Goiânia ganha 60 ônibus climatizados para ampliação da frota do Eixo Anhanguera após atraso da licitação de elétricos

Caio Millenium IV, Mercedes-Benz O 500-R, Super Padron. Foto: Prefeitura de Goiânia

Objetivo é atender de forma emergencial a demanda do sistema; TCE questionou aspectos de edital dos 114 ônibus com zero emissão, o que adiou a entrada em operação no segundo semestre

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, apresentaram nessa quarta-feira, 29 de junho de 2022, 60 novos ônibus que ampliarão a frota do Eixo Anhanguera, principal corredor de transporte coletivo de ligação da capital às cidades da Região Metropolitana.

Os 60 novos veículos são climatizados e ingressarão no Eixo e suas extensões em caráter emergencial.

Com isso, 110 ônibus passarão a circular nos próximos 180 dias no corredor.

O objetivo é desafogar a demanda do sistema, até que a frota elétrica entre em funcionamento.

Como mostrou o Diário do Transporte, o governador de Goiás anunciou um edital para a locação de 114 ônibus elétricos para o Eixo-Anhanguera no dia 1º de abril deste ano. Os veículos estavam programados para renovar a frota do Eixo-Anhanguera a partir do segundo semestre, mas esse prazo não poderá ser cumprido por problemas no Edital.

Em nota na época, o Governo do Estado explicou que os veículos com zero emissão irão substituir os 86 ônibus tradicionais que já circulam. O restante será para aumentar a oferta de ônibus na linha, o que atende a uma demanda dos usuários.

Enquanto os elétricos não chegam para o corredor de transporte, a decisão de ampliar a frota de forma imediata foi necessária diante do questionamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre aspectos da licitação. Quem esclareceu esse ponto foi o presidente da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC), secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima.

Rocha Lima explicou que o processo está sendo feito de forma muito transparente, “mas como surgiram algumas dúvidas, fomos obrigados a adiar a licitação. Estamos esclarecendo todos os questionamentos. Infelizmente, a entrega dos ônibus elétricos no segundo semestre, como o previsto, não será possível, mas a ampliação imediata da frota foi a forma provisória que encontramos para não penalizar a população”, destacou.

O governador Ronaldo Caiado reforçou a emergência na ação. “Nós precisamos responder com mais rapidez às demandas da população, e é isso que estamos fazendo. Estamos nos esforçando. Tenho certeza de que, junto com Rogério Cruz e os prefeitos, vamos quebrar a tese de que o transporte público da Região Metropolitana não tem solução”, garantiu Caiado.

De acordo com a prefeitura, seis ônibus entraram em operação nessa quarta-feira (29), no Eixo Anhanguera, para circular entre os terminais Vera Cruz e Praça da Bíblia.

Os ônibus Caio Millenium IV, chassis Mercedes-Benz O 500-R Super Padron, têm piso alto, 14 metros de comprimento, ar-condicionado, câmbio automático, capacidade para até 110 passageiros sentados e em pé, e portas para embarque e desembarque elevados pelo lado esquerdo.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Esses ônibus vão estar no lugar dos elétricos porque a compra dos ônibus elétricos foi suspensa pelo TCM

  2. HélioReis disse:

    parabéns . q continua o progresso em Goiânia e agora vamos fazer os gari trabalhar direito tbm Recolhendo os lixo e tbm limpando as ruas melhor e coloca tm os vigilantes de trânsito para retirar e multar os carros nas calçadas de Goiânia. parabéns pelo trabalho prefeito e cia

  3. WILSON DE OLIVEIRA THOMAZ JUNIOR disse:

    Operação tapa buraco. De graça não é; alguém tá pagando essa operação tiro no pé. Ônibus 4×2 pra operação no eixo Anhanguera???.
    Vai dar problema….. anota aí…….

  4. Walisson disse:

    Esse ônibus vão ficar ae passar a eleição. Depois voltar os velhos ônibus de novo

  5. Wilson de Oliveira Thomaz Jr. disse:

    A frota da Metrobus hoje é 100% Volvo articulados. Deve ser em torno de 200 ônibus. 100 estão parados por falta de manutenção. Poderia fazer um trabalho de recuperação de 10 ônibus desses que estão parados ficaria barato e não alteria a característica frota. Mas tem política onde a administração deveria ser extremamente técnico. São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba grandes centros não tem ônibus articulado elétrico. São Paulo tá renovando a frota com ônibus Diesel. Vamos acordar Goiás. Chega de abuso com o dinheiro do povo.

  6. Gege disse:

    Que vergonha, com novos ônibus e dia 02/07 sem transporte com muita demora no percurso do eixo anhanguera até GO060

  7. Antônio Fábio Pereira disse:

    Só tem 6 desses carros por aqui… São os carros q iriam rodar no BRT q nunca sai… Isso aí é pra trouxa ver… E outra… Ar condicionado com carro janelado não vai funcionar… Logo os vidros estarao abertos ..

Deixe uma resposta