RUA DO PADRE: FALTA DE CUIDADO COM A SINALIZAÇÃO CONFUNDE MOTORISTAS

Motorisas se confundem na rua do Padre Vanderlei Ribeiro. Acesso é livre, mas placa diz que não.

Placa de mão de direção que deveria estar coberta aos sábados confundiu diversos motoristas que não conseguiam entrar no bairro Paraíso e terem acesso aos hospitais e estabelecimentos comerciais próximos. Na semana, no quarteirão de uma igreja católica, a rua é de mão única, mas aos sábados, vira de mão dupla por causa da feira que ocorre no outro acesso paralelo. Foto Adamo Bazani

Placa aos sábados é coberta por um saco de lixo preto, o que não havia ocorrido no sábado dia 09 de abril. Saco é semelhante a este encontrado na mesma esquina jogado próximo a uma árvore. Foto: Adamo Bazani

Conversão de rua a pedido de igreja católica tem confundido motoristas
Neste sábado, dia 09 de abril, a placa de mão única não foi coberta o que obrigou quem não conhecia a região a dar uma volta muito maior e desnecessária. A pedido de fiéis da igreja, rua passou a ter uma mão de direção, mas aos sábado precisa operar em mão dupla por ser o único acesso a um bairro e hospitais

ADAMO BAZANI – CBN

O milagre da multiplicação. É isso que ocorre no trecho da Rua Macaúba, entre a Rua Ibiapava e a Rua Alenquer, no bairro Paraíso, em Santo André, onde fica o templo católico comandado pelo padre Vanderlei Ribeiro.
Multiplicação porque somente este quarteirão da rua, que serve de acesso ao bairro Paraíso e a hospitais, como o Estadual Mário Covas e o particular Brasil, é de mão única durante a semana e de mão dupla aos sábados.
Em março, a pedido dos seguidores do padre, com apoio de integrantes da igreja nossa senhora do Paraíso ligados a política, a rua passou a ser de mão única, no sentido Alenquer – Ibiapava,. O objetivo era dar mais espaço aos freqüentadores dos cultos da igreja para manobrarem e estacionarem seus carros em frente ao tempo, que não possui estacionamento e nem isolamento acústico suficiente. A minoria que freqüenta a igreja acabou sendo beneficiada sobre a maioria dos moradores dos bairros e pacientes dos hospitais. O acesso de ônibus, carros de passeio e ambulâncias foi bloqueado para o bem estar dos fiéis da igreja, que passa boa parte do tempo fechada.
A mudança foi feita pela Prefeitura de Santo André sem comunicar a SATrans, Santo André Transportes, que gerencia o sistema de ônibus da cidade.

Duas linhas de ônibus, que servem uma grande quantidade de passageiros que vão para o hospital, shopping ou precisam ter o direito de ir e vir assegurados iam ser prejudicadas já que a rua que utilizam, a Rua Jabaquara, paralela a Rua Macaúba, aos sábados é interditada por causa da feira livre que existe há anos no local.
Depois de reportagem do Blog, que comunicou a SATrans sobre a mudança (a gerenciadora nem sabia), a Prefeitura de Santo André, somente aos sábados permitiu que a Macaúba voltasse a ser de mão dupla.
Para isso, além de tirar os anti-estéticos e perigosos cavaletes da Macaúba para quem vem da Ibiapava todo o sábado cobria com um saco de lixo a placa indicando mão única de direção.
O sistema funcionou até este sábado, dia 09 de abril de 2011. Isso porque a placa de mão única não estava coberta e muitos motoristas se confundiram, com medo de entrarem na rua da igreja e até serem multados ou sofrerem acidentes.
O acesso a rua está liberado aos sábados, mas sem a cobertura da placa, somente quem conhece o bairro fica sabendo.
A reportagem esteve no local das 11h00 às 11h30 e pode contar pelo menos 12 veículos que ao passarem pela Jabaquara e encontrarem a feira pretendiam entrar na Macaúba, mas como a placa não estava coberta, retornavam a Ibiapava e faziam um longo trajeto para chegarem aos seus destinos.
Três motoristas, que paravam no congestionamento formado pelo semáforo do final da Ibiapava sentido Avenida Pereira Barreto foram avisados pela reportagem e confessaram que não sabiam que a rua era de mão dupla aos sábados justamente por que a placa não estava coberta.
Dois deles disseram que precisavam ir para o hospital.
As dúvidas são grandes pois a mesma rua é de mão única e mão dupla, dependendo dos dias da semana.
De domingo a sexta-feira, é mão única, às segunda por exemplo, o padre realiza cultos parecidos com a da Igreja Universal do Reino de Deus, onde até há cenas de pessoas manifestando com entidades, e a rua em frente da igreja fica lotada de carros. Até as ambulâncias que entravam pela Rua, para evitarem o trânsito maior e os semáforos da Avenida Pereira Barreto ficam impedidas de entrar.
De sábado, por causa da feira, o trecho volta a ser de mão dupla até o início da tarde.
Mas muitos previam que o cobre e encobre das placas iria dar problemas e foi o que ocorreu neste sábado, 9 de abril de 2011.
Moradores e comerciantes do bairro prevendo mais transtornos querem que a rua volte a ser de mão dupla todos os dias.
Eles acham a conversão em mão única desnecessária, que atrapalha o acesso ao bairro e que beneficia uma minoria.
Isso sem contar com a cultura do carro que ainda domina muitos brasileiros, que não abrem mão de seus veículos particulares para os deslocamentos, mesmo que em pequenas distâncias. Uma boa parte das pessoas que freqüenta a igreja paraíso mora a poucas quadras do templo.
Não havia nenhum agente de trânsito e a igreja não se pronuncia a não ser pelas missas.
De acordo com freqüentadores do templo, este repórter foi chamado de desocupado durante uma celebração religiosa.
Adamo Bazani, repórter da CBN e setorista em transportes.

3 comentários em RUA DO PADRE: FALTA DE CUIDADO COM A SINALIZAÇÃO CONFUNDE MOTORISTAS

  1. Adamo, boa tarde !
    Você está bem ? Desejo que sim !
    Há algum tempinho no blog, postei minha opnião a respeito do tema, você e os nossos amigos aqui, a conheceram.
    Bom…
    Interessante que, em uma cidade grande do ABC como esta, algumas coisas ainda acontecem como se estivessem em uma cidadezinha do interior, apesar de não se estar. Infelizmente, como você bem disse, nem para um curto trajeto de poucos quarteirões, de casa para uma padaria, numa ensolorada tarde de sábado, as pessoas deixam seu tomóvinho, na garagem, fazendo um pouco de exercício, apreciando a beleza da paisagem, desfrutando do “boa tarde” das pessoas.
    É uma pena.
    Abraço.

  2. Sinceramente eu imaginei que esta proibição de virar a esquerda para quem vem da Ibiapava, sentido Bairro, fosse para evitar a formação de fila que pudesse prejudicar o cruzamento da Ibiapava com a Pereira Barreto, tal como ocorre nos finais de semana em função do estacionamento do Habibs, que não comporta o número de carros.

    Nem tinha me atentado ao problema gerado nos sábados com a feira na rua de cima.

    Bom, então, muda a extensão da feira também, pô!!!!!! Faz o serviço completo.

    O acesso ao Zoológico em São Paulo, para quem vem da Cursino, é semelhante, pois opera em mão dupla nos dias de semana e em mão única no sábado. Coisa estudada e principamente, OPERADA por agentes de trânsito. Não se faz uma coisa destas simplesmente cobrindo as placas. Tem que ter operação de trânsito junto.

  3. Isso que me chamou a atenção. Tem de haver agentes nos dias em que a rua muda em relaççao ao resto da semana…..Mas sabe como é….é mais barato colocar um saco de lixo na placa e esquecê-lo.
    Quanto a formação de filas, o problema foi transferido de um lugar para o outro é até piorou. Pos da Ibiapava, o motorista tinha 2 opções para entrar no bairro: a Macaúba e a Jabaquara. Se tivesse fila na Macaúba, ele subia um quarteirão a mais. Agora, só tema Jabaquara de opção e a fila mudou pra lá, com o agravante que é maior por se só uma fila, sem opção, pois pelo Largo Paraíso ta,bém não dá prá entrar pela Rua Gamboa.

    Em resumo, nesta região do Paraíso, as pessoas só podem saur, entrar é mais difícil.

    Infelizmente parece uma cidadezinha esmo. O detalhe é que se fosse uma coisda bem planejada, poderia trocar toda a mão da Macaúba e pronto, justificaria uma preocupação com o trÇansito. Mas tamb´rm não teria necessidade.

    O curiso é que foi somente no quarteirão da igreja.

    Não tenho nada contra o padre Vanderlei e seus seguidores. Acho que ele até faz obras interessantes do ponto de vista espiritual. Mas como padre, se restrinja a isso.

    Ele tem de pensar na coletividade. ele e toda sua pastoral ligada a política.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: