BILHETE ELETRÔNICO IMPEDE FRAUDES E INFORMALIDADE, MAS REDUZ PASSAGEIROS DE VANS EM 30%

cartão e passe de ônibus

Passes de papel em São José dos Campos, a título de testes, foram substituídos pelos cartões eletrônicos. O Uso do cartão eletrônico diminuiu a informalidade, a falsificação e permitiu um maior controle da receita tarifária. Além disso, evita que os passes sejam usados como moeda paralela e permite que os passageiros façam integrações, podem usar quantos ônibus precisarem por duas horas. No entanto, foi responsável pela queda de 30% no número de passageiros das vans. Motoristas de transportes alternativos devem se organizar e oferecer tecnologia compatível, além de transportarem idosos e deficientes físicos de graça e possibilitarem integração gratuita no período de duas horas se quiserem fazer parte do sistema de bilhetagem eletrônica, de acordo com a prefeitura. Foto: O Vale.

Cartão eletrônico diminui 30% dos passageiros das vans
Constatação é nos transportes de São José dos Campos, em São Paulo. Donos de vans querem aceitar cartão eletrônico

ADAMO BAZANI – CBN

Com a adoção de bilhetagem eletrônica e integração por duas horas que dá possibilidade de uso de quantos ônibus o passageiro precisar, a demanda das vans de transporte alternativo na cidade de São José dos Campos, no Interior de São Paulo, caiu em média 30%.
Além da possibilidade de integração com o cartão eletrônico, as empresas pagam o vale transporte dos funcionários somente com o cartão, após a extinção dos passes de papel, que eram usados como moedas nas vans e em pequenos estabelecimentos comerciais.
A constatação da queda do número de passageiros foi do Sindicato dos Motoristas de Transporte Alternativo de São José dos Campos.
A categoria quer participar do sistema eletrônico usado pelos ônibus para não perder mais passageiros.
Para a prefeitura, o uso dos cartões eletrônicos combate a informalidade e a desvirtuação do uso do vale transporte, que deveria ser utilizado apenas para o deslocamento de pessoas, mas que valia também como moeda paralela.
O poder público diz que os motoristas de vans terão de se profissionalizar para terem acesso aos cartões dos ônibus.
Eles devem se organizar e apresentar uma solução tecnológica que não só aceite os cartões, mas registre os repasses destinados ao poder público, que em muitos casos eram sonegados pelas peruas, e permite integração de duas horas, não só entre vans, mas com ônibus também. Além disso, as vans se quiserem fazer parte do sistema terão de transportar gratuitamente idosos e deficientes físicos, o que não é muito comum no transporte alternativo.
O uso dos cartões Serpa testado por mais 25 dias. Depois deste prazo, a prefeitura vai analisar se vale a pena continuar com o cartão ou retomar com os bilhetes de papel.
Quem ainda possui os vales de papel pode usá-los normalmente,
Além de poder ter maior controle sobre a receita tarifária, a prefeitura de São José dos Campos acredita que o cartão eletrônico dificulte falsificações e sonegações.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

1 comentário em BILHETE ELETRÔNICO IMPEDE FRAUDES E INFORMALIDADE, MAS REDUZ PASSAGEIROS DE VANS EM 30%

  1. Bom dia.

    Nos lembremos de um outro benefício, com o uso do cartão. Em algumas cidades que utilizam o sistema, o cartão é adquirido fora do ônibus e, é o único meio de pagamento, restringindo o motorista à sua função, dirigir apenas.

    Simples assim.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: