BALTAZAR NÃO MANDA MAIS EM MAUÁ

“Empresa de ônibus não manda em Mauá”
Declaração foi feita pelo vice-prefeito de Mauá, Paulo Eugênio, em referência a quebra do monopólio dos transportes na cidade que pertencia ao empresário Baltazar José de Sousa. Melhoria nos transportes significa ganho para a população e será uma das plataformas políticas para a reeleição de Oswaldo Dias

ADAMO BAZANI – CBN

leblon, cidade de mauá

População de Mauá, depois de várias disputas judiciais e até atos violentos durante a transição do sistema de transportes, agora pode comparar os serviços entre duas empresas de grupos diferentes. Prefeitura também pode traçar parâmetros comparativos. A quebra do monopólio dos transportes de Mauá foi comparada pelo vice-prefeito Paulo Eugênio, com a ação que ocorreu em São Paulo em 2003, quando empresários que não correspondiam com bons serviços saíram da Capital Paulista. Foto: Adamo Bazani

Esse é o título claro da entrevista do vice-prefeito e secretário de Saúde de Mauá, Paulo Eugênio, que ocupa nesta sexta-feira, uma página inteira do Jornal ABCD Maior.
Ele afirma que não passa de lenda a história de que quem domina a cidade é o empresário Baltazar José de Sousa, que por mais de 20 anos operou exclusivamente os serviços municipais de Mauá.
Depois de muitas disputas políticas, judiciais e até atos violentos, a Leblon Transporte de Passageiros, vencedora reconhecida pela Justiça do Lote 02 dos transportes municipais, começou a operar no dia 06 de novembro. Por causa das ameaças e clima tenso, o primeiro dia de operação da empresa do Paraná, teve de contar com apoio policial.
Um dia antes de a empresa começar a funcionar, a Justiça Paulista ainda não tinha se decidido sobre o início das operações, o que ocorreu somente no final da tarde.
Paulo Eugênio não esconde o ganho na imagem da cidade que a entrada da Leblon proporcionou. Tanto é que Oswaldo Dias disputará, segundo o vice-prefeito, a reeleição.
O vice-prefeito comentou da estratégia da oposição em lançar vários pré-nomes como possíveis candidatos, sobre a cobrança na taxa da luz, os investimentos no Hospital Nardini e a regularização das áreas de ocupação.
Ainda sobre a quebra de monopólio de transportes em Mauá, Paulo Eugênio afirmou que, em São Paulo, a prefeitura enfrentou um período de transição difícil quando saíram da Capital Paulista vários empresários, que segundo a administração pública da época, não correspondiam às exigências de qualidade operacional e lisura com os recursos obtidos pelo sistema. Entre estes empresários que deixaram de prestar serviços em São Paulo, estava Baltazar José de Sousa, que operava totalmente os transportes de Mauá até 06 de novembro de 2011.

ABCDMaior: Qual o impacto que a alteração dos trajetos de ônibus trouxe para a cidade?

Paulo Eugênio: Nós percebemos que em Mauá todos os ônibus vinham para o centro da cidade, travando algumas vias e, geralmente não tão cheios. Do ponto de vista do trânsito. A idéia é fazermos a coleta de passageiros nos bairros, então uma baldeação no ponto, para, assim, termos uma quantidade menor de ônibus para o centro da cidade, garantindo conforto e rapidez. Teremos ônibus menores circulando nos bairros e maiores levando até o centro.

ABCDMaior: Essas mudanças seriam possíveis caso ainda apenas uma empresa estivesse na operação das linhas municipais?

Paulo Eugênio: Hoje podemos comparar os serviços das duas empresas, embora uma não esteja na mesma linha que a outra, até porque são lotes diferentes. A Secretara de Mobilidade Urbana pode comparar a qualidade do serviço prestado para o usuário e os horários. Então, aumentar a eficiência era um desejo antigo de Mauá. Além disso, quebrou-se a lenda de que era a empresa de ônibus que mandava na cidade. Quem manda na cidade é o poder público.

ABCDMaior: Marta Suplicy (PT) enfrentou situação semelhante quando era prefeita na Capital. Qual sua avaliação política sobre a quebra do monopólio?

O período de transição foi bem difícil. Na nossa avaliação isso já está superado. Teve momentos de violência, ameaças, a preocupação do sindicato com os trabalhadores, com medo de gerarmos demissões. Por isso, deu-se prioridade aos trabalhadores que já estavam na empresa, para que se implantasse uma nova empresa na cidade. Mas hoje não há possibilidade de retorno e o modelo vem sendo bem avaliado pela população. As duas empresas terão que funcionar no mesmo patamar de qualidade.

A entrevista seguiu com outros assuntos, além da área de transportes.
Mas a prefeitura, pelo vice Paulo Eugênio, deixou claro que houve sim atos violentos para a impedir da Leblon entrar, além da batalha jurídica, que era esperada, mas que agora não tem como a Leblon deixar de operar no lote 02 da cidade, mesmo ainda com as contestações judiciais por parte do grupo de Baltazar José de Sousa.
Confira a entrevista na íntegra:

http://www.abcdmaior.com.br/imagens/upload/jornal/306.pdf

O ABCDMaior também destaca que a partir de julho os passageiros da Viação Cidade de Mauá (antiga Barão de Mauá) e da Leblon poderão fazer integração tarifária com os trens da CPTM. Para isso já estão sendo feitas negociações entre Prefeitura de Mauá é Governo do Estado.. O acordo com a CPTM _ Companhia Paulista de Trens Metropolitanos foi fechado no início deste ano. A passagem deve ficar 13% mais barata. Hoje quem usa os ônibus municipais de Mauá e o trem gasta R$ 5,40 por sentido. Com a integração, o gasto deve cair para R$ 4,70.
Dos 130 mil passageiros diários dos ônibus municipais, 60%, ou seja, 78 mil passageiros, precisam continuar viagem de trem.
A economia com a integração, para quem usa o ônibus e o trem ida e volta, pode chegar a R$ 28 por mês.
Já a integração com os ônibus intermunicipais e entre os municipais de diferentes cidades no ABC, com o Bilhete Único Regional, está bem menos adiantada e sequer saiu no papel, estando apenas no âmbito das discussões do Consórcio Intermunicipal do ABC.
As especificidades de cada cidade são discutidas, o que tem sido o maior impedimento pa ara a integração regional. A integração não é bem vista por parte de empresários, tanto é que, na cidade de Santo André, tirando o sistema tronco alimentador de Vila Luzita, praticamente não há integrações sequer nos terminais.
A entrevista com o vice-prefeito foi assinada pela jornalista Fabíola Andrade e a matéria sobre a integração dos ônibus de Mauá com os trens da CPTM foi feita pela jornalista Carol Scorce.
Adamo Bazani, repórter da CBN, especializado em transportes.

7 comentários em BALTAZAR NÃO MANDA MAIS EM MAUÁ

  1. é não pode mandar, mas tá deixando a população feliz com os low entry que deram de 10 a 0 nos Gran Torinos da Leblon. Se soubessem antes que colocar o baltazar numa peleja fosse tão bom assim, já teria metade do grupo liquidado!
    Mas vou falar a verdade mesmo que isso não agrade os que detestam o baita-azar assim como eu, a Leblon é só terno e gravata. as linhas ainda demoram muito, e agora, até um poukinho mais que a do Baltazar. Alguem tem dúvida, de que coma frota que ela trouxe para Mauá é o bastante pra manter intervalos curtíssimos.
    O povo só tem a ganhar com a melhora da VCM e com o aprimoramento da Leblon.

  2. É isso mesmo Gabriel, com dois grupos distintos, a população só tem a ganhar. Pela entrada da Leblon, o serviço da Viação Cidade de Mauá teve de aumentar a qualidade. É certo que a Leblon também necessita de melhorias, mas pelo menos vemos que alguma coisa está acontecendo em Mauá, diferentemente de muitos lugares em que nada, absolutamente nada, se altera

  3. A vinda da Leblon para Mauá fez com que a população de certo modo pudesse distinguir e ao mesmo tempo entender o significado da palavra e ação QUALIDADE de serviço, a princípio o prefeito da cidade comprou uma briga muito séria com o Sr Baltazar ao impor através da licitação a vinda de grupos de empresas de outras cidades para concorrer as linhas de onibus da cidade, nós busólogos ficamos encantados com a tradição e qualidade dos serviços da Leblon, assimcomo também ficamos indignados com o jeito Baltazar de gerir e prestar serviços de ônibus não só para Mauá, mas também no ABCDM como um todo, muitos de nós fotografamos, denunciamos e comentamos sobre as mazelas das empresas, asim com criticamos em alguns momentos a pifia atuação da EMTU. Pois bem Mauá hoje é uma cidade que se tornou referencia sobre o que é possivel ser feito para melhorar a vida da populaçao que depende do transporte por ônibus. Sendo assim só falta a EMTU ter uma ação sobre as condições da frota e empresas. Meus parabéns Leblon, outro dia estive em Mauá e é visivel a qualidade dos ônibus da Leblon em relação á outra empresa. Forte abraço

  4. Gostaria de comentar também, sobre o fato de a EMTU fornecer linhas para empresas como, Imigrantes,Parque das Nações , Utinga, São Camilo e Ribeirão Pires, um ótimo exemplo de empresa que viza apenas lucros com carros com mais de 30 anos de uso em circulação será que a EMTU tem fiscalização nessas empresas? Pois apenas alguns exemplos ( São Camilo, dia 10/04/2011 estava em um dos carros da São Camilo e notei que o ônibus soltava mais fumaça dentro do que fora e pior fumaça preta estava de camisa branca imagina a cor que ela ficou quando cheguei no terminal Santo Andre (embarquei na Av Rudge Ramos em frente ao Extra Rudge Ramos) e no dia 13/04/2011, Estava no Term Piraporinha Diadema na espera da linha 236 sentido Sacomã depois de 1 e 27 minutos me aparece um carro desculpe – me a expressão da palavra mais velho que minha avó com acentos duros (que foi uma maravilha para minha coluna) Barulhento e sem contar que o Motorista pesava que estava em Interlagos ( Autódromo ) jogando os passageiros de um lado paro o outro para cima e para baixo, posso dizer que me sentir numa montanha russa, e ao questionar o porque de tanta pressa ele me informou que havia apenas dois carros na linha e que tinha que cumprir tabela de horários e que um terceiro carro havia quebrado próximo a avenida Taboão São Bernardo e que a empresa ( Imigrantes) não iria substituir o veiculo, quando desembarquei finalmente na Avenida do Curcino pensei que havia acabado de sair de um parque de diversões um trajeto que o ônibus costuma fazer em 1 hora mais ou menos se reduziu em 28 minutos imagina os idosos que estavão no veiculo como não ficarão. E por ultimo a linha 265 Santo André Conjunto Habitacional Teotônio Vilela da Empresa Nações Unidas, o mesmo carro com a cor amarelo caramelo que eu utilizava quando tinha 8 anos de Idade da empresa Utinga agora na empresa citada acima (Parque das Nações ). A EMTU realmente anda fiscalizando essas empresas?
    Porque se anda fiscalizando posso dizer que o Diretor da EMTU não anda e nunca andou de Transportes Públicos Metropolitano.
    Como diz nosso Amigo e Jornalista Boris Casoiy, Isso é uma vergonha.
    Se o Município de Maua, ganho licitação nova de empresa de ônibus e que esta modernizando a frota meus parabéns a quem bateu de frente com o Sr Baltazar.
    Abraço ao Colaboradores do Blog.

    • Prezado, boa tarde !

      Realmente tens razão no vosso desabafo, afinal, quando usuários, nós muitas vezes percorremos horas, dentro de um ônibus, mal conservado, sujo e conduzido por pessoas mal preparadas, mas, faço uma ressalva quanto aos vossos comentários. Pelo que acompanho do transporte no ABCD, não concordo com o que disseste sobre a Transporte Coletivo Parque das Nações Ltda., empresa que possui uma história. Seus carros são de pequeno e médio porte SIM, mas são limpos e pelo que sei, apesar de haver carros mais velhos, estes são bem conservados, e neste tocante, não adianta colocar carro OKM para rodar se não der manutenção e uma limpezinha, coisa que às vezes muitas grandes empresas não o fazem.
      Creio, você se recordará da época em que muitos de nós estavam na escola e ao nos utilizarmos dos ônibus para cumprirmos nossa alegre jornada, sentávamos em bancos um pouco mais confortáveis, com diferentes cores de courvim, contudo, lamento lhe dizer, como alguns NÃO RESPEITAM O PATRIMÔNIO PÚBLICO E PRIVADO e cortam, rasgam, isto quando não fazem coisa pior dentro de um ônibus que é a “SUA CONDUÇÃO”, nós pagamos pelo que eles fazem.
      É isso.

  5. André Rodrigues // 16 de abril de 2011 às 13:39 // Responder

    Meus Parabéns, ao Prefeito da Cidade de Maua exemplo de Competência
    E meus parabéns aos Blogueiros de plantão que lutão por um Transporte Publico decente e de qualidade.
    Abraços aos fundadores do blog.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: