CORREDOR ITAPEVI – BUTANTÃ COMEÇA A SER CONSTRUÍDO

ônibus

O Corredor Oeste (Itapevi – Butantã) terá 30,4 km de extensão. Mas nesta primeira fase, apenas 5 km serão entregues até o final de 2012. Neste trecho entre Itapevi e Jandira, circulam 19 linhas intermunicipais do Consórcio Anhanguera. Até o final de 2014 devem ficar prontas as obras entre Jandira e o km 21 da Castelo Branco. O trecho da Capital Paulista ainda não tem previsão para ser concluído. Foto: Blog GTA Bus SP

Corredor Itapevi – Butantã tem a primeira fase das obras iniciadas
Porém só ainda o trecho de 5 km até Jandira deve ficar pronto

ADAMO BAZANI – CBN

Depois de mais de 3 anos de promessas, começaram a sair do papel as obras do Corredor de Ônibus Metropolitano entre Itapevi e Butantã, chamado de Corredor Oeste.
O objetivo é ligar as cidades de Itapevi – Jandira – Barueri – Carapicuíba – Osasco e zona Oeste de São Paulo. O corredor terá 30,4 km de extensão e será o terceiro maior do Estado, ficando atrás do Corredor ABD (entre São Mateus e Jabaquara com ramal entre Diadema e Morumbi, que somam 45 quilômetros) e do Corredor Municipal Parelheiros – Rio Bonito – Santo Amaro, com 30,5 km.
Mas não será de uma vez que o Corredor Oeste será feito.
Inicialmente serão feitos apenas 5 quilômetros, entre Itapevi e Jandira. A inauguração desta primeira fase está prevista para o final de 2012 ao custo de R$ 67 milhões, considerado baixo pelo benefício que deve trazer agilizando as viagens.
O trecho entre Carapicuíba e Osasco deve ser concluído, segundo a administração estadual, até o final de 2014 e deve ir até o quilômetro 21 da rodovia Castelo Branco.
Já a terceira fase, que passa pela Capital Paulista, não tem previsão para o término. O motivo alegado pelo Governo do Estado são as dificuldades em desapropriações de avenidas da Zona Oeste da Capital Paulista como Eliseu de Almeida e Corifeu de Azevedo Marques. Há negócios já estabelecidos no local e o valor dos imóveis é alto.
Ao todo, os 30,4 km de extensão do Corredor Oeste Itapevi – Butantã devem custar R$ 320 milhões. O Corredor será paralelo em boa parte da linha 8 – Diamante da CPTM.
Para a Secretaria de Transportes porém não há sobreposição pois as estações dos trens são distantes em média a cada 3 quilômetros, já as paradas de ônibus sertão mais próximas, podendo der inferiores a 500 metros e os veículos podem atender a demanda dos bairros que vai para os trens de maneira mais rápida.
O objetivo é fazer um corredor moderno e que reduza o tempo de viagem em pelo menos 65%. Hoje o trajeto entre Itapevi e Butantã é de 68 minutos.
O primeiro trecho, entre Itapevi e Jandira é operado por 19 linhas de ônibus intermunicipais do Consórcio Anhanguera.
Neste trecho, a viagem deve ser diminuída de 25 minutos para 10 minutos.
O Terminal do Corredor será integrado à estação Itapevi de trens da CPTM. Também haverá integração na estação Jandira.
As principais paradas terão 80 metros de extensão e vão possibilitar o estacionamento de 4 ônibus por vez. Um poderá ultrapassar o outro sem a necessidade de manobras complicada, promete o governo estadual.
Entre Itapevi e Jandira, haverá 3 estações de transferência e 10 pontos de parada convencionais, mas segundo os padrões do corredor, com abrigos metálicos.
Haverá duas faixas por sentido e o corredor abrigará uma ciclovia paralela.
O Governo também prevê a utilização de ônibus articulados para servir uma quantidade maior de passageiros que o corredor deve atrair.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

28 comentários em CORREDOR ITAPEVI – BUTANTÃ COMEÇA A SER CONSTRUÍDO

  1. Corrige aí, a segunda fase vai da Estação Jandira a Estação General Miguel Costa, conhecida como km 21, onde haverá um Terminal Metropolitano, que será o Terminal Metropolitano do km 21. A terceira fase será entre o Terminal Metropolitano km 21 e a Estação Butantã

  2. Amigos, boa tarde.

    Conforme a materia foi dito:

    1) “Hoje o trajeto entre Itapevi e Butantã é de 68 minutos”

    Isto é impossível, talvez a 30 anos atrás até dava, mas hoje nunca.

    2) ” … não há sobreposição pois as estações dos trens são distantes em média a cada 3 quilômetros, …”

    Há sobre posição sim e com um detalhe de ponat a ponta, afinal a CPTm atende de Amador
    Bueno até o Grajaú.

    O que precisamos é de ligações via micro onibus “sem parar” entre pontos estratégicos com as estações da CPTM, só isso.

    Esta área deve ser a area de maior concentração de ônibus do Brasil, quiça do mundo.

    Eu já enviei as sugestões para a SPtrans efetuar estas ligações ( trecho município de SãoPaulo),
    mas infelizmenete NADA.

    Relembro mais uma vez:

    Não é a hora de Guarulhos ou M Boi Mirim ou outra área mais carente de transporte????

    Alguém está trafegando na contramão VLT ABC e Corredor Itapevi – Butantã …

    Façam um teste de campo, com certeza chegaram a resultados mais nobres, técnicos,
    eficientes e eficazes

    Novas opiniões, críticas, concordâncias,discordâncias e sugestões serão bem vindas.

    Muito obrigado.

    Paulo Gil

  3. Estou certo de que, adaptando os canteiros centrais das principais avenidas, à partir de Jandira, em direção à Capital, com boa vontade e baixo custo, é possível proceder à construção dos trechos restantes do Corredor Oeste. Vontade política é a senha pra destravar tudo isso.

  4. Pegando carona no raciocínio do Sergio digo que o problema está exatamente ai, “vontade Politica”, visto que o partido do atual governador está governando o Estado ha quase vinte anos, o que vemos ai é mais uma “moeda” politica da qual a população e a região inteira ficará refém de as obras terem continuidade de acordo com o calendário eleitoral, pior é que isso é ver obras inacabadas serem inauguradas simplesmente porque o partido X ou Y tem projetos eleitoreiros em trono delas. Em relação ao corredor oeste pelo que sei ele estáva previsto desde o inicio da construção da linha 4 do metrô tanto que o terminal de ônibus ao lado da estação Butantã do Metrô inaugurado recentemente já tem pronta a plataforma exclusiva desse corredor, ou seja, as linhas saindo de Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuiba e osasco com destino a Pinheiros e hsopitla das Clinicas não existiriam mais por causa do corredor, ou seja, a demanda de passageiros dessas cidades seria transferida para o corredor e seus ônibus, porém o que vemos é um terminal vazio com apenas duas linhas municipais (8012-USP/Term.Butantã e 7458/21 Term. Butantã/Estação da Luz) que funcionam da 5h as 15hs e só, a estação Pinherios da mesma linha 4 foi inaugurada sem a integração com a CPTM, que só ocorreu nas ultimas semanas e o terminal de ônibus ao lado da estação nem seque saiu do chão. Dai o que esperar disso tudo, obras inacabadas são inauguradas somente para atender a “vontade política” de alguns em 2014 teremos além da copa do mundo no Brasil, porque graças a “vontade política” São Paulo está a um passo de ser excluída do evento, também teremos eleições para governador e adivinha quem e quias partidos estarão novamente disputando o pleito e usando metrô e corredores como mote eleitoral. Enfim quiz aqui manifestar uma indignação e ao mesmo tempo ampliar o debate sobre o tema. Forte abraço a todos.

    • Roberto, boa noite

      Há mais uns detalhes:

      A linha 8012 circula com Vialles novos e grandes, sem necessidade,
      lembrando que nos próximos 12 meses + ou – ,a demanda desta linha será baixa.

      E tem mais; estes carros tem 4 portas e esta linha não trafega em correrdor.

      Tanta linha com carência de carro grande… Por que será issso?

      Ai cada um tire as suas prórpias conclusões.

      Era só colocar um “Apachezinho” que dá conta do recado tranquilamente, claro que sem
      a inscrição lateral das datas de ano de fabricação e início de operação (lembrando
      que estes nem tem estas inscrições mesmo).

      Daqui 12 meses, poderiam ser substituídos os Apachezinhos e pronto.

      Muito obrigado.

      Paulo Gil

      • Gil mais um detalhe essa semana descobri que estão operando duas empresas na 8012, ou seja, alinha está sendo operada pela Transpass (vialles) e pela Gato Preto (Milleniuns III- MBB500U e VW17260OT) todos os veiculos com portas dos lados esquerdo e direito, já os Apaches 1417 e 1721 estão nas linhas de maior demanda. Como podemos perceber a linha é para impressionar somente estudantes e frequentadores da USP, nada contra, mas também nada a favor pois só acho que deveriam ser mais coerentes.

  5. Pode não ser o corredor mais prioritário hoje na grande São Paulo, mas todo corredor de ônibus é útil e bem vindo. E este é um projeto antigo já, espero que não leve décadas para ser posto em prática.

  6. enquanto isso…………. Kassab engana o povo da zona leste prometendo corredor CELSO GARCIA E DESISTIU DE FAZÊ-LO, particularmente este corredor ITAPEVI-BUTANTÃ É DESNECESSÁRIO, é só fazerem linhas e interligá las à da CPTM. Agora na ZONA LESTE seria muito importante corredores para GUARULHOS que é uma cidade que um dia tinha uma linha FERROVIÁRIA e os politicos retiraram, agora falam em recolocar uma linha para Guarulhos, e o Alckmin prometeu e não iniciou nada em relação à Guarulhos.

  7. Galesi, bom dia

    Bom ti ver navengando na zona oeste, já que está
    tudo perdido mesmo, pelo menos este corredor
    poderia ser para tróleibus sem catenárias.

    Continue por aqui.

    Grato

    Paulo Gil

    • Amigo Paulo Gil

      Mais uma vez fico muito feliz em te ver navegando pelo nosso blog.
      Com relação à zona Oeste, eu estudando alguns mapas do projeto Sistran, por incrível que pareça, existia um projeto que contemplava a região até Osasco. Sei que a RMSP tem seus problemas, mas se observarmos, a região de ITAPEVI até JÚLIO PRESTES, será contemplada com 36 trens novos(composições) com 8 carros cada, por mais crescimento que haja nesta região, só para ter uma idéia, hoje, operam 24 trens (composições) de 12 carros cada. O que me deixa um pouco sismado é que este corredor por ser totalmente sobreposto à ferrovia, pode ser prejudicial ao transporte sobre trilhos. Embora esta não é a minha principal tese que me coloque contra o corredor, o que eu acho que deveria ser feito, é priorizar locais que ainda não são contemplados por um corredor. Vejamos alguns exemplos: Em Curitiba, aonde tem um corredor de ônibus, embaixo do corredor está sendo construido o metrô, e o corredor irá se tornar uma parte ciclovia e outra uma faixa verde, fora a fora.
      O outro exemplo: Imaginemos como seria o corredor ABC paralelo à linha da CPTM será que operaria como opera hoje?? Bom, é caso de refletirmos, eu particularmente acho que este corredor metropolitano de Itapevi seja uma obra simplesmente politica. Quanto ao trolebus, concordo plenamente porque a ELETRICIDADE é a energia do futuro.

      Um grande abraço amigão.

      • Galesi, boa noite

        Quando eu era muleque, acompanhei o “perrengue” para colocar
        os 12 carros para operarem, pois um tio meu fez parte da equipe que
        viabilizou a operação com 12 carros .

        Agora, em 2011, ainda com o grande vão entre a plataforma e os carros;
        só faltava essa, regredirmos, ou seja, passar a operar com composições
        de 08 carros.

        Saudades da Sorocabana, onde avós, tios e netos respirvam o amor
        pelos trilhos e por um trabalho bem feito.

        Por favor se alguém puder me convencer de que composição de 08 carros
        é mais eficiente do que as de 12, fico no aguardo.

        Mas desde já eu digo, isto é inacreditávelllll.

        Muito orbrigado,

        Paulo Gil

  8. Ah sim com relação aos trens da CPTM, parece que 36 trens são poucos, mas só o ganho com a velocidade comercial, será semelhante ao do metrô.
    abs
    Marcos Galesi

  9. Paulo Gil e Galesi foram perfeitos:
    – primeiro tem que existir circulação de rotas curtas com ônibus menores e ágeis entre as CPTMs da Diamante 8. Aliás este ótimo conceito serve para muitas outras regiões da RMSP.
    – Há clara sobreposição deste Corredor, tanto com CPTM quanto com Metro Amarela 4. A fila anda; não é porque o governo enrolou e demorou muito mais que o razoável que o corredor ainda resolve. Ele tem que operar em função do Metro e CPTM, usá-los como troncos.

    Meu sonho de consumo político é ver Jaime Lerner prefeito ou governador de São Paulo. Curitiba pode ser menor, mas não é uma cidade fácil. Cada vez mais tenho admiração pela ATITUDE de Curitiba com a mobilidade, além até do conceito realizado BRT.

  10. Quanto a Zona Leste a Guarulhos, não só concordo que estão absurdamente mal atendidas como defendo Metro+CPTM – sim, ambas – com estações dentro do aeroporto.

    Defendo também que TAV só passe pelo aeroporto GRU, sem entrar dentro de Sampa. Uma coisa chama a outra: TAV só em GRU + Metro em GRU + CPTM em GRU trariam ganhos enormes no fluxo de usuários e reduziria custo e prazo deo TAV. Idem para o Rio: TAV só no Galeão e Metro no Galeão.

    Concluindo: a competição TAVXavião seria ainda mais forte e o usuário sairia ganhando.

  11. Paulo Gil, saindo um pouco dos corredores de ônibus:
    Governo sinalizou semana passada considerar a curto/médio prazo (2017) a Metro 18 Bronze do PITU a Guarulhos; desde o Campo Belo, passando pelo Ibirapuera, Jardim Paulista e ao Centro atingindo o Mercadão; daí para o Parí, VGuilherme, VMaria e Guarulhos. É rota crucial, penso + importante e prioritária que a Metro 6 Laranja.

    Mas sigo batendo na tecla que a Metro 19 do PITU, que sairia da “média” Lapa (onde há projeto de chegar a Metro 2 Verde, na baixa Pio XI) à Barra Funda Mtero 3; Limão, sob o Tietê a Bras Leme, Santana Metro 2 Azul, Lar Center, VGuilerme, VMaria a Guarulhos é prioritária à Metro 18 Bronze. Esta linha sim, seria matadora para desafogar a Marg.Tietê, Mques de SVicente, Bras Leme, Cruzeiro do Sul, Sumaré à Marg.Tietê e um bocado da Pacaembú.

    • Luiz Vilela, bom dia

      De pleno acordo, com a linha 19.

      Mas permita-me um palpite:

      Eu faria um tronco de cabo a rabo na Marginal Tietê e depois
      ligaria via ramais (talvez monotrilho, por exemplo Bras Leme
      – Barra Funda ou algo parecido), claro que após um estudo
      para saber onde os ramais serão mais viáveis.

      E num futuro próximo, prolongaria até São José dos Campos e Sorocaba.

      Grato

      Paulo Gil

  12. Infelizmente as regras do metrô, quem manda e desmanda é o mercado IMOBILIÁRIO podem perceber que aonde o metrô, passa, valoriza o metro quadrado.
    Então, eu acho bem justo que houvesse uma taxa cobrada do mesmo mercado Imobiliário. que dita aonde tem que passar o metrô.
    Se o Brasil fosse sério eu faria a proposta do pedágio urbano desde que todo dinheiro fosse para o metrô, mas vocês conhecem bem como é o politico brasileiro, destina dinheiro para uma coisa e na verdade vai parar em outra. Um bom exemplo: A CPMF foi criada para a saúde, a saúde continuou a mesma e em alguns lugares até pioraram o atendimento, e o dinheiro acabou indo para o Bolsa Familia.A minha proposta seria pedágio urbano com uma pequena tarifa que fosse de R$ 1,00 por carro e quem desse carona solidária, ou cobrava R$ 0,50 centavos ou seria isento e aí acabaria com o rodizio.
    Só assim para que houvesse mais investimentos no metrô.
    Com estes investimentos propostos, tenho certeza que o governo poderia investir em ao menos 4 linhas do metrô.

  13. Ah sim, um grande abraço aos amigos Paulo Gil e Luiz Vilela que estão debatendo o tema da melhor forma possivel.

  14. Ah sim, um grande abraço aos amigos Paulo Gil e Luiz Vilela que estão debatendo o tema da melhor forma possivel.
    Marcos Galesi

    Obs: Ah sim, as 4 linhas na qual me refiro é simultaneamente.

    • Galesi, bom dia

      Obrigado pelo reconhecimento.

      Faço uma observação:

      Num país que tem o lixo que temos (no mínimo farto)
      – veja os sofás pela cidade – , entendo que o nosso problema é
      EXCESSO de recursos e não falta, o problema é um só o
      o MAL USO e o DESPERDÍCIO.

      Um exemplo:

      Se ao invés de fazer a linha 4 embaixo do rio e tivesse sido feito um prolongamento
      da Vila Madalena até o Taboão via aérea pela Avenida Escola Politécnica,
      Taboão da Serra já estaria atendido e o custo com desapropriações seria
      baixo, fora a facilidade da obra.

      Outro exemplo é a linha 4 não ter ido até a Praça Júlio Prestes e ter ido para a Luz; sabe-se que
      MEGA estações não funcionam e tem mais a Praça Julio Prestes sempre foi sinônimo
      de transporte, com mais um detalhe seria otimizado o uso da Estação Julio Prestes e por
      tabela, em parte, revitalizaria a “ceacolândia”, principalmente o comércio,

      O mais inacreditável é que dá para fazer muita coisa legal; mas…

      Grato

      Paulo Gil

  15. Paulo Gil e Galesi
    Agradeço o reconhecimento.

    Entendo que estas decisões sobre linhas-tronco de Metro têm grande potencial para mudar a história das regiões que atendem, portanto nunca poderiam ficar à mercê dos políticos da ocasião.

    É lamentável que os grandes urbanistas sejam pouco ouvidos. Também gostaria de ver os professores das principais escolas de urbanismo na midia, por exemplo da FAU e do Mackenzie.

    Enfim, antes de decidir prioridade de Metro deveria haver Debate Público com representantes técnicos, políticos, usuários e outros. Uma decisão do porte de priorizar a Metro 18 Bronze ou a – antiga – Metro 19 justificaria, acredito, um “Plebiscito” entre ambas.

    • Luiz Vilela, boa noite

      Essa eu endosso e assino embaixo.

      Me diga as datas do debate e do Plebiscito que eu
      estarei presente.

      Grato.

      Paulo Gil

    • Amigos Luiz Vilela e Paulo Gil.

      Todos querem METRÔ se possivel na porta de casa, portanto um “Plebiscito”ou um “Debate” seriam muito importantes, mas o grande problema é que haveria muitas guerras entre as associações de bairro, líderes comunitários e vereadores em seus nichos eleitorais.
      O Metrô, deveria de construir 4 a 5 linhas simultaneamente para diminuir o sofrimento da população dos quatro cantos da cidade.

      • Galesi, boa noite

        Concordo, mas ai é que está o “X” da questão, TODOS
        participando, DIALOGANDO e chegando a solução
        mais adequada.

        Claro que um ou outro ficará insatisfeito, mas pelo menos
        com a participação de vários setores, a solução não sera
        “umbiguista”, será democrática e da maioria.

        E isto sim é ótimo, usaremos a democracia, conquistada
        com tanto suor por inúmeros brasileiros de “peito”.

        Diálogoe Democracia sempre, em benefício do Interesse Público.

        Grato

        Paulo Gil

  16. Saudações à todos um abraço amigos Luiz Vilela e Paulo Gil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: