TRÓLEBUS CHEGAM AO JABAQUARA COM FORÇA POPULAR. OS PRIMEIROS VEÍCULOS JÁ TRAFEGARAM EM TESTES NO TECHO NA SEMANA PASSADA

trolebus

o Trólebus 7301, que representa uma inovação, já que teve seu sistema de corrente contínua mudado para corrente alternada e tem uma pintura diferente, verde, que se identifica com o Corredor verde e o apelo aos ganhos ambientais do trólebus, também fez parte de outra novidade e foi o primeiro veículo a circular, em testes, entre o trecho Piraporinha (Diadema) e Jabaquara (zona Sul de São Paulo). Foto: Adamo Bazani

Os primeiros trólebus circularam em testes no trecho de 11 quilômetros na semana passada

RENATO OZÓRIO – VIA TRÓLEBUS

Com 23 anos de atraso, na semana passada rodaram pela primeira vez os ônibus elétricos no trecho entre o terminal Piraporinha e o terminal jabaquara, em caracter de testes da rede aérea recem instalada e subestações e chaves. Trafegaram primeiramente no trecho entre Piraporinha e Term. Diadema o trólebus 7301, e no dia posterior o veículo 7211 até o Jabaquara.

O corredor construído na década de 80 previa a operação de trólebus em todo o trajeto, mas depois de diversas descontinuidade administrativas só agora em 2011 a EMTU concluiu a instalação, após uma ação civil pública da ONG Earth (Entidade Assistencial de Reciclagem e Trabalhos Humanitários) feita em 2006, cobrando da EMTU a eletrificação do trecho, já que esse trabalho deveria ter sido feito há cinco anos. A reivindicação da instalação da rede elétrica até o Jabaquara, levou em consideração os benefícios dos trólebus, já bem conhecidos por nós neste blog. O trecho entre Diadema e o Brooklin também prevê no seu contexto original o uso da tecnologia trólebus, porem o secretário de transportes metropolitanos, Jurandir Fernandes, já disse que dificilmente será feita a eletrificação, sobre o prestesto de que seria inviável, pois a faixa exclusiva e dividida entre ônibus intermunicipais e municipais.

Este fato levanta uma questão importante: Nos últimos anos, este tipo de ação junto a justiça foi a única arma que nós, população que usa o transporte público, pudemos usar na questão do trólebus. O Governo do estado, assim como a prefeitura da cidade de São Paulo tem diversos projetos para a mobilidade limpa, como ônibus a hidrogênio, veículos movidos a GNV e etc. Claro que todos são muito bem vindos no combate á poluição atmosferica, mas é o trólebus, este que tem sua eficiencia comprovada e não emite nenhum gás nocivo?
Não é previsto operação 100% trólebus a curto prazo no trecho entre São mateus-jabaquara, mesmo com a rede instalada. Na capital a coisa é um pouco pior. Dos 140 trólebus previstos em edital de concessão da área 4 até 2010, apenas 12 foram adquiridos, mas o dicruso da prefeitura é que até 2012 todos os 128 veículos restantes estarão rodando. Como que se em maio de 2011 não temos informações de compra de nem de 10 veículos?

O uso da internet, como os blogs livres, iguais a este, as redes sociais, trazem a democratização da informação. Então o uso dessas ferramentas somados a ONG’s que visam a qualidade de vida podem ser instrumentos valiosíssimos de reclamar aquilo que é de nosso direito: Um transporte mais decente.
Renato Ozório é técnico em transportes e responsável pelo Portal e Twiter Via Trólebus

5 comentários em TRÓLEBUS CHEGAM AO JABAQUARA COM FORÇA POPULAR. OS PRIMEIROS VEÍCULOS JÁ TRAFEGARAM EM TESTES NO TECHO NA SEMANA PASSADA

  1. Amigos, boa noite

    A questão Tróleibus não há novidades.

    O que deve ser apronfundado neste Blog é a questão do fornecimento de
    energia, redes, subestações, manjtenção e outros correlatos, pois ao que
    me parece nestas questões é onde está o gargalo.

    Aparentemente há um total descompaço entre os geradores e transmissores de energia/ empresas / órgãos e departamentos públicos que envolvem a questão Tróleubus; afinal este é quase tão conhecido como a roda.

    Tem cabo, mas não tem energia, tem energia, mas caiu o cabo, tem cabo, tem energia, mas não tem substação de distribuição e assim vai…

    Grato

    Paulo Gil

  2. Mas antes passava trolebus lá né?

  3. Bom dia à todos !

    Mesmo ciente dos benefícios do Trolébus, trago uma pergunta para refletirmos:

    No futuro, haverá energia elétrica, num custo acessível, para movimentar este meio de transporte, sem vestirmos um santo e desvestirmos outro ?

  4. Prezados amigos

    De acordo com a ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS TRANSPORTES PÚBLICOS, ANTP, mesmo tendo; 20 linhas de metrô, 500 km de ferrovias, 60 linhas de trolebus, só na cidade de São Paulo, mesmo que haja trolebus em todas as capitais do Brasil, e voltem os sistemas de Araraquara, Ribeirão Preto, Recife, o potencial elétrico é muito pouco utilizada, se juntarmos tudo não chega a 1% de toda energia elétrica gerada. A própria Eletropaulo em um seminário, disse que há muita energia elétrica que ainda há para ser descoberta, pois o potencial elétrico está sendo pouco utilizada.

    Existem várias idéias como Subestações de alimentação movidas à gás natural e Alcool, os próprios trolebus em corrente alternada podem diminuir os custos de manutenção, e inclusive a própria rede de trolebus pode ser em corrente alternada sem necessidade de instalações de cabos alimentadores, dependendo apenas de pequenos transformadores para equalizar a energia elétrica na rede. A eletricidade é uma energia renovável, ao contrário do óleo diesel e gasolina que são combustiveis finitos e caros.

    O poder público tem que investir no potencial máximo, sempre lembrando que a energia elétrica é a energia do futuro.

    Um bom exemplo é que existe uma empresa que já está fazendo pesquiza para gerar energia eletrica regenerativa, ou seja cada casa teria um poste com uma pequena ventuinha na qual geraria energia eólica que alimentaria a casa e o excedente vaí para a rede, e o mesmo com energia solar, sem contar que até do lixo você conta com energia elétrica como por exemplo, no antigo aterro sanitário de São Mateus, está sendo gerada energia elétrica na qual está sendo vendida para a eletropaulo na qual alimenta 220 mil residências por 10 anos.

    Vida longa aos trolebus que nos corredores são imbatíveis.

  5. Amigos, bom dia

    Sr. Galesi, ficou claro que energia tem.

    Mais uma pergunta:

    Ao invés daquelas hastes do tróleibus o que o Sr. acha de colocar algo
    igual aos pantógrafos do trem, com a parte superior em formato “U”?

    Na minha modesta opinião, entendo que valeria um estudo, e com esse pantógrafo
    em “U” poderá até se pensar em substiruir os cabos por uma lâmina rígida como o utilizado no metro Linha 4 Amarela.

    Fica ai mais uma idéia, que pode até dar certo, precisamos olhar as coisas por
    outro ângulo, afinal o tróleibus já está a anos utilizando o mesmo sistema.

    Os especialistas podem e devem se manifestar a respeito.

    Muito obrigado.

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: