EMPRESÁRIOS OFERECEM REAJUSTES MENORES E MOTORISTAS DECIDEM GREVE EM ASSEMBLÉIA

ÔNIBUS

Nesta quarta-feira, às 16 horas, os motoristas, cobradores e demais funcionários dos transportes coletivos da cidade de São Paulo devem se reunir em Assembléia para decidir rumos do protesto pelo aumento e correção dos salários, além de outras reivindicações trabalhistas. Por conta do protesto realizado desde o meio dia desta terça-feira, intensificado no final da tarde, entre 1200 e 2000 ônibus deixaram de circular no horário de pico. Foto: Adamo Bazani

Empresários oferecem reajuste menor e assembléia vai decidir se motorista retoma a greve em São Paulo
Paralisação na tarde desta terça-feira retirou cerca de 1500 ônibus das ruas. Motoristas, cobradores e demais funcionários dos transportes querem correção e aumento real

ADAMO BAZANI – CBN

Representantes do sindicato dos motoristas de ônibus e das empresas que operam os transportes coletivos municipais de São Paulo se reuniram na noite desta terça-feira para tentar negociar o aumento real de salário e a correção pela inflação reivindicada pelos trabalhadores.
Por conta do impasse das negociações, que se arrastam desde março deste ano, inicialmente os funcionários do setor de manutenção das 32 garagens da Capital Paulista iniciaram protestos paralisando as atividades desde o meio dia desta terça-feira, dia 17 de maio de 2011.
Na parte da tarde, os motoristas e cobradores que assumiriam o último turno e que reforçariam o número de ônibus para atender o horário de pico, não foram trabalhar de acordo com o Sindicato. Além disso, os setores de manutenção não tinham feito os serviços de revisão e abastecimento que garantiriam os veículos nas ruas em condições de operar.
Cerca de 1,5 milhão de pessoas foram prejudicadas diretamente com os atrasos por conta de intervalos maiores entre os ônibus, muitas linhas funcionaram no horário de pico como se estivessem em horário cuja frota é reduzida, e mais de 6 milhões de pessoas acabaram sentindo os reflexos da manifestação.
O Sindicato afirmou que 2 mil, dos mais de 8 mil ônibus de empresas regulares, não foram às ruas. A SPtTrans, São Paulo Transportes, calcula que a frota foi desfalcada em 1.200 ônibus e disse que os passageiros não enfrentaram tantos prejuízos, sendo obrigados, no entanto, a esperarem mais tempo nos pontos e a entrarem em ônibus mais lotados.
Os rumos da paralisação devem ser decididos nesta quarta-feira, dia 18 de maio de 2011, quando os motoristas farão uma Assembléia. O ato vai ser realizado às 4 horas da tarde.
Até lá, o Sindicato dos Trabalhadores garante que os passageiros não serão prejudicados.
Os trabalhadores do setor de transportes pedem correção dos salários de 7,3% o que corresponde à inflação apurada pelo Disse (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos), entre maio de 2010 e abril de 2011. Além disso, a categoria reivindica aumento real de 5% nos salários, elevação de R$ 11,00 para R$ 15,00 do Vale Refeição e Participação nos Lucros de R$ 1100.
O SPUrbanus, que representa as empresas de ônibus, só oferece a correção da inflação.
A paralisação não atingiu os serviços de cooperativas de transportes.
Os mecânicos, eletricistas e pintores querem equiparação dos vencimentos aos salários dos funileiros, que são maiores. O Sindicato quer a formalização dos cargos de borracheiro e fibreiro, que não têm piso salarial estipulado.
Segundo o Sindmotoristas, a paralisação desta terça-feira ocorreu por conta de os representantes das empresas terem desmarcado reuniões para discutir a reivindicação dos trabalhadores.
Adamo Bazani, jornalista da CBN, especializado em transportes.

1 comentário em EMPRESÁRIOS OFERECEM REAJUSTES MENORES E MOTORISTAS DECIDEM GREVE EM ASSEMBLÉIA

  1. Gostariad e dizer que isso é uma falta de respeito para com os trabalhadores da classe pois os mesmos não tiveram nenhuma resposta ao seu pedido de aumento sendo que isso os empresários ganham mas e mas enquanto os trabalhadores so recebem micharia além disso pra ajudar ainda tem alguns sindicatos como os dos trans da inter que so fazem o que os empresários manda enquanto os que mantem o sindicato ficam a ver navios isso é mas uma forma de ganhar dinheiro sem trabalhar a custa dos trabalhador, por isso o brazil é bom e todo mundo que vir morar aqui ……..

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: