Greve de ferroviários do Reino Unido prossegue neste sábado (25)

Ainda não houve acordo sobre reajuste salarial. É a maior paralisação dos últimos 30 anos

ADAMO BAZANI

Foi retomada neste sábado, 25 de junho de 2022, a greve dos ferroviários do Reino Unido, considerada a maior dos 30 últimos anos.

O primeiro dia de paralisação foi na terça-feira (21); na quarta-feira (22), os serviços foram restabelecidos; na quinta-feira (23), a greve foi retomada; na sexta-feira (24), as operações foram normais e; como não houve acordo; no sábado (25), a paralisação foi retomada.

Os trabalhadores pedem reajustes para recompor a inflação que deve acumular alta de 11% nos últimos 12 meses.

Um quinto da frota está em operação e as últimas partida devem ocorrer até 18h30.

Enquanto isso, o governo de Boris Johnson estuda tentar passar uma lei no parlamento que permite a substituição temporária dos grevistas.

Johnson quer ainda aumentar o teto da multa a sindicatos em caso de greves consideradas ilegais de 250 mil libras para um milhão de libras.

METRÔ DE LONDRES

De acordo com a TfL (Transport for London), que gerencia o transporte coletivo da Grande Londres, devido à greve ferroviária nacional a interrupção também acontece nas seguintes seções do metrô de Londres neste sábado:

= Linha Bakerloo – sem serviço entre Queens Park e Harrow e Wealdstone;

= Linha do distrito: filiais de Richmond e Wimbledon – serviço reduzido operando a partir das 07:30. A Tfl orienta passageiros a completarem seus percursos até as 18h00;

= Linha Waterloo & City fecha neste sábado conforme planejado;

= Há greves hoje à noite nas linhas Central, Jubilee e Victoria.

De uma maneira geral, a TfL informa que os serviços metroviários serão afetados pelas greves ferroviárias nacionais, com redução de horários de operação e frequências de trens.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta