VIOLÊNCIA EM TRANSPORTES COLETIVOS: 100 ASSALTOS POR MÊS EM SALVADOR

AXÉ

Ônibus da Axé, a empresa que registrou o maior número de assaltos neste ano. foram 68. somadas as ações contra todoas as outras empresas, já são mais de 680 roubos a ônibus este ano. Mas o número pode ser maior ainda, de acordo com a própria polícia. Isso porque a maioria das ações que são registradas são aquelas contra o caixa do veículo. Roubos a passageiros individualmente são pouco registrados. Por falta de tempo e pelo baixo valor das quantias levadas, as pessoas deixam de fazer o Boletim de Ocorrência o que prejudica a polícia no mapeamento das ações. Mesmo assim, os policiais já sabem, as empresas, as linhas e as regiões onde há maior incidência. A participação de mulheres e adolescentes chama a atenção. Uma das quadrilhas era formada por jovens com idades entre 12 e 13 anos e chefiada por uma garota de 16 anos de idade.

Cem ônibus são assaltados por mês em Salvador
Somente entre janeiro e agosto foram 684 ações criminosas somente em veículos urbanos de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia
ADAMO BAZANI – CBN
Se a violência a qual estão submetidos os passageiros de ônibus no Rio de Janeiro veio a tona novamente com o sequestro na região central da cidade na terça-feira da semana passada de um ônibus da Viação Jurema, outras grandes cidades também apresentam números alarmantes.
Em um ano no Rio de Janeiro são registrados cerca de 7 mil assaltos.
Em Salvador, a média de assaltos a ônibus por mês é de 100 atos criminosos.
Os dados são da própria Secretaria de Segurança Pública do Estado e foram levantados pelo jornal Correio da Bahia.
Só este ano, entre janeiro e a quinta-feira passada, dia 11 de agosto, foram 684 assaltos. São pelo menos três por dia que submetem os passageiros não somente aos riscos de perder a vida e de ferimentos, mas à humilhação, pela postura arrogante e agressiva dos assaltantes que parecem ter certeza da impunidade.
Os roubos têm crescido mês a mês. em fevereiro foram 60 assaltos contra 124 em julho deste ano.
A própria polícia admite que os roubos podem ser maiores. Isso porque, quando o assalto é ao caixa do ônibus propriamente dito, há registro de ocorrência. Mas quando são contra passageiros, que têm celulares, carteiras e pequenos objetos eletrônicos ou bijuterias roubados, as pessoas muitas vezes não registram Boletim de Ocorrência, o que para a polícia acaba dificultando o mapeamento e a identificação dos criminosos.
Mesmo assim, há linhas que são velhas conhecidas da Polícia.
Os ônibus que trafegam por São Caetano, pela BR-324, Avenida Paralela, Itapuã, Rio Vermelho, Iguatemi e Pituba são os maiores alvos. Só neste mês, foram 61 ações em São Caetano.
As condições urbanísticas do local, com muitas escadarias e becos facilitam a fuga dos criminosos.
Os ônibus que passam por estradas de alta velocidade também têm sido marcados pelos criminosos. NA BR 324 foram 48 assaltos a ônibus e na Paralela, 44 abordagens de criminosos.
A Via Paralela concentra a maior parte das linhas de ônibus, de acordo com a gerenciadora Transalvador. A capital da Bahia possui 505 linhas de ônibus, das quais 298 passam pela Paralela. São cerca de 250 ônibus por hora.
A maior incidência de assaltos se dá na parte da noite, com os veículos mais vazios, porém transportando mais dinheiro. A escuridão e a pouca quantidade de testemunhas também facilitam as fugas.
Os assaltanres de ônibus levam poucas quantidades em dinheiro. A média é de R$ 96,20, mas o maior roubo deste ano foi de R$ 873.
A polícia vê ligação entre os assaltos e o tráfico de drogas. Não só pelos fatos de os viciados roubarem, para pagar dívidas do consumo de entorpecentes, mas também por quadrilhas de traficantes pagarem pessoas para realizarem as ações como forma de capitalizar ainda mais a atividade criminosa.
O número de mulheres e adolescentes chamou a atenção da polícia. Uma das quadrilhas de assalto a ônibus tinha integrantes com idades de 12 e 13 anos e era chefia por uma adolescente de 16 anos de idade, que na maioria das vezes agia armada e com muita violência.
Mesmos com todo este mapeamento, a polícia diz ter dificuldades para conter o alto número de roubos, apesar de realizar prisões constantes.
Entre as empresas de ônibus mais assaltadas de janeiro ao início de agosto deste ano estão:
AXÉ: 68 roubos
BTU: 61
PRAIA GRANDE: 59
UNIÃO: 59
CENTRAL: 50
BARRAMAR: 46
EXPRESSO METROPOLITANO: 43
BOA VIAGEM: 36
TRANSOL: 30
CAPITAL: 30
EXPRESSO VITÓRIA: 28
RIO VERMELHO: 24
SÃO CRISTÓVÃO: 22
VERDEMAR: 19
VITRAL: 17
COSTA VERDE: 16
DOIS DE JULHO: 14
JOEVANZA: 14
MODELO: 12
ORDINA: 11
ODM: 07
TROPICAL: 05
REGIONAL: 05
VILA NOVA: 03
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

1 comentário em VIOLÊNCIA EM TRANSPORTES COLETIVOS: 100 ASSALTOS POR MÊS EM SALVADOR

  1. uma cidade q vive, infelizmente, na era da pedra nos transportes é só o resultado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: