Greve de ônibus em Guarapari (ES) não tem data para terminar

Foto: Savio Luiz Neves Lisboa/Ônibus Brasil

Rodoviários da Expresso Lorenzutti se reunirão em audiência com representantes da empresa na próxima terça-feira (21)

ALEXANDRE PELEGI

Motoristas e demais funcionários da empresa Expresso Lorenzutti entram neste sábado, 18 de junho de 2022, no sexto dia de greve em Guarapari (ES).

A empresa é a responsável pelo transporte coletivo da cidade.

Cerca de 30% da frota está circulando.

Na próxima terça-feira (21) uma audiência reunirá representantes da empresa de ônibus e do sindicato que representa a categoria, o Sintrovig (Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Guarapari).

Os trabalhadores protestam contra o atraso no pagamento dos salários de abril.

Como mostrou o Diário do Transporte, em março de 2022 já houve paralisação na empresa também por atrasos nos pagamentos. Relembre: Greve de ônibus em Guarapari entra no quarto dia nesta quinta (17)

Uma decisão da 2ª Vara do Trabalho de Guarapari, expedida na segunda-feira (13), primeiro dia de greve, determinou o bloqueio de R$ 165 mil nas contas da Lorenzutti.

O dinheiro visa garantir a quitação dos salários do mês de abril. Até agora foram pagos apenas 25% do valor total devido aos empregados.

A empresa recorreu da decisão, mas nessa quarta-feira (15) o Juiz do Trabalho substituto Alvino Marchiori Junior negou a suspensão do bloqueio da conta.

Alvino Marchiori Junior, ao indeferir o recurso da Lorenzutti, citou determinação anterior para que a empresa quitasse o salário de abril e o tíquete-alimentação vencido em 20 de maio aos funcionários em cinco dias úteis, sob pena de multa diária de R$ 20 mil. De acordo com manifestação do Sintrovig, apenas o tíquete alimentação foi pago.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Andrea C disse:

    Uma vergonha 3 falta de respeito com os funcionários que dão vida a empresa.. Essa empresa deve é ser retirada e posta uma nova que possa honrar com os salários dos funcionários e sem das vans que não podem se legalizar por causa de uma empresa como essa que não honra com os compromissos… As vans tem sim que serem legalizadas quem sabe assim com concorrência a população serão bem mais atendidas.

Deixe uma resposta