ACTROS: UM CENTRO DE TECNOLOGIA PARA O BEM ESTAR DO SER HUMANO

Actros

O experiente técnico em demonstração da Mercedes Benz, João Moita, com 42 anos de boleia, sendo 32 trabalhando para a fabricante, viu e participou da evolução do caminhão no Brasil. Ele dirigiu o clássico 1113, que exigia esforço para o motorista mas era um produto bom para a época, e hoje tem o Actros como xodó, um caminhão que sequer precisa de uso constante dos freios. Foto:Adamo Bazani.

Uma super máquina para o bem estar do ser humano
Assim pode ser classificado o Actros, o caminhão topo de linha da Mercedes Benz. Blog Ponto de Ônibus deu uma volta com o veículo e se surpreendeu

ADAMO BAZANI – CBN

O Brasil é um país rodoviário. A maior parte do descolamento de cargas e pessoas se dá pelas estradas. Muitas rodovias, dignas dos impostos, pedágios e outras taxas pagas pelo cidadão. Outras, verdadeiros atoleiros e lamaçais de descaso.
O fato é que os transportadores de cargas, tanto frotistas como os motoristas, são responsáveis pela manutenção e ampliação do crescimento econômico e social.
Muito mais que transportar cargas, estes profissionais levam sonhos, oportunidades de emprego e renda, o pão na mesa do trabalhador, a tecnologia e até mesmo a beleza de flores, roupas e outros objetos que podem deixar menos cinzento o dia a dia das pessoas.
Sendo assim, tais profissionais merecem reconhecimento e melhores condições de trabalho, além de bom retorno para seus negócios.
E esses são alguns dos objetivos do Actros 2646, caminhão topo de linha, da Mercedes Benz, para aplicações pesadas e extra-pesadas, em viagens de médias e longas distâncias.
Para o motorista, conforto e segurança e para o frotista, certeza de rentabilidade e eficiência pelo maior controle das operações do veículo, da manutenção e até mesmo por poder conhecer e orientar o trabalho do caminhoneiro quando necessário.
Nesta quinta-feira, 15 de dezembro de 2011, a reportagem do BLOG PONTO DE ÔNIBUS deu uma volta num Actros 2646, configuração de cabine Megaspace Segurança (a mais sofisticada da linha do Actros) pelo Rodoanel, trecho Sul, a convite da Mercedes Benz.
Na boléia, o simpático e experiente João Moita. Só de caminhão, ele tem 42 anos na estrada, dos quais, 32 anos trabalhando para a Mercedes Benz.
O técnico em demonstração da fabricante se recorda dos robustos 1113, que exigiam força e destreza do motorista, mas que eram destaque em sua época.
“Acompanhei toda a evolução do caminhão no Brasil e digo: muita coisa mudou. Antes eu descia a Serra pela rodovia Anchieta para Santos (SP) com 12 mil quilos em uma hora e 20 minutos. O percurso todo eu ia freando. Agora, eu faço o mesmo trajeto com 74 mil quilos em 20 minutos sem necessidade de pisar no freio”- diz.
E não é exagero de João Moita.
É possível fazer uma viagem inteira praticamente sem acionar o pedal de freio.
O Actros possui retarder de 5 estágios, top brake (freio motor), acionamento de freio elétrico, sistema ABS (anti-travamento das rodas), ASR (de controle dce tração, essencial para terrenos com pouca aderência), freios a disco em todas as rodas e um inovador sistema de controle de proximidade.
O caminhão possui um radar na sua parte dianteira. Quando acionado, o equipamento verifica a velocidade do veículo à frente e faz com que o Actros circule exatamente na mesma velocidade. Isso aumenta a segurança, diminuindo a possibilidade de colisões traseiras.
Mas o motorista continua sendo soberano. Ele pode acelerar mais que o veículo da frente, porém se o radar verificar que o risco de colisão é maior, pode até parar o caminhão.
Tudo isso, sem acionamento do pedal do freio.
Os itens de segurança não param por aí.
Motoristas de caminhão e ônibus devem estar muito atentos quando param em subidas ou em rampas.

Actros

O Actros 2646, com 456 cavalos de potência e 224 mkgf de torque a 1080 rpm, é todo computadorizado, o que oferece conforto e segurança. Há sistemas que detectam a velocidade do veículo à frente e deixa o caminhão na mesma velocidade, de frenagem automática para situações de risco, que alertam o motorista sobre mudança de faixa inadequada e que evitam a descida do caminhão em retomada de movimento em rampas ou subidas. No painel, o computador de bordo traz várias informações ao motorista, como a previsão para revisão geral e de componentes específicos. Foto: Adamo Bazani

Estes tipos de veículos são muito pesados e a tendência é de que quando estão parados nestes aclives e precisam continuar viagem é de voltarem um pouco para trás.
Isso requer muita agilidade do motorista que deve soltar o freio, engatar a marcha e logo acelerar o veículo.
O Actros possui um sistema de bloqueio de deslocamento em rampa. O caminhão pode ficar por alguns segundos sem marcha acionada e sem aceleração que ele não vai para trás. São os segundos necessários para o motorista ter total controle do caminhão e acelerar novamente, evitando riscos de acidente.
Há também uma câmera no parabrisa que consegue “visualizar e gravar” as faixas da estrada. Se por acaso, o motorista perde o controle do caminhão e invade a outra faixa sem perceber, ou mesmo se vai mudar de faixa, mas se esqueceu de acionar a tão necessária seta de direção, um alarme sonoro logo avisa o motorista. E o mais interessante é que este alarme soa do lado que o motorista está cometendo o erro. Se ele invade inadvertidamente o a faixa à direita, o som é no lado direito. Se a faixa for ao lado esquerdo, o alarme também será neste lado.

CARRO DE LUXO NADA, SOFISTICAÇÃO MESMO É NUMA BOLÉIA:

Quem olha do Actros de fora se impressiona por seu porte. A versão Megaspace Segurança (há também a Conforto e a Megaspace Conforto), testada pelo BLOG PONTO DE ÔNIBUS, já impressiona por sua altura 3 metros 75 centímetros e seu ar robusto, de “forte da estrada”. Os espelhos bem dispostos e abundantes mostram que a segurança é pensada em equipamentos de alta tecnologia, como os sensores de distância ou a câmera que identifica as faixas na estrada, e em detalhes mais simples, como um espelho no vidro dianteiro que dá toda a visão da frente do caminhão. Isso ajuda a evitar atropelamento de pedestres e animais.
Mas dentro da cabine é que dá a sensação de estar num centro de tecnologia sobre rodas.
O volante tem regulagem de altura e profundidade. O banco do condutor também apresenta várias regulagens.
Ao girar a chave, o caminhão “conversa com o motorista”,
No painel, aparecem informações sobre eventuais avarias, problemas mecânicos, temperatura, pressão der ar e até mesmo prazos de revisões, tanto as gerais como as de itens específicos.
“Isso faz com que o dono do caminhão tenha um controle melhor sobre a frota e a manutenção. Se aparece no painel que o caminhão precisa ter o motor revisado em 1 mil e 400 quilômetros, por exemplo, mas é necessário fazer uma viagem de 3 mil quilômetros, a revisão então pode ser feita antes desta viagem, para aumentar a segurança e a produtividade do veículo, o que se traduz em maior rentabilidade, que é o que o dono de frota precisa para tocar seu negócio” – explicou João Moita, o motorista de nossa viagem, técnico em demonstração e com 42 anos de experiência com caminhão.
Boa parte das funções computadorizadas do caminhão é acionada por uma alavanca multifuncional no volante (como se fosse uma alavanca de seta), pela qual, o motorista pode determinar até em qual distância o radar que detecta o veículo da frente deve começar a reduzir a velocidade do Actros.
O dono do caminhão tem em tempo real as informações sobre o posicionamento do veículo, a velocidade, eventuais problemas e até sobre a conduta do motorista.
Por uma central, o controle de tráfego sabe como o caminhoneiro está agindo.
Tudo isso é possível pelo sistema denominado pela Mercedes Benz de Fleet Board, um equipamento instalado no caminhão, que possui um cartão de identificação.

Actros

Fleet Board é um sistema que permite total gerenciamento do caminhão e da condutividade por parte do motorista. Todas as informações operacionais, mecânicas e sobre eventuais problemas que o condutor tem pelo computador de bordo são passadas em tempo real a uma central do frotista. Pelo Fleet Board também é possível saber o posicionamento do caminhão e como ele está sendo conduzido. O motorista ganha notas por seu trabalho, que têm o objetivo não de repreendê-lo, mas de aperfeiçoar o serviço e diminuir gastos, como com peças, combustíveis e pneus, decorrentes de condução inadequada. Foto: Adamo Bazani.

“O Fleet Board chega a dar nota para o motorista, até 10. O objetivo não é apontar erros e humilhar, mas auxiliar o condutor a ser um profissional melhor. E também aumentar a lucratividade do dono do caminhão, boa parte dos gastos, não só com combustível, mas com freios, pneus, desgastes, falta de segurança, etc se dá por uma condução inadequada” – disse João Moita.
O motorista é a essência de um serviço de transportes, por isso, ele merece toda a segurança e conforto.
E isso não falta no Actros.
Há dois sistemas de ar condicionado: o convencional, para quando o caminhão está em movimento e o que funciona por 08 horas seguidas, independentemente de o motor estar ligado e sem gastar a carga elétrica das baterias. Um sistema de tubulação de aço com um gel, que é resfriado no funcionamento do caminhão, garante esse conforto a baixo custo.
O caminhão possui camas com uma inovação desenvolvida pela NASA. É um conjunto de apoio do colchão, como um estrado inteligente, que identifica o peso e a forma do corpo e se ajusta da maneira mais confortável para o motorista.
A Mercedes Benz oferece no pós venda 5 mil peças a pronta entrega do caminhão e treinamento específico para os motoristas aproveitarem melhor os recursos oferecidos pelo Actros,que possui motor MB OM 501 LA, de 456 cavalos de potência, torque de 224 mkgf a 1800 rpm. Isso garante ao Actros possibilidade de tracionar até 80 mil quilos, em diversas aplicações. Há o Actros que poder ser usado fora de estrada, como para mineradoras e indústrias petrolíferas.
O momento é bom para o mercado de caminhões. O aquecimento da economia aumenta o consumo e a necessidade de transportes de mercadorias. A modernização nas cidades, inclusive dentro do contexto da Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016, trazem mais demanda para o setor de construção civil e maior necessidade do uso de caminhões.

ACTROS

O conforto e o bem estar do motorista refletem em produtividade e conservação do veículo. E isso não falta no Actros. Ar condicionado convencional e noturno, que funciona independentemente da atuação do motor, vários porta objetos, bancos e volante com ajustes reguláveis e uma cama com um sistema de acomodar o corpo desenvolvido pela NASA fazem o caminhão dar um banho em muito carro de luxo. Foto: Adamo Bazani.

Em 2012, o Actros começa a ser produzido na unidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.
Ele seguirá, por lei, os novos padrões de redução de emissão de poluentes do Proconve P 7 (que segue as normas da Euro V) e usará a tecnologia BlueTec 5, com a adição de ARLA 32 – Agente Redutor Líquido Automotivo,com 32% de uréia industrial, um fluido adicionado no sistema de escape que reduz por uma reação química os poluentes do diesel.
O cliente do Actros normalmente é o grande frotista, mas o veículo é feito mesmo para o ser humano. A segurança do motorista e dos demais ocupantes dos outros veículos ao redor.
É uma forma de oferecer ao motorista melhores condições de trabalho,como explica João Moita.
“Toda essa tecnologia ajuda e muito o motorista, facilita sua vida, mas não substitui esses guerreiros da estrada que sempre estarão no comando, muitas vezes longe de suas famílias, dos seus lares, mas na maravilha que é a estrada. Por isso, amor e respeito ao próximo são itens que devem ser de série em todo o motorista, principalmente o profissional” – disse o experiente e apaixonado pelo trecho João Moita, que não trocaria a estrada por nenhum trabalho em escritório.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

5 comentários em ACTROS: UM CENTRO DE TECNOLOGIA PARA O BEM ESTAR DO SER HUMANO

  1. EXCELENTE O TEXTO E AS INFORMÇÕES SOBRE MAIS ESTE LANÇAMENTO DA MERCEDES-BENZ. A TECNOLOGIA APLICADA AO VEÍCULO IMPRESSIONA BASTANTE ASSIM COMO A BELEZA CARACTERÍSTICA DOS PEOSOS PESADOS MERCEDES-BENZ. SOU UM FÃ DA MARCA E SMEPRE QUE VEJO UM CARRÃO DESSES FICO MAIS ADIMIRADO AINDA…
    ADOREI!

  2. Obrigado Rômulo.

    Confesso que paixão mesmo eu tenho por ônibus,mas diante de uma máquina dessa, não tem como ficar surpreso.

    No teste, ele tava levando 45 toneladas de brita….nem dava para perceber, parecia que estava vazio, de tão forte o motor

  3. Realmente um maquinão que tive a oportunidade de ver na Fenatrans. Espero que esta máquina consiga superar as expectativas, pois com este produto ele pode encostar na Scania e Volvo. Mas mesmo assim Mercedes que se cuide, vem ai a DAF holandesa, e as chinesas.
    Parabéns pela matéria amigo Adamo

    Abraços

  4. esse actros 2646,já tinha visto no”Auto Mais”no ano passado(2010)na Redetv.esse caminhão impressionou até os apaixonados por carros.Benê Gomes(q fez o tste),quase levou um desse pra casa(risos).agora,mencionaram o lendário 1113.esse chassi equipou tambem os onibus urbanos nos anos 70 e 80.um caminhão clássico q exigia talento do motorista(os onibus tambem).e seus motores falavam alto,em termos de barulho.hoje,tá”mamão com açucar”dirigir um caminhão!

  5. é Teste.esqueci do E(risos)!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: