São Carlos (SP) nega recurso da MJM Transportes e Rigras (Suzantur) é mantida como única empresa que segue na licitação

No decorrer do mês de agosto, prefeitura deve assinar contrato de concessão dos serviços de ônibus

ADAMO BAZANI

A Rigras, empresa que pertence à Suzantur, está mais próxima de assinar contrato de concessão para operar os transportes coletivos de São Carlos, no interior paulista, por até 20 anos.

No sábado, 23 de julho de 2022, a prefeitura publicou ato que manteve a decisão da Comissão Permanente de Licitações que julgou improcedente o Recurso Administrativo apresentado pela empresa MJM Transportes e Serviços contra a classificação da Rigras (Suzantur) na concorrência.

Desta forma, a empresa de Claudinei Brogliato permanece na licitação faltando ser aberto o envelope com a proposta comercial.

A prefeitura estima que ao longo do mês de agosto de 2022 já assine o novo contrato estimado em R$ 493,4 milhões (R$ 493.448.590,50) pelo prazo de vigência da concessão é de 10 anos, podendo ser prorrogável por mais 10. A receita anual estimada na operação do sistema de transporte coletivo do município é da ordem de R$ 49,3 milhões (R$ 49.344.859,05).

O edital estipula que a frota operacional deve ter 91 veículos, sendo 59 veículos tipo ônibus básico, 22 veículos do tipo midiônibus (ônibus maior que o micro-ônibus), três veículos tipo miniônibus (adaptados) para atendimento do serviço porta a porta para pessoas com deficiência severa, como o Atende, da capital paulista, por exemplo.

A frota ainda deve ser formada por sete veículos reserva, sendo cinco veículos tipo ônibus básico e dois midiônibus.

A vida útil dos veículos deve respeitar o limite máximo de 10 anos de idade por ônibus.

Já a idade média da frota deverá ser de cinco anos.

A MJM Transportes e Serviços, de acordo com a Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo), é registrada em nome de Daniel Augusto Turim Felício, Holding Felício Participações, Luís Antônio Felício Junior e Sertran Transportes e Serviços Ltda, que é a Sertãozinho Transportes.

Já a Suzantur, registrada em nome de Claudinei Brogliato, além de já operar em São Carlos, atua no ABC Paulista, nas cidades de Santo André (contrato provisório), Diadema, Mauá e Ribeirão Pires.

A Suzantur opera de forma emergencial desde agosto de 2016 no lugar da Athenas Paulista (RMC Administração e Participação SA)

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luis Fernando Abdalla Goissis disse:

    Palhaçada!
    Tem alguém ganhando muito dinheiro com isso.
    Monopólio do transporte em São Carlos. Sempre foi assim.

  2. André disse:

    Transporte público tem que ser público. Mas pelo menos não vai ser a Itapemirim

Deixe uma resposta