Cachoeirinha (RS) garante aumento de subsídio e segura valor da tarifa de ônibus em R$ 3,75

Em em março deste ano prefeitura reduziu o valor da passagem em 85 centavos. Foto: divulgação

Objetivo é evitar que o aumento recente dos custos recaia sobre o bolso da população, diz prefeito

ALEXANDRE PELEGI

Cachoeirinha, cidade da Região Metropolitana de Porto Alegre com mais de 130 mil habitantes, comunicou que manterá o valor da tarifa de ônibus urbano sem reajuste.

Como mostrou o Diário do Transporte, em março deste ano a prefeitura reduziu o valor da passagem, que então custava R$ 4,60 para os atuais R$ 3,75.

Isso só foi possível após aprovação de subsídio tarifário para a empresa Transbus, atual concessionária do serviço.

Em comunicado nessa sexta-feira, 08 de julho, a prefeitura da cidade gaúcha garantiu que cobrirá integralmente o novo cálculo do subsídio da tarifa do transporte público para não aumentar o preço da passagem aos usuários.

A medida visa evitar que o aumento recente dos custos recaia sobre o bolso da população.

Com o aumento no preço do óleo diesel, diminuição do número de passageiros, inflação e os demais custos que estão em alta, a saída da empresa de transporte público que possui mais gastos do que receita, é de aumentar a tarifa técnica para equilibrar as finanças da concessionária, principalmente nessa era pós pandemia, que atingiu em cheio o setor de transporte”, diz a nota da Administração Municipal.

A prefeitura diz que no último cálculo tarifário realizado pela Transbus foi apresentada a quantia média mensal de 221.489 passageiros. “Porém efetivamente foram transportados 146.381 passageiros mensais, mostrando que os cálculos estavam superestimados”, diz a prefeitura.  Para evitar essa discrepância, o secretário de Segurança e Mobilidade, Emerson dos Santos, disse estar agilizando uma licitação para uma empresa especializada para começar fazer de forma mensal o cálculo tarifário, “para que nos próximos meses assim que a licitação estiver concluída, todos os cálculos sejam feitos através dela”.

A Transbus, no entanto, alega que para o reajuste considerou outros fatores, como a variação do óleo diesel, que passou no período de R$5,17 para R$7,19 segundo estimativas da ANP. Houve aumento ainda de outros insumos, como peças, acessórios e o reajuste salarial da categoria dos motoristas e demais funcionários da empresa.

Segundo a prefeitura, o valor médio mensal para os próximos meses deverá saltar de aproximadamente R$ 310 mil para R$500 mil (estimativa), dependendo do número de passageiros transportados em cada mês do próximo quadrimestre.

O prefeito Cristian Wasem deixou claro que foco é não ter o reajuste no valor da passagem e ao mesmo tempo proporcionar maior qualidade aos usuários. “É um aporte para poder subsidiar o valor da passagem de uma forma justa, para não ocorrer nenhum aumento de forma excessiva e também colocar a empresa em uma situação que dê prosseguimento ao trabalho, investimento na frota e melhorias no transporte”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    O prefeito da cidade que aí está já é definitivo ou vão realizar novas eleições,que é o correto?O prefeito anterior foi afastado por corrupção e a chapa,cassada por crime eleitoral.Não seria melhor nomear uma junta judicial pra assumir em definitivo até a posse do novo prefeito por eleições regulares,evitando eleições fora de época,que só trazem custos aos cofres públicos?

Deixe uma resposta