Prefeitura do Rio de Janeiro vai aposentar BRTs (ônibus) e substituir por VLTs (trilhos)

Processo vai demorar 15 anos e já começa em 2023; Prefeitura vai substituir os veículos dos corredores Transcarioca e Transoeste do BRT pelo sistema Veículo Leve sobre Trilhos. O BRT TransOlímpica continua e as obras do BRT TransBrasil continuam

ADAMO BAZANI

O prefeito Eduardo Paes anunciou, nesta quinta-feira 07 de julho de 2022 que vai aposentar o sistema de ônibus em Corredores (BRT) e vai substituir o sistema por VLT (Veículos Leves sobre Trilhos) no que chamou de a VLTzação do sistema BRT dentro da estrutura viária da cidade.

Ao longo de 15 anos, a Prefeitura vai substituir os veículos dos corredores Transcarioca e Transoeste do BRT pelo sistema Veículo Leve sobre Trilhos. O BRT Transolímpica continua e as obras do BRT TransBrasil continuam.

E, já a partir do ano que vem, o município inicia a implantação do sistema VLT ligando o metrô de Botafogo à Gávea.

O sistema de corredores de ônibus começou a operar em 2012 numa das gestões de Eduardo Paes à frente do executivo municipal, sendo apresentado como solução de mobilidade

Mas, na prática, não foi o que ocorreu no Rio de Janeiro.

O BRT com o passar do tempo começou a ser sinônimo na cidade de maus serviços e de não atendimento pleno das necessidades da população e da demanda, mesmo se fosse bem operado.

Nestes 10 anos, a maior parte do tempo de operação do BRT foi pelos empresários de ônibus da cidade. Mas com o sucateamento dos serviços, em 2021, a prefeitura fez uma intervenção no sistema, até assumir as operações em fevereiro de 2022.

Além da má operação pelos empresários, as chamadas externalidades também contribuíram para o BRT-Rio se deteriorar, como erros nos projetos e obras do sistema, violência urbana e desacordos econômicos entre prefeitura e viações.

Com a VLTzação, a cidade totalizará 251 km de trilhos e terá o maior sistema das Américas. Hoje, são 28 km no Centro e no Porto Maravilha. Esse projeto só é viável por causa do investimento realizado na implantação da infraestrutura do sistema BRT. Como todo o sistema viário já está construído, a Prefeitura deixa de gastar neste momento o que já foi investido: R$ 4,5 bilhões na Transcarioca e R$ 2,5 bilhões na Transoeste.

A partir de agora, a Prefeitura vai investir na adaptação para o novo modal, com trilhos, trens e sistemas. O programa terá investimento estimado em R$ 14,8 bilhões para os três novos eixos.

O plano que apresentamos tem três premissas. A primeira é a de que não se trata de um projeto para o meu tempo de governo. Temos de aprender que investimentos em infraestrutura em uma rede de mobilidade precisam ultrapassar governos. É um planejamento de longo prazo em que vamos buscar financiamento externo. A segunda premissa é que nada do que foi feito na infraestrutura dos BRTs se perde. Ao contrário, o que foi feito facilita a nossa vida para que esse plano seja factível e viável. Isso ajuda a reduzir os custos. Sem essa infraestrutura já realizada esse plano não seria possível. E a terceira é que não vamos parar nenhum dos planos já anunciados para o BRT. Não vamos deixar de comprar ônibus, fazer as reformas. Tudo o que está previsto para o BRT será cumprido no meu tempo de governo. Não vamos esperar 15 anos para ajeitar o sistema para que a população pare de sofrer com o abandono que passou o BRT – afirmou, em nota, Eduardo Paes.

A prefeitura acredita que o VLT além de trazer vários benefícios, qualifica o sistema viário. Tem o dobro de capacidade dos articulados e intervalos regulares; é mais seguro; gera mais conforto para o usuário; não produz ruído; é sustentável e também integrado à paisagem urbana.

A ligação Botafogo/Gávea pelo VLT será feita via Parceria Público-Privada, com início da implantação prevista para o primeiro semestre de 2023. Serão 12 km de trilhos e 13 paradas, além de um Centro Integrado de Operação e Manutenção. Também estão previstas melhorias urbanísticas no entorno do traçado, incluindo solução para a drenagem da Rua Jardim Botânico.

A Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar) – antiga Cdurp – está à frente do projeto em parceria com a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR). Para o presidente da CCPar, Gustavo Guerrante, investir em VLT é mais que um projeto de transporte de qualidade.

– Queremos melhorar a qualidade do transporte para o carioca e apontar um caminho para o Rio do futuro. O VLT é um case de sucesso aqui e no mundo. É a transição para um Rio mais sustentável e com um modal aprovado pela população no Centro e no Porto. A última pesquisa apontou 88% de aprovação do VLT.

A secretária de Transportes, Maína Celidonio, destacou a importância da continuidade da expansão da infraestrutura na cidade e da mobilidade sustentável.

– É importante pensarmos num curto prazo, avançando na requalificação do BRT, mas também a longo prazo, com um modal que é mais regular, menos poluente e que tem também uma durabilidade maior.

Reestruturação do BRT segue como prevista

A Prefeitura segue na realização de ações para melhorar os corredores de BRT da cidade. Enquanto planeja a transição dos modais, a SMTR já superou uma série de desafios: reabertura de 46 estações; acordo judicial com as empresas de ônibus; retorno gradual de linhas regulares prioritárias; compra de articulados; licitação do sistema de bilhetagem; e sistema sob administração municipal (Mobi-Rio);

Também seguem no cronograma a entrega de grandes projetos estruturantes de mobilidade como a conclusão das obras do BRT Transbrasil e do Terminal Intermodal Gentileza; a troca de pavimentação do corredor de BRT Transoeste; e a expansão recorde da malha cicloviária da cidade.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes, com informações prefeitura do Rio de Janeiro

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. ANA CHRISTINA JUNQUEIRA CARVALHO disse:

    O VLT é muito lento, as pessoas terão que gastar muito mais tempo andando nesses veículos que em outros países se destinam ao turismo
    Retirar os ônibus para colocar esses não vai dar certo

  2. Otavia disse:

    A cidade do Rio se resume a Zona Sul e Zona Norte até o Méier.

  3. Sergio disse:

    Dudu e suas ideia milhionarias.
    Brt funciona perfeitamente em curitiba a mais de 40 anos

  4. Luciano disse:

    Mas o curitibano é selvagem igual ao carioca, que quebra tudo?

  5. Rafael JB disse:

    Olha o Tal de Eduardo fazendo pré campanha🤔!!!!

  6. Rafael JB disse:

    Metrôs sim👍.
    Transporte em massa, se faz com trens e metrôs. veja São Paulo, você vai de uma ponta a outra, usando os diversos ramais disponíveis. A população aumentou, mas a infraestrutura da cidade maravilhosa não acompanhou o crescimento urbano. E hoje, a população vive um inferno quando tem que ir a qualquer lugar que precise tomar uma condução. Em qualquer horário….superlotados, quentes, e sucateados, transporte alternativos então, totalmente desregulamentados e geridos por criminosos!!!!

  7. Andre disse:

    O mesmo prefeito foi orientado a colocar VLT, mas optou pelo BRT, inaugurando com asfalto de péssima qualidade e estações com matérias mal acabados. Agora está pensando em VLT.. Prefeito para de jogar nosso dinheiro no lixo e deixa a inciativa privada explorar as linhas e se preocupa mais com.o carioca. Vaii cuidar das escolas e hospitais que estão precisando.

  8. Andre disse:

    E só colocar VLT suspenso em certos trechos da cidade. Quando encher nas chuvas, o VLT flui sem transtorno

  9. Como sempre beneficiando bairros ricos e os trabalhadores ficam na mão.

  10. Verônica disse:

    Eduardo Paes e suas obras. Tá na cara que isso é mais um desperdício de dinheiro. VLT não tem estrutura para suportar tanta gente. O único transporte que ainda dá certo no Rio de Janeiro é o Metrô. Sera mais um transporte de trilhos fracassado. Esse prefeito tá viajando mesmo.

  11. Marcelo disse:

    Vai dá prejuízo. Pelo tipo de cobrança que é muitos não vão validar a passagem. Já gostam de entrar na estação sem pagar.isso aqui é Rio de janeiro e não Curitiba

  12. Reinaldo disse:

    Acho que Eduardo paes, não tem noção do que está fazendo.
    Criou o BRT e agora está vendo a grande besteira que vez e quer mudar.
    Será mais um disperdiçio de dinheiro público.
    Não consigo ver -lo com bom administrador.
    Acho que em algum momento ele ainda vai fazer companhia ao Sérgio Cabral.

  13. Carlos Alexandre dos Santos Alves disse:

    Alguém tem que parar esse canalha !!! A população não pode deixar isso acontecer . Vai acabar com o comércio como acabou no centro.

  14. Michel Santos disse:

    Outra mamata nas tetas públicas!
    Transporte de massa é sobre trilhos de alta velocidade e sem travessias e fluxo de passantes. Mais caro de início, mas mais eficiente e barato a médio e longo prazo.

  15. Claudio disse:

    Mto boa notícia, ja deveria ter sido implantado. O q o Governo do estado gastou para escavar metrô até a Gavea e não concluir ja custeava esse VLT na ZS. AGORA É TREMENDA INSANIDADE NÃO LEVAR ATÉ LEBLON, FECHANDO O ANEL PELO OUTRO LADO DA LAGOA, OTIMIZANDO QUEM VEM DO SENTIDO BARRA > ZS. Pequeno trecho na Bartolomeu Mitre, q é uma rua larga fecharia esse anel. Tb deveria ter sido implantado qdo pensaram nos BRTs, mas o interesse dos empresários rodoviários falou mais alto. Agora essa turma tá sem moral.

  16. Dudu Paes está preocupado com o dinheiro que porá no bolso com a OBRA e não com o serviço em si. Trouxa é quem cai nessa conversinha.
    Quero saber quando o BRT vai desafogar o transito na Av Brasil? O sofrimento já dura 10 anos e ninguém faz nada.
    Espero que o Tribunal de Contas do Estado EMBARGUE mais esse ROUBO a luz do dia.
    O Rio não merece isso.

Deixe uma resposta