Linhas de trólebus e o desenvolvimento de São Paulo

POR RENATO LOBO

Nesta semana cairam nas redes sociais imagens que mostraram o início da
colocação dos postes com o suporte para os tirantes que vão sustentar
a rede aérea dos trólebus, no viaduto estaiado que passa por cima da
Avenida Salim Maluf, ligando as duas pontas da Rua Padre Adelino. A
obra prevista para 2010 sofreu atrasos devido à problemas em
desapropriações. Rapidamente o comentário foi sobre a possível volta
dos trólebus para a linha 2101, esta que não têm ônibus elétrico desde
2008 em virtude da construção do viaduto.

A linha 2101 que liga a Praça Silvio Romero até o centro, foi criada
nos anos 50, mas em toda sua historia pouco teve alterações nos
trajeto, e com o desenvolvimento da zona leste ao passar dos anos, o
ramal perdeu relevância. O mesmo vale para outras linhas de trólebus,
como a 4112 que liga a Praça Santa Margarida Maria até o centro, e as
que rodaram com trólebus até o começo dos anos 2000, as linhas 1301 e
1428, ambas que logo após a saída dos elétricos tiveram o seus
itinerários alterados para atrair mais passageiros. Hoje por exemplo a
linha 408A sofre grande concorrência, diga de passagem de forma
desleal, com as linhas 805L e 508L na região da aclimação. Estas duas
últimas ganham agilidade no traçado e a primeira linha de trólebus de
SP perde passageiros, e consequentemente perde o número de partidas e
perde frota.

Durante anos não foi claro de quem seria a responsabilidade da
manutenção da rede elétrica, o que acabou resultando o engessamento
das linhas de trólebus no seu traçado, ou seja, criar desvio para os
trólebus éra, e ainda é considerado algo caro e sem importância.
Colocavam se os velhos e bons ônibus à diesel no lugar.

Um outro exemplo, só que ao contrário, é o da linha 4113 que liga o
centro até o Ipiranga. Após a construção de uma estação de Metrô, a
linha ganhou mais passageiros, que hoje se utilizam dos trólebus para
chegarem ao Metrô, portanto neste caso o desenvolvimento favoreceu os
trólebus.

Nos dias de hoje que se fala em sustentabilidade, e os trólebus são
lembrados como modal eficaz, é preciso que os grandalhões elétricos
sejam remanejados para corredores. Uma linha troncal tem muito menos a
probabilidade de se tronar um ramal sem importância, por carregar mais
passageiros e por ser mais ágil.
Renato Lobo é técnico em transportes e responsável pelo Portal Via Trólebus

13 comentários em Linhas de trólebus e o desenvolvimento de São Paulo

  1. Colocações boas e objetivas Renato!!

  2. Marisa Vanessa Norberto da Cruz // 22 de junho de 2011 às 00:36 // Responder

    Acrescentando: A Himalaia quando colocou ônibus a diesel, reduziu drasticamente a frota, fazendo com que seus passageiros desistissem da linha. Agora que os trólebus irão voltar, deveria pelo menos devolver à população o número de veículos que circulavam na época dos trólebus. Que as linhas 2101 voltem a ter o prestígio de antes (e também das demais que nem passam ali perto).

  3. Amigos, boa noite

    A reponsabilidade da manutenção da rede é um problema de simples solução, restando 3
    alternativas:

    a) SPTrans (____)

    b) Eletropaulo (_____)

    c) Terceirizado (____)

    Pronto basta definir.

    Que o Tróleibus é ecológico tudo mundo já esta careca de saber.

    Porém há 50 anos é esse chove e não molha, bem como aquele
    “marketizinho ” básico e temporal.

    Necessitaqmos avançar e não discutir o que se discute ha 50 anos.

    Alguém sabe qual é a real causa do tróleibus não vingar e ser
    somente essa mistura de saudosismo com ecologia e sustentabilidade.

    Quem puder esclarecer será de grande utilidade, pois nesse mato tem coelho.

    Em tempo: E aquele leilão de sucata de tróleibus, já ocorreu, vai ocorrer
    ou emperrrou ????

    Muito obrigado.

    Paulo Gil

  4. Amigos Paulo Gil, Luiz Vilela e Marisa Norberto, Benvindos e Boa Noite.

    A verdade é uma só: INCOMPETÊNCIA.
    Se vocês tiverem a oportunidade, conheçam a exposição CIDADE SUSTENTÁVEL, que está sendo feito na estação Brás do metrô. Na França, o trolebus funciona muito bem e também com o VLT. Na Itália em Roma, o trolebus funciona bem, na Russia, na Grécia,e por incrível que pareça, também funciona muito bem no ABC, mas na Cidade de São Paulo??? O trolebus é tratado como o marginal, é tratado da pior forma possivel. Preferem um corredor com 1000 ônibus a Diesel que polui do que 500 trolebus que não polui.A SPTrans com suas especificações técnicas, algumas até infundadas prejudicam o desenvolvimento do Sistema Trolebus na cidade, a ELETROPAULO então, é INCOMPETENTE na questão dos trolebus, mas também é INCOMPETENTE com a rede de DISTRIBUIÇÃO, sim, a rede de DISTRIBUIÇÃO é aquela rede que a luz vai para nossas casas, na verdade a AES ELETROPAULO, gerenciado pelos YANKEES AMERICANOS só veio para o Brasil para ganhar dinheiro, investimento que é bom, não existe, sem contar que os pobres que não tem uma boa renda não conta com uma tarifa social aceitável, seria interessante estatizar a ELETROPAULO porque do jeito que está , não dá.
    As empresas de Chassis também dificultam o desenvolvimento do trolebus, pois se tiver um parafuso a mais, a SPTrans demora 6 meses para aprovar ou não, e se você elabora um projeto a SPTrans ainda vê se aprova ou não, um grande exemplo é o veículo Caio que esteve na Himalaia que a SPTrans não aprovou, mas está rodando muito bem no corredor ABD. Por falar em rodar no ABD, num leilão foram arrematados 24 trolebus que estão rodando muito bem até os dias de hoje. Infelizmente está provado que muita gente não quer o TROLEBUS na cidade de São Paulo, pois a SPTRANS, ENCARROÇADORAS, EMPRESAS DE CHASSIS, EMPRESAS DE MOTORES EM CORRENTE ALTERNADA que muda sempre os seus projetos, motivo pelo qual sempre a HIMALAIA tem os protótipos e não passa dos protótipos. Inclusive é proibido até importar os trolebus do exterior, porque a SPTRANS NÃO APROVA. Saudades da COMPANHIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVOS em que todos trabalhavam com coração, com determinação e principalmente com criatividade.

    Abraços à todos
    Marcos Galesi

    • Galesi, boa noite

      Entendido, temos um neurocirugião, especificando uma
      nova ponte Rio Niterói ou um Engenheiro Civil realizando
      uma neurocirurgia.

      Ai realmente só poderão ocorrer dois resultados.

      Ou a ponte cai ou o paciente morre.

      Entendo que estae será mais uma tarefa para o Ministério
      Público Estadual, esmiuçar.

      Grato

      Paulo Gil

  5. Ah sim eu ia me esquecendo: SAUDADES DA EBTU que subsidiava o transporte elétrico. AONDE DESTÁ O APOIO DOS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL???? Por isso que eu disse INCOMPETÊNCIA, estamos batalhando para que diminuam os efeitos estufa, e os CO2, com os incentivos do protocolo de Kioto, mas infelizmente para estes politicos, o povo que se lasque pois ganhando o deles nas nossas costas, melhor para eles, mas pior para nós…. MALDITOS POLITICOS, ahh se eu fosse hacker, eu entraria no PC das forças armadas do Pentágono, para enviar um míssel direto para o congresso nacional aí acabava tudo e elegeriamos novos deputados que lutem por nós mesmos.

    • Galesi, boa noite

      Entendo sua vontade de resolver os problemas, mas
      fique tranquilo, pois há soluções superiores:

      A morte; a Internet, as redes sociais, a velocidade da troca
      de informações e o aumento do nível cultural dos cidadãos.

      Com tudo isto, os “obsoletos” ou serão superados ou podem
      usar o livre arbítrio e evoluir para fazer um bom trabalho.

      Graças ao bom Deus o mundo mudou e para melhor, agora
      é a vez das pessoas se melhorarem.

      Mas quem não acreditar nisto ou não quiser melhorar
      não tem problema, pois estes automaticamente serão
      descartados, como um fruto maduro que cai do pé, pois
      seu prazo de validade expirou e este cairá independentemente
      de sua vontade.

      E assim será, o número de pessoas envolvidas com boas ações
      e idéias, aumenta a cada dia, portanto os “inertes” serão a minoria
      inútil.

      E vamos deixar o “buzão” rodar, pois a galera faz milagre, até
      opera Milleniun nas apertadas ruas da Vila Madalena.

      Tem muita gente boa e competente neste Brasil, fica “tranquis”
      (tranquilo).

      Grato

      Paulo Gil

  6. frederico westphal // 22 de junho de 2011 às 23:31 // Responder

    Uma das principais inimigas dos troleibus em Sao Paulo foi a ex-prefeita Martaxa Suplicio que ao fazer a reforma do corredor Pca da Bandeira-Santo Amaro, acabou tirando uma das meplores linhas de troleibus que a idade possuia;

    • Amigo Frederico

      Tenha certeza que a Marta não teria força sozinha para acabar com os trolebus da Santo Amaro, acredite, teve ajuda das empresas de chassis, teve ajuda da Familia Tatto, teve ajuda dos moradores que não conheciam bem os problemas do sistema trolebus e não foram esclarecidos, enfim, se eu der nome aos bois aqui, os leitores do blog não teriam paciência para ler. Abraços aos amigos, Paulo Gil. Luiz Villela, Marisa, Frederico…

      E todos os amigos que não citei.
      Abraços
      Marcos Galesi

  7. Verdade Frederico, ainda que eu veja um ótimo trabalho de arquitetura e paisagismo no antes horroroso e interferente corredor.

    Defendo fortemente aqui no Blog VLT segregado com forte automatização neste Corredor. Um Metro leve de superfície. Cruzamentos teriam que ser bem reduzidos, mas com os recursos de controle (CBTC, Rastreadores, GPS, driverless, cancelas leves-rápidas, etc) o Bandeira-Santo Amaro poderia ter fluxo maior de passageiros e servir de tronco para uma série de linhas menores de ônibus menores, mais ágeis e mais eficientes. Caro e difícil sim, mas do tamanho da importância de São Paulo, numa de suas rotas sem dúvida mais importantes.

    • Amigo Luiz Vilella
      Há uma boa demanda para VLT para Santo Amaro, o problema é que não há vontade do poder público para melhora do transporte na cidade de São Paulo, o que o poder público quer é que nós se lasquemos, com ônibus de motor dianteiro barulhento e poluente, saindo fumaça preta, infelizmente o PODER fala mais alto e corrompe. Não há amor à camisa em defesa do cidadão paulistano infelizmente.
      Prefeito e governador, são como jogadores de futebol de hoje em dia, se é que você me entende, ganhando o deles é o que mais importa, e não importa por qual meios que eles ganhem, o importante é que ganhe.Se houvesse amor à camisa, tenho certeza que os problemas de transporte estariam bem amenizados, se é que não estariam resolvidos.

  8. Abraços a todos os amigos.

    • Galesi
      Este VLT, pra mim, é um sonho de consumo como cidadão paulistano. Porque além da eficiência no atendimento ao usuário de transporte público coletivo, tem enorme potencial para revitalização, especialmente, da Av. Santo Amaro. Um Prefeito de verdade tem obrigação de valorizar sua cidade e impedir sua degradação.
      Muita gente vê com bons olhos este VLT, portanto vale a pena colocá-lo como tema de campanha à Prefeitura de Sampa. Isto hoje é bem mais fácil do que já foi.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: