TRÓLEBUS CHEGAM AO JABAQUARA COM FORÇA POPULAR. OS PRIMEIROS VEÍCULOS JÁ TRAFEGARAM EM TESTES NO TECHO NA SEMANA PASSADA

trolebus
o Trólebus 7301, que representa uma inovação, já que teve seu sistema de corrente contínua mudado para corrente alternada e tem uma pintura diferente, verde, que se identifica com o Corredor verde e o apelo aos ganhos ambientais do trólebus, também fez parte de outra novidade e foi o primeiro veículo a circular, em testes, entre o trecho Piraporinha (Diadema) e Jabaquara (zona Sul de São Paulo). Foto: Adamo Bazani

Os primeiros trólebus circularam em testes no trecho de 11 quilômetros na semana passada

RENATO OZÓRIO – VIA TRÓLEBUS

Com 23 anos de atraso, na semana passada rodaram pela primeira vez os ônibus elétricos no trecho entre o terminal Piraporinha e o terminal jabaquara, em caracter de testes da rede aérea recem instalada e subestações e chaves. Trafegaram primeiramente no trecho entre Piraporinha e Term. Diadema o trólebus 7301, e no dia posterior o veículo 7211 até o Jabaquara.

O corredor construído na década de 80 previa a operação de trólebus em todo o trajeto, mas depois de diversas descontinuidade administrativas só agora em 2011 a EMTU concluiu a instalação, após uma ação civil pública da ONG Earth (Entidade Assistencial de Reciclagem e Trabalhos Humanitários) feita em 2006, cobrando da EMTU a eletrificação do trecho, já que esse trabalho deveria ter sido feito há cinco anos. A reivindicação da instalação da rede elétrica até o Jabaquara, levou em consideração os benefícios dos trólebus, já bem conhecidos por nós neste blog. O trecho entre Diadema e o Brooklin também prevê no seu contexto original o uso da tecnologia trólebus, porem o secretário de transportes metropolitanos, Jurandir Fernandes, já disse que dificilmente será feita a eletrificação, sobre o prestesto de que seria inviável, pois a faixa exclusiva e dividida entre ônibus intermunicipais e municipais.

Este fato levanta uma questão importante: Nos últimos anos, este tipo de ação junto a justiça foi a única arma que nós, população que usa o transporte público, pudemos usar na questão do trólebus. O Governo do estado, assim como a prefeitura da cidade de São Paulo tem diversos projetos para a mobilidade limpa, como ônibus a hidrogênio, veículos movidos a GNV e etc. Claro que todos são muito bem vindos no combate á poluição atmosferica, mas é o trólebus, este que tem sua eficiencia comprovada e não emite nenhum gás nocivo?
Não é previsto operação 100% trólebus a curto prazo no trecho entre São mateus-jabaquara, mesmo com a rede instalada. Na capital a coisa é um pouco pior. Dos 140 trólebus previstos em edital de concessão da área 4 até 2010, apenas 12 foram adquiridos, mas o dicruso da prefeitura é que até 2012 todos os 128 veículos restantes estarão rodando. Como que se em maio de 2011 não temos informações de compra de nem de 10 veículos?

O uso da internet, como os blogs livres, iguais a este, as redes sociais, trazem a democratização da informação. Então o uso dessas ferramentas somados a ONG’s que visam a qualidade de vida podem ser instrumentos valiosíssimos de reclamar aquilo que é de nosso direito: Um transporte mais decente.
Renato Ozório é técnico em transportes e responsável pelo Portal e Twiter Via Trólebus