Natal congela passagem de ônibus

ônibus Natal

Ônibus em Natal, Rio Grande do Norte, onde as tarifas devem ficar congeladas em 2012 no valor de R$ 2,20, fixado no último reajuste praticado em 20 de janeiro de 2011. A prefeitura de Natal pode provar que se o poder público participar mais ativamente do custeio dos transportes, não se restringindo a fiscalizar os serviços, mas fazer com que toda a sociedade contribua para os serviços que beneficiam até quem não usa transportes coletivos, por financiamento de gratuidades, integração e redução de impostos, o custo para o passageiro, que hoje arca sozinho por todo o sistema, pode ser reduzido. Mas a população de Natal vê com desconfiança a promessa de congelamento. Não é primeira vez que uma administração diz que ia manter as tarifas de ônibus num mesmo valor e depois, não conseguindo achar fontes de financiamento, acabou permitindo os reajustes no mesmo ano que prometeu o congelamento.

Natal não deve ter reajuste de passagem de ônibus
Tarifa continua R$ 2,20. Para congelar o valor, prefeitura deve desonerar impostos de empresas de ônibus e arcar com itegração

ADAMNO BAZANI – CBN

A Prefeitura de Natal, no Rio Grande do Norte, após reunião com o Seturn – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Natal – decidiu não realizar aumento de passagem de ônibus neste ano.
Segundo o poder público, a tarifa de ônibus municipal em 2012 continua valendo R$ 2,20.
Para manter este valor, a prefeitura dever criar mecanismos de redução de impostos municipais (desoneração tributária sobre as tarifas) e arcar com parte do programa Passe Livre, que permite o uso do segundo ônibus sem pagamento de nova tarifa.
Planilha apresentada pelos donos de empresas de ônibus, pelo Seturn, mostrou aumento nos custos dos transportes principalmente por conta dos combustíveis, aumentos de salários, e renovação da frota.
O conjunto destes custos faria com que a tarifa se elevasse 10,91% passando dos R$ 2,20 para R$ 2,44.
As empresas de ônibus defendiam o aumento pelo fato de as tarifas só terem uma fonte de custeio: os passageiros. O Passe Livre e as gratuidades estavam embutidos no valor pago pelo usuário comum.
A última vez que a tarifa foi reajustada em Natal foi em 20 de janeiro de 2011.
Com a medida, caso o congelamento se mantenha, a prefeitura de Natal pode provar que se o poder público não se restringir apenas a fiscalizar os transportes públicos, mas incentivá-los com recursos de toda a sociedade, que é beneficiada pelos serviços, além de desonerar as operações dos ônibus, o custo para o passageiro pode ser reduzido.
No entanto, a população de Natal diz ver a medida com desconfiança, já que não é a primeira vez na cidade que uma administração promete congelamento de tarifa e depois permite aumentos no mesmo ano por não ter conseguido formas de garantir o pagamento do aumento dos custos de operação transportes.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: