Trem bala é coisa do passado, o negócio agora é o ônibus bala

Holanda apresenta o revolucionário ônibus bala, que traz as vantagens do trem bala com a economia de operação por ônibus

Um dos destaques da feira IAA, em Hanover, um dos maiores eventos de veículos comerciais do mundo, foi o Superbus, ou popularmente chamado de ônibus bala. O veículo totalmente inovador pode atingir 250 Km/h e é 100% ambientalmente correto.
Veja o vídeo aqui

Enquanto o Brasil ainda discute a implantação de um trem bala, entre Rio – São Paulo e São Paulo – Campinas, os países da Europa já buscam alternativas para este meio de transporte ferroviário. Desenvolvido pela iniciativa privada da Holanda, mas tendo como um dos financiadores o poder público do País, o Superbus é visto como um novo conceito de transporte que tem a mesma eficiência do trem bala, porém com custos bem mais inferiores e muito mais flexibilidade.

Isso porque, além de exigir bem menos investimentos que os trens comuns (quanto mais que os trens balas) em vias que podem comportar sua velocidade, ele também pode trafegar em viário comum, respeitando os limites de velocidade e as características dos diferentes trânsitos locais.
Quando está em vias tradicionais, o ônibus-bala é operado convencionalmente por um motorista convencional. Para desempenhar toda a sua velocidade, o ônibus precisa apenas de uma via segregada com canaletas direcionais. Neste tipo de percurso, não há necessidade de operação pelo motorista.

UM ÔNIBUS DE OUTRO MUNDO:

O Superbus foi desenvolvido pelo primeiro astronauta holandês, Wubbo Ockels, que é professor-doutor da universidade holandesa Delft University of Technology. Wubbo quias agregar no ônibus conceitos de tecnologia e deslocamento espacias. A aerodinâmica possui elementos da Fórmula 1. O projeto aerodinâmico ficou a cargo da professora-doutora Antônia Terzi, ex chefe de aerodinâmica da Willians E realmente, o ônibus parece ser um caro de corrida.

O veículo tem o comprimento de um ônibus tradicional, 15 metros, mas as linhas e a altura de um carro de passeio, com pouco mais de 1,60 m de altura. Além disso, todo o sistema de frenagem é semelhante ao de Fórmula 1. Além do princípio da frenagem regenerativa, quando a energia elétrica é aproveitada no momento que o ônibus freia, o veículo possui um sistema que consegue parar o ônibus a 250 km/h num espaço de 200 metros.
Nem os trens convencionais conseguem esse feito.

O veículo é bem mais leve que um ônibus comum. Além de possuir materiais menores, o chassi é de fibra de carbono, com peso inferior.

Se o uso total de energia elétrica por baterias é uma atitude ecologicamente correta, essa característica é reforçada pelo baixo consumo dos motores do ônibus-bala.

Andando a 250 km/h ele consome a mesma quantidade de energia que um híbrido tradicional a 100km/h. E economia é a palavra do ônibus-bala.

Segundo o Ministério dos Transportes Holandês, são pelo menos quarto as vantagens econômicas de implementação e operação do Superbus.
Custo de Infraestrura é baixo em comparação até aos trens convencionais O potencial de lucro é um dos maiores em novos sistemas de transportes
Pela necessidade de obras mais simples e baratas, a conclusão dos projetos também demandará um tempo menor. O impacto ambiental tanto do ônibus como das obras de suas canaletas são muito baixos

A atração do passageiro deve ser grande, já que o ônibus é luxuoso E realmente, luxo é um dos pontos altos do ônibus-bala. Ele possui 23 lugares e 16 portas que se abrem como asas, a exemplo dos carros esportivos de categoria diferenciada. Cada n do veículo é composta por DVD, acesso a internet e poltronas de couro anatômicas.

O veículo deve ser implantado no Autobhan, autoestrada alemão, ainda sem data definida.

Diversas cidades holandeses e a empresa Conexxion, uma das maiores da Europa, demosntraram interesses pelo veículo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: