ÔNIBUS EM CAMPINAS POLUI MAIS

ÔNIBUS DE CAMPINAS - VB

ônibus intermunicipal de Campinas. A Região Metropolitana de Campinas foi a que teve o pior índice em relação às medições de poluição realizadas pela EMTU - Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos. Foram analisados ônibus intermunicipais e de fretamento. Os índices de reprovação chegaram a 30%. Em São Paulo, este índice foi de 5%. Para a EMTU, a principal causa é a falta de cuidados básicos na manutenção dos veículos, como troca de óleo e de filtro de ar, limpeza dos bicos injetores e regular a bomba injetora. Foto: Sandro Alves. A FOTO É ILUSTRATIVA E A MATÉRIA NÃO SE REFERE NECESSARIAMENTE A ESTE VEÍCULO.

Índice de reprovação dos ônibus na Região Metropolitana de Campinas é o maior do Estado
EMTU reprovou 30% dos ônibus na medição de emissão de poluentes. A aferição foi feita em veículos de fretamento e que servem linhas regulares
ADAMO BAZANI – CBN
Os ônibus de Campinas e região Metropolitana emitem mais poluentes do que os veículos de transporte coletivo das outras duas regiões metropolitanas do Estado, a de São Paulo e a da Baixada Santista.
As medições de emissão de poluentes realizadas pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos reprovaram 30% dos veículos analisados, que fazem o transporte metropolitano der passageiros. Foram verificados 148 ônibus.
Já em relação aos ônibus de fretamento, o índice de reprovação ficou em 21%. Todos considerados muito altos para a EMTU. Na região Metropolitana de São Paulo, por exemplo, a reprovação dos veículos quanto a emissão de poluentes ficou em 5%.
Os testes foram realizados por um opacímetro, material que determina a quantidade de fumaça preta dos veículos. Quanto mais escura, maiores as possibilidades de conterem materiais particulados e substâncias prejudicais ao meio ambiente.
Além do combustível de má qualidade, a EMTU aponta como principal causa dos níveis de poluição estarem acima do permito, a manutenção inadequada dos veículos, principalmente em componentes simples como bombas e injetoras desreguladas, bicos injetores que não são limpos, filtro de ar e óleo do motor com a data de validade ultrapassada.
Quando há irregularidades, as empresas são notificadas para fazerem a correção. Depois de sete dias é realizada uma nova vistoria nos veículos. Se o ônibus continuar emitindo poluentes acima do permitido, a empresa é multada em R$ 340,00 e o ônibus só pode ser liberado caso o problema seja solucionado.
Em época de mais apelo à preservação ambiental, pelo maior necessidade já que a poluição a cada ano tem feito mais vítimas e ocasionado mais gastos aos cofres públicos, com empresas de ônibus se esforçando para terem destaque nesta área, os números de Campinas e Região Metropolitana são considerados desanimadores.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em ÔNIBUS EM CAMPINAS POLUI MAIS

  1. Bom dia.

    Prova de que nos iludimos facilmente com ônibus novo, mas, esquecemos de ver como andam as coisas por debaixo do caput.

    Abçs.

  2. Aqui em SP eu acho q o transporte publico tem melhorado bastante, porém o q me irrita é q vao diminuindo cada vez mais o numero de bancos.. e os passageiros tem q andar de bus em pe.. td pra q se possa transportar mais pessoas em onibus superlotados.. eu acho isso um absurdo.. de q adianta onibus confortaveis se nao somos transportados q nem sardinhas…?
    ricarducampos.blogspot.com

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: