.
    O expresso ABC, é uma outra farsa eleitoreira que se promete no futuro chegar a Luz (que hoje esta suprimida) sem detalhar como será executado, e já tem até um “Morando”em SBC, posando em cartaz como pai desta criança que ainda nem foi concebida.
    Uma vez que fica demonstrado tecnicamente ser esta uma decisão arbitrária devemos sim, levar em conta o lado político na escolha da linha a ser retirada, pois na região do ABC são municípios independentes e seus eleitores não votam na capital, e um histórico de bom comportamento em relação a outras linhas, o que é confundido como usuários satisfeitos.

  22. Passar o final da linha 10 [Turquesa] para a estação do Brás foi ridículo, a decisão mais desacertada dos últimos tempos. Isso atrapalha muito quem tem que ir ao centro da cidade, a transferência para o metrô na luz era muito mais rápida. Quem precisava usar a linha vermelha já descia no Brás e quem usa a linha azul agora ficou sem opção, a não ser fazer uma baldeação a mais. Com certeza os brilhantes engenheiros e diretores que tomam essa decisão ou suas santas mães não usam o trem nem metrô. Boa parte do fluxo se desviou para a estação Tamanduateí, que não tem estrutura para essa demanda, somente uma escada e a plataforma da CPTM mais estreita. O certo é que os trens da linha 10 possam ir ao menos até a Barra Funda, já que podem seguir até pelos mesmos trilhos. Fora corja do PSDB.

  23. Proposta de implantação trens expressos urbanos com composições pendulares de dois andares (double decker) para locais de alta demanda:

    * Expresso Noroeste (Linha 7 Rubi)
    -5 estações (Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Lapa, Água Branca).
    ~183 mil pass/dia (2014)

    Expresso Oeste Sul (Linha 8 Diamante)
    -4 +2 estações (Barueri, Carapicuíba, Osasco e Pinheiros), com previsão de prolongamento até Tamboré e Alphaville.
    ~216 + 44 mil pass/dia (2014)

    * Expresso Sudeste (Linha 10 Turquesa)
    -6 estações (Luz, Brás, Tamanduateí, São Caetano, Santo André e Mauá).
    ~416 mil pass/dia (2014)
    São Paulo Cumbica (Linha 13 Jade)
    -n estações (São Paulo, aeroporto de Cumbica).
    ~80 mil pass/dia (2014)
    *Poderia se reunificar as linhas 7 e 10 entre Mauá e Francisco Morato, como eram antigamente.
    Eis os fatores que justificam a implantação trens de dois andares em algum desses trens expressos;
    – Para a altura da carruagem (h~=4,3m) o cabo de alimentação (catenária) de 3 kVcc x pantógrafo atende, podendo trafegar em linhas convencionais.
    – Poderá existir a necessidade de investimento na repotêncialização de algumas subestações, e a capacidade mínima requerida da via permanente é de 30 t/eixo (cargueiro), sendo recomendável a utilização de trilho TR-65, e dormentes de concreto.
    – Adequação e reforma dos trechos entre as estações Júlio Prestes e Água Branca com a construção da do Bom Retiro.
    – Fornecidos na largura de 3,15 m (padrão) e bitola 1,6 m, não existem necessidades de adaptações nas estações, mesmo sendo os pendulares, pois sua inclinação se dá somente no momento que trafega, (exceto se a estação for curvilínea) não recomendável.
    – Potência= ~ 3000 kW.
    – Atendimento de poucas estações (caso da linha 8).
    – Demanda pequena (no caso das linhas 7 e 8).
    – Existência de linha disponível ociosa entre Mauá e Brás (caso linha 10)
    – Trens de dois andares poderiam transportar 60 % mais passageiros, além da quantidade de composições poderem ser ajustadas em conformidade com a demanda (horários de pico).
    – O nº máximo recomendável de passageiros por m² é de 6 pessoas, (e não 8 conforme indica o Metrô e a CPTM).
    – No mínimo 4 portas por lado semelhantes aos trens suburbanos, sendo que as duas centrais serem bloqueadas para longos percursos.
    – Acesso a cadeirantes e necessidades especiais só no 1º piso, (mesmo sendo as do tipo piso rebaixado).

  24. Poderia levar ele ate a barra funda e a rubi morre na barra funda sendo centralizado tudo lá ! se sobrecarga o problema é do governo que fico 15 anos sem investir na CPTM ! a alternativa são brts emtu !

  25. Historia o trem da foto sempre teve 8 vagões !

1 Trackback / Pingback

  1. Via Trolebus » Linha 10 da CPTM fica no Brás e ponto final

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: