Cai produção de ônibus em novembro

Queda foi de 33,3%, mas acumulado do ano deve representar recorde para o setor

A produção de ônibus no Brasil (chassis e motores) registrou queda de 33,3% em novembro em comparação a outubro de 2010. Em unidades, foram produzidos 3.085 chassis em novembro contra 4.628 no mês anterior. Os dados foram divulgados no último dia 06 de dezembro pela Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, que reúne as montadoras no Brasil.

Apesar dos números negativos de novembro, a indústria de ônibus em 2010 deve registrar um dos maiores índices de produção de sua história.

No acumulado de janeiro a novembro de 2010, segundo os dados da Anfavea, foram fabricados 43.549 ônibus. Este número representa alta de 34,4% em comparação ao acumulado no mesmo período de 2009, quando a produção de ônibus atingiu 32.405 unidades.

Apesar da expressiva queda em relação ao mês anterior, novembro de 2010 registra alta em comparação ao mesmo mês do ano passado. Em novembro de 2009, foram fabricados 2.953 ônibus. Sendo assim, em novembro de 2010 o volume de produção de ônibus foi 4,5% maior que em novembro de 2009.

A queda entre outubro e novembro é explicada pela conclusão dos processos de renovação de frotas e das licitações em médias e grandes cidades, como Rio de Janeiro, Curitiba e Mauá.

Por conta da reestruturação dos transportes urbanos em vários municípios, a corrida por ônibus foi grande até o início do penúltimo semestre. Agora, a tendência é de uma momentânea diminuição na procura. O setor de ônibus urbanos é responsável pela maioria da produção de veículos para transporte coletivo.

Dos 43.549 ônibus feitos de janeiro a novembro de 2010, 38.250 foram para serviços urbanos e 5.299 possuem características rodoviárias.

Na comparação entre outubro e novembro de 2010, foram produzidos no último mês 2819 ônibus urbanos ante 266 rodoviários. Já em outubro, foram feitos 4.103 ônibus urbanos e 525 rodoviários.

Apesar de parecerem números modestos, os rodoviários tiveram mais crescimento de produção em 2010 em relação a 2009 do que os urbanos.

Neste ano, de janeiro a novembro, houve crescimento de 34,1% na produção de ônibus urbanos e de 36,3% de rodoviários.

E as estimativas é que para 2011, o aumento de produção de rodoviários seja ainda maior. Isso porque, além da renovação natural de frota, entre 2011 e 2012 deve ser concluída a maior licitação de linhas interestaduais e internacionais da história, promovida pela ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres. Todos os trajetos serão licitados, sendo que acabarão as operações por permissão e licença, havendo apenas os regimes de concessões.

Frotas novas e com equipamentos mais modernos serão alguns dos diferenciais para quiser participar da concorrência. Apresar de as linhas rodoviárias de médias e longas distâncias terem perdido muito espaço para o transporte aéreo, cujos os bilhetes estão cada vez mais em conta, o negócio ainda é muito lucrativo. O crescimento do turismo interno e até mesmo os problemas no setor aéreo brasileiro auxiliam muito os transportadores rodoviários.

Para a Anfavea, os bons índices acumulados na produção e licenciamento de ônibus são reflexos de crescimento na economia.

Isso porque, quanto maiores as atividades econômicas de diversos setores, maior será também a demanda por transportes, o que mostra como este setor é relacionado aos demais segmentos econômicos, sendo participante e reflexo de toda a economia.

Em relação às exportações de ônibus, novembro também demonstra outra queda em comparação a outubro. Foram em novembro enviados para o exterior 1532 ônibus ante 1591 de outubro, queda de 1,9%, bem menos expressiva que a queda de produção.

No acumulado de janeiro a novembro de 2010, foram embarcados, inteiros ou em sistema CKD, 13.374 ônibus ante a 8.903 de igual período de 2009, o que representa acréscimo de 50,2% exportações de ônibus.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: