Prefeitura de SP contrata estudos ambientais e projetos da duplicação da ponte Jurubatuba

Será construída uma nova ponte, vizinha e complementar à atual, com 3 faixas de rolamento. (Google Maps)

Empreendimento vai ampliar a atual ponte para a transposição da Avenida Interlagos sobre o rio, facilitando deslocamento e otimizando fluidez do transporte coletivo na zona Sul

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de São Paulo contratou um consórcio de empresas especializadas para realizar os levantamentos de campo, serviços geotécnicos, estudos ambientais e projetos básico e executivo da duplicação da ponte Jurubatuba, na zona Sul da Capital.

O Extrato do Contrato, no valor de R$ 3 milhões, foi publicado no Diário Oficial da Cidade esta terça-feira, 12 de julho de 2022.

O Consórcio Nova Jurubatuba terá prazo de 15 meses para apresentar os estudos.

De acordo com a prefeitura, o empreendimento vai proporcionar a ampliação da atual ponte para a transposição da Avenida Interlagos sobre o Rio Jurubatuba.

Isso facilitará o deslocamento da população dos distritos de Cidade Dutra, Grajaú e Parelheiros, otimizando a fluidez e a segurança do transporte coletivo e de automóveis na região.

A atual ponte Jurubatuba é composta por dois módulos: um com duas faixas de rolamento que atendem o sentido bairro-centro; e outro com três faixas de rolamento que atendem o sentido centro-bairro.

O projeto contratado consiste na construção de uma nova ponte, vizinha e complementar à atual, contendo 3 faixas de rolamento.

Assim, a ponte atual passará a atender o tráfego no sentido centro-bairro, enquanto a futura estrutura passará a atender a circulação no sentido bairro-centro. Ambas as estruturas terão três faixas de rolamento, sendo uma exclusiva para ônibus. O módulo já existente com duas faixas de rolamento dará lugar a ciclovia e calçadas.

A previsão da SPObras é que para a construção da nova ponte, complementar à atual, serão investidos R$ 104,5 milhões – R$ 3 milhões destinados ao projeto e estudos ambientais e o restante para a execução das obras e desapropriações.

O empreendimento deverá atender cerca de 223 mil passageiros por dia e proporcionará a melhoria do transporte público e individual da região, a circulação de pedestres através de passeios adequados e seguros, a redução significativa nos tempos das viagens, além da requalificação da paisagem urbana”, informa a SPObras.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta