ANIVERSÁRIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO: 458 ANOS E TRANSPORTES

São Bernardo do Campo

Ônibus da empresa pública da cidade ETCSBC, que foi criada em 1989 para melhorar os transportes municipais. Com o tempo começou a apresentar problemas de gestão e viabilidade financeira. A lataria dos ônibus foi palco de disputas políticas. Enquanto era de administração petista, a cor predominante era vermelha. Mudada a gestão, os ônibus começaram a ser verde e branco. A foto dos anos de 1990 mostra a transição. A ETCSBC começou a ser privatizada em 1996. Acervo : Waldemar de Freitas Júnior.

São Bernardo 458 anos se prepara para o futuro dos transportes
Cidade foi construída com muito trabalho e o papel de transportadores simples foi fundamental para que São Bernardo projete o futuro da mobilidade

ADAMO BAZANI – CBN

São Bernardo do Campo é a única cidade do ABC Paulista que está incluída no PAC – Programa de Aceleração – da Mobilidade.
O programa, para preparar as cidades com vistas à Copa de 2014 e às necessidades de melhores sistemas de transportes, contempla municípios com população superior a 700 mil habitantes.
De acordo com o censo do IBGE de 2010, São Bernardo possui mais de 765 mil moradores.
A cidade caminha para a modernização do sistema de transportes, uma carência antiga para dar conta do crescimento populacional e das novas atividades econômicas, que exigem mais deslocamentos pela área urbana. Isso porque, mesmo tendo vocação industrial, São Bernardo do Campo agora conta com vários negócios na área de serviços. Assim, as viagens na cidade e os horários de entrada e saída dos trabalhadores nos serviços se diversificaram.
Apresentando uma das situações mais complicadas de trânsito, é nos transportes públicas que São Bernardo do Campo vê a solução para que os cidadãos tenham o direito de ir e vir assegurados. Vias centrais como Avenida Brigadeiro Faria Lima, Rua Marechal Deodoro, Rua Jurubatuba e Avenida Pereira Barreto praticamente não têm mais horário de pico.
Entre os projetos para São Bernardo do Campo na área dos transportes está o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que quando completo deve ligar a região do Alvarenga, passando pelo Centro, até o Tamanduateí, na Capital Paulista. A obra está prevista no PAC da Mobilidade e a primeira fase, entre o Centro de São Bernardo, passando por Santo André e São Caetano do Sul até Tamanduateí deve ser concluída em 2014 e custar R$ 2,8 milhões.
Uma das mais importantes ligações de transportes públicos de São Bernardo do Campo, o corredor ABD, de trólebus e ônibus operados pela Metra, que agiliza os deslocamentos da cidade para os municípios vizinhos como Diadema e Santo André e para a Capital Paulista, passa por constantes evoluções. Palco de desenvolvimentos bem sucedidos de tecnologias limpas para transporte público (foi o primeiro sistema do mundo a ter operando comercialmente um ônibus elétrico híbrido articulado, em 1999), o Corredor ABD deve ter a rede de trólebus repotencializada. Isso deve diminuir quedas de energia e possibilitar um maior número de trólebus no corredor: veículos limpos, sem emissão de poluentes, mais confortáveis e silenciosos.
A Eletra, empresa de tecnologia elétrica para transportes, do mesmo grupo empresarial da Metra, conseguiu converter dois ônibus diesel nacionais em trólebus, ou seja, possibilitou a colocação de mais veículos limpos em serviço e em verdadeira substituição ao diesel, já que não foi apenas uma compra de um tolebus novo, deixando um ônibus disel no mercado podendo poluir em outro lugar. Literalmente a tração poluente deu lugar ao meio de transporte mais limpo. Atualmente, a Eletra estuda a conversão de um ônibus articulado diesel importado da Alemanha, da marca MAN, que deve unir a qualidade européia dos ônibus com a criatividade e o desenvolvimento tecnológico do Brasil.
O consórcio operador da cidade, SBCTrans, que detém todas as linhas municipais de São Bernardo do Campo desde 1998, tem renovado constantemente a frota. Destaque para os ônibus de grande porte de 15 metros de comprimento, com três eixos, que possuem capacidade bem maior de transporte e podem substituir vários veículos de passeio.
Todas essas perspectivas de desenvolvimento têm uma base e não surgiram do nada. São frutos de muito trabalho e esforço no setor de transportes. Famílias pioneiras, como Romano, Setti & Braga, Locosselli, Fogli entre outras operaram ônibus desde o tempo que São Bernardo ainda não era o palco da indústria automotiva.
A família Setti liga São Bernardo do Campo às outras áreas do que é hoje ABC Paulista desde os anos de 1920. Com jardineiras, ônibus rústicos de madeira sobre chassis de caminhão, enfrentava ruas de terra, lama e atoleiros e ligava a Villa de São Bernardo (hoje centro da cidade) até a Estação de São Bernardo da São Paulo Railway, hoje Estação Prefeito Celso Daniel, em Santo André. Até 1938, o município de São Bernardo do Campo abrangia praticamente toda a região do ABC Paulista. A ligação se dava pela atual Avenida Pereira Barreto, onde também operava um sistema de bondes da família Pujol, os bondinhos do Pujol.
Com o desenvolvimento de São Bernardo do Campo, que entre os anos de 1920 e 1950 foi considerada a capital moveleira do País, fazendo móveis simples e de luxo para todo o Brasil, novas empresas e famílias respondiam ao crescimento rápido de São Bernardo do Campo, que se intensificou depois da instalação da indústria automobilística.
Empresas como Expresso SBC, Auto Viação ABC, Transbus, Viação Cacique, Viação Riacho Grande, Viação Triângulo, Expresso Rudge Ramos, Viação Padroeira do Brasil (que servia a região do Rudge Ramos ligando-a a São Paulo e Santo André), marcaram a história do desenvolvimento da cidade e permitiu que milhões de pessoas ao longo do tempo tivessem acesso ao emprego, renda, lazer, diversão e educação.

São Bernardo do Campo

São Bernardo do Campo deve seu crescimento até agora aos transportes e as soluções dos desafios urbanos atuais também devem passar pelos transportes públicos. Al´pem do VLT do ABC e a repotencialização do corredor de trólebus, a empresa Metra e a Eletra, especializada em tecnologia, investem em novas gerações de ônibus elétricos, a partir da conversão de veículos diesel convencionais para os de tração limpa. Este ônibus foi importado da Alemanha para em São Bernardo ser transformado em trólebus unindo as tecnologias européia e brasileira. Adamo Bazani.

Um dos capítulos da história dos transportes de São Bernardo mais marcantes foi a criação da ETCSBC – Empresa de Transportes Coletivos de São Bernardo do Campo. A ETCSBC teve origem em agosto de 1989, na gestão do então prefeito Maurício Soares, à época do PT. Naquela ocasião várias cidades optavam pela chamada “municipalização” dos transportes coletivos como tentativa de solução para problemas como lotações, atrasos e frota antiga. Os ônibus totalmente vermelhos da ETCSBC começaram a rodar no lugar das empresas particulares. A opinião pública na época dizia que a cor do ônibus tinha cunho político. Então a pintura foi mudada quase no final da gestão de Maurício Soares, que durou entre 1989 e 1993, para branco na saia (parte inferior da lataria, na altura das rodas) e vermelho na blusa (parte superior ao friso que passa próximo às rodas).
O modelo de operação pública que inicialmente chegou a agradar a população começou a apresentar problemas de gestão. Os gastos eram maiores que a arrecadação, dinheiro de impostos saía para cobrir rombos nos cofres da empresa e a frota começou a apresentar problemas. O sucessor de Soares, Walter José Demarchi (gestão 1993 e 1997) chegou a expor a carcaça de um ônibus da ETCSBC numa praça no bairro de Rudge Ramos, com os dizeres: Isto é prova da Incompetência. A empresa pública acabou sendo palco de rivalidade política. A tonalidade vermelha dos ônibus deu lugar a uma pintura verde e branco. Os ônibus novos da empresa, os Mafersa M 210 Turbo, recebiam também em tons verdes uma pintura com grandes flores do tipo margarida. Pela pintura eram chamados de “Mafersa Doriana” em alusão ao layout do pote da margarina com este nome.
Mas a situação da ETCSBC como operadora começou a ficar insustentável. Assim, em 1996 foi dado início ao processo de licitação. Parte das linhas da empresa foi assumida pelo Consórcio ABC – Riacho Grande, criado em maio de 1996. O Consórcio tinha 50 ônibus da Auto Viação ABC e outros 50 da Viação Riacho Grande. Os ônibus tinham cores amarelas bem forte.
No ano de 1998 assumia definitivamente os transportes da cidade, com 300 ônibus operando mais de 50 linhas, o Consórcio São Bernardo do Campo Transportes, SBCTRans, que opera hoje na cidade.
Em 1999, a SBCTrans,m como é chamada, foi uma das pioneiras no ABC Paulista a introduzir micro-ônibus mais ágeis e financeiramente mais compatíveis em linhas de menor demanda, mas que não poderiam deixar de ser atendidas. Os micro-ônibus também foram um instrumento importante no combate ao transporte clandestino na cidade.
São Bernardo do Campo sempre teve uma vocação para os transportes. Desde o século XVI era um dos principais pontos de passagens para os tropeiros que iam do Litoral para o Planalto assim como para os bandeirantes.
Os 458 anos se referem à data da criação da Vila de Santo André da Borda do Campo, de João Ramalho.
Mas de acordo com estudos, São Bernardo é mais recente e seus primeiros povoamentos provém justamente da rota destes tropeiros que usavam a cidade para descanso.
Mas foi no ano de 1717 que hoje a cidade começou a ter as primeiras características de habitações de vila. Neste ano, em sua fazenda, os monges beneditinos ergueram uma capela à São Bernardo. O local ficava próximo ao ribeirão dos meninos, hoje Rudge Ramos.
Os monges desenvolviam atividades econômicas o que atraía população para o redor da capela.
No entanto, por estar em uma terra particular, o povoado não poderia ser oficializado. Assim, no início do século XIX foi transferido para as margens do velho Caminho do Mar até que em 1812 foi elevado à Freguesia.
No ano de 1877, a fazenda dos monges foi desapropriada pelo governo que criou no local o Núcleo |Colonial de São Bernardo do Campo, abrigando vários imigrantes, a maioria italianos. Inicialmente foram criadas 15 linhas coloniais que mais tarde deram origem aos bairros mais antigos de São Bernardo do Campo. São Bernardo que abrigou a criação de uma das primeiras represas de São Paulo, a Billings e a inesquecível Vera Cruz, que demonstrava que o País há muito tempo tem capacidade para cativar o mundo pela arte do cinema.
Esta São Bernardo do Campo, rica em recursos financeiros, rica em cultura, rica pelo seu povo cresceu pelos transportes e é nos transportes que vai encarar os novos desafios para as grandes cidades.
Adamo bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

3 comentários em ANIVERSÁRIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO: 458 ANOS E TRANSPORTES

  1. Amigos, boa noite.

    PARABÉNS S.B. CAMPO!

    Já morei no Taboão, mas o Buzão ali era “trash”; nem número da linha tinha.

    Tive muito trabalho para fazer com que indicassem o número da linha no buzão.

    Perto do corredor ABCDM-ZL, vai, mas nas quebradas….

    Hoje não sei como está mas não deve ter melhorado muito não.

    Muito obrigado
    Paulo Gil

  2. Oi Àdamo, hj vivemos em um tempo bem diferente de 10 15 anos atrás muitas coisas mudaram, akele transporte que tínhamos, por todas as dificuldades inda sim era descente, hj vemos que a preocupação política e a falta de interesse na melhoria fez com que akela identidade que tínhamos em poder pegar um onibus para o nosso bairro, marcasse a nossa memória, hj naum, é essa coisa de tudo igual, tudo com a mesma cor, nada que faça com que as novas gerações possa ter um saudosismo sadiu, hj moro aki em São José do Rio Preto, e a partir de Outubro, começará a funcionar o novo modelo de transporte municipal, nada ke vá melhorar muita coisa, aí vemos mais uma vez a força política através de padronização de cor única chegando por aqui no interior de nosso estado. abs.

  3. Adamo, parabéns pela sua descrição histórica do transporte publico de São Bernardo do Campo.
    Atualmente trabalho na ETCSBC e estou fazendo também, um trabalho acadêmico sobre a empresa e suas informações foram muito uteis para realização do mesmo. Continue sempre com o brilhantismo de suas informações que muito acrescenta ao conhecimento sobre transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: