LICITAÇÃO DOS TRANSPORTES NO ABC PAULISTA MELOU DE NOVO

Auditório praticamente vazio na EMTU, em São Bernardo do Campo. Emresários mais uma vez esvaziam possbilidade de mudanças de transportes na região.

Licitação da Área 5: Melou mais uma vez
Empresários do ABC Paulista não apresentaram nenhuma proposta e nada muda nos transportes intermunicipais na região

ADAMO BAZANI – CBN

Pela quarta vez, a licitação da EMTU para reformular os transportes intermunicipais do ABC Paulista foi esvaziada pelos empresários de ônibus da região.
Nenhuma proposta foi entregue na sessão de abertura dos envelopes que ocorreu nesta segunda-feia, dia 31 de janeiro, das 9 horas às 10 horas da manhã, que teve cobertura exclusiva da reportagem.
O auditório estava praticamente vazio e rindo os empresários de ônibus e os seus representantes já contavam com resultado antes mesmo do final da sessão.
Se não houvesse o boicote, seriam apresentadas hoje a Proposta Comercial, a Metodologia de Execução da proposta e os documentos de habilitação.
Nesta segunda-feira ia ser classificada a empresa ou consórcio que poderia melhorar as operações de ônibus entre as cidades do ABC e ligando-as a outros municípios, como São Paulo e Mogi das Cruzes.
Mas nada!
Todas as outras 4 áreas da Grande São Paulo já foram licitadas. Elas tiveram melhorias nos serviços, apesar de algumas queixas ainda.
A formação de consórcios, readequação de linhas, tornando-as mais racionais e renovação da frota, que ocorreram nas outras regiões, no ABC Paulista mais uma vez ficam na esperança.
A frota de ônibus no ABC Paulista é a mais velha de todas as três regiões metropolitanas do Estado (Grande São Paulo, Baixada Santista e de Campinas). A média de idade se aproxima dos 10 anos, quando o ideal é que esta seja a idade máxima individual dos veículos.
Há modelos como Caio Vitória, que foi produzido até 1996, Alpha, que já eswtá fora de linha, sendo produzido até 1999 e Apache S 21. Muitos delas, mal conservados e que quebram constantemente, como podem ser vistos em ruas e avenidas de Mauá, São Caetano do Sul, Santo André, Diadema e Ribeirão Pires, por exemplo.
Demora nos pontos e linhas antigas, que não se adaptam mais às mudanças que ocorreram na região do ABC, se sobrepondo aos serviços municipais, falta de integrações tarifárias e físicas ainda serão realidade por mais tempo numa das áreas mais ricas e populosas do Estado de São Paulo.

DESERTA:

Às 10 horas da manhã, nenhum envelope tinha sido entregue. Uma das componentes da mesa da EMTU declarava: “ A licitação da área 5 foi deserta”
Os empresários comemoraram e mais uma vez criticaram a licitação.
O advogado Francisco Bernardino Ferreira, representante da AETC – ABC – Associação das Empresas de Transporte Coletivo do ABC Paulista – entidade presidida por Baltazar José de Sousa, afirmou que a licitação não é compatível com a realidade operacional das viações e da região.
Ele conversou com exclusividade com nossa reportagem:
Adamo: Mais uma vez a EMTU tentou licitar a Áerea 5 e não houve interesses dos empresários do ABC. Por quê?
Francisco: As condições do edital estão praticamente impossíveis de se colocadas em operação. Independentemente disso, outros aspectos têm de ser avaliados até pelo histórico das empresas da região do ABC. São Vários fatores. Lamentavelmente não foi possível pelas condições do edital: empresarial, operacional e tudo mais.
Adamo: A população não perde com isso?
Francisco: Não vejo isso porque o serviço continua plenamente, as empresas continuam plenamente. Não há nenhuma interrupção. As empresas continuam empenhadas em continuar seu trabalho.
Adamo: Alguma perspectiva para a próxima licitação?
Francisco: Não sei, isso depende dos órgãos públicos e do poder concedente. Não cabe a nós opinar a respeito e sim cumprir

O blog fez uma série de questionamentos para a EMTU e aguarda resposta da gestora.
Mas o usuário que precisa dos transportes da região, e que usa linhas intermunicipais, o que resta é na verdade o que já está sem mudança há muito tempo.
Adamo Bazani, repórter CBN.

9 comentários em LICITAÇÃO DOS TRANSPORTES NO ABC PAULISTA MELOU DE NOVO

  1. Uma pena, tinha esperanças que algum grupo de fora da região “furasse o bloqueio” e apresentasse proposta. Teremos que aguardar. Agora eu pergunto: Será que esta licitação da EMTU está tão ruim que nenhuma empresa quer se arriscar?
    Outra coisa: Se os representantes da AETC/ABC estavam presentes, acreditam que eles tinham uma proposta embaixo do braço para apresentar, se algum “aventureiro” assim o fizesse.

  2. Lamentável, falta pulso na EMTU, como já aconteceu na cidade de São Paulo a EMTU deve imediatamente declarar extintos os atuais contratos de permissão e abrir concorrência para um contrato de emergência com regras claras como idade máxima da frota, como esse tipo de contrato não pode ser renovado indefinidamente forçaria a realização da licitação em 1 ano e meio no máximo.

  3. Concordo com o Guido: do jeito que está é impossível dizer que o sitema metropolitano é minimamente, satisfatório. A grande maioira dos onibus não atende às normais de emissão de poluentes, não há acessibilidade (elevador central ou piso baixo), poucos onibus com piso antiderrapante, tres portas ou balaústres na cor amarela, sem falar em ar condicionado, ou sistema eficiente de ventilação, para os dias chuvosos e quentes… Com o agravamente de os onibus estarem sucateados, mal conservados e sujos, não vejo porque a EMTU não decretar uma espécie de PAESE metropolitano.
    Desculpem o desabafo

  4. Helio Ribeiro da Silva Filho // 31 de Janeiro de 2011 às 23:03 // Responder

    O advogado da máfia, digo, da AETC está certissímo: A população não perde. Só ganha, na bunda e com areia!

  5. ATITUDE DEPLORÁVEL DOS EMPRESÁRIOS, SE O GRANDE ABC ESTÁ RUIM PARA TRANSPORTAR, FIQUEM A VONTADE E SUMAM DAQUI, MAS, COMO É BOM EXPLORAR OS OUTROS, NÃO FAZER UMA BOA MANUTENÇÃO, NÃO RENOVAR A FROTA…… PENA QUE GRANDE MAIORIA NÃO REAGE A NADA, NÃO RECLAMA, NÃO LIGA, NÃO PASSA EMAIL, NADA!!!!!!

  6. A EMTU vai ter que negociar com a bandidagem do transporte coletivo no Grande ABC. Se ela tivesse coragem e honrasse os colhões já estatizava esta área e operava com frota própria, mas parece-me que a saída mais fácil é atender os caprichos da ladroagem em manter os serviços com uma frota velha e caindo aos pedaços.

  7. É lamentável que isso tenha ocorrido, mais uma vez a EMTU e os passageiros se tornam reféns dos interesses desse grupo empresarial comandados pelo Sr. Baltazar, mais uma vez teremos que aturar isto? Não dá acorda EMTU faça valer seu poder gestor do sistema. Fico indignado com isto e a fala do advogado é muito sinica, sugiro que ele ande nos ônibus do grupo Baltazar para saber o que estamos falando.

  8. isso é uma de vergonha por parte dos empresarios que so se preocupam com o dinheiro e nao na qualidade do transporte que esta a serviço da populaçao.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: