Kassab quer “privatizar” pontos de ônibus e vender propaganda

Kassab propaganda ponto de ônibus

Prefeitura de São Paulo quer passar para a iniciativa privada a troca e manutenção de relógios de ruas, abrigos e pontos de ônibus. Em trocam, as empresas poderão comercializar propagandas nos espaços. O edital deve ficar pronto em 45 dias, se não houver impedimentos. Ao todo serão 11 mil 300 pontos e 7500 abrigos, ao custo de R$ 540 milhões, elevando em 15% o número destes equipamentos, que hoje têm vários modelos, mas que serão padronizados pela proposta. A cidade vai ter mil relógios de rua que vão informar também as condições de trânsito. A instalação dos relógios custará para as empresas R$ 190 milhões de reais. Foto: Adamo Bazani

Propaganda vai renovar pontos de ônibus em São Paulo
Prefeitura abriu consulta pública para licitação de pontos de ônibus e relógios na Capital. Se não houver nenhum impedimento, edital deve ficar pronto em 45 dias

ADAMO BAZANI – CBN

A prefeitura de São Paulo apresentou nesta sexta-feira, dia 13 de janeiro de 2012, proposta para a renovação dos pontos de ônibus e relógios com termômetro.
Tanto pontos como relógios seriam assumidos por empresas, por contrato de 25 anos, que poderiam explorar publicidade nos locais.
Se não houver nenhum impedimento, o edital de licitação deve ficar pronto em cerca de 45 dias.
As empresas serão responsáveis pela troca e manutenção dos relógios e pontos.
De acordo com a Prefeitura, pela proposta, a cidade deve receber mil relógios de rua, 7 mil 500 abrigos de ônibus, 11 mil 300 pontos e 14 mil painéis de informações de linhas e horários para os passageiros do transporte municipal.
Isso deve representar um acréscimo de 15% nos abrigos e pontos de ônibus na cidade de São Paulo.
A cidade tem hoje 290 relógios, uma boa parte quebrada, além de 6.500 abrigos e 11.300 pontos de ônibus.
Só em relação aos abrigos, são 12 modelos diferentes e quatro modelos de pontos de ônibus.
A idéia é padronizar pontos e abrigos, só variando de tamanho de acordo com a demanda que aguarda ou desembarca da condução nos locais onde estão instalados.
Os relógios vão informar, além do horário e da temperatura, as condições de trânsito da cidade.
O custo para implantação dos novos relógios, na ordem de R$ 146 milhões, e dos pontos e dos abrigos, de R$ 540 milhões, será de responsabilidade da iniciativa privada e o dinheiro arrecadado com a publicidade será destinado a manutenção de outros equipamentos públicos, como banheiros, por exemplo.
A partir do anúncio da vencedora, o prazo para substituição e instalação de relógios e paradas de ônibus será de 06 anos.
Os anúncios estarão previstos na lei Cidade Limpa e é proibida a veiculação de propagandas de cigarros e bebidas.
O projeto foi possível depois de o prefeito Gilberto Kassab ter sancionado em outubro de 2011 a lei 15.456 que autorizava o poder público a entregar a iniciativa privada a troca, manutenção e uso publicitário dos relógios, abrigos e pontos de ônibus.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: