Passageiros avaliam mudanças no transporte de Mauá

Na primeira semana após a implantação da nova fase do sistema municipal, a cidade apresenta duas realidades bem distintas: satisfação e revolta por parte dos usuários

Terminal de ônibus em Mauá

Quem conversa com os passageiros do sistema municipal de Mauá, na Grande São Paulo tem a impressão de que está falando com pessoas que vivem realidades diferentes.

E não é apenas impressão. É nítida a satisfação dos usuários do lote 02, da Leblon Transporte de Passageiros, que assumiu os serviços no sábado dia 06 de novembro, apesar de algumas reclamações ainda principalmente em relação a atrasos e lotação.
Os passageiros do Lote 01, operado pela Viação Cidade Mauá (ainda chamada pela população de Barão de Mauá – nome anterior à licitação de 2008), são os mais descontentes. A maior parte revelou ser tratada com descaso.

A reportagem esteve em boa parte da manhã desta quarta-feira nas proximidades do Terminal de Mauá e em pontos como das Avenidas Barão de Mauá, Rio Branco e Governador Mário Covas, no centro da cidade.

Os passageiros viam na reportagem uma oportunidade para se expressarem e serem ouvidos, uma das principais queixas há anos, já que faltavam canais de comunicação para receberem e solucionarem as demandas de quem depende de Ônibus em Mauá.

Por volta das oito horas da manhã, o movimento era bastante intenso no Terminal de Mauá. Boa parte dos usuários pega o ônibus nos bairros para depois embarcar nos trens da CPTM que partem para Santo André e São Paulo, as cidades que recebem mais trabalhadores de Mauá.

Outra parcela significativa também utiliza os veículos para trabalhar no próprio município.

As mudanças a partir de 06 de novembro foram bem recebidas, mas ainda há muito o que ser feito, na opinião principalmente dos passageiros que precisam dos ônibus da Viação Cidade de Mauá.

Já os que se utilizam da Empresa Leblon dizem ter boa parte de seus anseios em relação aos transportes atendidos.

Acompanhe os depoimentos na íntegra dos passageiros ouvidos na manhã desta quinta-feira.

Passageira da linha que serve o Itapark Novo, operada pela Leblon, Maria de Araújo, de 74 anos, destaca o aumento do número de veículos na linha: “Eu achei que melhorou bastante, tem bastante ônibus na linha. Os ônibus são mais novos e confortáveis” – opinou Maria de Araújo.

Já o passageiro José Alexandre Lopes, morador do Jardim Silvia, diz pegar diariamente os ônibus da Leblon. O número maior de veículos servindo o bairro chamou a atenção: “Tá bem melhor. Bem mais ônibus na linha, tem uns 4 ou 5 ônibus fazendo a mesma linha. A qualidade mudou bastante. A rapidez também tá melhor. Antes os ônibus ficavam muito tempo parados no terminal” – relembra José Alexandre Lopes.

Passageira da Viação Cidade de Mauá, Maria Verônica Araújo diz não ter sentido nenhuma diferença com a reformulação dos transportes. “Tá muito demorado o ônibus. Segunda-feira eu fiquei uns 40 minutos no ponto. Acho que tá igual” – Lamenta MariaVerônica.

Margarida Rosa de Souza

A passageira Ana Meire, usuária da linha da Vila Esperança, do lote 01, da Viação Cidade de Mauá, no momento da entrevista, disse que estava muito atrasa para o trabalho. “Prá mim, que uso a Barão, não mudou nada. O serviço da antiga (empresa de ônibus) não é bom, eles precisam melhorar muito. Agora eu já deveria estar no serviço. São 09h40, saí de casa 08h20. Só passou o Vila Mercedes (lote 01) só às 09h10. Eu uso ele (o ônibus da Vila Mercedes) para ir para o centro e depois o Vila Esperança (outra linha do lote 01) para o trabalho. Ele (o Vila Esperança) também demora de 40 a 50 minutos. Eu vejo os ônibus da empresa nova passar de 10 em 10 minutos” – compara Ana Meire.

Onilda Soares Cesário, usuária da linha Bógus, do lote 01 – Viação Cidade de Mauá, se revolta com a condição dos veículos.
“A linha do Bógus tá precária. A gente fica quase 1 hora no ponto. É da empresa antiga. Eles colocam os piores ônibus para a gente. Tudo quebrado, banco quebrado, parece que era ônibus que estava encostado. A linha Bógus não melhorou nada. Tem muita gente nesta linha que tem de andar bastante a pé até a Avenida Barão de Mauá, onde passa mais ônibus” – disse Onilda.

Apesar de o primeiro dia útil da semana com a segunda fase de alteração dos transportes de Mauá ter sido na segunda-feira, algumas pessoas estavam usando os novos ônibus pela primeira vez na quarta-feira. É o caso de Enoque Vidal Pereira, que utiliza a linha do Santa Rosa, da Leblon.

“Hoje é o primeiro dia que andei. Prá mim tá mais confortável. Diminuiu o tempo de espera. Essa empresa nova(Leblon) tá com ônibus mais confortáveis. A educação do motorista e do cobrador é melhor. Às vezes o ônibus da Januária mal parava no ponto, a pessoa ainda estava na porta e o motorista já tocava com gente na porta. Eu vi várias vezes senhor de idade pendurado na porta porque o motorista não tinha paciência.” – explica Enoque.

Isabel Batista da Cruz faz um comparativo entre os dois serviços. “A linha da empresa antiga está péssima. A gente fica mais de uma hora no ponto prá pegar o Boa Vista (Viação Cidade de Mauá), outro dia peguei o Leblon só prá andar nele e achei maravilhoso, muito organizado, muito limpo, pessoal atencioso e fiquei pouco tempo no ônibus” – disse Isabel.

Mas os serviços da empresa ainda não são considerados ideais pra muitos passageiros, principalmente em relação ao tempo de espera e lotação. É o que reclama a passageira da linha Zaíra 5, Patrícia Pereira. “Melhorou sim na questão dos transportes. Mas o tempo de espera ainda é grande. Precisa melhorar em quantidade de ônibus” – destacou Patrícia. Pereira.

Luis Carlos Motta mora numa região servida pelas duas empresas de ônibus, mas ainda teme se as melhorias terão continuidade ou não. “Por enquanto tá ótimo, vamos ver se continua. Essa empresa nova (Leblon) tem mais ônibus. Antes ficava 40, 50 minutos esperando o ônibus. Posso usar as duas empresas, prefiro a nova. Ela tem de mostrar serviço e a outra via ser obrigada a acompanhá-la” – aposta Luis Carlos Motta.

Naur de Souza Ramos

Naur de Souza Ramos utiliza a linha de maior demanda da empresa Leblon, a Zaíra 4 e destaca a redução do tempo de espera e o melhor trato com os usuários. “Eu achei que mudou completamente para melhor. Sempre peguei o Zaíra 4 e a gente ficava de 40 a 50 minutos esperando o ônibus. Agora no máximo são 10 minutos. Antes eu fazia o seguinte, quando ouvia o barulho do ônibus, saía correndo de casa. Agora não dá prá ouvir pois os ônibus são silenciosos. Eu sou idoso e mostro a carteirinha para entrar (pelas portas do meio ou de trás). Quando era da Januária (antiga operadora do lote 02), os motoristas nem paravam. Já estes param, abram a porta. Se fica cheio atrás, eles pedem prá entrar na frente” – relata Naur de Souza Ramos.

O passageiro Wellington Dias Rocha é outro que destaca os ganhos pela entrada da Leblon, mas ainda diz que a empresa precisa melhorar. “Em termos de conforto tá melhor. Mas tempo de espera ainda é grande. Os motoristas são mais atenciosos e educados e não tem comparação, mas preciso ficar esperando menos tempo” – pede Wellington, que usa a linha Zaíra 06.

Ana Meire

Já Margarida Rosa de Souza diz que há menos espera nas linhas da Leblon. “Melhorou, to menos tempo no ponto. Eles são rápidos e cuidadosos. (Os ônibus) andam mais vazios. Era lotado porque demorava muito. Uns 30 minutos eu ficava no ponto, agora são uns 15 minutos. Antes parece que ficavam enrolando no terminal” – conta Margarida.

Maria Odete, usuária da linha Boa Vista, viu nos microfones uma oportunidade para desabafar. Ao ser perguntada qual empresa que utiliza, se a nova (Leblon) ou a antiga (Viação Cidade de Mauá), ela simplesmente respondeu: “Por enquanto nenhuma porque não passa nenhum ônibus da minha linha. É sempre essa demora. O serviço da Barão não vale nada, revolta a população. A gente liga, falam que o ônibus vai vir e não vem. Precisa melhorar muito. Assim não tem condição. É certo ficar 45 minutos no ponto?” – questiona e desabafa Maria Odete.

Sandra Lopes reclama da linha Esperança, do lote 01, da Viação Cidade de Mauá. “A gente espera mais de uma hora no terminal. Essa linha Esperança é uma porcaria. As pessoas que estão usando a Leblon tão comentando e tão gostando, mas da Barão (Viação Cidade de Mauá) tá cada vez pior. Tem de pensar nos trabalhadores. O pessoal sai cedo e chega tarde. Não pensam nos trabalhadores. Não pensam no usuário. Não tem nem canal de comunicação. A população fica a mercê da sorte. Na rua onde eu moro foram feitos vários abaixo assinados.”

Tatiane Pacheco também reclama do atual serviço no lote 01 da Viação Cidade de Mauá. “Pego o Feital. Tá uma porcaria. Tem dia que a gente fica 2 horas. Sem exagero, duas horas prá passar no ponto. Da uma da tarde às três horas da tarde, não passa nada no meu bairro. É troca de turno e não planejam ônibus para isso. No terminal chega a ter até briga. No Feital, às vezes ficam seis, sete ônibus parados e não saem. A passagem não é barata para andar em 10 minutos e quando vamos reclamar a gente não tem direito a nada” – reclama Tatiane.

Quase todos os passageiros se queixaram da falta de informações no Terminal Central.

RESPOSTAS:

O Grupo Leblon Transporte de Passageiros afirmou em nota que “tem recebido boas referências pela maior parte dos passageiros que entram em contato. Segundo a empresa todos os casos pontuais de atrasos e lotações relatados pelos que a procuram são analisados”.

A Leblon ainda diz ter como postura atuar na melhoria dos serviços e que a operação das linhas será ainda mais aprimorada.

A Prefeitura de Mauá confirmou que várias autuações foram aplicadas para a empresa Viação Cidade de Mauá, operadora do lote 01 e que todo o período de transição está sujeito a uma adaptação.

Para os munícipes, o poder público disponibiliza o telefone 156 pra informações e reclamações.

Ninguém da Viação Cidade de Mauá quis atender a reportagem.

5 comentários em Passageiros avaliam mudanças no transporte de Mauá

  1. A viação cidade de Mauá está com o rabo entre as pernas hehehe
    enfim o coronelismo arcaico chegou ao fim…
    parabéns Adamo pela noticia e mostrar com detalhes a opinião do povo em relação a uma cidade que quer crescer!!!

  2. Não sou morador de Maua, mas lendo esta reportagem, dá para entender porque na primeira oportunidade o cidadão parte para o tranporte individual, seja ele carro ou moto. Atrasos, lotação, veículos mal conservado, falta de educação de condutores são alguns motivos citados pelos entrevistados. Depois não adianta o empresáriado do setor reclamar da falta de passageiros. Falta tambem ao empresariado enxergar os passageiros como clientes, e assim oferecer um serviço compativel com esta visão.

  3. Parabéns Adamo pela matéria, agora a população de Mauá vai passar a ser tratada com o respeito e a consideração que sempre mereceram, mas que o ex-Barão dos transportes na cidade nunca teve e pelo visto não vai ter jamais.

    Agora só falta a EMTU acordar e licitar o Lote 5 ai quem sabe mais alguém (o dono de Santo André, ônibus, futebol e jornal) além do Tio Balta também caia do cavalo. E os usuários de algumas linhas intermunicipais também passem a receber o respeito que sempre mereceram, mas nunca tiveram.

  4. Parabens Adamo pela matéria !!!!!!!

    Bem sobre a Barão nada a declarar , afinal não mudou nada , continua igual era o pior , que é sempre o mais provavel.
    Sobre a Leblon , acredito que houve sim uma grande melhora , mas resultados expressivos e uma qualificação na operação , não aparecem assim de imediato , mas devemos destacar e qualificar certas mudanças significativas que chamarão atenção e causarão um bom impacto desde o primeiro dia de operação , há sim algumas falhas, mas nada que não possa , ser brevente corrigido , mas se defender A ou B , pelos poucos dias que a Leblon ta ai tem sim de dar credito e qualificar os seus serviços pois em 9 dias , certas linhas ou o serviço em geral ta bem melhor que quando era pela Janúaria.

  5. Que bom que vc abre esse espaço para que possamos falar oque desejamos, pois no site do diário nossos comentários sobre noticias do Tranporte de Mauá são analizados e nunca são colocados abaixo da noticia, isso tudo porque ninguem sabe, mas o Dono do Jornal Diário do Grande ABC é cunhado do Coronel Baltazar, ou seja, ele só coloca notícias no jornalzinho dele para agradar o BALTAZAR e prejudar a Leblon colocando críticas e e mentiras sobre a empresa…. Gente.. o serviço da Leblon está de Parabéns e só temos que elogiar tudo que está acontecendo na nossa cidade, agora aguardamos o Ministério Público analizar o caso de transporte da nossa cidade e exigir que a Viação Cidade de mauá trabalhe igual ou melhor doque a Viação Leblon, ou então, caia fora da nossa cidade e deixem essa empresa Leblon que está levando o seu trabalho a sério trabalhar sozinha na cidade e assim deixar toda a população de Mauá confortada, pois todos dependem de um transporte digno e descente… o Sr Baltazar deveria ter uma empresa para transportar animais, tipo, Porcos, Vacas, Bois, ou seja, pessoas da sua familia.. Obrigado Adamo. Parabéns pelo seu trabalho e por favor, fique todos os dias no terminal levantando informações, reclamações e elogios e traga tudo para o seu BLOG.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: