Bruno Covas diz que não há necessidade de rever previsão de passageiros em editais de licitação dos ônibus de São Paulo