EXCLUSIVO: SAIBA O QUE VAI ACONTECER COM O CONSÓRCIO LESTE 4

Ônibus da Viação Himalaia, uma das empresas do Consórcio Leste 4. Ministério Público pediu o bloqueio dos bens das empresas, mas elas tiveram os bens dilapidados, desviados, então, foi necessário pedir bloqueio de bens de diretores. FOTO: Adamo Bazani


ESPECIAL E EXCLUSIVO:

Dilapidação. Segundo o Dicionário Aurélio, ou qualquer outro que você tiver em sua casa, significa ESBANJAMENTO E ROUBO.
Foi isso que constatou o Ministério Público Estadual de São Paulo após mais de dois anos investigando as atividades das empresas que formam o Consórcio Leste 4. Empresas como a Himalaia Transporte e Novo Horizonte estão em SITUAÇÃO FINANCEIRA PRECÁRIA sem bens, enquanto ao mesmo tempo diretores enriqueceram e compraram IMÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Na Ação Civil Pública, movida nesta sexta-feira, pelo Promotor de Justiça do Patrimônio Público e Social, Saad Mazloum, foram encontrados elementos que indicam desvios de recursos destas empresas.
Além disso, pessoas armadas mandando e desmandando na Garagem do Sapopemba principalmente e um leilão de ônibus da Himalaia em 06 de fevereiro de 2011, descaracterizando a empresa completamente e transformando o serviço diesel numa cooperativa sem registro.
Isso sem contar nos atrasos, não cumprimentos de horários, sujeira, ônibus mal conservados e habitáculos de animais pestilentos. Gente que fazia linha quando queria ou que abandonava as linhas.
TIVEMOS ACESSO A ÍNTEGRA DA AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONTRA O CONSÓRCIO LESTE 4 E HÁ INFORMAÇÕES SURPREENDENTES.
Vale ressaltar que procuramos as pessoas citadas. Apenas uma foi localizada e não quis se manifestar, o que respeitamos, mas deixamos o espaço aberto.

Os fatos que levamos a público anteriormente através de reportagens isentas, pois não temos vínculos com ninguém, fazem parte da ação. Uma prova para quem ainda desconfiava deste Blog por ele não ser de nenhuma grife. Talvez a grife dele seja a da independência editorial, não é mesmo?. Confiram.

Conheça os principais pontos da ação civil pública contra Consórcio apontado como responsável por irregularidades nos transportes de São Paulo
Promotor diz que há provas de prestação de maus serviços e desvios de recursos das empresas para benefícios de sócios e administradores

ADAMO BAZANI – CBN

“A situação é gravíssima” – assim que classifica o Promotor de Justiça do Patrimônio Público e Social, Saad Mazloum, a realidade de prestação de serviços e até legal do Consórcio Leste 4, que atende a parte da zona Leste de São Paulo com a Himalaia Transportes e Empresa de Transportes Coletivos Novo Horizonte.
A classificação consta na ação civil pública movida nesta sexta-feira contra o Consórcio pelo Promotor e que foi divulgada em primeira mão pela reportagem.
Na ação, Saad Mazloum pede o bloqueio dos bens das empresas Himalaia, Novo Horizonte e Happy Play (esta última que não opera ônibus, mas faz parte do Consórcio operacional), dos seus sócios, e o pagamento de indenização de R$ 30 milhões de reais a título de dano moral pelas humilhações e contratempo passados pelos passageiros do Consórcio, expostos a lotação, ônibus mal conservados, sujos, atrasados e lotados.
A reportagem vem acompanhando de perto a situação da região. Com exclusividade, obteve documentos que indicam que nem todo o valor pago pela SPTrans ao Consórcio seria repassado aos donos de ônibus, que dizem receber por volta de R$,158, enquanto a SPTrans paga valor próximo a R$ 2,00 aos responsáveis pelo Consórcio, e provável falta de transparência nos depósitos de encargos e manipulação de recursos entre a Novo Horizonte e a Cooperativa Nova Aliança. Dinheiro da Novo Horizonte, segundo apontam alguns documentos, estaria indo para a Cooperativa. Isso, além de desequilibrar as contas da empresa, que, segundo os donos dos ônibus atua como cooperativa, dificultaria a própria gestão do sistema pela SPTrans, que poderia não ter os balanços corretos dos lucros e gastos do que é Nova Aliança e do que é Novo Horizonte. Ocorre que estão à frente tanto da Nova Aliança quanto da Novo Horizonte as mesmas pessoas: Vilson Ferrari e Gerson Adolfo Sinzinger. Você também viu nas reportagens anteriores um vídeo no qual alguns donos de ônibus dizem que a Happy Play não opera e não tem um papel definido, embora o Consórcio Leste 4 diz que a empresa é importante para a prestação de serviços, e que, por uma norma interna, donos de ônibus da Novo Horizonte que estão endividados com a administração não podem mandar maus motoristas, que dirigem perigosamente ou que não cumprem horários e itinerários, embora.
Nossa reportagem, desta vez, tece acesso a íntegra da Ação Civil Pública, e traz os principais pontos para você, leitor:

• DESVIO DE VALORES E CONFUSÃO PATRIMONIAL

Na ação, o promotor Saad Mazloum deixa bem claro que há provas testemunhais e documentais de que: “as demandadas integrantes do Consórcio Leste 4 (Himalaia, Novo Horizonte e Happy Play) estão dilapidando e transferindo seus bens, desviando valores aos sócios e administradores, fraudando os credores e acarretando confusão patrimonial”

• QUEM É QUEM:

A ação civil pública foi movida contra as empresas e seus sócios, representantes e administradores, havendo pedido bloqueio de bens. São alvos da ação:
– Consórcio Leste 4, representado por André Martins de Lissandre
– Himalaia Transportes S.A.
– Empresa de Transportes Coletivos Novo Horizonte S.A.
– Happy Play Tour Passagens, Turismo e Transportes de Passageiros Ltda
– Himalaia Investimentos e Participações Ltda, que é sócia majoritária da Himalaia Transportes S.A. e é representada por Felipe Ricardo Batista dos Santos.
– Vilson Ferrari sócio proprietário e diretor presidente da Novo Horizonte e sócio proprietário e administrador da Happy Play.
– Antônio Pereira da Silva Sobrinho, sócio proprietário e diretor presidente da Novo Horizonte
– Gerson Adolfo Sinzinger, sócio proprietário e diretor administrativo da Novo Horizonte e sócio prorietário e administrador da Happy Play
– Edmar Vieira Rodrigues, sócio proprietário e diretor administrativo da Novo Horizonte e diretor e teseoureiro da Coopernova Aliança – Cooperativa de Transporte Alternativo Nova Aliança.
– Guilherme Correia Filho, sócio proprietário e administrador da empresa Happy Play
– Paulo Roberto dos Santos, também sócio proprietário e administrador da Happy Play
– Aldari Serrano, Diretor Administrativo da Himalaia
– Ângelo Viera dos Reis, Diretor Operacional da Himalaia Transportes Coletivos
– Antônio Soares também diretor operacional da Himalaia

• LEIS

O promotor, em suas argumentações, na Ação Civil Pública, evoca várias leis que dispõe ser dever do prestador de serviço de transportes coletivos oferecer qualidade e segurança. Exemplo é a Lei Federal 8987, de 13 de fevereiro de 1995, que no artigo sexto “toda concessão ou permissão pressupõe a prestação de serviço adequado ao pleno atendimento dos usuários” O mesmo artigo qualifica serviço adequado “o que satisfaz as condições de regularidade, continuidade, eficiência, segurança, atualidade, generalidade, cortesia na sua prestação e modicidade das tarifas”
Há cerca de dois anos, o promotor vem acompanhado os serviços na região e muitas destas obrigações legais, segundo o que ele verificou, não têm sido cumpridas.
Obrigações semelhantes são listadas na Lei Municipal de São Paulo 13.241, de 12 de dezembro de 2001, sobre a Organização do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros na Cidade de São Paulo.
O artigo 30, inciso V, da Constituição Federal, classifica como essencial o Serviço de Transporte Coletivo e incute organizar e prestar, diretamente ou indiretamente, sob regime de concessão, este serviço.

• MAIS ABSOLUTA INCAPACIDADE:

Na ação, o promotor Saad Mazloum relembra que em 13 de dezembro de 2007, a Prefeitura, pela Secretaria Municipal de Transportes Urbanos e o Consórcio Leste 4, composto pelas empresas Himalaia, Novo Horizonte e Happy Play, firmaram o contrato 037/07 no valor de 1 BILHÃO E 592 MILHÕES DE REAIS para operar o Subsistema Estrutural da Área 4, parte da região Leste de São Paulo, com o compromisso de transportar cerca de 500 mil pessoas por dia pelo prazo de 10 anos.
A cláusula 9 do contrato, aponta o promotor, diz que o serviço deveria atender de forma adequada à plena satisfação da população.
Porém, Saad Mazloun sustenta que esta prestação de serviço adequada nunca existiu e relata em sua ação:
“No entanto, muito longe de prestar um serviço de transporte coletivo urbano minimamente adequado, o CONSÓRCIO LESTE 4, revelou, e como demonstram as investigações empreendidas no âmbito do Inquérito Civil n 740/2008, a mais absoluta incapacidade de atender os usuários nos aspectos de regularidade continuidade, eficiência, segurança, conforto, limpeza e cortesia”
O promotor descreve que as investigações, informações e documentos sobre a atuação do Consórcio o fazem “campeão”, sem dúvida, das reclamações por passageiros de transportes coletivos por ônibus. Os problemas foram relatados à promotoria e por ela comprovados e, segundo a ação, o Consórcio Leste 4 e as empresas que o integram (Himalaia, Novo Horizonte e Happy Play – que não opera) cometem “falhas gravíssimas” na prestação de serviços de transportes coletivos.
Na ação estão descritas algumas destas “falhas gravíssimas”:
– Muita Sujeira no Interior dos Ônibus
– Demora ou não realização de partidas programadas
– Descumprimento de Horários e Atrasos Constantes
– Superlotação
– Direção Perigosa
– Desrespeito a Pedidos de embarque e Desembarque,
– Tratar usuários, inclusive idosos, com falta de urbanidade,
– ônibus trafegando em péssimo estado de conservação e manutenção, ensejando quebras rotineiras e transtornos aos usuários,

• BLOG DO ÔNIBUS:

Na ação, o promotor relaciona uma série de reclamações de passageiros dos ônibus das empresas que formam o Consórcio Leste 4 postadas no Blog do ônibus, criado por Saad Mazloum, em 23 de maio de 2009. Atrasos, problemas de manutenção e tratamento desrespeitoso de alguns motoristas são as críticas mais comuns. A falta de limpeza nos ônibus também, ganhando destaque até na imprensa, o fato de alguns ônibus estarem infestados de baratas.
Uma usuária foi categórica ao afirmar que “estão transportando gente como se fosse carga de boi”

• FISCALIZAÇÕES DA SPTRANS

Todas as denúncias e reclamações feitas pelos passageiros e apurações da Promotoria foram passadas à SPTrans, São Paulo Transportes, responsável pelo gerenciamento e fiscalização dos serviços municipais de ônibus de São Paulo.
Em sua Ação Civil Pública, o promotor de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, Saad Mazloum, relata que a gerenciadora durante o primeiro semestre de 2009 realizou intensa fiscalização nas linhas operadas pelas empresas formadoras do Consórcio Leste 4. Neste período, foram realizadas 40 ações para verificar a freqüência das partidas. A SPTrans constatou que houve 107 descumprimentos das viagens programadas, o que resultou em penalidades para as empresas.
Assim, de janeiro a junho de 2009 foram 33 autos de infração contra o Consórcio Leste 4 por descumprir o número de partidas programadas para cada faixa de horário. As multas totalizaram R$ 22.380,00.
Fiscalização realizada em outubro de 2009 pela SPTrans, ainda relata a ação, identificou diversos problemas na linha 4301 (Cohab II – Paulista). As partidas obrigatórias não eram cumpridas, varas viagens deixavam de ser feitas. As fiscalizações ocorreram nos dias 9, 13 e 14 de outubro de 2009 e foi verificado pela própria SPTRans que o problema de déficit no serviço de transportes era constante. A operadora foi autuada em R$ 5.220,00
Em abril de 2010 foi a vez da linha 3539-10 (Cidade Tiradentes – Parque Dom Pedro II), da Himalaia ser fiscalizada. O intervalo médio entre os veículos deveria ser de 15 minutos no horário de pico da manhã e de 12 minutos no horário de pico da tarde/noite, com frota de 31 ônibus.
Mas o que era exigido e contratado pela Prefeitura não era bem o que de fato estava sendo cumprido pelo que constatou a fiscalização da SPTrans. Principalmente entre as 17h e 19h, a SPTrans verificou que a Himalaia não estava cumprindo várias partidas programadas reiteradamente.
Na ação, o promotor destaca, no entanto, que mesmo com as multas aplicadas e com as reuniões entre os representantes das empresas formadoras do Consórcio Leste 4, nas quais eles se comprometiam a cumprir as obrigações previstas em leis e contratos, a situação jamais melhorava de maneira significativa.
Os casos de descumprimento de partidas citados na Ação Civil Pública são vários e as fiscalizações também. Testemunhas eram ouvidas, os responsáveis também firmavam compromisso de melhoria em audiência no Ministério Público. Mas, segundo o Promotor, nada era feito de maneira significativa.
Ainda de acordo com a ação, na Viação Himalaia, outro problema: o número de veículos a diesel com idade superior a 10 anos, o que contraria as normas operacionais da cidade de São Paulo.

• DEPOIMENTO DE FELIPE E MULTAS DE R$ 100 MIL

Diante do persistente quadro de atrasos, sujeira nos ônibus, descumprimento de partidas, lotação, suspeitas de irregularidades nas empresas, ônibus com idade avançada e destrato com o passageiro, alguns responsáveis pelos serviços foram chamados para prestarem esclarecimentos ao Ministério Público.
No dia 20 de julho de 2010 foi ouvido o sócio e administrador exclusivo da Himalaia Investimentos e Participações Ltda, Felipe Ricardo Batista dos Santos. A Himalaia Participações possui o maior capital da Himalaia Transportes S.A.
Na ocasião, Felipe admitiu que por mês a Himalaia paga cerca de R$ 100 mil em multas, a maior parte justamente pelo não cumprimento de partidas.
Diante do depoimento de Felipe, de acordo com a ação civil pública “Essa constatação, reconhecida pelo próprio presidente da empresa HIMALAIA, demonstra claramente demonstra claramente que as empresas demandadas simplesmente ignoram as recomendações e orientações que buscam a efetiva melhoria do serviço público prestado, feitas pela Promotoria de Justiça e SPTrans, entidade incumbida legalmente e por contrato de gerenciar o transporte na Capital”

• SERVIÇO HORRROROSO

Apesar de citar algumas linhas e exemplos de atrasos, sujeiras e descumprimento de horários, o Promotor Saad Mazloum afirma em sua Ação Civil Pública que os problemas na verdade nas linhas do Consórcio Leste 4 são gerais, ocorrendo praticamente em todos os serviços.
Ele chega a classificar como horrorosa a situação:
“Na verdade, toda a Área 4 e linhas de ônibus que fazem parte dela são, todas elas, pessimamente operadas pelas empresas HILAMAIA, NOVO HORIZONTE E HAPPY PLAY, QUE INTEGRAM O Consórcio Leste 4. O serviço horroroso prestado na Zona Leste é generalizado”

• SECRETÁRIO DE TRANSPORTES DIZ QUE CONSÓRCIO NÃO TOMA PROVIDÊNCIAS PARA MELHORIA:

No dia 11 de agosto de 2010, foi a vez do Secretário Municipal de Transportes, Marcelo Cardinale Branco ser ouvido na Promotoria de Justiça.
Ele reconheceu os problemas das linhas operadas pelas empresas que foram o Consórcio Leste 4 e fez uma revelação. Por mais que tenham sido aplicadas sanções, atitudes em prol da melhoria dos serviços não eram tomadas pelas direções das empresas que formam o Consórcio Leste 4.
Na ação, constam as palavras do Secretário Municipal dos Transportes:
“O Consórcio Leste 4 é o que apresenta o maior número de reclamações por volume de passageiros transportados. São impostas diversas multas, mas o Consórcio Leste 4 não adota medida para reversão desta situação” – disse o Secretário Municipal dos Transportes, Marcelo Branco ao Promotor Saad Mazloum.
Na ação, o promotor reitera a presença de ratos e baratas dentro dos ônibus e que mulheres até gritam nos veículos por causa das grandes baratas que voam no interior das carrocerias.

• UNIVERSO DE PREJUDICADOS:

Pela má prestação de serviços, segundo o texto da ação civil pública, as pessoas indicadas para serem rés no processo prejudicam com um grande número de usuários que são vítimas de danos morais e materiais, fundamenta o promotor.
Saad Mazloum lembra que os prejuízos e danos não são apenas aos passageiros, o que já seria muito, mas ao trânsito e aos outros, inclusive particulares.
O promotor classifica os usuários dos serviços organizados pelo Consórcio Leste 4 como reféns que estão a mercê dos péssimos serviços prestados pelas empresas que o compõe, ainda mais quando se verifica que para muitas destas pessoas os ônibus são os únicos meios de transporte que dispõe para qualquer finalidade de locomoção.
Saad Mazloum ainda sustenta que há um certo comodismo dos operadores por não terem qualquer tipo de concorrência na maior parte dos trajetos, se sentindo desestimulados ou desobrigados a mudarem ou aperfeiçoarem seus serviços.
Assim, o consumidor, no caso o passageiro, está numa situação de vulnerabilidade, de acordo com o promotor.
No caso do não cumprimento de serviços adequados, evocando leis federais, a ação civil pública afirma que a legislação brasileira prevê indenização ao consumidor, mesmo que de maneira difusa, para um fundo geral.
O que pode ser percebido na ação é algo que o promotor deixa claro mas infelizmente, por questões culturais, ainda não é visto desta forma: a prestação de transporte público de passageiros não deixa de ser também uma relação de consumo, apesar de suas características próprias. Assim, o passageiro, além de ser resguardado pelas leis que dispõe sobre serviços públicos, concessões e permissões, também têm direitos como consumidor.
Mas todo o dano ao consumidor tem um responsável por isso. Neste caso, pela má prestação de serviço verificada por Saad Mazloum, logo ele atribuiu que, seja por culpa ou omissão, o dano foi provado por quem deveria prestar o serviço corretamente.

DESDÉM E DESCASO ÀS OBRIGAÇÕES LEGAIS E CONFUSÃO PATRIMONIAL:

A Ação Civil Pública prossegue dizendo que “Esse total desdém e descaso às suas obrigações contratuais é explicado pela falta de investimentos adequados e absolutamente ineficientes. Investimentos a que estavam obrigadas as demandadas a realizar por força de lei e contrato. Atuando em sentido oposto diametralmente ao que deveriam, as empresas demandadas elegeram como primordial objetivo uma desmedida caça ao lucro, com total desconsideração do objeto do contato: a boa e adequada prestação de serviço público de transporte coletivo”.
Saad Mazloum desconsidera as pessoas jurídica das empresas individualizando as condutas, Isso além de não prejudicar os trabalhadores leva em consideração um fator importante.
A Promotoria de Justiça concluiu que as empresas de ônibus HIMALAIA, NOVO HORIZONTE E HAPPY PLAY tiveram seus patrimônios dilapidados pelos seus administradores.
De acordo com o Dicionário Aurélio. Dilapidar é: Dissipar, gastar à doida, esbanjar, estragar, arruinar, demolir, apedrejar. Dilapidação é: Desbaratamento, esbanjamento, roubo, apedrejamento.
A situação é gravíssima para a Promotoria que diz ter provas da existência dessa dilapidação.
A realidade financeira das empresas quer formam o Consórcio Leste 4 é bem complicada.
O Ministério Público constatou que a Himalaia Transportes S.A., Empresa de Transportes Coletivos Novo Horizonte S.A. e Happy Play Tour Passagens e o próprio Consórcio Leste 4 estão DESCAPITALIZADOS, NUMA SITUAÇÃO PRECÁRIA. Estas empresas não têm bens suficientes para o ressarcimento da população que foi prejudicada pelos maus serviços. Por isso a citação de sua diretoria, que diferentemente das empresas, não encontra-se nas mesmas condições.
O Ministério Público diz ainda que houve o “acervo de bens móveis (veículos que são instrumentos de sua atividade) está sendo vigorosamente delapidado pelos administradores e controlados da HIMALAIA TRANSPORTES S/A”
No dia 06 de fevereiro de 2011, houve uma espécie de leilão na Garagem II da Himalaia. O vendedor anunciava de viva voz a venda dos veículos, enfatizando modelo, marca e ano. Havia cerca de 100 pessoas interessadas nos ônibus. A frota declarada da Garagem II da Viação Himalaia era de 236 ônibus, mas 130 veículos a diesel foram vendidos para terceiros.
E um detalhe importante na ação: “A Himalaia está vendendo os ônibus mais novos e ficando com os velhos” – constatou o Ministério Público em suas investigações.
Ainda sobre essa venda de veículos o Ministério Público apurou que os compradores agem depois com os ônibus como querem nas linhas da própria Himalaia. É um regime parecido com o de cooperativa.
“Metade dos compradores desses ônibus continua operando no sistema, como se fossem autônomos ou agregados da Himalaia. Na verdade, estão operando como particulares, donos dos ônibus (o que efetivamente são), operam linhas quando e como querem, especialmente se for uma linha considerada lucrativa. Caso contrário, a linha é simplesmente abandonada”
Exemplos dessas linhas são as 3391/51, que ficou inoperante por cerca de um mês, e as 4120/42, 3390/10 e 340 T, que tiveram de ser operadas por outras viações da cidade de São Paulo dentro do PAESE (Plano de Atendimento a Empresa em Situação de Emergência). Outras linhas “abandonas são citadas na ação”

• GENTE ARMADA DENTRO DA GAAREGM:

Foi apurado também nas investigações que as pessoas que adquiriram os ônibus da Himalaia tomaram o controle da Garagem II, Sapopemba. São pessoas “que ficam armadas lá dentro e que determinam quais linhas e ônibus vão operar. Eles também mandam seus motoristas alterar os itinerários para escapar de fiscalizações da SPTrans.
Na Novo Horizonte, a situação não é muito diferente, de acordo com a Ação Civil Pública. A empresa não possui bens imóveis e os móveis, os veículos, estão em sua maioria, em nome de diversas pessoas.
O Departamento Científico do Ministério Público levantou que o COAF – Conselho de Controle de Atividades Financeiras apontou que os diretores da Novo Horizonte e alvos da Ação, Gerson Adolfo Sinzinger e Vilson Ferrari teriam realizado movimentações financeiras inconsistentes.
O Ministério Público acha estranho o fato de Vilson Ferrari, Gerson Adolfo Sinzinger, Edmar Vieira Rodrigues e Antônio Pereira Sobrinho repassarem da Novo Horizonte cerca de R$ 350 mil por mês para a empresa Happy Play que, segundo o Ministério Público, não possui nenhum ônibus ou atuação definida. A Happy Play tem como sócios Vilson Ferrari e Gerson Sinzinger e Guilherme Correia Filho e Paulo Roberto dos Santos.
A reportagem mostrou com EXCLUSIVIDADE um destes documentos de repasses de valor para a Happy Play via Empresa Novo Horizonte na edição de 26 de fevereiro.
Além disso, Vilson Ferrari, Gerson Adolfo Sinzinger Edmar Viera Rodrigues e Antônio Pereira sobrinho repassam mensalmente R$ 561 mil para a Cooperativa Nova Aliança. A Nova Aliança tem Vilson, Gerson Edmar e Antônio Pereira como sócios
A reportagem também antecipou essa informação com EXCLUSIVIDADE!
O Ministério Público conclui que:
“Assim, é inegável a ocorrência de confusão patrimonial entre a empresa e seus proprietários/administradores, em prejuízo dos credores e com reflexos diretos nos serviços prestados à população.”

• AQUISIÇÃO DE IMÓVEIS DE ALTO PADRÃO:

O Ministério Público foi além. Segundo a ação, “as indicações são seguras de que esse desvio de recursos da empresa NOVO HORIZONTE, com a aquiescência dos seus administradores, permitiu aos sócios administradores e aqui demandados VILSON FERRARI e GERSON ADOLFO SINZINGER a aquisição de diversos imóveis em condomínios de alto padrão e participação em diversas outras empresas”
Por isso que baseado em diversas leis como Código Civil e Código de Defesa do Consumidor, a promotor pediu o bloqueio dos bens pessoais dos relacionados na ação. Pois há a suspeita de que muitos destes bens não deveriam ser pessoais e que na verdade pertenciam à empresa e foram para eles.

• OS R$ 30 MILHÕES:

A Ação Civil Pública é bem fundamentada em relação a teorias., leis e jurisprudências (ações práticas já existentes) quanto à necessidade de a população ser indenizada de alguma forma pelo não cumprimento do básico do que se espera de um ´restado de serviço de transportes que é pontualidade, segurança, confiabilidade, limpeza e cortesia.
O dano foi à coletividade. Por isso, a indenização deve ir para um Fundo Difuso, administrado pelo ente público, com fiscalização jurídica, em prol da coletividade.
Para chegar aos R$ 30 milhões, o promotor Saad Mazloum fez uso de cálculos da própria SPTrans que leva em conta que o Consórcio Leste 4 recebe mensalmente R$ 25 milhões por seus serrviços. Por ano seriam R$ 300 milhões aproximadamente. R$ 30 milhões correspondem a 10% dessa receita, valor considerado justo e não abusivo pelo Ministério Público.

• TRANQUILIDADE:

A Ação Civil Publica e as próprias declarações do promotor Saad Mazloum à reportagem são no sentido de passar tranqüilidade para os passageiros, que não terão os serviços prejudicados, pelo contrário, a tendência é de melhoria. A situação deve ser de tranquilidade para os trabalhadores, tanto da Himalaia como da Novo Horizonte. Ninguém vai perder carro ou emprego por causa da Ação Civil Pública.
A multa e o bloqueio dos bens da empresa não são para isso e o texto da Ação Civil Pública deixa bem claro:
“Note-se que o bloqueio dos bens nos termos aqui postulados não prejudicará e nem de qualquer forma interferirá no regular cumprimento das obrigações e atividades normais dessas empresas, garantindo-se plenamente a continuidade do serviço público”
É texto oficial. Está na Ação Civil Pública. Por isso, passageiro e trabalhadores não precisam se preocupar, garante.
Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

58 comentários em EXCLUSIVO: SAIBA O QUE VAI ACONTECER COM O CONSÓRCIO LESTE 4

  1. Morador da Cidade Líder // 13 de Março de 2011 às 02:09 // Responder

    Sensacional Promotor Saad e ótima divulgação Adamo.
    O que queremos é qualidade na prestação de serviços. Fico ainda mais satisfeito em saber que COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras – Centro de Inteligência da Receita Federal no combate à lavagem de dinheiro) também foi acionado.
    Esta investigação está em âmbito nacional, e espero também que o setor público de transportes (SMT e SPTrans) respondam de forma convincente por quais razões não interviram nas operações do Consórcio 4 Leste, visto que foi constatado que não é de hoje a ineficiência da prestação de serviços.
    Continuaremos observando o andamento desta ação.

  2. Francisco Leandro Evangelista da Silva // 13 de Março de 2011 às 02:20 // Responder

    Tudo isto indica que o consórcio está próximo do descredenciamento, como ocorreu com a SPBus em 2004 e com a Cooperauhton em 2007. Será que isto vai acontecer?

  3. Estamos torcendo pelo descredenciamento dessa porcaria de Consórcio “Fraude” 4 , porém , a sPTrans até agora se mantém calada, eles que tinham q descredenciar o Consórcio + as Coopers ligadas a ele (Nova Aliança + Novo “Horrorizonte” + Transcooper e por ae vai) .O que aconteceu com a Cooperauthon em 2007 foi bem menor que os problemas do CL 4 e eles foram banidos do sistema né, poderiam aplicar o banimento contra essa corja o mais breve possível.

  4. Parabéns ao Dr. Saad Mazloum! Parece que enfim podemos esperar um transporte decente na área 4. Parabéns também Adamo pela cobertura do assunto.

    abraços

  5. Moro na área 4, e são textos como esse que nos anima.
    E tomara msm que a Himalaia, Novo Horizonte, Transcooper, Nova Aliança, sejam banidas!

  6. Eu não consigo imaginar como é que os dirigentes do CL 4 consegue dormir, e não tem compaixão da população que transportam. Uma coisa é certa, qualquer punição contra o CL4 é pouco perto do que a população passou ante a estes maus serviços.
    A Himalaia metropolitana sempre prestou um bom serviço na região de Osasco, mas aqui em São Paulo, decepcionou geral. Felipe, nota zero por sua administração.
    Amigo Adamo
    Parabéns por mais esta reportagem.
    Promotor Saad Mazloum
    Deus ilumine mais seu caminho e que o senhor possa continuar ajudando mais e mais pessoas a terem um transporte digno.

    • Vale lembrar que os serviços de “qualidade” prestados pelo grupo de empresas do Felipe aqui na região de Osasco tem um custo muito alto para a população, afinal, pagamos 2,90 por um transporte sem NENHUM tipo de integração nem por onibus e nem com os trens da CPTM, alem de linhas com itinerarios nada objetivos e ineficiencia no cumprimento de horarios. Onibus novos e limpos não são o suficiente para um sistema de qualidade e aqui é a unica coisa que temos, onibus novos e limpos, mais NADA.

  7. SOMOS TODOS IGUAIS // 13 de Março de 2011 às 04:47 // Responder

    Boa Noite á TODOS , felizmente alguma coisa aconteceu no CONSÓRCIO LESTE 4 , Sabemos que á Himalaia opera muito Mal , Novo-Horizonte uma Administração que ao longo de 3-anos só tem aumentado seu patrimoneo (DIRETÓRIA) eles SR VILSON GERSON EDMAR TONINHO e não podemos esquecer do MARQUINHOS , no inicio da empresa ate os dias de Hoje á diferença dos patrimoneos é da agua para vinho , ora o que acontece : cargo , previlegios , beneficil , poder , acertos na realidade é uma só apropriação , existe uma diferença pôr passageiros transportados de R$ 0,45 (quarenta e cinco centavos) na NH parece pouco + em quase 10.000.000,00 de passageiros pôr mes é uma diferança satisfatoria , cade esse dinheiro ; cabe agora o MP de São Paulo investigar e responder para quem realmente vai , espero que se faça JUSTIÇA com essa DIRETÓRIA , um dia isso ia acontecer guanto mais se ganha + quer ganhar , deste geito é muito facil , sentar atraz de uma mesa e fazer acordos MILHÕNARIOS , é Realmente FACIO , Dificio agora é sair desta sinuca de bico , DEUS ilumine os caminhos do Brilhante Promotor Saad Mazloum e o Brilhante Reporter da CBN Adamo Bazani , que seja feita á JUSTIÇA . Parabéns aos Homens de Boa FÉ ….!!!

    CONT…ESTAMOS DE OLHO :

  8. Paulo Roberto Bellini // 13 de Março de 2011 às 11:33 // Responder

    Meus parabéns ao promotor Dr. Saad Mazloum e ao jornalista Adamo! O que precisa também, é investigar a SPTrans. Por que ela não interveio mais forte no Consórcio, encampando frota, descredenciando as empresas e fazendo nova licitação? Tenho certeza que ela sabia de tudo isso, mas também estava levando o dela, por isso não falou nada. Nenhum órgão gestor sério iria ser conivente com uma barbaridade dessas. Nenhum, exceto esse antro de corrupção e incompetência chamado SPTrans. Precisam de uma investigação urgente SPTrans, SMT e o Sr.Kassab, todos coniventes com essa sujeirada do CL4. Tomara que a justiça seja feita e que esses canalhas sejam condenados e passem alguns anos na cadeia. Estarei de olho.

  9. a sptrans está esperando sair a decisão judicial, pra averiguar se um descredenciamento é viável. se houver uma boa análise da mesma a Nova Aliança e a NH poderão deixar de operar até o final desse ano.
    outro fator que a SPTrans está vendo é a Himalaia, que está perdendo muitos funcionários, fazendo um descredenciamento ser ultra delicado, agravado pelo fato de ser o 2º descredenciamento desde a implantação do Interligado. se a decisão sair sairá no inicio de abril.
    Mas espero que ocorro o descrdenciamento antes de abril!

  10. Essa ação do MP apesar de ser necessaria não vai resolver o problema da area 4 pois tende a manter as empresas atuais que estão quebradas.

    O que deveria ser feito seria a prefeitura assumir o serviço pagandos diretamente aos donos dos ônibus e depois licitar tudo isso novamente.

  11. caro amigo Adamo.
    Dificil é encontrar palavras para agradecer à voce e ao exmo. Sr. Dr. Saad. Parabéns, que Deus continue dando sempre e sempre este poder de SABEDORIA e que ilumine seus caminhos sempre voltados para o bem como voces vem fazendo.
    Tenho lido todos os comentarios deste blog, infelizmente me decepciono com algumas pessoas que pedem o descredenciamento destas empresas, posso e devo concordar em descredenciar a Himalaia, a Happy-play e o consorcio. quanto a Nova Horizonte, estas pessoas desconhecem que a pessoa juridica da mesma não tem nenhuma culpa quanto a sua má administração, pelo contrário, as autoridades competentes sabem que ela poderá ser umas das melhores empresas do Brasil, e será provado a êles, a promotoria e à população, voces serão testemunhas.
    Quanto à essas pessoas que criticam de uma forma generalizada, me desculpe, mas voces me levam a crer que talvez pertençam a alguma empresa concorrente. Observem que na ação, o Exmo. Sr. Dr. Saad, é bem claro em dizer que a Empresa não tem patrimonio e sim seus Diretores e que os mesmos são suspeitos de dilapidação, deu para voces entenderem?. Imagine essas fortunas se comprovadas seus desvios fossem investidos no proprio sistema, voce estaria safisfeito (a)? É o que irá acontecer com uma nova Diretoria, será um compromisso assumido com todas a autoridades competentes. Alguns dos planos vou relatar à voces; –
    1º- será levantado na ação civel e nos blogs tanto Dr. Saad como no Adamo, todas as insatisfações de usuários e resolvidos caso a caso juntamente com a participação de voces ou com a associação do bairro.
    2º – Aquele dinheiro que não será mais desviado, será canalizado para a melhoria e troca de ônibus e inclusão de mais veículos para não haver mais atrasos em partidas e melhoria da qualidade de serviços para voce usuário, pois é voce quem paga por isso.
    Mais projetos e planos existem, que não posso divulgar, senão o concorrente vai copiar. Se voce ou voces não pertençam à outra Empresa, se conscientizem em uma outra oportunidade para os interessados bem intensionadas e para voces um dia se orgulharem de ter dado a chance de ter o melhor transporte de São Paulo.
    Abraços,

    • Eu sou contra. COOPERATIVA NO LUGAR DE COOPERATIVA, a NH volta a ser Nova Aliança ou tem que ser descredenciada sim. Vocês vêm ROUBANDO linhas de ônibus desde antes da pré-legalização com o “bairro a bairro”, agora querem operar linhas estruturais na área inteira? AH DÁ LICENÇA VAI PROCURAR OUTRO SERVIÇO, cooperativa não tem como operar linhas pequenas e de baixa demanda, cooperativa não tem como investir em articulados e trucados de monte, cooperativa não tem como gerenciar sozinha UMA ÁREA INTEIRA de forma decente… Vcs roubam linhas, agora querem roubar a área inteira continuando os “bons” da Novo Horizonte e ainda querem estar certos???

      Fiquem com as linhas que a Nova Aliança tinha antes de 2007, aí sim “pode até ser”.

      Depois do rolo do consórcio com tudo planejado, temos que REATIVAR todas as linhas que vocês – ou a sua diretoria – cancelaram, reativar ramais e tudo mais, horários, partidas, etc. Por fim, DEVOLVER todas as linhas que eram da Himalaia pra empresa estrutural da área.

      COOPERATIVA = LOCAL

      Não adianta ter um CNPJ, FALAR QUE É EMPRESA sendo que a administração continuará descentralizada, onde ninguém se interessa pelas linhas de média e baixa demanda.

      Nessas horas ainda querem dar uma de vítima, é cada uma que eu vejo…

      • existia uma linha que se chamava Cohab II-Vila Alpina(o ricardo deve lembrar) era uma mão na roda pra quem tinha que ir para a vila Prudente e região, a maldita NH pediu o cancelamento para a SPTrans que no lugar colocou uma linha nada haver com o trajeto desta. espero que descredenciem a NH e essa linha volte, pois a 213C-10/31 vive lotada, precisa dessa auxiliar, que em seus ultimos dias passava no Term. carrão!

      • vc com certeza dv ser um funcionaria puxa saco de alguma empresa e por isso acha isso mas um dia vc chega la na fila dos desempregados pedindo emprego na porta de uma cooperativa

    • CARO AFONSO CONCORDO COM VOCÊ.

    • Rodrigo de Freitas Andrade // 14 de Março de 2011 às 03:21 // Responder

      Por que então não fizeram isso enquanto era Nova Aliança?

      Por mim posso dizer em qualquer lugar do mundo que graças a Deus nunca fui e nem nunca serei ligado a nenhuma empresa de ônibus.

      Se o serviço de vcs é o melhor do mundo como diz o Sr. Afonso, por que então desde 2006 ficam batendo cartão no planejamento da SPTrans para desativar linhas importantes ao cidadão?

      A linha 342X-10 PENHA – Cj. José Bonifácio era uma excelente linha até a C.T.A Nova Aliança passar a opera-la, a linha SUPERLOTAVA ali na região da Vila Matilde e Guilhermina nos horários de pico e nos entrepicos tinha uma grande rotatividade de passageiros, ou seja, a linha enchia duas vezes devido a rotatividade.
      Por que então boicotaram a linha, descumprindo partidas, itinerário, rodando em Reservado com passageiros dentro depois das 20:00 ao longo das Avs Líder/ Itaquera e São Teodoro até o TP, logo após os ônibus terem saído da COHAB I?
      É simples, porque tinham outras linhas muito mais lucrativas onde poderiam superlotar mais e ganhar mais e não se importaram com a satisfação daqueles cidadãos que usavam a linha e tiveram que mudar suas vidas, seus compromissos, seus empregos, além da humilhação de passarem por muitas vezes mais de uma hora esperando um ônibus que não vem ou não para no ponto.
      Alguém aí pode dizer: “Ah mas foi só a 342X-10, é uma excessão” então o que dizer das outras linhas que já citei neste blog em outras reportagens que igualmente foram boicotadas pela Nova Aliança/Novo Horizonte?
      E então o exemplo ABSURDO da linha 3124-10 que foi ABANDONADA pela Nova Aliança até 2006 e que a SPTrans teve de repassar a linha em PAESE com paga DOBRADA para a Himalaia Transportes LTDA. Agora que depois da LUTA COMUNITÁRIA das Associações de bairro da COHAB II e Faz. do Carmo a linha passou a ser EXTREMAMENTE LUCRATIVA por ter ALTA DEMANDA, aí agora vcs da Nova Aliança/Novo Horizonte resolveram operar bem a linha, aliás tenho até dúvidas se é boa mesmo a operação, porque a linha vive SUPERLOTADA praticamente o dia todo, mas os baixos intervalos da atual 3124-10 ainda assim são fruto do boicote as linhas 3062-10, 3759-10 e 342X-10…
      Antes do inquérito civil, eu ligava pra Nova Aliança/Novo Horizonte pra conversar com o planejamento e pedir encarecidamente que não forçassem a desativação da linha no seu itinerário original Penha-José Bonifácio, sabe o que eu ouvia do Sr. Luiz?
      Um SONORO NÃO.
      Agora que sofrem uma ACP aí são bonzinhos pro Promotor dizendo que irão melhorar os serviços….
      Por que antes não foram?

  12. Rodrigo Julio Mucci // 13 de Março de 2011 às 16:02 // Responder

    Muito bom saber que o Ministério público está tomando as medidas cabíveis contra esse consórcio.
    Fui dependente durante três anos da linha 3303-10 e sei o que é sofrer com má conservação, atrasos absurdos de partidas, viajens em reservado, motoristas descompromissados, etc.
    Tenho esperanças de que isto de fato acarrete melhorias no nosso transporte, pois essas empresas estavam realmente abusando da paciência dos pobres trabalhadores, que, infelismente, não tem outra opção senão se sujeitar ao tratamento desumano e humilhante dessas “empresas”.
    Só me resta parabenizar humildemente o promotor Saad pelos esforços em prol de um transporte melhor, e claro, o Ádamo, pelo ótimo jornalismo que vem fazendo, sempre prestando bons serviços à população, informando sobre os problemas do nosso transporte, e discutindo também as soluções, além de resgatar um pouco da história do mesmo, algo que faz parte do dia-a-dia das pessoas e que tão pouca gente presta a atenção.
    Se todos se inteirassem mais de como funciona o transporte na nossa cidade, poderiam lutar mais efetivamente contra os mandos e desmandos de gente que diz cuidar do nosso transporte, mas que provávelmente nunca andou de ônibus na vida.

  13. Amigo Adamo

    Pelos comentários que tenho lido, muita gente está lavando a alma, é o que sinto aqui nestas postagens, mas também vejo que muitas pessoas estão colocando a emoção acima da razão, e posso dizer que é com razão, pois não é facil se humilhar e depender da condução de cada dia. Eu acredito que qualquer punição às empresas envolvidas, não paga o desgaste, a humilhação, enfim, eu imagino o dia a dia de cada um….

    Pelo que entendo, ninguém aqui é a favor da desgraça dos outros, tudo que todos almejam aqui nestas discussões e tópicos é ter o mínimo de dignidade no transporte público, quer ônibus limpo, quer ônibus no horário, quer ônibus confortáveis poxa, é o básico, nada mais; se houvesse toda esta mínima atenção das empresas envolvidas, ninguém procuraria o Ministério Público e nem tampouco denunciar nos veículos de comunicação.
    A GRANDE VERDADE: QUEM PLANTA, COLHE.
    Plantaram espinhos, agora estão colhendo o que plantaram, LAMENTÁVEL.
    Mesmo descredenciando todas as envolvidas, quem sai perdendo é a população que fica na insegurança de até vir alguma empresa que venha fazer pior do que o CL4.

  14. E o pior de tudo, é que a imprensa é culpada, enfim, quem é o acusado sempre acusa para ficar livre das responsabilidades, nas quais eles mesmos provocaram a situação.

    PLANTARAM, ARQUEM COM AS CONSEQUENCIAS.
    Não é a imprensa que é culpada nesta situação e nem tampouco o promotor.
    Não querem denuncias ao ar???? TRABALHEM DIREITO!!!! e MOSTREM RESPEITO À POPULAÇÃO.

  15. André Raminelli // 13 de Março de 2011 às 18:27 // Responder

    É INJUSTO DESCREDENCIAR A EMPRESA, POIS QUEM ROUBOU FORAM OS DIRETORES E NÃO OS DONOS DE CARRO E TRABALHADORES QUE DEPENDEM DE SEUS GANHOS PARA SUSTENTAREM SUAS FAMÍLIAS. SE A EMPRESA FECHAR, AÍ SIM O TRANSPORTE NA ZONA LESTE VAI SE TORNAR UM CAOS… COMO FOI DITO NO TEXTO COM OS SÓCIOS ADMINISTRADORES PUNIDOS, O CONSÓRCIO TEM DE A MELHORAR, POIS UMA NOVA ADMINISTRAÇÃO SURGIRÁ. A EXPECTATIVA É DE MELHORIA, TEMOS DE TORCER PARA OS VERDADEIROS CULPADOS SEREM PUNIDOS E NÃO OS TRABALHADORES INOCENTES E ENDIVIDADOS. REFLITAM ANTES DE ESCREVER QUALQUER COISA SEM NEXO!

    • SE OS DONOS DE CARROS E TRABALHADORES FOSSEM SANTOS, VCS TERIAM DENUNCIADO LOGO NO COMEÇO, A HAPPY PLAY PARTICIPANDO DO CONSÓRCIO TEVE PARTE NOS LUCROS DESDE O PRIMEIRO DIA, PQ VCS FICARAM QUIETOS???

      TODOS TEM CULPA SIM!!!! DEVIAM TER DENUNCIADO NO COMEÇO, PODERIA ATÉ SER MAIS FÁCIL.

      • Todos aqui estão agindo concerteza pelo sentimento de raiva, áté entendo a situação, pois, também convivo nesse sofrimento que é acordar cedo para ir trablhar e se deparar com ônibus em mal estado, extremamente lotado, muito sujos, enfim… não digno ao valor de R$ 3,00 que pagamos para utiliza-los.
        Por outro lado Camila, envolveu valores altos R$, como a Happy Play não é simples assim denúnciou acabou. Imagino o que os cooperados que tem apenas um ou dois ônibus sofrem represálias, afinal o poder está nas mãos de quem tem 2ô ou + ônibus, e quem são esses???
        A Administração, os diretores da Nova Aliança e de quebra da Happy Play.
        Então, acho muito injusto a empresa no geral pagar, porque os diretores Gerson e Vilson Estão PODRES de RICOS.
        Enfim, reflitam antes de dizer que todos ganham numa empresa sem conhece-la, pois, essas duas pessoas são uns monstros, Bandidos que usam do poder que tem na empresa para conseguir tudo em proprio beneficio.
        Outra coisa, Camila esses associados que denunciaram foram apenas três, o restante, alguns concordam com a situação, por questòes de amizade ou porque tiram proveito a outra parte nunca se pronunciará por MEDO de perder o seu sustento, e amor a própria vida.

  16. Amigo André

    Quem trabalha direito, não deve ser prejudicado, também sou desta politica, aliás a região da Leste 4 sofreu com o descredenciamento da VIAÇÃO CIDADE TIRADENTES, IGUATEMI, e outras empresas. Eu não compactuo com a desgraça dos outros, sei o quanto a CIDADE TIRADENTES sofre até hoje por conta de descredenciamentos, sou a favor de que haja uma conduta limpa no transporte. Por outro lado não mudo da opinião de que quem planta, colhe. Agora faço um pedido para que aqueles que trabalham em prol do transporte, mais especificadamente às cooperativas para que busquem o passageiro aonde realmente eles estão, pois eu ando em toda a cidade e conheço bairros inteiros que estão ilhados, que não tem uma única linha de ônibus que os atenda de forma adequada, falamos tanto de acessibilidade e não existe acessibilidade na nossa cidade por conta destas “ILHAS”que existem dentro de muitos bairros, é muito fácil operar uma linha nas avenidas, e fora das avenidas, em algumas transversais que muitas vezes você vê IDOSOS, PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS, MULHERES GRÁVIDAS, esta população não é assistida e há áreas que as pessoas tem que subir LADEIRAS ENORMES para chegarem numa avenida, então deixo este recado às cooperativas que cooperem com esta população, que vá atrás da população, pois se muitos fossem nestas “ilhas” gerariam linhas com grandes demandas, as linhas de ônibus tem que ter uma função SOCIAL e não só TRANSPORTAR as pessoas, sei que alguém vai falar que tem o ATENDE, mas não são todos os casos que o ATENDE participa, só alguns casos e não tem número suficiente para atender todos os casos, então em nome da ACESSIBILIDADE pessoas que são ligadas à COOPERATIVAS que leem e comentam neste blog, ATENDAM ESTA POPULAÇÃO, SEJAM AMIGAS DA POPULAÇÃO pois tenho certeza que nestas condições vocês serão melhor benvistas. Se possivel, visitem associações de bairro, façam reuniões, vão atrás daonde está a população, pois é esta mesma população que muitas vezes hoje condena, amanhã vão aplaudir. Pensem nisso amigos que trabalham com as cooperativas. Já a Novo Horizonte se entrar uma nova DIRETORIA, cuidem bem do povo, dê atenção, aproximem o povo da empresa e vocês verão o quão grande vocês serão como empresa. O POVO É SÁBIO, OUÇA-OS.

    • E aproveito para solicitar à VIAÇÃO NOVO HORIZONTE.

      REATIVEM AS LINHAS que foram desativadas, porém com uma nova filosofia a de criar demanda, OUÇA O POVO DAS COHABS, que é a população mais sofrida, e carecem de uma linha troncal, pois só assim a NOVO HORIZONTE será considerada como uma EMPRESA AMIGA DA COMUNIDADE, sejam melhores do que a HIMALAIA, vocês tem tudo para isso.
      OUÇAM O POVO!!!
      A FELICIDADE DO POVO É QUE VAI GARANTIR QUE A NOVO HORIZONTE TENHA LONGA VIDA.

      • Rodrigo de Freitas Andrade // 14 de Março de 2011 às 03:55 //

        Exatamente Galesi.
        Ninguém aqui quer a desgraça de outrém.
        Porém do jeito que está é melhor que entre outra empresa ou consórcio.
        Por que a Novo Horizonte não começa do simples:
        Peçam pelo poder legal em contrato que vcs tem para o planejamento leste da SPTrans a reativação da linhas:
        – 342X-10 Cj. José Bonifácio – Penha,
        – 312A-10 Cidade Líder – Lgo da Concórdia,
        – 312A-51 Jd. Brasília – Lgo da Concórdia,
        – 3061-10 Cj. José Bonifácio – Term. Carrão,
        – 3091-10 COHAB Fazenda do Carmo – Vila Alpina,
        – 3138-10 Jd. Ester – Pça do Correio,
        – 3747-10 Vila Nhocuné – Metrô Belém,
        – 3748-10 Cidade Líder – Metrô Belém,

        E restaurem as configurações originais das linhas e suas partidas retiradas injustamente da OSO nas linhas:

        – 3759-10 Jd. São Pedro – Metrô Tatuapé (teve partidas diminuidas),
        – 3221-10 TERM PQ. DOM PEDRO II – Pq. Savoy City (teve partidas diminuidas e mudança absurda de itinerário com intenção clara de desativação),
        – 309N-10 Jd. IV Centenário – Term. Pq. Dom Pedro II (aumentaram o itinerário da linha e não aumentaram as partidas),
        – 4301-10 COHAB II – Paulista (além de pleitearem pra que a linha 3124-10 não passasse a atender a Rua Virgínia Ferni desde 04/04/2009, ainda pediram a diminuição de partidas e frota nesta linha nates eram 12 carros agora nem 4 operam e o planejamento leste da SPTrans ATENDEU, prejudicando cidadãos trabalhadores e estudantes)
        – 3409-10 Inácio Monteiro – Term. Pq. Dom Pedro II (há muitos anos a população do Inácio Monteiro pede que a linha passe a operar Domingos e Feriados)
        – 3750-10 Cj. José Bonifácio – Belém (volte ao itinerário ORIGINAL pois a linha bate lata na Rua Virgínia Ferni, 11D e arredores porque passa no sentido CONTRÁRIO ao do pólo de atração, dando voltas, pra depois seguir o rumo certo, antes a linha tinha ótima demanda neste trecho inicial da linha)
        – 3303-10 Prestes Maia – Term. Pq. Dom Pedro II (A linha tem muitas faltas de partidas e a OSO não tem um número de partidas suficiente a população e ao longo itinerário da linha).

        Sabem por que não fazem isso?

        Porque bateriam de frente com os interesses comerciais de suas parceiras cooperativas do sublocal como a Transcooper…

      • Morador da Cidade Líder // 15 de Março de 2011 às 04:06 //

        Prezados, mais alguns dados para conhecimento do que ocorre na área 4.
        As cooperativas pararam. Só temos duas empresas de ônibus para esta região. Então para irmos trabalhar sem encarar Av. Radial Leste, Av. Celso Garcia e região da Moóca temos as linhas das respectivas empresas que atendem ao terminal sul das estãções do Metrô da Linha Vermelha e que são área 4, tais como bairros: Cidade Tiradentes, Guainazes, COHAB I e II, São Mateus, Cidade Líder, Aricanduva, Vila Matilde, Cid. Patriarca, Vila Formosa e Vila Carrão.
        Citarei abaixo como estão as poucas opções para chegada as estações do Metrô da Linha Vermelha, que por sinal demanda a maior quantidade de pessoas/dia.
        Metrô Itaquera: Consórcio Plus (3749), Viação Himalaia (3539 – e seus respectivos ramais percorrem toda a extensão da Linha Vermelha até a região central) e Viação Novo Horizonte (3124/10 e 3707);
        Metrô Artur Alvim: Consório Plus (3686 a partir deste ponto percorre toda a extensão da Linha Vermelha até a região central), Viação Novo Horizonte (3124/31 e 3129), mais a linha 3409 que a partir deste ponto percorre toda a extensão da Linha Vermelha até a região central;
        Metrô Patriarca: Não há linhas de ônibus da área 4, apenas as que trafegam pela Av. Radial Leste;
        Metrô Guilhermina Esperança: Viação Novo Horizonte (3790);
        Metrô Vila Matilde: Viação Novo Horizonte (342A);
        Metrô Penha: Viação Himalaia (3781) e Viação Novo Horizonte (342A e 3702) além da linha 3414 que a partir deste ponto percorre toda a extensão da Linha Vermelha até a região central
        Metrô Carrão: Viação Himalaia (3221 e 3775) e Viação Novo Horizonte (3703, 3765 e 574T), mais as linhas 3129, 3222, 3303, 309N, 3354, 3405, 3406, 3407 que a partir deste ponto percorrem toda a extensão da Linha Vermelha até a região central;
        Metrô Tatuapé: Sambaíba (351F), ViaSul (473T), Viação Himalaia (3720) e Viação Novo Horizonte (3759, 3760, 3764 e 3774) mais a linha 3306 do Consórcio Plus que a partir deste ponto percorre toda a extensão da Linha Vermelha até a região central;
        Metrô Belém: Viação Novo Horizonte (2191, 3701, 3750 e 372R) e ViaSul (3746) além da linha 3141 que a partir deste ponto percorre toda a extensão da Linha Vermelha até a região central;
        Metrô Bresser/Moóca: Não há linhas de ônibus da área 4, apenas as que trafegam pela Av. Radial Leste.
        Metrô Brás e Pedro II já podemos caracterizar como região central.

        Em suma, embora algumas linhas troncais passem por estações do Metrô (linha 3) , o gigante número de linhas da área 4 com destino ao Metrô são de cooperativas, ou seja, estamos quase que ilhados se levarmos em conta o número de linhas de ônibus x quantidade de passageiros x área atendida.

        A SPTrans deveria pensar no caos que esta região é transformada quando estamos a mercê da esmagadora maioria de cooperativas.
        O número de linhas que citei de empresas de ônibus é ínfimo comparado a de lotações.
        Há estação do Metrô como Bresser/Moóca e Patriarca sem linhas empresas; apenas as de passagem pela Av. Radial Leste.
        Metrô Carrão, Itaquera e Artur Alvim são dominados por linhas de cooperativas.

        Não se esqueçam que quem organiza as linhas é a nossa gestora pública de transporte. Ela é o ponto inicial e primordial para queixas que se façam necessárias. O quase monopólio/domínio das áreas dominadas por cooperativas são de conhecimento da SPTrans e SMT.

        A todos que necessitam de linhas de cooperativas, um dia de sorte para vocês, assim como quem escreve.

  17. Mauricio da cunha junior // 13 de Março de 2011 às 20:05 // Responder

    Olha só a Empresa NOVO-HORIZONTE já estava sendo investigada pelo MP já um bom tempo , é pena que algumas pessoas poça se prejudicar pôr uma administração desta DIRETÓRIA que só pensa no proprio bolso , veja a Matéria quando o Sr Gerson fala que o pcc não tem nada á ver com isso , ele mesmo vendeu vagas+ônibus da HIMALAIA , na linha 4120 para BANDIDOS , vamos investigar MP á linha é 4120 era da Empresa HIMALAIA , agora dos BANDIDOS !!!

    http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/?c=571&t=Empresa+de+ônibus+de+SP+é+suspeita+de+lavar+dinheiro+do+PCC

  18. A cidade de São Paulo, já teve empresas exemplares, uma delas a inesquecível CMTC, e a também inesquecivel ELETROBUS.

    A CMTC só foi cabide de empregos porque era uma empresa totalmente pública, se fosse de economia mista tinha sobrevivido.

    A Eletrobus operava bem, tratava bem os passageiros era uma empresa exemplar e se tornou imortalizado por muitos usuários, mas o PT apagou esta empresa exemplar para servir os seus próprios propósitos, se a ELETROBUS estivesse viva até os dias de hoje, tenho certeza que uma boa parte da zona leste teria um transporte mais HUMANO. O que falta nas empresas da CL4 é HUMANIZAÇÃO DO ATENDIMENTO, o dia que os que gerenciam o transporte do CL4 entenderem o que é HUMANIZAÇÃO, tenha certeza que teremos uma melhor qualidade no transporte.

  19. VAGNER SA SILVA JR // 13 de Março de 2011 às 21:39 // Responder

    ATENÇÃO AS AUTORIDADES : eles estão promovendo uma ASSEMBLEIA EXTRAORDINARIA , na sede da Empresa N-H no dia 14/03/11 as 9:00 Estr de Santo Inacio , 74 o mesmo endereço da COOPERNOVA ALIANÇA , sei que vai bastante bandidos para intimidar os SÓCIOS , leva bastante Viaturas para encher todas elas com pessoas (?) Armadas com arma de fogo , e aproveita para prender de uma vez está DIRETÓRIA …!!!

  20. Vocês sabem qual foi a pauta da Assembléia???

    Não para melhorias e soluçoes desses problemas, e sim para ameaçarem os associados, dizendo que todos irão perder o seu negócio, e que os associados que estào lutando por justiça devem ser punidos, Expulsos da empresa. Isso é justo???
    Quem luta por justiça é quem tem que sair???

    A JUSTIÇA DEVE INTERVIR E AGIR RÁPIDO ANTES QUE O MAL VENÇA!

  21. Espero que o promotor Saad Mazloum nao se esqueça dos trabalhadores honestos destas empresas , para que nao aconteça como aconteceu com a SPBUS que foi descredenciada e a maioria dos trabalhadores nao receberam seus direitos trabalhistas . Pois uma empresa seria e um serviço bem prestado se faz a partir de um funcionario satisfeito com seu ambiente de trabalho .

  22. Espero que o promotor Saad Mazloum nao se esqueça dos trabalhadores honestos destas empresas , para que nao aconteça como aconteceu com a SPBUS que foi descredenciada e a maioria dos trabalhadores nao receberam seus direitos trabalhistas . Pois uma empresa séria e um serviço bem prestado se faz a partir de um funcionario satisfeito com seu ambiente de trabalho .

  23. Parabens para o promotar,mas e necessario se levantar sobre a lavagem de dinheiro de tarficantes do crime organizado,peço a Deus que pais de familia não venham a ficar sem seus empregos,por causa destes bandidos.Gostaria de saber sera que tem gente da sptrans,ganhado dinheiro sujo para fazer vistas grossas sobre as macelas do Cl4????????

  24. tenho amigos que trabalham nesta empresa Himalaia,e eles falam que representantes sindicais receberam proprina,para ficarem calados sobre tais fatos.e um deles chamado de BOCA tem ate onibus na N.Horizonte.caso a ser investigado pelo bom promotor de justiça,assim aguardamos.

    • É uma denuncia grave apresente-se para formalizarmos a denuncia e levarmos este senhor a juri,pois temos que defender os direitos de quem está sendo prejudicado,sou juiz aposentado e tenho interesse pelo caso , pronuncie-se claudio.

      • Marcos Galesi // 23 de Março de 2011 às 20:03 //

        Amigo Sr. Claudio

        É interessante se possivel acompanhar todos os desdobramentos do processo com o promotor Saad Mazloum.
        Com certeza o senhor vai se surpreender.

        abs

  25. marcelo costantino de oliveira junior // 17 de Março de 2011 às 16:35 // Responder

    BOA TARDE ADAMO!
    EU QUERIA FAZER MAIS UMA DENUNCIA SOBRE O FINAL DE SEMANA EM ALGUMAS LINHAS DO CONSORCIO 4 LESTE:374T-10 CIDADE TIRADENTES-METRO VERGUEIRO- NO ULTIMO DOMINGO(13/03/2011) A ULTIMA PARTIDA SENTIDO CENTRO FOI AS 20:20HORAS E DEPOIS NÃO SAIU MAIS NENHUM ONIBUS FORA OUTRAS LINHAS QUE OPERAM COM POUCOS ONIBUS DEVIDOS OS DONOS MANDAREM SEUS MOTORISTAS RECOLHEREM PARA A GARAGEM PORQUE NÃO IRIAM PAGAR HORA EXTRA E GASTAR COMBUSTIVEL CARREGANDO POUCO PASSAGEIRO SENDO QUE NA HIMALAIA NÃO TINHA NADA DISSO. PODER PEDIR OS RELATÓRIOS DE PARTIDAS PARA SPTRANS E FAZER A APURAÇÃO.
    O BOCA E ZEQUINHA DIRETORES DO SINDICATO TAMBEM TEM ONIBUS QUE GANHARAM DO SR FELIPE DEVIDO A VENDA DE ONIBUS E LINHAS DA HIMALAIA PARA A NOVO HORIZONTE. O PCC COMPROU A METADE DA FROTA DE ONIBUS DA HIMALAIA PARA FAZER A TÃO CONHECIDA LAVAGEM DE DINHEIRO .
    PRÓXIMA GARAGEM A SER NEGOCIADA É A DO TATUAPÉ .JÁ COMEÇOU AS REUNIÕES NA CALADA DA NOITE PARA FAZER A INVASÃO DA GARAGEM TATUAPÉ INFORMAÇÕES PASSADAS PELOS PRÓPRIOS DONOS DE ONIBUS
    DA NOVO HORIZONTE .
    INFELIZMENTE O FIM DA EMPRESA ESTÁ PRÓXIMO , O CRIME ORGANIZADO TOMA CONTA DO TRANSPORTE NA ZONA LESTE E OS TRABALHADORES FICAM ABANDONADOS E SEM ESPERANÇA DE UM DIA AS COISAS MELHORAREM PARA TODOS NÓS CIDADÃOS DE BEM.

  26. A todas as pessoas interessadas neste desfecho, sejam elas, usuários principalmente, donos de onibus da N.H e funcionários.
    A acão civil promovida pelo Exmo Sr. Dr. Saad foi muito bem claro quanto a multa e o bloqueio de bens. Essa multa foi imposta como uma forma de ressarcir todo o usuario do sofrimento do caos que é o transporte da zona leste, voces fizeram um bom trabalho, estão no seus direitos, e o bloqueio de bens dos diretores é justamente para cobrir esta multa (indenização). Continuem colocando todas as reindivicações neste blog, pois o espetacular jornalista Adamo enviará com certeza ao conhecimento do Dr. Saad. Precisamos acabar com este regi9me de ditadura. O brasil é um país de democracia, livre e não o monopolio de algumas pessoas que visam somente o interesse proprio (enriquecimento ilicito). Voce usuário é a maior força para acabar com esta impunidade, seja quem for, escrevam, lutem e logo se Deus quiser os objetivos de ter um transporte digno e decente poderá ser reestabelecido. Não se pode esperar apoio da maioria das pessoas de dentro da garagem N.H., pois muitos são beneficiados e muitos tem medo de ameaças como já vem acontecendo.
    Contamos com voces.

  27. Em complemento ao que foi dito, procurem ler com atenção a acão promovida pelo ministerio público, é muito importante voces saberem na íntegra, não se deixem levar por comentários, pois as pessoas afetadas nesta ação, estão passando outras informações como forma de justificar sua inocência. Só para voces terem idéia, eles decidiram em uma assembléia, retirar e bloquear a saída de onze onibus inclusive PPD suspendendo as atividades destes veículos por represália as tres pessoas que vem lutando para a melhoria desta desigualdade de tarifa. Voces sabem perfeitamente que não é somente os tres donos de onibus que perdem, é principalmente voce usuário, porque estas linhas que estes onibus prestam serviços ja é deficitaria e agora ficou sem ONZE veículos deixando de atender por volta de ONZE MIL PASSAGEIROS AO DIA. Segundo fontes, estas linhas não receberam nenhum veiculo extra para substituição. Que as autoridades competentes tomem ciência desta irregularidade e façam valer a Lei.
    Abraços,

    • Rodrigo de Freitas Andrade // 17 de Março de 2011 às 19:12 // Responder

      Afonso, se faz necessário que o Sr, repasse ao Dr. Saad estas linhas prejudicadas pelos 11 carros a menos, não precisa falar aqui se vc achar arriscado, mas por favor manda para o e-mail que o Dr. Saad publicou lá no blog do ônibus estas informações importantes.

  28. realmente isso que esta acontecendo com o consorcio e uma vergonha pois quem esta pagando mais por tudo isso sao os funcionarios,e tambem as pessoas que depende desse transporte.porque como sempre quem ganha sao os empresarios.desde a venda dos onibus para essa empresa nova horizonte,os funcionarios que e da himalaia vem recebendo todo tipo de humilhaçao pois os que ainda nao recebeu suas indenizaçoes
    que ainda quer trabalhar donos de carro nao permitem que eles trabalhem.a situçao esta ficando cada vez pior.funcionarios que ja receberam suas indenizaçoes continuam trabalhando dentro da empresa sem registro recebendo por fora, enquanto recebem seu seguro desemprego,sera que isso e permitido?gostaria muito que voce adamo bazani tambem levantasse essa denuncia etammbem ja ha cometarios que quem recebeu,recebeu quem nao recebeu nao vai receber mais nao e justo.

  29. Sou usuaria do transporte coletivo ‘a muitos anos. So a linha 2290-10,utilizo a mais de 20anos consecutivos,os funcionarios ja faziam parte do meu cotidiano,para mim era como pessoas da familia,com suas dedicacoes,pontualidade,cortezia e respeito com os seus passageiros, depois que a empresa himalaia assumiu, virou uma bagunça na minha opiniao.Nao temos uma previsao da hora que o onibus vai passar, e cada dia um operador diferente.Pessoas revoltadas,nervosas,sem motivaçao.Fico tao chateada que sinto que aquela familia que pensei que conhece-se,se acabou. Gostaria de saber aonde estao aqueles funcionarios,que fazia essa linha, sera que a empresa nao tem que ver melhor os seus conceitos,para ter bons resultados. Todas as linhas do eletrico eram muito boas, e os seus operadores tambem. Nao posso deixar de mencionar que a empresa colocou onibus novos e ate os articulados devido o numeros grande de passageiros,mais eu ainda fico muito chateada em ver essa empresa do jeito que esta.
    Obrigada pela sua atençao e oportunidade, e espero que o responsavel pela Empresa Himalaia Consorcio Leste 4, fique sabendo dessa mensagem,enviada .

    • Morador da Cidade Líder // 23 de Março de 2011 às 23:56 // Responder

      Ádamo e Galesi.
      É interessante como esta matéria repercute até hoje por blogueiros.
      Temos um Consórcio cadastrado com 3 empresas, porém 2 operando sendo 1 com características de cooperativa e outra aparentemente procurando ser desativada.
      De tanto criticar esta área fica uma curiosidade: Qual a idade média de cada consórcio distribuídos pelas 8 regiões?
      Pelas aparentes vistas nas ruas da cidade, os extremos de qualidade e novidade ficam por conta da Sambaíba (positivo) e Consórcio 4 Leste (negativo).

      Um abraço e parabéns pelas matérias.

      • Marcos Galesi // 24 de Março de 2011 às 03:12 //

        O mais interessante é que estas matérias foram a custas de muito trabalho, perseverança e coragem. É uma pena que a grande imprensa é muito tendenciosa ou faz uma reportagem que de tão resumida, acaba omitindo muitas verdades, mas aqui no blog, assim como eu que sou um dos colunistas que assina a coluna na rede às terças feiras, me comprometo com a verdade assim como o Adamo até hoje tem comprometimento com a verdade como ela é.

    • Amiga Elisabete

      Compartilho da sua opinião, lembro me da CMTC e da ELETROBUS com muito carinho, pois foram empresas MÃE.
      Mas esta Mãe, foi morta por uma irresponsável que assumiu a prefeitura de São Paulo e criou a bagunça que é hoje.
      A CMTC E A ELETROBUS eram empresas HUMANAS comprometidas com os passageiros, tratava-os como CLIENTE.
      Infelizmente hoje vemos motoristas desmotivados e que a única linguagem que a empresa tem para os motoristas e cobradores é PUNIÇÃO e COBRANÇA, idéias de empresários ARCAICOS.
      Sinceramente tenho esperança que um dia isso mude, tem tudo para isso, leva tempo, mas uma hora o sol vai brilhar para a Zona Leste 4.

      Abraços

  30. Caro promotor eu fico feliz pelo seu trabalho e espero que o ministerio publico faça alguma coisa, pq nois da z/leste precisamos de concorrencia não de mais uma cooperativa. chega de transcooper, cooper alfa, paulistana g2, nova aliança… fico grato mais peço que vc fique em cima deles e se for preciso peça o descredenciamento das 3 cooperativa como aconteceu com a cooperauthon.. sr. luiz moura 13800 que papel em ganho a eleição e ja esta fazendo merda, senival moura 13800 tambem eleito. corruptos!!!!!!!

  31. ALEXANDRE ASSENÇAO JUSTINO // 1 de Abril de 2011 às 15:50 // Responder

    PARABENS PELA AÇÃO, A TEMPOS A ZONA LESTE ESPERA UMA MEDIDA COMO ESTA, PRECISAMOS DE UM TRANSPORTE PUBLICO DE QUALIDADE, DEVE-SE IR A FUNDO E INVESTIGAR TODAS AS IRREGULARIDADES E PUNIR SEVERAMENTE TODOS OS CULPADOS, NÃO DÁ MAIS A ZONA LESTE AREA 4 É A UNICA DA CIDADE QUE SE ARRASTA QUANDO SE FALA EM TRANSPORTE PUBLICO DE QUALIDADE. QUE SAIAM HIMALAIA E NOVO HORIZONTE E QUE VENHA OUTRAS EMPRESAS QUE SE COMPROMETAM EM INVESTIR NUM TRANSPORTE DIGNO, QUE CUMPRA COM OS HORARIOS, COM NOVOS VEICULOS, E QUE MUITAS LINHAS QUE FORAM DESATIVADAS SEM MOTIVO ALGUM POSSAM SER ATIVADAS PARA ATENDER A UMA POPULAÇÃO TÃO CARENTE. PARABENS PELA AÇÃO.

  32. Ali e todos envolvidos com o crime organizado

  33. Adorei o trabalho que esta fazendo na Zona Leste, acho que deveria estender por outras cooperativas pois em todas os Diretores e Presidentes estao podres de ricos e mal sabem falar um portugues correto, tirando dinheiro dos pais de familia que batalham o dia todo atras de um volante muitos desses diretores constituiram ate empresas de onibus….aquela velha historia o lobo mal se passando por ovelhinha.

    Mas graças a Deus temos um Promotor digno como o sr.

  34. No dia 31/05/2011 um biker (ciclista profissional) teve sua bicicleta seriamente avariada devido à má condução de uma motorista da VIAÇÃO NOVO HORIZONTE (linha 2191-10) enquanto aguardava a abertura do semáforo, felizmente nada aconteceu à ele.
    Isso ocorreu na Av Celso Garcia na altura do viaduto do Brás e era fim do dia.
    Mal orientado por policiais e operadores do CET não conseguiu registrar BO sobre o acidente. Agora, ao procurar na internet mais informações sobre a empresa para formalizar uma reclamação, nos deparamos com essa triste realidade.
    Que todos os responsáveis por mais esse crime público tenham o que precisam.

  35. Eu acho que quem deveria assumir as linhas da area 4 é a CONSÓRCIO PLUS da area 3 de preferência a unidade IMPERADOR (EX-TALGO)

  36. como pode vcs fazer isso nos que moramos esse regiao q vai sofre o transporete poblico ja um lixo nos
    vamos apertado imagine agora nos temos q pega 2 conducao desse na radial lesta os ponto tudo lotado os onibus piores ainda vai ser um inferno. e que venha a copa do mundo ne isso e brasil mesmo politicos corrupitos e todos se cala para nao sofre com isso…………..

1 Trackback / Pingback

  1. MP quer apurar ligações entre integrantes e ex-integrantes do CL 4, Luiz Moura e PCC | Blog Ponto de Ônibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: