Eletromobilidade

ENTREVISTA: Com início de produção neste ano, trens do People Mover do aeroporto em Guarulhos devem ser finalizados já em 2023

Projeção de como deve ficar a composição

Ainda de acordo com o gerente executivo da unidade de negócios da Marcopolo Rail, Petras Amaral Santos, empresa brasileira já atua em outros projetos ferroviários e não descarta parcerias para o segmento de trens pesados metropolitanos

ADAMO BAZANI

OUÇA AQUI:

A esperada ligação por trilhos entre a linha 13-Jade da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e os três terminais de passageiros do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, está em avanços.

As três composições para o sistema devem começar a ser produzidas neste ano com entrega prevista ao longo de 2023.

O gerente executivo da unidade de negócios da Marcopolo Rail, Petras Amaral Santos, em entrevista ao Diário do Transporte na manhã desta terça-feira, 19 de julho de 2022, disse que os trens terão tecnologia avançada.

A Marcopolo é uma das integrantes do projeto.

“O passageiro por esperar o que há de melhor de conforto e segurança. A capacidade é de cerca de 200 passageiros por composição de dois carros, com ar condicionado, com conceito autônomo [opera sem maquinista], que é uma tecnologia da Aerom e do People Mover. Nós seremos fornecedores do material rodante, especificamente da carroceria e da caixa, que neste projeto é o nosso escopo de produção” – explicou.

O Consórcio AeroGru é formado pelas empresas Aerom, HTB, FBS e TSEA.

Como mostrou o Diário do Transporte, em nota, a GRUAirport, concessionária do aeroporto, estima início das operações do sistema em abril de 2024.

Será investido um total de R$ 271,7 milhões pela GRU Airport, resultando em um meio de transporte com capacidade para duas mil pessoas por hora e com quatro paradas: estação Aeroporto-Guarulhos da Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e os terminais de passageiros 1, 2 e 3.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/08/people-mover-aeromovel-do-aeroporto-em-guarulhos-deve-comecar-a-operar-em-abril-de-2024-diz-concessionaria/

Entretanto, o People Mover do aeroporto em Guarulhos é apenas um dos projetos que a Marcopolo Rail participa na área de trilhos no Brasil e na América Latina.

“Nós estamos atuando em vários projetos de sistemas urbanos e de intercidades no Brasil e na América Latina e a nossa previsão é que nós teremos em breve produções do Prosper, que é nosso VLT [Veículo Leve sobre Trilhos] lançado em dezembro de 2020 e que todas as homologações foram finalizadas na via de Bento Gonçalves (RS). Neste segmento nós esperamos ter contratos sendo firmados no final deste ano e começo do ano que vem.” – disse Petras que ainda enfatizou que a demanda de sistemas de trilhos no Brasil e na América Latina como um todo vai crescer, uma vez que as cidades médias e grandes precisam de soluções de mobilidade que tenham maior capacidade de atendimento e maior velocidade.

A Marcoplo Rail está de olho em diversas frentes de atuação, em geral, como única fornecedora dos sistemas, atuando em parcerias (como ocorre com o People Mover em Guarulhos) para novos sistemas e também na modernização de sistemas já existentes, como de ligações regionais e urbanas.

Entre os produtos que Petras destacou está o VLT Prosper que, dependendo da versão, pode transportar 760 passageiros na versão urbana, havendo também a versão de trem intercidades que pode, inclusive, ter até mesmo carro-restaurante.

O executivo disse também que a divisão de trilhos da Marcopolo tem como visão atuar também no segmento de trens urbanos e metropolitanos pesados, de alta capacidade, em parcerias.

“Para trens metropolitanos e metrôs, que são os TUEs (Trens de Unidade Elétrica), nossa visão é atuar em parceria, trabalhar em conjunto em grandes projetos. Vemos um potenciar em parceria” – revelou.

Os trens e demais equipamentos da Marcopolo serão fabricados no complexo de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, com pavilhão industrial, quadro de funcionários, linha de produção e tecnologia específicos para o segmento ferroviário.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta