MP vai investigar possível ligação de empresas de ônibus de São Paulo com crime organizado e corregedoria da Câmara recebe protocolo para apurar Senival Moura

Um dos veículos da TransUnião apreendidos em operação da Polícia Civil

Operações da Polícia Civil indicam que dinheiro de origem ilícita era lavado empresas que surgiram de cooperativas

ADAMO BAZANI

O Gaeco, do Ministério Público do Estado de São Paulo, vai também investigar a possível ligação de empresas de ônibus da capital paulista com o crime organizado.

De acordo com o delegado-geral Oswaldo Nico Gonçalves, em entrevista à TV Bandeirantes na tarde desta quarta-feira, 15 de junho de 2022, será montada uma força-tarefa entre os promotores e a Polícia Civil. A informação foi confirmada pelo Diário do Transporte.

Como mostrou o Diário do Transporte, também em conversa com o delegado-geral, a Polícia Civil instaurou dois novos inquéritos nesta terça-feira, 14 de junho de 2022, para investigar outras duas empresas de ônibus que atuam no transporte público da cidade de São Paulo.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/14/entrevista-policia-instaura-inquerito-para-investigar-mais-duas-empresas-de-onibus-de-sao-paulo-nesta-terca-14/

Já na Câmara Municipal de São Paulo, foi protocolado por um delegado da Polícia Civil um pedido na corregedoria da casa para investigar o vereador Senival Moura, do PT.

Um pedido de abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), aberto pelo vereador Mario Palumbo Junior, o delegado Palumbo, do MDB, tem até o momento poucas assinaturas: Fernando Holiday (Novo), Érica Hilton (PSOL), Sonaira Fernandes (Republicamos) e Marlon Luz (MDB), porém, Marlon Luz retirou sua assinatura.

Veja em:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/10/apos-operacoes-policiais-pedido-de-cpi-dos-onibus-de-sao-paulo-e-protocolado-na-camara-municipal/

Tudo isso porque, em operação no dia 09 de junho de 2022, o Deic (Departamento de Investigações Criminais) da Polícia Civil de São Paulo, apontou uma provável ligação do parlamentar com um suposto esquema de lavagem de dinheiro do crime organizado pela empresa de ônibus TransUnião, que atende a zona leste.

Na ocasião, 18 ônibus da TransUnião foram apreendidos. As investigações apontam que Senival tinha 13 ônibus em nome de laranjas. O vereador nega. Os ônibus foram devolvidos para a operação, mas a arrecadação pelo trabalho destes veículos irá para uma conta judicial.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/09/entrevistas-mais-tres-empresas-que-surgiram-de-cooperativas-sao-investigadas-no-mesmo-esquema-da-transuniao-diz-delegado/

A operação da Polícia Civil do dia 09 de junho de 2022, envolvendo a TransUnião e Senival Moura, começou com uma investigação sobre o assassinato em 04 de maio de 2020, de um dos diretores da empresa que teve origem em cooperativas de transportes, Adauto Soares Jorge, como mostrou o Diário do Transporte na ocasião.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/03/05/policia-apura-crime-de-mando-em-morte-de-diretor-da-transuniao/

A Polícia Civil diz ter apurado que Adauto era “testa de ferro” do vereador Senival Moura na direção da empresa, que era utilizada para a lavagem de dinheiro de membros de uma facção criminosa que atua dentro e fora de presídios.

Foram presos na operação Devanil Souza Nascimento (Sapo) e Jair Ramos de Freitas (Cachorrão).

UPBUS:

A reportagem mostrou que são investigadas outras empresas com origem em cooperativa, como a UPBus, onde ocorreu uma operação na semana passada.

Em 02 de junho de 2022, a Polícia Civil apreendeu armas, munições, computadores e documentos na UPBus, operadora da zona Leste de São Paulo.

O Denarc (Departamento de Narcóticos) da Polícia Civil de São Paulo está convencido que uma empresa de ônibus com origem em cooperativa de transportes do sistema urbano da capital paulista fazia lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e tinha membros ligados a uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/02/ouca-policia-civil-apura-que-upbus-fazia-lavagem-de-dinheiro-do-trafico-de-drogas-e-apreende-armamento-com-pessoas-ligadas-a-empresa-de-onibus/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Desde que um certo Maluf(odidho) extinguiu a CMTC,o transporte em SP capital só deu mehrdhy@.

Deixe uma resposta