MOBILIDADE E COPA: FALTA DE ESTÁDIO E DESCASO COM OS TRANSPORTES POR SÃO PAULO IRRITAM ATÉ A FIFA!

: Simulação em computador do projeto do Polo de Itaquera, projeto em conjunto da Prefeitura de São Paulo e do Governo do Estado para preparar a região para a Copa de 2014. Mas, apesar da ilustração ser muito bonita, parte da população e a Fifa já perderam a confiança em São Paulo. O eventual estádio do Corinthians pode não ficar pronto a tempo e com condições para abrigar a abertura do evento. Além disso, a falta de definição de São Paulo sobre políticas de transportes, que parece mais pensar no mundial do que a população, irrita a própria Fifa. Quando estádio seria o Morumbi, todas as atenções se voltavam para o Monotrilho 17 ouro. Depois que o estádio foi descartado, as obras deixaram de receber o mesmo destaque por parte do Governo. O Complexo de Itaquera pouco leva em conta o transporte público e há o risco de, num eventual descarte do possível estádio do Corinthians, toda essa ilustração bonita e as obras para Itaquera também perderem prioridade, como ocorreu com o Monotrilho 17 Ouro – Aeroporto – Morumbi – Metrô São Judas.

MOBILIDADE E COPA: Alerta vermelho para São Paulo
Cidade é a que apresenta as maiores indefinições quanto aos jogos e à mobilidade em geral. Ministro diz que o trem das obras já entrou nos trilhos: falta o último vagão, que é São Paulo
ADAMO BAZANI – CBN
Alerta vermelho para São Paulo. Este foi o sinal dado pela Fifa (federação máxima do futebol mundial) no mais recente relatório do Comitê Organizador em relação a São Paulo. Para isso, o órgão se baseou na falta de definição quanto as obras para o estádio na cidade, que em tese deve abrir o Mundial, e na inércia em relação às obras de transportes coletivos e mobilidade em geral.
O Sinal vermelho, declaradamente pelo Comitê Organizador, significa situação crítica.
São Paulo tem sido alvo de críticas e ironia.
Na semana passada, o secretário da Fida, Jêróme Valcke, esteve no Brasil. Não ficou satisfeito com as condições gerais de obras de estádios e transportes, mas se preocupou com a situação de São Paulo e cobrou mais agilidade.
Também na semana passada, o Ministro dos Esportes, Orlando Silva, elogiou as cidades-sede de uma maneira geral, já que algumas estão transformando projetos em obras, mas disse que São Paulo é o que está mais atrasado e o que falta para que a o Brasil engrene de vez na nova realidade imposta pelos preparativos para o mundial.
“Caiu a ficha e a locomotiva entrou nos trilhos. Agora só falta subir o último vagão, o das obras em São Paulo” – disse Orlando Silva Júnior em coletiva.
As obras de mobilidade têm promessas para serem concluídas, mas não se sabe quando começarão de fato. Isso porque o poder público não passou até agora confiabilidade em relação a prazos e prioridades.
Até julho de 2010, quando a promessa de sede dos jogos era o estádio do Morumbi, os holofotes da mobilidade estavam sobre o Monotrilho (estrutura de trilhos sobre um viaduto) da Linha 17 Ouro, previsto para ligar o Aeroporto de Congonhas à região do Estádio. Os 21,5 km de extensão teriam 22 estações pelo projeto original.
Mas depois que o Morumbi foi descartado pela Fifa, o Monotrilho não recebeu mais a mesma atenção, como se a região do estádio e do aeroporto não precisasse mais de melhorias nos transportes só porque não vão mais abrigar jogos internacionais. O Monotrilho da linha 17 Ouro já veio como uma promessa, difícil de acreditar num primeiro momento e difícil de ser colocado em prática. Tanto é que o Portal da Transparência, do Governo Federal, chegou a colocar como final de 2010, a previsão de inauguração do primeiro trecho entre o Metrô São Judas e o Aeroporto de Congonhas. Acompanhe o conteúdo do portal e as previsões dadas pelo Governo do Estado de São Paulo:
Trecho 1: São Judas – Aeroporto de Congonhas
Características: 3,8km de extensão, duas estações e quatro trens, previsto para ser inaugurado até o final do ano de 2010.
Trecho 2: Aeroporto de Congonhas – Estação Morumbi (Linha 9)
Características: ligação ao Jabaquara, com 10,8km de extensão, 12 estações e 13 trens.
Trecho 3: Estação Morumbi (Linha 9) – Estação São Paulo-Morumbi (Linha 4)
Características: 6,9km de extensão, seis estações e 11 trens, previsto para ser inaugurado até o final do ano de 2013.
O Governo garante que mesmo o Morumbi não sendo mais palco dos jogos, o monotrilho vai sair do papel, mas já não afirma mais categoricamente que concluirá toda a obra nos prazos previstos. Inclusive, há uma estimativa de finalização somente em 2015, apesar de a obra ter recebido recursos para a Copa, do PAC da Mobilidade.
Os holofotes se voltaram agora para o Itaquerão, o virtual estádio do Corinthians.
A Prefeitura de São Paulo anunciou uma série de obras para o entorno do terreno onde deve ser o campo de futebol.
Mas pela quinta vez, as promessas do Itaquerão por enquanto não passam apenas de expectativas.
Na última sexta-feira, com pompa, o time do Parque São Jorge anunciou que fechou um acordo com a Prefeitura de São Paulo e um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público de São Paulo que anunciaram que o clube poderá usar o terreno.
O vice-presidente de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosemberg disse que as obras começariam no final de maio.
Mas isso será uma missão impossível.
Nem o Corinthians e nem a construtora Odebrecht sequer solicitaram ainda o financiamento de R$ 400 milhões para o BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social. A obra ao todo vai custar, numa previsão inicial, R$ 650 milhões. A diferença entre o valor a ser ainda financiado pelo BNDES e total viriam de abatimentos de impostos por parte da Prefeitura, ou seja, dinheiro público para facilitar um clube de futebol particular, contrariando as declarações de Gilberto Kassab no ano passado.

FALTA MUITO AINDA PARA LIBERAR AS OBRAS DO ITAQUERÃO:

Além de não haver dinheiro solicitado ao BNDES, dinheiro é o básico para a execução de qualquer obra, faltam vários trâmites burocráticos que tendem a demorar. A começar que a obra não tem alvará. Isso mesmo, sem alvará simples para construção.
O RIV – Relatório de Impacto de Vizinhança ainda precisa passar por avaliação da Secretaria de Habitação. Depois da Habitação analisar o relatório, se não houver nenhum problema, ele vai para a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.
Após todas essas análises, e se houver aprovação, a documentação irá para o Cades – Conselho de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.
O Cades dará um parecer técnico que irá para a Secretaria de Habitação. Estando tudo certo, só aí é que será liberado o alvará para o início das obras.
Se nenhuma etapa dessas for propositadamente pulada, o prazo para o início das obras vai extrapolar o final de maio anunciado pelo vice-presidente de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosemberg.

TEMPO APERTADO:
O passar do tempo pode eliminar o Itaquerão da Copa, se não houver tapetão. Isso porque a Fifa estipulou que as obras dos estádios fiquem prontas até dezembro de 2013. Um estádio como do porte do Itaquerão demoram pelo menos 30 meses para ser finalizado, como o próprio Corinthians anunciou. Ou seja, para cumprir o prazo da Fifa, as intervenções devem começar até julho deste ano. Se for levado em consideração o prazo de 33 meses (3 meses a mais como título de segurança para a obra ficar conforme o planejado), o Itaquerão já está atrasado.
Se não bastasse toda a burocracia e até mesmo desencontros entre discurso e prática por parte dos dirigentes do Corinthians , há também um entrave em relação aos dutos que passam no solo do Itaquerão.
Os dutos Osvat 22 e Osvat 24 da Transpetro precisam ainda de licença ambiental para o reposicionamento. Após a licença ambiental, a obra pode ser concluída em 120 dias.
São Paulo pode até aspirar a abertura da Copa do Mundo. Mas para abrigar a Copa das Confederações em 2013, a chance é quase zero.
Pelo menos se depender do Itaquerão e das obras de transportes públicos e trânsito.
O próprio presidente do Corinthians, André Sanches, descartou o eventual estádio do Corinthians para a Copa das Confederações e indicou a arena do rival para os jogos: a Arena Palestra Itália.
“É inadmissível que o estado de São Paulo fique fora da Copa das Confederações. Se o estádio do Corinthians não ficar pronto, também pode ser o do Palmeiras, que também é moderno e tem toda a estrutura” – disse em coletiva Andres Sanches.
O dirigente corinthiano também não dá garantias de que o estádio Itaquerão poderá abrigar aos jogos do mundial, pois o projeto inicial do Corinthians era de que o local comportasse 48 mil pessoas e não 65 mil como exige a Fifa e querem Kassab e Alckmin.
A Fifa já deu o ultimato e a cidade mais relevante do ponto de vista econômico do País pode perder a abertura dos jogos: Seria a terceira derrota de São Paulo, que já perdeu a opção pelo Morumbi e a Copa das Confederações.
No lugar de São Paulo, a cidade que pode abrigar a abertura da Copa, confirmada a decisão da Fifa , será Brasília com o estádio Mané Garrincha.
As obras estão dentro do tempo previsto, vão custar R$ 671 milhões e o estádio poderá abrigar até 65 mil torcedores.

MOBILIDADE:
Definitivamente, a mudança do estádio, com o Morumbi descartado, foi uma prova que a cidade de São Paulo não tinha um plano diretor de mobilidade avançado e priorizado.
O Monotrilho do Morumbi e de Congonhas, mesmo as pessoas nestes locais estarem carentes de uma mobilidade mais moderna e eficiente há muito tempo, já não tem o mesmo destaque, depois de a Fifa rejeitar o estádio são paulino.
Agora a correria é para estruturar a zona Leste.
Mas o pacote de investimentos de R$ 478,2 milhões, assinado entre o prefeito Gilberto Kassab e o governador Geraldo Alckimin, para o que foi chamado de Polo de Itaquera prevê mais intervenções viárias para carros que para o transporte coletivo.
O Governo do Estado diz que vai investir, além disso, R$ 2 bilhões na modernização da linha 3 Vermelha do Metrô Palmeiras – Barra Funda / Corinthians – Itaquera, mas não especifica quais tipos de investimentos serão realizados.
Em relação ao pólo de Itaquera, estão previstas as seguintes intervenções, previstas no orçamento de R$ 478,2 milhões:
• Construção de um terminal de ônibus conectado à Radial Leste e à estação do Metrô Corinthians – Itaquera.
•Conexão da linha 3 Vermelha do Metrô com a linha 11 coral da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (Estação da Luz – Guaianazes, conhecida como Expresso Leste).
•O trânsito de veículos será redistribuído na Avenida Miguel Ignácio Curi.
•A Avenida Engenheiro Adervan Machado que cruza a Radial Leste vai passar por baixo dela, pela construção de uma passagem de nível onde hoje é o cruzamento.
•A Radial Leste vai ser alargada entre a Avenida Antônio Estevão e Avenida Luiz Aires. Neste alargamento está prevista a construção de uma pista local para acesso direto ao estádio Itaquerão.
•A Avenida José Pinheiro Neto, a Nova Radial, terá uma ligação com a Avenida Águia de Haia.
•A alça do retorno da Radial Leste que fica no sentido bairro vai precisar de adaptação para atender o metrô e à nova estação de ônibus.
O Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura prometeram finalizar as obras em 2013. Os poderes estadual e municipal apresentaram data final das obras, mas ainda não confirmaram o início efetivo.
Apenas uma coisa é certa quanto a mobilidade em São Paulo, na apenas para a Copa, mas para depois dela, que é o que verdadeiramente interessa: a incerteza.
O estádio do Corinthians tem muitas etapas burocráticas e financeiras para começar a ser construído.
As obras de mobilidade pouco privilegiam o transporte público e o temor da população é que ocorra como no Monotrilho do Morumbi: a qualquer palavra diferente da Fifa, tudo muda, as prioridades deixam de ser os focos das atenções e as intervenções sofrem atrasos.
Um crítica que se faz em relação a estas obras no Polo de Itaquera é que, apesar sim de elas, se concretizadas, poderem melhorar o ir e vir das pessoas, como diz o próprio nome, elas estão muito polarizadas e pontuais não na Zona Leste mas na região do estádio que ainda não é uma certeza de se tornar realidade a tempo.
Adamo Bazani, repórter da CBN e jornalista especializado em transportes.

10 comentários em MOBILIDADE E COPA: FALTA DE ESTÁDIO E DESCASO COM OS TRANSPORTES POR SÃO PAULO IRRITAM ATÉ A FIFA!

  1. Uma vergonha para a cidade de São Paulo, uma cidade considerada o polo financeiro do país não tem condições de abrigar a copa do mundo. Parece que tudo nessa cidade tem cara de atrazado, tudo que se faz aqui é sempre na ultima hora ou talvez obras que talvez nem saia do papel.
    Me lembro que em 1997 quando o governo do estado apresentou o projeto da linha amarela do metrô, já se cogitava uma copa do mundo no Brasil. Eu tinha um guia de ruas que ja tinha o desenho do projeto dessa linha passando proximo do estadio do São Paulo. Desse ano pra cá o que temos? Basicamente o metrô ainda está em construção e nada foi feito para o estádio do Morumbi.
    Me lembro tambem que em 1992 quando foi inaguarado o trecho do metrô até Itaquera onde foi dado o nome de Estação Corinthians – Itaquera, sempre fiquei sabendo que ali seria contruido o estádio do Corinthians. O que foi feito até agora?
    Se nem o governo esteve preocupado com o transporte público durante decadas imagine agora com os estádios. Agora querem fazer milagre em construir tudo em menos de 3 anos, isso é provavel que é impossivel.

  2. Boa tarde à todos.

    Respeitando a opnião de cada um, acho que, na verdade não deveríamos sequer sediar a copa do mundo e as olimpíadas; não sem antes, resolvermos ou encaminharmos bem, os inúmeros problemas sociais e no caso, de mobilidade urbana que temos.

    É evidente o desejo do país, de alcançar uma condição de destaque mundial, mas, da forma como estamos fazendo, apenas estamos servindo de motivo para desdém.

    Por fim, sou contra, deixarmos para última hora e na calada da noite, corrermos atrás do metrô, dos corredores para o BRT e tantas outras soluções, pois, existe uma enorme possibilidade de, pagarmos uma conta, maior do que a necessária.

  3. Ainda bem que neste blog podemos colocar nossas opiniões sem ser passados por um mediador de um certo jornal… Deixo aqui meu protesto em razão que poucos estão usando a copa para ganhar muito mas muito dinheiro mesmo ou seja sem licitações sem organização, dinheiro público está indo para o ralo temos uma zona leste no limite máximo de transporte, hospitais super lotados, moradia sem organização alguma e Governador e Prefeito usando a mídia para se promover dizendo que tudo será entregue a tempo PURA DEMAGOGIA DE SEM VERGONHAS QUE ESTÃO AI GRAÇAS AO VOTO OBRIGATÓRIO..Olhem a Radial Leste todo dia travada, Olhem o Metro Todo dia super lotado e não é só de manhã é o dia todo, Olhem os Hospitais sem condições de um atendimento digno…Hora senhores é a copa vai acontecer sim e sabem porque..???…VERBA PÚBLICA SEM LICITAÇÕES…V E R G O N H A Na cara..temos que mudar a Zona Leste e Moradores não precisam desta propaganda FALSA

  4. Convido a todos a visitarem nosso blog : http://qualidadedotransporte.blogspot.com/ , que traça justamente o descaso da prefeitura com o transporte público.

    Aproveito para convidar todos a acessarem no facebook o nosso convite ao prefeito para andar nas linhas de São Paulo em horário de pico.

    https://www.facebook.com/event.php?eid=205267479511366

  5. A mesquinharia politica, assim como a arrogancia do governador e do prefeito da cidade de São Paulo fazem por merecer-mos isto, pois já algum tempo temos nos manifestado sobre o tema transporte nas cidades e todos os dias a TV mostra o caos que se tornou o metrô na linha 3, imagina numa copa do mundo no que isso se tronaria, além disso não haverá tempo para construir metrô, VLT, monotrilho até o evento assim como também duvido que o Itaquerão esteja pronto até 2014. Só temo que lamentar e não votar mais nesses caras.

  6. Pra você ver a falta de interesse dos governantes do nosso país, na real galera, nós temos sim condições de ter uma copa e uma olimpíada por aqui, o que não temos são pessoas competentes e comprometidas o suficiente para fazer isso. Aqui em Brasília por exemplo tão falando que vão fazer o tal do VLT, fala sério, isso não vai ficar pronto até a copa do mundo nunquinha, eles tem é que melhorar o tranporte público da capital, o governo precisa fazer isso urgente e se unir com os empresário para melhorar o transporte afim de ficar no minimo bom para a copa do mundo.

  7. Realmente, lendo os comentário vi o da Laís, essa questão de VLT é balela para que tenham motivos para o desvio de verbas, tem muita coisa por trás, muita falcatrua. Esperamos que as coisas possam receber coisas boas! E uma das coisas de melhor que poderiam ser feitas para o DF é a questão do investimento nas empresas de ônibus.

  8. Muitas coisas que as pessoas propõem são necessárias não para a melhoria populacional, mas sim de buscas infundadas por desvios de recursos e etc… É preciso que haja verdadeiro controle para isso.

  9. Carlos de sousa // 7 de junho de 2011 às 19:41 // Responder

    Como o pessoal tem falado o VLT de Brasília é só mais um esquema para ganhar dinheiro…. parece que tem um esquema com uma empresa estrangeira para desviar o recurso. Vergonha Brasília.

  10. Alberto da Sivla // 7 de junho de 2011 às 19:45 // Responder

    Brasília, como São Paulo é vergonhoso, quando se fala de transporte. No DF o sistema esta a beira do limite, se não for feito uma reforma urgente, o trabalhador vai continuar a pagar o preço.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: