AQUELA MUSIQUINHA IRRITANTE NOS ÔNIBUS JÁ ESTÁ PREVISTA EM LEIS

música em ônibus

Música e transporte coletivo só tem a ver se o cidadão usar dois elementos básicos: um fonezinho de ouvido e um pouquinho de educação. O problema é cada vez mais comum nos transportes coletivos em qualquer cidade. Não bastassem as preocupações do dia a dia, dores, concentração para o trabalho ou uma prova, e o nervosismo pelo atraso e lotação do transporte, entra no ônibus ou no vagão de trem uma pessoa com qualquer equipamento eletrônico ouvindo uma musiquinha com som agudo, que mescla-se com o barulho do ambiente, que irrita pelo desrespeito da pessoa que se diz cidadã. E muitas vezes, se o outro passageiro ou motorista tenta repreender é pior, pode ser vítima de violência. Como nem sempre as pessoas aprendem pela consciência de cidadania e educação, a lei tem de entrar em vigor. Várias cidades já têm proibido o uso de aparelhos sonoros no transporte coletivo sem o fone de ouvido. A mais recente a aprovar uma lei que determina a proibição foi Taubaté, no interior de São Paulo. Foto: Adamo Bazani.

Musica alta em ônibus é proibida por lei no Interior de São Paulo
Em Taubaté agora quem quiser ouvir uma musiquinha na condução tem de levar fone de ouvido

ADAMO BAZANI – CBN

A cena é comum em diversas cidades.
A pessoa está com pressa, cansada, concentrada para uma prova ou um trabalho e até com dor, mas segue para seu compromisso ou para casa num ônibus, muitas vezes lotado e que demorou para passar.
Mas como diria a Lei de Murphy, não há nada tão ruim que não possa piorar.
Diante de todo esse quadro, entra no ônibus um indivíduo qualquer munido de seu celular, i Phone, i Pod, ou qualquer um “I Meu Deus” com aquela musiquinha que só ele ouve. Porque o restante dos passageiros do ônibus ouve mesmo é um barulho agudo, irritante, com notas musicais incompletas e vozes ao fundo, misturadas com a conversa dos passageiros e com o barulho do motor do ônibus. Se for um veículo de motor dianteiro então, socorro…
E não importa o estilo musical. Todos irritam, embora que a predominância destes “executores musicais” é mais para o funk (que entre nós, já parece com a lataria do ônibus batendo) ou um belo pagodinho.
O que dá nos nervos, no entanto, é a falta de respeito e educação para com os outros passageiros.
O ônibus pode transportar até 80, 100, 250 pessoas, dependendo do modelo, mas este indivíduo se sente sozinho no mundo e ouve a música em alto volume como se todos os outros passageiros fossem obrigados a gostar do que ele curte ou como se simplesmente não existissem.
O motorista não pode repreender o passageiro. Corre o risco de ser agredido, além de que, hoje em dia, o motorista não faz só sua parte que é dirigir. Hoje ele dirige, cobra a passagem, atende o passageiro, informa, troca o letreiro…só falta agora as empresa pedirem para ele fazer um cafezinho e servir misto quente.
O passageiro apreciador de músicas deveria ter a consciência e ouvir só para ele o sem som.
Talvez muitos não saibam, mas do “alto de sua alta” tecnologia, a indústria inventou algo fantástico: CHAMA-SE FONE DE OUVIDO!!!!!!!!
A indústria só não soube fabricar ainda educação em pó para misturar com água e beber antes de subir ao ônibus.
E, em muitos casos, quando a educação não aparece, a lei dá uma ajudinha.
Foi para isso que apelou a cidade de Taubaté, no interior paulista.
A Prefeitura aprovou a lei número 4515, do vereador Jéferson Campos, que proíbe o uso de dispositivos sonoros nos ônibus da cidade.
Leis semelhantes já existem em São José dos Campos, também no Interior Paulista, em São Paulo, Curitiba e Vitória.
O vereador afirmou que a música alta além de incomodar os passageiros, violando o princípio de coletividade, pode atrapalhar o trabalho dos motoristas, aumentando o stress e causando perda de concentração.
As músicas podem ser ouvidas sim nos ônibus, mas cada um com seu fone de ouvido. E bem encaixadinho, porque não é raro encontrar passageiros com fone de ouvido, mas com o rádio, o celular, ou “I alguma coisa” ligados e emitindo barulho. Será que eles colocam o fone de ouvido para abafar o ruído da música de seus próprios aparelhos?
A lei em Taubaté precisa ser regulamentada, o que deve ocorrer em até 15 de julho.
Adamo Bazani, jornalista da CBN, especializado em transportes, trazendo essa informação para “você, você, você, você…”, Opa, desculpe, alguém entrou aqui ouvindo música alta.

15 comentários em AQUELA MUSIQUINHA IRRITANTE NOS ÔNIBUS JÁ ESTÁ PREVISTA EM LEIS

  1. Boa noite.

    Em síntese. É respeitar o outro, pois, não necessariamente possuímos os mesmos gostos musicais e, não somos obrigados a ouvir músicas, de gosto alheio.

    Isto também se aplica ao comportamento mal educado, de muitos passageiros que, muitos de nós toleramos e que, há algum tempo atrás eram suficientes para um, “presta atenção”.

    Bela fotinha do coletivo !!!

    Abçs.

  2. Faz diferenaça ,agora será que vai dar certo….
    http://onibuscotiasp.blogspot.com/

  3. Faz diferança, mas será que vai da certo….

  4. Amigos, bom dia

    Adamo, SENSACIONAL sua foto montagem, vale um prêmio PARABENS!

    A Lei é clara é proibido o uso de aparelhos sonoros, inclui-se ai o moderníssimo “I meu Deus”, portanto se o passageiro não cumprí-la basta retirá-lo do carro e pronto.

    Educação vem do berço, e quem não teve berço (não o berço móvel) não terá
    educação/cidadania; afinal a maioria quer ter direitos e não DEVERES.

    Uma bela campanha publicitária ajudaria bastante, pois é pedagógico, fica ai a sugestão
    para as gestoras do sistema de transporte em todo o território nacional.

    Se alguém insistir em descomprir a lei, as delegacias estão ai para isso, bem como
    o Poder Judicário para julgar e aplicar a pena devida.

    Simples, com infratores não outra solução.

    Muito obrigado
    Paulo Gil

  5. Pelo que já vi até hoje…
    – existe legislação federal, antiga diga-se de passagem, que proibe o uso de aparelhos sonoros dentro de ônibus (me lembro de minha infância, onde todos os Pássaro Marron que andava tinha o adesivo acima do posto do motorista).
    – o uso de som ambiente é proveniente da aviação, onde o som ambiente procura atenuar o ruído externo.
    – o isolamento acústico dos ônibus deixa muitíssimo a desejar, principalmente os urbanos OF/EOD.
    .
    A prefeitura de Taubaté está envolvida em um escândalo de corrupção que pode bater recordes nacionais. É tanta coisa errada, que se fosse enumerar, ninguém iria acreditar. Vai desde lousas digitais superfaturadas abandonadas, passando pela merenda escolar, ‘ovos de ouro’, papel sulfite, carros oficiais que ‘desapareceram’ (ou nunca existiram ? ), e até o prédio da prefeitura caindo aos pedaços (mas a reforma foi paga para uma empresa, adivinhem, fantasma), etc.

    Na prática, esta LEI veio apenas para ‘desviar a atenção’ do povão, nada mais.
    Poderiam exigir que a ABC reformassem seus ônibus e melhorassem o isolamento acústico. Vejam o exemplo do atual carro 4011 – http://onibusbrasil.com/membro/consulta_placa.php?placa=DBC7551 . Foi de Guarulhos, foi rodar em Sertãozinho, e agora em Taubaté. Ops… Exigir algo da ABC? É ruim… Se em um passado recente, ela aprovou uma lei na Câmara Municipal limitando a frota em 96 ônibus !!!! Ou seja, ela não poderia aumentar a frota porque a lei não permitia (e ficou quase 6 anos sem adicionar nenhum veículo à frota, enquanto que a população atendida cresceu naturalmente…)

  6. Mediugourie, boa noite

    Dá para liberar o acesso a foto?

    Grato
    Paulo Gil

  7. Emerson Saldanha // 24 de julho de 2011 às 22:57 // Responder

    Infelizmente aqui em Campinas é a mesma coisa.Uma falta de educação e a grande maioria dos que utilizam essa musiquinha para todos ouvirem, são jovens.Sem falar dos celulares com televisão digital e voce também é obrigado a ouvir o jogo ou a novela.Espero que em breve seja aprovada a lei aqui, que proibe o som nos onibus, sen do permitido apenas com os fones

  8. Caro Adamo, a situação é pior do que se pensa: os próprios microônibus possuem rádio, e com um aviso simbólico de um rádio com notas musicais no painel do itinerário indicando a proibição acústica no veículo. Muitas vezes penso que esse país deveria dar um reinicio, de tão injusto que se tornou (generalizando).
    Essa lei não adiantará nada! Primeiro porque ninguém respeita mesmo. Fato! Segundo porque ninguém denuncia, portanto não há queixa. Se não há queixa, não há delito. E fica por isso mesmo. Depois que inventaram o é o tcham, não duvido mais de nada em termos “musicais” nesse país. Caso o funk veio primeiro que o é o tcham, a ordem dos fatores não altera o produto.
    Problemas como esses tornam os ônibus ainda mais discriminados aos olhos da sociedade, piorando o que ja é ruim para eles. Brasil né? Terra da copa. Do futebol masculino (ja que o feminino é tão menosprezado como os próprios ônibus – aliás, que exemplo das japonesas nessa copa! Depois de uma tsunami, um exemplo de superação pelo esporte, com direito a premiação disciplinar). Quanto desabafo.
    valeu, belo trabalho

    • Andre, bom dia

      É a lei de GERSON, lembra.

      Mas fica tranquis, estamos evoluindo.

      Já que tem a Lei e muitos não respeitam e ninguém controla ou denuncia,
      que tal revogar a Lei e liberar geral.

      Assim os próprios usuários vão se virar nos 30, e que vença o
      “I meu Deus”.

      Grato
      Paulo Gil

  9. Brasil, terra das leis. Tem lei pra tudo. Menos para cumprí-las.

  10. Projeto de Lei – Proíbe o Uso de Aparelho Sonoro ou Musical no Interior de Veículos de Transporte Coletivo

    http://deputadobrunocorreia.blogspot.com/2011/08/projeto-de-lei-proibe-o-uso-de-aparelho.html

  11. em quais cidades a lei ja existe?

  12. Em São Paulo é lei desde 97 se não me engano, mas TODO dia tem um funkeiro de , que insiste em ser irritante. Agora os forrozeiros que estão começando a irritar mais, pois ás 05 da manhã já os flagro incomodando os outros! Bakas

  13. Mas em Guarulhos, os motoristas dos micro-onibus é que colocam o som nas alturas. Um exemplo é a linha 331, carro 2632 que vai do parque Cecap até o aeroporto. Quando entrei no ônibus, parecia balada sertaneja! E quando pedi para o motorista abaixar um pouco o som, ele respondeu mal e disse que se ele não pudesse ouvir o som dele que levaria o carro para a garagem. E depois ficou me agredindo verbalmente. Precisei formalizar uma reclamação na secretaria de transporte, mas parece que a mesma está nas mãos desses caras, porque não fazem nada para mudar.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: