COOPERATIVAS PODEM PARAR EM SÃO PAULO


Cooperativas entram em Estado de Greve em São Paulo
Repasses e instabilidades jurídicas e operacionais são queixas das prestadoras de serviços
ADAMO BAZANI – CBN

Oito cooperativas de transportes coletivos de São Paulo decretaram besta sexta-feira, dia 11 de março, estado de greve.
As cooperativas operam parte do sistema local da cidade que, segundo dados de fevereiro da SPTrans, correspondia 6.007 veículos.
Juntas as cooperativas transportam mais de 3,5 milhões de passageiros.
A principal reivindicação dos representantes dos donos dos ônibus é o repasse das tarifas feitos pela SPTrans.
Dos R$ 3,00 por passageiro transportado, a empresa gerenciadora dos transportes municipais repassa R$ 1,19 para as cooperativas, enquanto que para as empresas de ônibus constituídas, o valor se aproxima dos R$ 2,00, dependendo da região, segundo “Paulinho”, que representa as cooperativas.
O Sindicato apresentou uma proposta de remuneração fixa de R$ 29 mil reais por ônibus ou micro-ônibus de cooperativa.
Pela manhã desta sexta-feira, veículos da Cooperativa Associação Paulistana já rodavam com cartazes avisando sobre o estado de greve.
A categoria se reúne na Praça da Sé, região Central de São Paulo, e não descarta a possibilidade de parar totalmente na próxima semana.
As instabilidades jurídicas também marcam as cooperativas. Vários presidentes e líderes são alvos de ações judiciais e cooperados reclamam que as diretorias não repassam totalmente para eles as verbas oriundas da SPTrans, havendo suspeita de desvio de dinehiro.
Um dos maiores problemas ocorre na área 4 da Capital Paulista. A reportagem mostrou vídeos e documentos que apontam possíveis irregularidades nos repasses, existência de uma empresa que ganham como operadora mas que não possui nenhum ônibus e má prestação de serviços no Consórcio Leste 4. O Ministério Público deve tomar atitudes em relação a esse quadro na região 4 da zona Leste muito em breve..
Adamo Bazani.
colaborou Marcos Galesi