TCM suspende licitação do sistema de gestão de frota do BRT de Feira de Santana (BA)

Publicação oficial foi festa neste sábado (19)

ADAMO BAZANI

Por determinação do TCM (Tribunal de Contas do Município), está suspensa a licitação para o para fornecimento e implementação de um sistema de gestão de frota para ônibus BRT (Bus Rapid Transit) do transporte público de Feira de Santana (BA).

A decisão foi publicada no Diário Oficial do Município deste sábado, 19 de agosto de 2023.

A suspensão é por tempo indeterminado e o TCM acolheu apontamentos sobre possíveis irregularidades na concorrência. A prefeitura terá de prestar esclarecimentos ao órgão de contas.

Além disso, administrativamente, contestaram o edital, as empresas SINALES – Sinalização Espírito Santo Ltda e DATAPROM Equipamentos e Serviços de Informática Industrial Ltda, mas a prefeitura negou as impugnações.

Como havia mostrado o Diário do Transporte, a prefeitura tenta licitar o sistema que pode dar mais controle à operação e custeio da frota.

O BRT de Feira de Santana contempla três estações interligadas por meio de dois corredores – João Durval, com 4,8 km de extensão, e o Getúlio Vargas, com 4,45 quilômetros.

Em 29 de maio de 2023, foi inaugurado o novo Terminal Ayrton Senna, que atende a mais de oito mil passageiros que utilizam as linhas de transporte público urbano na cidade.

Das 5h às 23h, 21 ônibus das concessionárias Rosa e da São João passam pelo novo terminal.

Ainda em fase experimental, a prefeitura informou que o terminal visa melhorar a mobilidade do usuário na região norte do município, “ofertando 11 linhas, intervalos de embarque a cada 10 minutos e o conforto dos ônibus do Bus Rapid Transit (BRT). Ainda circulam no novo equipamento de transporte público os veículos do Sistema Integrado de Transporte (SIT)”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
   
Assine
     
Comentários

Comentários

  1. Luciano disse:

    Pior gestão de Feira de Santana. Brt inacabado. TCU precisa apurar.

Deixe uma resposta