Mais 16 linhas de ônibus de Curitiba deixam de receber pagamento de passagem em dinheiro neste sábado (18)

Já são 195 linhas das 254 que só aceitam cartão-transporte ou cartões de débito e crédito

ADAMO BAZANI

Mais 16 linhas municipais de ônibus em Curitiba deixam de receber dinheiro para pagamento de passagem.

Com isso, sobe para 195 linhas das 254 existentes na cidade que só aceitam cartão-transporte ou cartões de débito e crédito.

As linhas são: 245 Anita Garibaldi; 321 Trindade; 323 V.Autódromo; 342 B.Alto/Boa Vista; 375 Sagrado Coração; 531 Sta. Inês; 541 Bairro Novo A; 542 Bairro Novo B; 547 Bairro Novo C; 524 Bairro Novo B/C; 657 Xaxim/Capão Raso; 659 Caximba/Olaria; 681 Dalagassa; 811 Saturno; 816 Camp. Siqueira/Sta Felicidade; 826 C.Comprido/CIC. Juntas, essas linhas atendem 37.500 pessoas por dia, dos quais 76% pagam com cartão.

Estas 16 linhas circulam em bairros das regionais Boa Vista, Cajuru, Boqueirão, Pinheirinho, Bairro Novo, Portão, CIC, Santa Felicidade e Tatuquara.

Por meio de nota, a prefeitura de Curitiba informa como fazer o cartão transporte da cidade para quem usa estas linhas e ainda paga em dinheiro.

Atendimento

A confecção da primeira via do cartão-transporte é gratuita. Para fazer o cartão, o usuário deve agendar atendimento pelo site da Urbs e depois comparecer nas unidades na Rua da Cidadania ou na Rodoferroviária.

O Urbs Móvel, ônibus itinerante que oferece alguns serviços da Urbs, como a confecção da primeira via do cartão, terá reforço de operações nas regionais em que circulam essas 15 linhas.

Como fazer o cartão

Fazer o cartão é rápido e fácil. É necessário levar ao local de atendimento documento de identificação com foto, CPF e comprovante de endereço.

No caso de menores de idade, o cartão pode ser solicitado pelos pais ou responsável legal, apresentando documento de identificação original com foto de ambos.

Todas as unidades e o Urbs Móvel trabalham das 12h30 às 18h30 em dias úteis.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. transporte90 disse:

    Vejo isto com bons olhos, pois o cartão torna-se bem pessoal, e ainda torna identificável todos os passageiros que estiverem dentro do ônibus, além de proporcionar mais segurança para os motoristas, que não estarão mais lidando com dinheiro, nem desviando sua atenção ao ter que dar troco.

Deixe uma resposta