Ibirité, na Grande BH, apresenta projeto de transporte gratuito na Câmara de Vereadores

Pela proposta, atual concessionária passará a receber por quilômetro rodado. Foto: Extreme Games/Ônibus Brasil

“Qualquer pessoa poderá embarcar em quantas linhas municipais desejar para se deslocar pela cidade, sem pagar qualquer valor por isso”, afirma o prefeito William Parreira

ALEXANDRE PELEGI

Mais uma cidade quer oferecer tarifa zero no transporte urbano.

Seguindo o caminho de quase 40 municípios que já adotaram esse modelo no país, Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, encaminhou Projeto de Lei à Câmara para aprovação da gratuidade nos ônibus.

O prefeito William Parreira, que gere a cidade com mais de 180 mil habitantes, apresentou um Projeto de Lei Complementar com a proposta da gratuidade à Câmara de Vereadores no dia 20 de junho de 2022.

Por meio do PL 008/22, a proposta do Município é mudar o método de pagamento da empresa Sidon, que detém a concessão dos serviços após licitação realizada em 2020, com prazo até 2040.

A prefeitura quer alterar a receita da empresa, hoje proveniente da tarifa paga pelos passageiros, passando para o pagamento pela prefeitura por quilômetros rodados.

A estimativa é que com a mudança do sistema a prefeitura pagará cerca de R$ 800 mil mensais à Sidon. Esse cálculo resulta da multiplicação de R$ 5 para cada quilômetro rodado. A prefeitura projeta por mês que a empresa rode 150 mil quilômetros nas ruas de Ibirité.

Os recursos, de acordo com o prefeito William Parreira, virão de fontes como a economia com o pagamento de vale-transporte aos servidores públicos do município e da redução da frota própria que faz o transporte de alunos da rede municipal de educação, dentre outras.

A prefeitura divulgou em seu site os benefícios do sistema da Tarifa Zero:

– Facilitar que os moradores de Ibirité ocupem vagas de emprego;

– Garantir às famílias mais vulneráveis o acesso a direitos básicos como Hospital, Unidades Básicas de Saúde, Escolas e até pela busca por recolocação no mercado de trabalho;

– Permitir àqueles que se encontram em situação de extrema vulnerabilidade que exercessem o seu direito básico de acesso à cidade, ao lazer, à cultura e etc;

– Investimento indireto para aquecer a economia local, uma vez que a população passa a ter condições de rodar dentro cidade;

– Atrair novas empresas e comércios, gerando mais empregos, devido ao custo zero com transporte para os funcionários residentes em Ibirité;

– Melhorar o trânsito da cidade, uma vez que desestimula o uso de veículo privado e, consequentemente, reduz as emissões de poluentes no ar.

O PL 008/22 precisa passar pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara de Ibirité; na sequência, pela Comissão de Transporte, seguindo depois para votação no plenário da Câmara, em primeiro e segundo turnos.

O prefeito William Parreira garante que no dia útil seguinte à aprovação em segundo turno do PL 008/22 a “Tarifa Zero” será implementada em Ibirité. “Não teremos mais cobrador nos ônibus, apenas o motorista. Qualquer pessoa poderá embarcar em quantas linhas municipais desejar para se deslocar pela cidade, sem pagar qualquer valor por isso”, explicou o prefeito.

MUNICÍPIOS COM TARIFA ZERO

De acordo com um levantamento da NTU, que reúne mais de 500 empresas operadoras do transporte urbano em todo o Brasil, 38 cidades já adotaram o modelo de gratuidade. Veja a relação:

Segundo levantamento da Associação Nacional de Transportes Urbanos (NTU), 38 cidades brasileiras possuem algum nível de tarifa zero.

Veja a relação abaixo, segundo a Associação:

Agudos – SP

Anicuns – GO

Artur Nogueira – SP

Caeté – MG

Campo Belo-MG

Caucaia-CE

Cerquilho-SP

Cláudio – MG

Eusébio – CE

Formosa – GO

Holambra – SP

Ibaiti – PR

Itapeva – SP

Itatiaiuçu – MG

Ivaiporã-PR

Lagoa da Prata-MG

Macatuba-SP

Mariana-MG – (prazo de 180 dias, em caráter experimental)

Maricá – RJ

Matinhos-PR

Monte Carmelo-MG

Muzambinho-MG

Paranaguá-PR

Parobé-RS – (pelo prazo de seis meses)

Pirapora do Bom Jesus-SP

Pitanga-PR

Porto Real-RJ

Potirendaba-SP

Presidente Bernardes-SP

Quatro Barras-PR

São Joaquim das Bicas-MG

São Lourenço da Serra-SP

São Luís-MA

Silva Jardim-RJ

Vargem Grande-SP

Wenceslau Braz-PR

Em Ribeirão Pires – SP, Volta Redonda- RJ e São Luís – MA, a gratuidade se limita a serviços e linhas específicos.

 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Curió disse:

    Pirapora, MG também está com transporte público gratuito, por 6 meses.

Deixe uma resposta