BELARMINO MARTA JÚNIOR E OUTROS EMPRESÁRIOS SOLTOS. Testemunhas confirmam suposto esquema de fraudes em licitações. Empresários negam.

prisão empresários de ônibus

Empresários e funcionários de companhias de ônibus acusados de fraudes em licitações de transporte fretado em Campinas foram soltos. Testemunhas disseram que esquema realmente existia e que as empresas menores que não participavam sofriam ameaças e retaliações. Empresários negaram. Advogado de Belarmino Marta Júnior afirmou que não havia fraudes, mas que por ligações comerciais e familiares em alguns casos uma empresa não concorria com a outra. Imagem EPTV de Campinas.

Belarmino Júnior é solto e nega envolvimento em suposto esquema de fraude em licitação
Ministério Público não pediu prorrogação da prisão temporária dele e de outras seis pessoas detidas em operação

ADAMO BAZANI – CBN

O empresário de ônibus Belarmino Marta Júnior, preso na sexta-feira dia 30 de setembro em operação do Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado, Gaeco, do Ministério Público em Campinas e Região e da Polícia Civil, negou as acusações de que comandaria um suposto equema de fraude em licitações de serviços de ônibus por fretamento.
A prisão temporária, de cinco dias, venceu nesta terça-feira, dia 04 de outubro de 2011, e o Ministério Público não pediu a prisão preventiva, que é aquela que vai até o final do processo, se não houver nenhum tipo de recurso por parte da defesa.
Além de Belarmino Marta Júnior foram presos e tiveram o tempo de prisão esgotado, Miguel Moreira Júnior, dono da Transmimo, Ariovaldo Marta Maiçara, dono da Capelinni Turismo, José Brigeiro Júnior, dono da Exclusiva, Rosa Maria Júlio Landin, assessora da diretoria do Sinfrecar – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento de Campinas e Região, Cássia Eliana Turini, funcionária da Transmimo e Fernando Antônio Rossi, funcionário da Capelini.
Eles também negaram que existissem fraudes e ameaças a empresários concorrentes.
A operação que resultou na prisão temporária teve origem em denúncias apresentadas pelo empresário de João Henrique Poppi, dono da Expresso Poppi, que disse que foi ameaçado e sofreu retaliações de agentes públicos por não ter participado das supostas fraudes.
Mesmo com término da prisão preventiva, as investigações continuam.
O Ministério Público apura que havia uma espécie de acordo e organização dos empresários que combinavam preços, ofertas e a distribuição de serviços, o que na prática, anulava a concorrência nas licitações.
Havia também uma espécie de cadastro no Sinfrecar onde eram listadas as linhas de preferência dos empresários. O dono de empresa de ônibus que quisesse determinada linha, combinava com os companheiros de esquema que, por sua vez, ofereciam valores muito altos para que o empresário ganhasse ou renovasse a linha. O favor depois era retribuído com o mesmo mecanismo.
Ainda segundo as apurações, a vítima principal foi a Unitransp, a diretoria de transportes da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp.
O advogado de Belarmino, Ralph Tórtima Stettinger Filho, desqualificou as denúncias do empresário João Henrique Poppi e negou fraudes em licitações.
Ele disse que apenas por relações comerciais e familiares entre as empresas, uma decidia não concorrer com a outra. Isso teria ocorrido em “poucas licitações”, conforme disse o advogado.
O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento de Campinas e Região (Sinfrecar) disse que desconhece a participação de funcionários da entidade e de empresas associadas em práticas ilegais. Mesmo assim, em nota, anunciou que vai apurar o caso por uma sindicância.
De acordo com a EPTV, filial da Rede Globo, em Campinas, cinco funcionários de outras duas empresas de ônibus, além da Expresso Poppi, confirmaram que as viações que não entravam no suposto esquema que envolvia a Rápido Luxo, Transmimo e Exclusiva, entre outras, sofriam ameaças e eram retiradas do mercado.
Os depoimentos foram prestados aos promotores do Gaeco, do Ministério Público, em Campinas e região.
Eles deram detalhes do suposto esquema de acordo entre as viações e disseram que só poderiam participar das licitações, na prática, as companhias que eram filiadas ao Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento de Campinas e Região (Sinfrecar).
Quem não era filiado e tentasse participar dos certames sofira perseguição.
Estas novas testeminhas disseram que funcionários públicos da Emdec (Empresa de Desenvolvimento de Campinas) também eram envolvidos no suposto esquema e que realizavam ações até onde não deveriam. Foram citados os atos de constante fiscalização por agentes da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) em locais onde eles não poderiam atuar como a estrada conhecida como Tapetão e a rodovia Anhanguera em Campinas, que são de responsabilidade da EMTU(Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) e da Polícia Rodoviária.
Ficará preso apenas o funcionário da Capellini Fernando Rossi, que se apresentou apenas na segunda e permanece por mais quatro dias.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

10 comentários em BELARMINO MARTA JÚNIOR E OUTROS EMPRESÁRIOS SOLTOS. Testemunhas confirmam suposto esquema de fraudes em licitações. Empresários negam.

  1. Estamos no Brasil, querer licitações sérias é pedir muito… Vide um consórcio ae em SP, famoso…

  2. O sr Belarmino é um grande empresário de sucesso um grande empreendee e empregador, com isto surgem pessoas de má fé querendo fazer o mal e usam artificios baixos e inescrupulosos como o que ocorreu neste episódio.
    Força sr Belarmino que estamos com você, com certeza superará este desafio posto pos pessoas inescrupulosas e sairá como vencedor como o sr. sempre foi

  3. Desejo boa sorte,e que isso se resolva o mais rápido possivel!!!

  4. Á TODOS OS INTERESSADOS
    Visitem a pagina do Yotube com o seguinte titulo: 3reais-homenagem ao consorcio leste 4
    e vejam que maravilha.
    Abraços,

  5. Favor enviar seus comentarios e ou opiniões a respeito.
    Afonso Silva

  6. eleandrios vieira ramos // 8 de outubro de 2011 às 00:24 // Responder

    sr belarmino espero que o senhor supere mais esta batalha pois o susseso o sr sabe fazer um abraco

  7. Amigos, bom dia

    Mais uma PIZZA!

    Muito obrigado
    Paulo Gil

  8. ladroes

  9. Já fui funcionário do grupo e o Sr. Belarmino jamais estaria envolvido nessa sujeirada toda, é uma infelicidade que pessoas da própria família envolvidas. Espero que não acabe tudo em pizza, um caso que lembrou bem o escândalo da Schincariol em 2006.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: