TRANSPORTE NA COPA: Muito mais que modal, qualidade e capacitação humana no setor

Transporte para a Copa

Ônibus em São Paulo, cidade onde será aberta a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. É bem verdade que os cidadãos precisam de transportes de qualidade independentemente de haver um evento mundial, mas as cidades precisam se preparar também para atrações com esta. Quando se fala em transporte nas cidades-sede da Copa do Mundo, logo se fala em grandes obras e começam as discussões sobre quais os melhores modais e investimentos. Mas pouco se fala sobre a capacitação dos profissionais do setor. Pensando nisso a CNT e o Sest / Senat lançam o Programa Transporte na Copa, que vai oferecer gratuitamente cursos para motoristas de táxi, ônibus, cobradores, agentes e atendentes que vão desde dirigibilidade mais segura até atendimento ao cliente e noções de inglês e espanhol. Foto: Adamo Bazani

Transportes na Copa e atendimento com qualidade
CNT e Sest vão oferecer cursos para profissionais de transporte nas 12 cidades-sede que vão ter jogos do mundial

ADAMO BAZANI – CBN

O cidadão merece qualidade nos transportes independentemente de haver jogos ou eventos internacionais no País.
Mas é inegável, até mesmo pela defasagem dos sistemas, que para receber estas atrações, as cidades precisam se preparar. Claro, aproveitar os recursos e a maior participação do Governo Federal nos transportes urbanos, que antes era quase inexistente, para atender aos torcedores mas deixar o tão comentado legado da Copa. Afinal, a Copa dura um mês já o cidadão contribuiu por toda a vida.
Muito se fala em sistemas de transportes nas cidades-sede do mundial e as discussões são longas: o melhor é o BRT (Corredores de ônibus rápidos), o monotrilho ou o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos)? Como devem ser investidos os recursos? Quais as melhores linhas?
No entanto, pouco é discutido um assunto muito importante: como qualificar os profissionais de transportes para esta nova fase da mobilidade que pode se consolidar com a Copa do Mundo de 2014?
Afinal, os transportes não são feitos apenas por ônibus, metrô, trens ou qualquer outro veículo, mas acima de tudo, por seres humanos. A falta de qualidade no relacionamento com o passageiro e a má postura profissional podem frustrar qualquer modal hiper tecnológico.
Pensando nisso, na necessidade de capacitação profissional, vai ser lançado nesta quinta-feira, dia 01º de dezembro o programa “O Transporte na Copa”.
O programa é uma iniciativa da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) e pelo Sest / Senat (Serviço Social do Transporte / Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte).
O objetivo é capacitar profissionalmente os trabalhadores no setor de mobilidade.
Serão ministrados cursos para taxistas, motoristas de ônibus urbanos, motoristas de ônibus de turismo, cobradores, agentes de turismo, de atendimento, de bordo e demais pessoas envolvidas no atendimento aos clientes dos transportes.
Entre os temas abordados estarão direção defensiva, atendimento ao cliente, qualidade de prestação de serviços, cidadania, noções de meio ambiente, comportamento no trânsito e idiomas, em especial inglês e espanhol.
Os cursos são de graça e variam entre 100 horas e 380 horas/aula. As inscrições podem ser feitas nas unidades do Sest / Senat de cada cidade.
As aulas serão realizadas nas unidades de cada cidade-sede: Natal (RN), Recife (PE), Brasília (DF), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (BH), Cuiabá (MT), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Paulo (SP) e Manaus (AM).
E assim como uma linha de metrô, de um VLT ou BRT devem ficar como legado para depois da Copa, a capacitação também deve servir para o cidadão como um todo e não apenas para o turista. A ideia também é transformar estes profissionais em multiplicadores e levar os conhecimentos obtidos nos cursos aos colegas de trabalho.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em TRANSPORTE NA COPA: Muito mais que modal, qualidade e capacitação humana no setor

  1. Como educador e busólogo só tenho dizer que essa iniciativa é bem vinda, pois independeste do evento Copa do Mundo ou mesmo Olimpíadas em 2016, faz-se necessário esse tipo de formação devido ao fato de hoje não só a economia, mas o mundo globalizado exige cada vez mais o conhecimento assim como a inclusão de todos os cidadãos do mundo, ou seja, se a gente voltar no tempo veremos que antes transportar pessoas em ônibus resumia-se apenas em levar e trazer trabalhadores da casa para o trabalho e vice versa. Hoje os modais ônibus, metrô, trem, entre outros estão inseridos na dinãmica economica da cidade. Ocorre que é possível por exemplo turistas utilizarem transporte público para fazer um tour pelas cidades, além de mais barato é possível também interagir com a vida da cidade, outro fator é que mesmo o trabalhador atualç indo e vindo do trabalho para casa possui um nível de informação maior assim como no contexto atual ele é portador de direitos, nisso podemos dizer que de fato tem que tr um transporte de qualidade, afinal ele paga por isso. Um ultimo fator é que as necessidades especiais (idosos, portadores de deficiencia fisicas e visuais) sejam vistas como direitos de fato e não como benevolencia e que isto já é um fato no mundo inteiro, digo isto porque ainda é comum por exemplo: ” motoristas verem os idosos como pessoas que não tem o que fazer e ficam andando de ônibus pra cima e pra baixo”, claro que não estou generalizando, mas ainda existe isto, por outro lado vemos empresas de ônibus bem adiantadas nesse quesito da inclusão e bom atendimento ás necessidades especiais, mas também ja vi cobradores com dificuldade de entender um estrangeiro que queria saber se aquele ônibus passava pela Av. Paulista, creio que as noções de ingles e espenhol ajudam bastante visto que é comum ver estrangeiros andar nos nossos ônibus, e mais legal é que muitos adoram andar nos nossos ônibus. Pra concluir tai uma boa iniciativa. Forte abraço.
    *PS- Adamo a entrevista repercurtiu ótimamente bem, fui elogiado e convidado para falar sobre o assunto com os demais colegas de trabalho.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: