ANTP apresenta sua nova marca no dia em que completa 45 anos de fundação

Vídeo institucional explica nova identidade da Associação, sintetizando sua natureza e seu longo caminho: “somos ideias, pluralidade, reverberação e transformação”

ALEXANDRE PELEGI

A ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) completa hoje 45 anos de fundação.

Para festejar a data a entidade relembra seus principais fundadores, Plinio Assmann e Rogério Belda, além de parceiros, colaboradores e amigos de todo o Brasil.

Em sintonia com os novos tempos, a ANTP decidiu mudar também sua tradicional marca, sintetizando sua natureza e seu longo caminho: “somos ideias, pluralidade, reverberação e transformação”.

Um vídeo disponível no site expõe a “nova cara” da entidade, que sempre pautou suas lutas pela defesa do transporte público coletivo de qualidade.

HISTÓRIA

Em 30 de junho de 1977, em cerimônia no auditório das Centrais Elétricas de São Paulo – CESP, em assembleia presidida pelo secretário-geral do Ministério dos Transportes e com a participação de Olavo Setúbal, então prefeito de São Paulo, era fundada a ANTP. No evento, as presenças de Plinio Assmann e Rogério Belda, que seriam, a partir daquela data, respectivamente o primeiro presidente e o primeiro diretor executivo da entidade.

Passados 45 anos, inevitável lembrar que no ano do nascimento da ANTP o Brasil era bem diferente de hoje. Nessas mais de quatro décadas o país passou por situações de esperanças redivivas, como de momentos de extrema tristeza diante da maneira como o transporte coletivo foi tratado pelas autoridades públicas.

Foram anos de lutas e de muitas vitórias.

Instituiu-se o Código do Consumidor, o Código de Trânsito Brasileiro, o Estatuto das Cidades, o Ministério das Cidades e a Lei de Mobilidade Urbana. Outras conquistas foram alcançadas, como o Ônibus Padron, o Vale-Transporte, a municipalização de trânsito e muitas outras. Em todos estes momentos, a ANTP esteve presente como protagonista, mantendo de forma permanente sua luta em prol da melhoria do transporte público.

Ao longo dessa longa história a Associação oportunizou a geração de um dos maiores acervos técnicos no âmbito da mobilidade urbana, com mais de 5.000 documentos em sua biblioteca digital, 154 edições da Revista dos Transportes Públicos, criada em 1978, de 27 Cadernos Técnicos e muitos outros documentos.

Realizou inúmeros encontros, seminários e congressos, destacando-se o seu maior evento, o Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito, com 22 edições. Todas essas conquistas só foram possíveis graças à colaboração de centenas de abnegados colaboradores, dos vários Conselhos Diretores e Fiscais, e especialmente dos associados e entidades parceiras, que contribuíram de forma decisiva para a manutenção da “chama acesa” da defesa do transporte público nestes 45 anos.

“A ANTP homenageia a sua comunidade técnica e desde já a convida para novas jornadas e novas frentes de batalhas para continuar contribuindo para a melhoria da qualidade do transporte e para inovações na forma de gestão e desenvolvimento de nossas cidades. Apesar dos momentos de dificuldades por que passa o país, em que o transporte público coletivo enfrenta sua maior crise de todos os tempos, agora mais do que nunca é preciso insistir na luta“.

Plinio Assmann (à direita, em 1972, estação Liberdade), presidiu a Cia. do Metrô de S. Paulo de 1971 a 1977, durante a construção e implantação da operação da primeira linha de Metrô do Brasil e deu início à construção da segunda. Fundou a Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e a presidiu em 1973. Presidiu em 1978 o Conselho da Cia. do Metrô do Rio de Janeiro. Foi secretário de Transportes do Governo de S. Paulo na gestão Mário Covas. Presidiu o Instituto de Engenharia de 1983 a 1984.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta